• Cibercrime: Consolidação no Cenário Industrial

    Como todos sabem, os ataques cibercriminosos em nosso país estão cada vez mais sofisticados, em um nível de ousadia cada vez maior e demandam estudos que sejam focados nos mais diversos setores, de acordo com uma indicação feita por especialistas durante a realização do V Congresso de Crimes Eletrônicos e Formas de Proteção da Fecomercio - SP. O cibercrime no Brasil, ganhou um grande destaque no panorama global e, hoje, tem por trás dos ataques uma indústria consolidada.


    Crescimento nas Práticas Cibercriminosas

    De acordo com o analista de vírus da McAfee, Guilherme Venere, não está sendo presenciado apenas um aumento nas práticas do cibercrime em si, mas também o tipo de pessoa que está por trás desse cenário, que é bem diferente do que se possa imaginar. Trata-se de uma organização que tem o cibercrime como um serviço. Nos dias de hoje, a guerra das empresas de antivírus não é mais contra pessoas, muito pelo contrário; a luta é contra uma indústria, e há uma enorme necessidade de entendê-la para tentar combater os ataques.


    Aperfeiçoamento do Cibercrime e Proliferação de Malware

    De acordo com os especialistas que participaram do painel, o Brasil é produtor de uma enorme quantidade de malware, que são softwares maliciosos, chegando a criar cerca de 40 novos modelos diários. "O cibercrime no Brasil é ativo. Segundo declarou Fábio Assolini, analista de malware na Kaspersky Lab, "estamos sendo vítimas de golpes criados por brasileiros para brasileiros". Atualmente, o perfil do cibercriminoso brasileiro é muito mais profissional do que há dois anos. A evolução dos códigos maliciosos tem surpreendido muito, e tal evolução se deve ao intercâmbio de conhecimento realizado com cibercriminosos de outras regiões.


    Vale ressaltar que o principal tipo de ataque realizado no Brasil, está relacionado ao sistema bancário digital, mas isso não exclui a presença de outros tipos de investidas maliciosas, como declarou Venere. "O malware não é desenvolvido somente para roubar senhas. É muito comum venderem as máquinas infectadas para hospedar sites de conteúdo ilegal, e a máquina passa a ser um produto vendido para os mais diversos fins", afirmou o especialista. Além disso, foi feito um alerta para a volta do spam, a mensagem eletrônica maliciosa que é enviada sem autorização para um grande número de usuários.


    Velocidade no Envio de Spam

    O spam está retornando com força. Ele estava em queda, mas, nesse ano de 2013, está sendo observada uma constância no número de spams enviados. A taxa diária de spam é de mais ou menos 7 milhões só no Brasil. Sobre as atividades dos botnets, foram detectados dois casos bem importantes no país no ano passado, e as duas famílias de malwares são usadas, praticamente, para distribuir spam. E como a grande maioria sabe, os Botnets são redes que disseminam ataques contando com o auxílio de computadores, que são controlados por uma entidade cibercriminosa.


    Combate à Indústria de Malware

    No que diz respeito à segurança, os especialistas indicam que não é possível estar totalmente livre de ataques, mas algumas medidas podem e devem ser tomadas, como o cuidado ao acessar sites e mensagens duvidosas, assim como cuidar da manutenção do antivírus, para que esteja devidamente instalado e atualizado. Além disso, o analista de vírus da McAfee chamou a atenção para um problema do mercado. Ele disse que nos dias atuais, o sistema financeiro está lutando, fortemente, contra uma coisa que até então, ainda não é exatamente conhecida.

    Entretanto, esse não é um papel só das empresas fornecedoras de antivírus e dos bancos. O e-commerce no geral, é afetado por isso. Dessa forma, é preciso tentar desenvolver grupos de estudos e várias formas de estudar essa indústria de malware, para tentar entender como combatê-la, pois é um setor que vem crescendo e ousando cada vez mais.


    Cibercriminosos e a Prevalência da Sensação de Liberdade

    Na sequência, o analista Fabio Assolini indicou a problemática de punição nos casos de cibercrimes. De acordo com Assolini, a sensação de impunidade do cibercriminoso é enorme, porque ele se sente livre para fazer o que quiser. Sobre a questão dos crimes cibernéticos, o Congresso também discutiu as técnicas forenses investigativas. Os especialistas presentes indicaram a grande necessidade de o profissional envolvido escolher bem o método a partir do qual ele vai trabalhar, além de utilizar a ferramenta adequada e a técnica ideal para tal finalidade, para que seja consolidado um trabalho científico, como indicou o perito especialista em crimes digitais e consultor para a Legaltech Brasil, José Milagre.


    Princípios, Dogmas, Metodologia e Foco nos Trabalhos de Perícia

    De acordo com o perito, há uma série de princípios que são quase que dogmas, os quais vão nos orientar. Hoje em dia, está havendo uma inversão; ao invés de começar nos princípios, os profissionais começam nas ferramentas, mas teriam que considerar antes de qualquer coisa, a técnica. E, antes da técnica, a metodologia e, antes da metodologia, o princípio. Portanto, quando existe uma perícia focada em ferramenta, haverá uma certa dificuldade em defender a tese.


    Perícia, Recursos, Produção de Provas e Estrutura Policial

    Giuliano Giova, diretor do Instituto Brasileiro de Peritos, também fez um importante alerta sobre a temática. "Uma perícia mal feita pode dar a ilusão de que se está fazendo o correto, e essa ilusão é muito perigosa. O Marco Civil da Internet, previsto para entrar na pauta da Câmara dos Deputados no último mês de agosto, também foi alvo de críticas dos especialistas em perícia. "O Marco Civil não prevê os recursos e tudo aquilo que é necessário para que se produza as provas. É muito simples definir algumas coisas na legislação, mas onde estão os recursos para isso? Giova também disse que sob a ótica eletrônica houve avanço, mas isso não acrescenta em nada para a perícia. Isso porque as polícias ainda vão precisarão montar uma estrutura sólida diante desta situação.


    Saiba Mais:

    [1] Fecomercio - SP http://www.fecomercio.com.br/?option...mid=20&id=6757

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L