• Análise de Mercado: Parceira Nokia com Microsoft

    Parece que a Nokia concordou em fazer do Windows Phone 7 sua nova plataforma de sistema operacional embarcado para smartphones. Com essa parceria entre essas gigantes, alguns sairão ganhando... e muita gente sairá perdendo. Vamos a uma análise?


    Microsoft

    A Microsoft seria, obrigatoriamente, a primeira empresa a sair vencedora com esse acordo. Poderíamos dizer que ela é a principal beneficiada entre os envolvidos. Para quem achava que o sistema operacional Windows Phone 7 continuaria relegado a segundo plano entre os principais fabricantes de smartphones como HTC e Samsung, agora o mesmo será embarcado como primeira opção pelo fabricante número um neste mercado voraz: a Nokia.


    ARM

    Sabemos que a Nokia "namora" bastante os chipsets Atom da Intel, como base para seus MIDs e tablets, que vem embarcados com o sistema operacional MeeGo OS. Porém, o Windows Phone 7 foi feito para rodar em processadores ARM. E com o maior fabricante de telefones do mundo embarcando seus futuros modelos com o sistema operacional da Microsoft, ninguém mais derruba os ARM nesse mercado de dispositivos móveis.


    Apple

    Sabemos que o iPhone foi um dos principais responsáveis (se não o principal) por matar o Symbian. E não está sendo uma morte rápida (sim, o Symbian ainda vive). Muito pelo contrário. Tem sido uma morte lenta com requintes de tortura. A própria Nokia afirma que seu Symbian está morrendo porque não conseguiu acompanhar a evolução das interfaces amigáveis ao uso via toque (principalmente com a popularização desenfreada das telas touchscreen multi-toques) que a Apple soube fazer como ninguém em seu iPhone.

    Com a consolidação do acordo entre a Microsoft e a Nokia, o Symbian receberá seu "golpe de misericórdia" e poderá ir para o "céu" dos sistemas operacionais embarcados. Mas será que a Apple sentirá algum incômodo vindo do Windows Phone 7? Sabemos que a Nokia, como maior fabricante de telefones no mundo, embarcando todos os seus futuros produtos no mercado com o sistema operacional da Microsoft, criará uma contra-onda de popularidade puramente a base de força bruta.

    Outro ponto positivo (e cumulativo) é que provavelmente muitos comprarão os smartphones da Nokia somente por vir com o Windows Phone 7 embarcado. Melhor ainda se a Microsoft prometer atualizações futuras (e gratuitas) para seu OS embarcado, caso a Nokia "prepare" todos os seus aparelhos (vulgo hardware) para que "aguentem" as pesadas atualizações que a empresa de Redmond costuma lançar.


    HTC

    A HTC é fabricante mundialmente reconhecida por enfrentar o mercado de smartphones com aparelhos embarcados com o Android - o sistema operacional do Google. Ela também será uma das empresas vencedoras nesse acordo (mesmo sem participar). Sabe como? Com a parceria de mercado entre essas duas gigantes, a HTC poderá estreitar ainda mais seu relacionamento com o Google, jogando no mercado mais que o dobro de opções de dispositivos móveis com o Android embarcado. O que não vai faltar nas prateleiras dos consumidores será a "liberdade" para todos os gostos.

    A ideia aqui seria prejudicar qualquer lançamento da Nokia com o Windows Phone 7 embarcado, jogando no mercado muito mais opções de aparelhos com Android, recursos gratuitos, e liberdade. A pressão exercida seria enorme contra a Nokia (e consequentemente contra a Microsoft) que teriam de manter suas inovações (e aceitação do público) a todo vapor, para cada novo lançamento despejado por elas no mercado.

    Outro ponto interessante a destacar, é que a HTC tem potencial para ser uma "Nokia" em quantidade de dispositivos móveis produzidos (e vendidos) no mundo. E tendo uma empresa à parte somente para cuidar do sistema operacional (o Google), a HTC ganhará posições estratégicas em qualquer mercado futuro, se souber trabalhar junto com a Gigante da Internet e seu inovador sistema operacional Android. E caso esse cenário se concretizasse, significaria uma dor da cabeça muito grande para a Nokia e a Microsoft.


    LG

    E agora vamos começar a falar um pouco dos perdedores. Sim! Alguém sempre sairá perdendo neste mercado e a primeira da lista seria a LG. Essa empresa coreana sempre bradou aos quatro ventos que era o principal parceiro da Microsoft no mercado de smartphones. A mesma chegou até a declarar em pleno MWC 2009 que até 2012 produziria cerca de 50 Windows Phone para o mercado. Porém, com a recente parceria entre a Microsoft e a Nokia, fica até óbvio demais entender que a LG foi jogada para segundo plano.

    E se formos analisar o mercado de dispositivos de comunicação móveis, até mesmo para a própria Microsoft, uma parceria com a Nokia é muito mais estratégica que uma relação "oficial" de mercado com a LG. E a única maneira da coreana não afundar (ou minimizar consideravelmente suas perdas) seria tentar aumentar seu naco de mercado investindo ainda mais em parcerias com o Google, promovendo seus futuros smartphones com o sistema operacional Android. E a LG acabaria entrando em uma nova disputa com a HTC, pois ambas precisariam expandir as opções de produtos no mercado com o Android. O maior beneficiado nisso: o Google.


    Intel

    Para quem acha que a Intel só tende a ganhar em análise temporal de mercado, esta é uma boa hora para repensar duas (ou mais) vezes sobre o assunto. Vale lembrar que o projeto MeeGo seria mais uma das vias da Intel de crescer no mercado de dispositivos móveis, porém o projeto parece que não deslancha. E para piorar, com a parceria da Microsoft com a Nokia, novos smartphones com o sistema operacional de Redmond entrarão no mercado, e todos dependentes de processadores ARM. Bye bye Intel?


    Desenvolvedores do Symbian

    Essa também é uma derrota óbvia. Se o Symbian não vai para frente, quem precisa dos seus desenvolvedores? O pior é que todos poderão ser realocados para desenvolver sobre a plataforma da Microsoft, sem poder sequer usar Qt. A própria Nokia afirmou que não pretende portar suas ferramentas Qt para o sistema operacional Windows Phone 7. Será que os desenvolvedores do Symbian estarão condenados a aprender Silverlight? Não desejaria isso nem para meu pior inimigo...


    Nokia

    E para fechar com chave de ouro a lista de "derrotados" temos ninguém mais, ninguém menos, que a própria Nokia. Aparentemente os analistas de mercado vêem nesta parceria uma verdadeira humilhação para a maior produtora de telefones do mundo. Uma empresa que nunca conseguiu o sucesso que realmente almejava com seu Symbian, tentou desesperadamente investir no MeeGo como nova proposta inovadora de sistema operacional embarcado (e não sozinha, pois seria um consórcio), e agora caiu de vez, estando nas graças da Microsoft.

    O que fica na cabeça de muitos analistas, é de incompetência: de seus investidores, de seus desenvolvedores. Ao longo de todos esses anos, a Nokia investiu rios de dinheiro em P&D (Pesquisa e desenvolvimento)... para nada. E agora se transformou em uma empresa "produtora de hardware" para sistemas operacionais (fechados) de terceiros. Essa ação fragiliza e muito a companhia, proporcionando grandes vantagens para empresas como a HTC de ganharem maior fatia de mercado.


    Essa Parceria tem Futuro?

    Essa pergunta ficará no ar pelos próximos meses. Como primeira fase neste "investimento de risco" A parceria terá que provar não somente a excelência do sistema operacional da Microsoft, como também o seu casamento perfeito com o hardware produzido pela Nokia. Seu segundo desafio será provar para os consumidores que seu produto final é o que há de melhor no mercado, atendendo a todas as necessidades dos diferentes públicos, produzindo não somente diferentes dispositivos móveis como também investindo em aplicativos e funcionalidades. Vale aguardar para ver onde essa parceria conseguirá chegar.


    Links de Interesse:

    - Nokia-Microsoft Deal: Winners and Losers

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L