• Google Nega Acordo com Verizon sobre Fim da Neutralidade na Rede

    Segundo alguns relatórios divulgados hoje pelo Wall Street Journal e pelo New York Times, o Google e a Verizon parecem estar perto de um acordo para que a Verizon possa dar maior destaque ao acelerar alguns conteúdos online caso o criador do conteúdo pague por isso. Esse processo prevê o aumento da largura de banda de acesso a determinados conteúdos mediante pagamento. Muitos afirmam que esse serviço de prioridade poderia beneficiar de forma imediata o YouTube a qual o Google é proprietário. Seus vídeos teriam maior prioridade no tráfego da rede pelo aumento da banda disponível.

    O interessante de toda essa história é que o Google nega solenemente qualquer acordo desse tipo com a Verizon, e que não existe base nenhuma para esses relatórios. De acordo com um e-mail enviado por Mistique Cano, um porta-voz do Google, o "The new York Times está simplesmente errado". E completou informando que "Nós não tivemos qualquer conversa com a Verizon sobre o pagamento para o transporte de tráfego do Google. Nós continuamos a nos empenhar, como sempre estivemos, por uma Internet aberta ". No entanto, o Google não nega discutir com a Verizon e outras companhias da Internet, sobre as questões envolvendo a neutralidade na rede.

    Para se entender melhor o nível de toda essa confusão, o Wall Street Journal informou hoje que a Verizon confirmou que estava mantendo um diálogo em andamento com o Google e a FCC (U.S. Federal Communications Commission) nos últimos 10 meses. Enquanto isso, Eric Schmidt, o CEO do Google, informou a rede de notícias CNET que estaria tentando encontrar uma solução que reunisse os diferentes lados a cerca da neutralidade da rede. Nas palavras de Schmidt, "Nós estamos tentando encontrar soluções que façam uma ponte entre o ponto de vista de neutralidade hard-core, e o ponto de vista histórico das empresas de telecomunicação, e chegarmos a um acordo". Ele também não quis dizer se a sua empresa chegou a um acordo com a Verizon, a respeito dessa neutralidade na rede, mas que as duas companhias "estão tentando se entender e definir o que significa essa neutralidade".

    Mas lembrem-se de que o Google e a Verizon são apenas duas partes nesse jogo, que tem a presença de muitos "participantes" envolvidos. E o "intermediador" está sendo a própria FCC, que tenta a todo custo conseguir um acordo sobre a futura entrega de conteúdo e serviços online.

    E a FCC pretende não deixar essa disputa fugir de seu controle. Julius Genachowski, o atual presidente da FCC, pretende já informou que pretende adotar orientações que assegurem as empresas de telecomunicações proporcionar igualdade de tratamento de tráfego nas redes. A problemática atual começou com uma decisão da Corte Federal norte-americana de apelações, que em abril deste ano de 2010 informou que a FCC não tem autoridade para aplicar políticas de neutralidade na rede para ISPs dentro dos Estados Unidos. A Corte deu plenos poderes para os ISPs decidirem o que melhor lhes convier, gerenciando seu tráfego da maneira que acham correto.


    Links de Interesse:

    - Google denies talks with Verizon to end Net neutrality

    Sobre o Autor: code

    Administrador e Editor do Portal Under-Linux, desenvolvedor Linux e FOSS para Linux, autor de livros e artigos, atuando na área de Educação Digital e P&D com AI.

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L