• Contínuas Investidas de Malware via E-mail

    Quase 95% dos norte-americanos receberam pelo menos um e-mail contendo um vírus, spyware ou malware, de acordo com um levantamento feito pela especialista Halon. Cerca de um em cada onze dos entrevistados, foi abrir o anexo que chegou junto com o e-mail e acabando infectando o seu computador. Além disso, quase um terço dessas pessoas esteve perto de fazer o mesmo: essas pessoas até abriram o e-mail, mas pararam no anexo. Esses e-mails de spam bogusly pretendem vir com mais freqüência a partir de instituições bancárias, de sites de mídia social como o Facebook (devido a sua alta popularidade) ou mesmo através do Twitter e por meio de serviços de pagamento on-line.


    Mensagens de Spam Ainda Despertam Curiosidade

    Um em cada três norte-americanos admitiu que iria abrir um e-mail não solicitado, mesmo que pareça suspeito. Para as mulheres, as mensagens de spam contendo convites a partir de redes sociais são atraentes, enquanto os homens são tentados a abrir aqueles com as sugestões testadas envolvendo dinheiro, poder e sexo.


    Especificamente, a pesquisa constatou que as mulheres são mais propensas a abrir e-mails de contas relacionadas a mídia social (8,2% para 5,6%), mas que os homens são quase três vezes mais propensos a abrir e-mails em massa não solicitados, que prometem recompensas monetárias, e muito mais provável que abram e-mails que prometem a inclusão de fotos de celebridades em algum flagrante polêmico.


    Spammers Aperfeiçoam suas Técnicas

    "Spam e-mail é um fato infeliz da vida na era da informática. Os usuários se tornaram mais conscientes das ameaças que eles enfrentam, mas os spammers também se tornaram mais "profissionais" no disfarce em relação a essas mensagens, fazendo de tudo para que elas pareçam reais", disse o norte- americano da Halon, CEO e co- fundador, Jonas Falck. Os prestadores de serviços de e-mail e responsáveis por empresas de web hosting nem sempre podem previnir que as ameaças de spam sejam entregues, mas alertam para que as que as pessoas tenham muito cuidado quando se depararem com e-mails suspeitos, que podem dar um hijack em seu computador ou simplesmente, torná-lo inoperante.

    A pesquisa da Halon também indica o entendimento tradicional das práticas de spam, que se expandiram para além das ofertas de vendas não solicitadas. Estes incluem mensagens de mídia social (mencionadas por 41,5%), mensagens de texto (40,8%) e mensagens de telefone (35,1 %). Além disso, um em cada três norte-americanos (31,4%) são propensos a tomar medidas contra pessoas que enviaram spam. Na verdade, os homens eram mais propensos que mulheres a tomar medidas contra o remetente quando descobriam o spam (35,5% para 26,5% ), especialmente em uma forma mais conflituosa, como um e-mail com raiva (de 8,9% para 1,0%), um telefonema em tom de irritação (7,0% para 4,2%), com raiva pós mídia social (3,8% para 1,9%) ou envio de um texto raivoso (de 3,1% para 0,4%).

    As pessoas foram alertadas quanto a e-mail de spam em muitos casos, para que fiquem ainda mais em alerta em relação a linha de assunto de uma mensagem (70,5%), principalmente se ela vier em letras maiúsculas. "Outros elementos comuns que tornaram os usuários conscientes sobre as práticas de spams, era o endereço do remetente de e-mail (67,9%), além de características de formatação estranhas (62,4%) e idioma desconhecido (56%).


    Saiba Mais:

    [1] Net Security http://www.net-security.org/malware_news.php?id=2573

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L