• Google: VP9 como Sucessor do VP8

    Como planejado em Maio, o Google acabou de finalizar o bit stream para o VP9, seu formato de compressão de vídeo aberto. O Chromium já vem incluindo o Beta do decoder VP9 por algum tempo, e agora tem sido ativado por padrão de acordo com o issue tracker, onde se lê "Remova a flag VP9, e ative o VP9 por padrão". O VP9 também pode ser ativado na versão de desenvolvimento do Chromium e no Chrome ("Ative o playback VP9 nos elementos <video>"). O Google está planejando incorporar a versão final do VP9 junto a versão 29 de seu navegador proprietário (Chrome) por padrão até o dia 28 de Agosto deste ano corrente de 2013. Aparentemente ainda vai demorar um tempo até que o VP9 alcance massa crítica no YouTube já que o mesmo ainda aparece limitad a alguns vídeos demonstrativos no serviço de nuvem de stream do Google.


    O VP9 é projetado para ter 50 por cento a menos de bit rates que seu predecessor, a codec VP8, e é esperado encarar o High Efficiency Video Coding (HEVC/H.265), o sucessor do H.264, que entrou em campo pela ITU e ISO/MPEG em Janeiro último.

    O Google e seus parceiros no projeto WebM querem estabelecer a codec como um padrão livre de royalties para video HTML5 e para chamadas web com video utilizando o WebRTC. Entretanto, os defensores do WebM ainda tem um número de problemas com patentes para superar.

    Após a aquisição da On2 Technologies, o Google agora é dono de patentes essenciais de algoritmos de compressão, liberando a codec VP8 prévia sob uma irrevogável licença de código aberto. Entretanto, a empresa gerenciadora de patentes MPEG LA tem coletado vários pedidos de patentes contra o VP8. Um total de 12 companhias reportaram possuir patentes contra o VP8, sendo que 11 destas concordaram com um acordo de licenciamento com o Google em Março deste ano de 2013, o que poderia oferecer ao VP8 (e seu sucessor, o VP9) uma boa margem de segurança em patentes. A licença de patente resultante para terceiros também tem resultado em críticas pelos defensores do código aberto, mesmo sabendo que a SFLC acredita ue uma licença separada de patentes não causaria problemas.

    Dentre os 12 membros do grupo está a Nokia, que também está envolvida no desenvolvimento do H.264 e H.265. A companhia Finlandesa tem se mostrado contra a existência do VP8 junto a IETF e apresentou algumas de suas próprias patentes de compressão de vídeo contra o VP8, e por conseguinte, seu sucessor VP9. Pelo andar da carruagem essa novela está longe de ter um final rápido (e feliz) para todos os envolvidos.

    Saiba Mais:

    - Heise Online: Google's VP9 web video codec enters home straight (em Inglês)

    Sobre o Autor: code

    Administrador e Editor do Portal Under-Linux, desenvolvedor Linux e FOSS para Linux, autor de livros e artigos, atuando na área de Educação Digital e P&D com AI.

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L