• Plesk: Versões Desatualizadas são Inseguras

    O hacker conhecido como KingCope utilizou a lista de discussão de segurança Full Disclosure para publicar o que acredita ser um exploit do tipo zero-day para o Plesk, o pacote de software de hospedagem criado pela Parallels. KingCope diz que o exploit utiliza requisições HTTP especialmente preparadas para injetar comandos PHP e que o mesmo foi testado com sucesso nas versões Plesk 9.5.4, 9.3, 9.2, 9.0 e 8.6 no Red Hat, CentOS e Fedora. Aparentemente, a versão 11.0.9 não é afetada.


    Ao que tudo indica o hacker encontrou uma maneira de usar a requisição POST para lançar o interpretador PHP com quaisquer parâmetros de configuração que um atacante possa querer. O interpretador pode então ser utilizado para transportar qualquer comando. O exploit utiliza a URL requisitada para iniciar o interpretador com os parâmetros desejados (i. é, com o safe_mode=off), e o código PHP que será executado está na porção de dados da requisição. As gravações dos logs de acesso do servidor web apresentam esse formato:

    Código :
    POST /%70%68%70%70%61%74%68/%70%68%70?%2D%64+%61%6C%6C%6F%77%5F%75%72%6C
    %5F%69%
    6E%63%6C%75%64%65%3D%6F%6E+%2D%64+%73%61%66%65%5F%6D%6F%64%65%3D%6F%66%6
    6+%2D%64+%73%75%68%6F%73%69%6E%2E%73%69%6D%75%6C%61%74%69%6F%6E%3D%6F%6E
    +%2D%64+%64%69%73%61%
    62%6C%65%5F%66%75%6E%63%74%69%6F%6E%73%3D%22%22+%2D%64+%6F%70%65%6E%5F%6
    2%61%73%65%64%69%72%3D%6E%6F%6E%65+%2D%64+%61%75%74%6F%5F%70%72%65%70%65
    %6E%64%5F%66%69%6C%65%
    3D%70%68%70%3A%2F%2F%69%6E%70%75%74+%2D%6E HTTP/1.1" 200 203 "-" "Mozill
    a/5.0 (compatible; Googlebot/2.1; +http://www.google.com/bot.html)

    Ainda de acordo com KingCope, o exploit apena funciona quando o Plesk possui a seguinte configuração:

    scriptAlias /phppath/ "/usr/bin/"

    Essa configuração pode ser a exceção ao invés da regra. Entretanto, como sugerido por "David H", que enviou uma resposta detalhada para a lista de discussão Full Disclosure, KingCope deveria ser levado a sério. Ele é notório no mundo da segurança por publicar vários exploits do tipo zero-day.

    Resposta da Parallels

    De acordo com a empresa criadora do Plesk, esse exploit é uma variante de uma vulnerabilidade antiga, conhecida como CVE-2012-1823, que está relacionada com o modo CGI do PHP apenas em versões antigas do Plesk. Todas as versões correntes do Plesk suportadas pela Parallels, para o Parallels Plesk Panel 9.5, e as séries 10.x e 11.x, assim como o Parallels Plesk Automation, não estão vulneráveis. Porém, se um cliente utiliza uma versão legada do Plesk e não mais possui suporte para as versões atuais do Parallels Plesk Panel, os mesmos devem efetuar um upgrade para a última versão. Para sa versões legadas do Parallels Plesk Panel, a empresa oferece um sugerido e não-suportado workaround descrito em http://kb.parallels.com/en/113818.

    Porém, bem sabemos que existem muitas instalações Plesk para hospedagem desatualizadas em todo o mundo, com um risco muito grande (e potencial) de serem vítimas de ataques. E, como o uso do Plesk é destinado a clientes com o mínimo de conhecimento sobre hospedagem de sites, quem deveria "se mexer" para proteger esses indivíduos são as empresas de hospedagem contratadas.

    Saiba Mais:

    - Heise Online: Supposed zero-day exploit for Plesk - Update (em Inglês)

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L