• App "Cura Gay": Apple Retira da App Store e Google Mantem na Play Store

    Uma aplicação que promete aos usuários a "liberdade da homossexualidade" acaba de ser removido da App Store da Apple, mas ainda está presente na Play Store do Google para smartphones e tablets Android, a despeito dos inúmeros pedidos de remoção feitos pela All Out. A Setting Captives Free, um ministério sem denominação liderado por Mike Cleveland, de Medina, Ohio, e responsável pela criação da aplicação "Door of hope" disse que está empenhado em libertar as pessoas do pecado através dos ensinamentos de jesus Cristo. Em seus aplicativos para telefonia móvel e no seu web site, a organização oferece uma série de cursos interativos e materiais informativos para o combate a tentação e como viver uma vida sem pecado.


    A aplicação "Door of Hope" da Setting Captives Free foi banida da App Store da Apple por seu conteúdo anti-gay.

    Porém, um curso em particular, intitulado "Door of Hope: Freedom from the Bondage of Homosexuality," (em Português do brasil, "Porta da Esperança: Liberdade da Escravidão da Homossexualidade") publicado semana passada, chamou a atenção dos direitos homossexuais e igualdade de grupo. O curso interativo de 60 dias, que estava disponível como aplicação tanto para iPhone quanto para Android, prometia "ensinar você a desfrutar de um relacionamento decente com o Senhor e como encontrar a liberdade da homossexualidade".

    Em uma passagem da segunda seção do curso pode-se ler: ""Amigo, antes de descobrir o método de Deus de libertar-nos da homossexualidade, primeiro precisamos concordar com Deus sobre a questão da homossexualidade". A All Out lançou uma petição em 29 de Maiod e 2013 exigind que a Apple e o Google removessem a aplicação de suas respectivas lojas online. "Cura Gay? Não deveria existir uma aplicação para isso", respondeu a All Out em um post no seu site, e completou "A Apple e o Google popssuem políticas contra esses tipos de aplicações, mas até o momento esse especificamente tem escapado de sua atenção. Assine agora [a petição] para dizer a eles para retirar esse e outros aplicativos [referentes a] cura gay!".

    Apple

    Mais de 94.000 pessoas assinaram essa petição até o momento. A Apple removeu a aplicação na semana passada, citando a cláusula 16.1 de sua App Store Guidelines, de acordo com um representante da Setting Captives Free. Na cláusula 16.1, lê-se: "Aplicativos que representem conteúdo excessivamente censurável ou bruto será rejeitado". Isso significa que aplicações primariamente projetadas para irritar ou revoltar as pessoas devem ser removidos da loja online.

    A Apple não efetuou nenhum comentário sobre o processo de remoção quando abordada pela ABC News. E essa não é a primeira vez que a Apple baniu uma aplicação anti-gay de sua App Store. Em Março de 2011, uma aplicação chamada Exodus que oferecia conteúdo similar para ajudar as pessoas "em sua jornada para fora da homossexualidade" também foi devidamente removido.

    Google

    O Google, por outro lado, ainda não removeu a aplicação. A mesma ainda aparece disponível na Google Play Store, porém apenas com parte do curso acessíveis. O Google não quis comentar aobre a aplicação polêmica quando questionado pela ABC News.

    " A All Out gostaria de se envolver em uma conversação com o Google sobre o porquê das aplicações de "Cura Gay" são tão perigosos, principalmente para os jovens" disse Joe Mirabella, diretor de campanhas da comunidade da All Out. "A All Out gostaria que o Google removesse a aplicação de suas lojas antes que alguém seja prejudicado por isso".

    Enquanto isso, críticos já deixaram comentários para o Google na página de review da aplicação. "Remova essa aplicação do Google Market, a Apple já removeu a mesma de suas lojas. Rezar contra os gays é muita bobagem, e muito ofensivo!", escreveu um usuário.

    O Google sempre manteve uma relação mais aberta para com sua loja de aplicações. Seu App Developer Guidelines por exemplo, não menciona nada sobre "conteúdo censurável" como o equivalente da Apple o faz. Mas o Google também possui diretrizes bem rígidas quando o assunto é sexualidade explícita, bullying ou incitação ao ódio. A título de exemplo, mais cedo nessa mesma semana, o Google baniu uma aplicação de pornografia para o Google Glass.

    Setting Captives Free

    A Setting Captives Free diz que tentou contactar a Apple para obter esclarecimentos sobre o banimento de sua aplicação e se futuras versões desse app seria aprovadas pela loja. Eles planejam manter a aplicação nas duas mais populares lojas online, e o ministério também esclareceu que o mesmo não pensa que ele pode curar a homossexualidade como se a mesma fosse uma doença.

    "Nós não oferecemos uma cura como se a homossexualidade fosse uma doença, e nem clamamos ser capazes de mudar ninguém" afirmou a organização, completando que "Nós apresentamos um Modo de Vida - Seu nome é Jesus. Se os homossexuais estão descontentes com seu atual modo de vida, eles tem o direito de buscar a felicidade e mudar ao seu desejo. Aqueles que nos opõem não entendem porque eles não vivenciaram o poder transformador do evangelho".

    Saiba Mais:

    - ABC News: Apple Drops 'Gay Cure' App From Store, Google Keeps It Despite Petition (em Inglês)

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L