• AMD Investindo em Notebooks

    A AMD (Advanced Micro Devices) conhecida empresa do mercado de microprocessadores, parece estar planejando uma revira-volta no mercado de laptops, para ganhar terreno sobre a sua eterna rival, a Intel. Essa tática parece não vir sem motivo, e assim, estar atrelada ao recente crescimento da empresa no primeiro trimestre deste ano de 2010, mostrando que suas investidas e planejamentos estão dando certo. Inclusive existem rumores de que a AMD estaria negociando junto a Apple para que os produtos da empresa de Steve Jobs venham embarcados com processadores AMD, ao invés dos chips Intel.

    Nesta quinta-feira passada, o CEO da AMD Dirk Meier, afirmou que viu "o mercado de notebooks como uma grande oportunidade... porque somos relativamente sub-representados lá". Meier ainda informou que a empresa estava indo muito bem no mercado de desktops, com uma cota de mercado bem acima de 20 por cento, mas que o mercado de laptops com processadores AMD era bem abaixo disso. A idéia da empresa é viabilizar táticas que permitam sua expansão nesse mercado bastante promissor.

    Muitos dizem que o futuro da computação será a computação móvel, com os desktops desaparecendo pouco a pouco, dando lugares a diversos híbridos de notebooks, netbooks, e smartphones, o que fez a AMD repensar suas estratégias de mercado. A AMD informa que está fazendo seus chips cada vez mais eficientes com relação ao consumo de energia, para tentar tornar o tempo de vida das baterias dos dispositivos portáteis cada vez mais alto.

    Meier também afirma que a companhia está investindo muito na melhoria dos recursos gráficos de seus processadores. Ele informa que a AMD está aprimorando a microarquitetura de seus chips Bobcat, destinado ao mercado de notebooks de baixo consumo de energia, como os tablets estilo iPad. Por sinal, os produtos baseados nessa tecnologia deverão aparecer no mercado à partir de 2011. Lembramos os computadores móveis são um segmento de mercado de alto volume de vendas, e está se mostrando bastante tentador para a AMD, que poderá embarcar seus chips se ser mais competitiva em relação a Intel.

    Para aqueles que acham que a AMD está caminhando à falência, pensem duas vezes. No último trimestre de 2009, a empresa superou a Intel no mercado de microprocessadores. Atualmente a AMD conta com 12.1 percentuais dos embarques globais de microprocessadores, e aumentou 1.6 percentuais em relação ao mesmo período do ano passado, onde conseguiu ganho de apenas 0.28 percentuais. Mas a AMD ainda tem muito chão pela frente se quiser rivalizar o mercado com sua concorrente direta. A Intel hoje representa nada mais, nada menos, que 80,6 por cento de todo o mercado global de microprocessadores.

    As atuais investidas da AMD ainda não são fortes o suficientes para abalar o mercado da Intel, que a cada dia ganha mais e mais mercados, embarcando deus chips em uma miríade de computadores portáteis. Mas a AMD ainda tem o fator preço ao seu lado, e isso é um bom aliado nas negociações. Seus chips são iguais ou superiores em qualidade aos da Intel. Isso significa que a briga será única e exclusivamente no âmbito de preço. E se a AMD souber usar bem sua vantagem, em pouco tempo voltará a ser uma verdadeira dor de cabeça para sua mais que rival.

    Muitos analistas afirmam que os chips da Intel possuem performance superior aos da AMD, e que a AMD apenas possuiria a vantagem de preço. Inclusive afirmam que a AMD sempre oferece generosos descontos como um incentivo para seus consumidores adquirirem seus chips. A AMD ainda tem ampliado o embarque de seus chips com o crescente número de parceiros fabricantes de PC. Um deles é a Lenovo, que é parceira da AMD desde o ano passado. E a maioria dos ThinkPad da Lenovo estão sendo embarcados com processadores AMD, com destino a pequenas e médias empresas, visando ser uma alternativa mais barata aos notebooks com chip Intel. E a expansão de parceiros só está aumentando, agora já envolvendo companhias como Hewlett-Packard, Acer, Dell e Toshiba.

    Uma das grandes novidades da AMD para 2011 é sua plataforma Fusion, que irá integrar em apenas um chip, a CPU e a GPU. Inclusive um bom mercado deste processador poderia ser o de MacBook Pro da Apple. Por sinal, a nova linha de MacBook Pro vem com um sistema de alteração gráfica muito interessante,q eu alterna entre CPU e GPU dependendo da necessidade de processamento dos aplicativos. E com o Fusion, o sistema de alteração seria muito mais eficiente, reduzindo consideravelmente o consumo de energia nesses dispositivos.


    Notícias Relacionadas:

    - Apple Interessada em Chips AMD


    Links de Interesse:

    - AMD tries to boost weak laptop offerings



Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L