• Vodafone: Redução de Vendas

    A operadora de rede Vodafone no seu primeiro trimestre de exercício financeiro sofreu uma perda nas vendas o que fez disso um "ambiente de competição persistentemente agressivo" e uma responsável "decisão regulatória drástica". A companhia anunciou em Dusseldorf nesta sexta-feira que, comparado com o ano passado, o total de vendas da Vodafone Alemã, passou de cerca de 5 por cento para 2,27 bilhões de euros. As vendas no setor móvel e serviços de linha fixa caíram um montante similar de 2,26 bilhões de euros um ano antes, para 2,14 bilhões na mesma moeda corrente.


    O número de clientes de telefonia móvel também teve um decréscimo de 10 por cento, caindo para 32,14 milhões. A empresa culpa principalmente ao cancelamento dos registros de inativos na modalidade de cartão pré-pago. Vale destacar que a proporção de usuários de smartphones cresceu em pelo menos 12 pontos, e de acordo com a companhia o total de clientes com smartphones corresponde a 38 por cento de sua carteira. A receita de dados também aumentou ano a ano para 6.8 por cento e agora corresponde praticamente a um terço das receitas de serviços. A receita média mensal por cliente está na faixa de 5,6 por cento, correspondendo a um valor de € 15,70.

    Jens Schulte-Bockum, o chefe da filial germânica, disse em um comunicado que "o mercado se mantêm altamente competitivo" e completou que a "competição e as decisões de regulamentação tiveram seu preço". Em alusão a decisão de regulamentar a Vodafone, o CEO falando sobre a redução das taxas para telefonia móvel no fim do ano passado exigidas pela Agência de Rede Federal Alemã. E as operadoras de rede local não tiveram oportunidade de apresentar o impacto que essa regulamentação causaria. Entretanto a Vodafone calculou que as vendas sem a "mão pesada" do órgão regulador não seriam tão reduzidas, ficando em apenas 2,3 por cento.

    E Düsseldorf pode ficar ainda mais feliz se ficar com a decisão da Agência de Rede Federal Alemã, porque Bruxelas ainda não é tão distante. A Comissão Europeia teve as novas acusações temporariamente suspensas em Março deste ano de 2013, porque a base de cálculo da Agência de Rede Federal não cumpriu com a prática Europeia. Isso mostra que, se comparado aos outros Estados Membros da União Europeia, existe uma cobrança excessiva de tarifas para os clientes de telefonia móvel. A Comissão confirmou o fato em Junho último desse ano de 2013, e pediu pressa na Agência de Rede Federal Alemã por uma retificação. Porém, a regulamentação não será retirada e irá manter sua linha, o que focaliza uma disputa diretamente com Bruxelas.

    Vale destacar que na Alemanha, assim como em muitos países Europeus, as taxas de telefonia móvel são irrisórias se comparadas as aplicadas no Brasil. E mesmo lá os valores são considerados injustos a ponto das agências de regulamentação federais exigirem a redução das tarifas aplicadas. Com isso, muitas empresas mal estruturadas começam a "quebrar". Imagine se algo desse nível fosse aplicado (e justamente) no Brasil? Todas as empresas no mercado local quebrariam, pois estão mal acostumadas a prover um serviço péssimo a preço de ouro, colocando as margens de lucro na casa do milhar em porcentagem.

    É impoprtante destacar que em todo Vodafone Group, as vendas foram reduzidas no período de Abril a Junho deste ano de 2013, se comparada as seções prévias com uma margemd e 3,5 por cento, para um total de 10,5 bilhões de Libras (o equivalente a 12,3 bilhões de euros, e consequentemente um pouco mais de 16 bilhões de dólares americanos, ou incríveis 36 bilhões de reais em nossa moeda nativa). Isso aocntece especialemnte em países do sul da Europa como a Itália e a Espanha, onde a situação já alcançou perdas de 17,6 por cento, e 10,6 por cento sendo difícil de separar o grupo em Londres.

    Já nas economias emergentes como Turquia e Índia, a Vodafone teve um crescimento de 15 por cento e 13 por cento, respectivamente. E isso acontece justamente porque em economias emergentes onde não há uma regulação adequada, ou mesmo justa, as empresas abusam de suas cobranças pelos serviços de forma abusiva. Não é a toa que Vittorio Colao, CEO do Vodafone Group afirmou que esse foi um bom início de ano, especialmente nos países emergentes.

    As grandes mudanças são o mais importante mercado da Vodafone, antes da Alemanha. Com a aquisição planejada da Vodafone local, o valor da aquisição está em 11 bilhões de euros, já descontados os débitos a serem adquiridos. A meta para essa aquisição é focalizar no mercado de rede fixa, já que com as constantes quedas de mercado a empresa estaria sob constante pressão.

    Fonte:

    - Heise: Vodafones Umsatz schrumpft (em Alemão)

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L