• Delegacia de Crimes Cibernéticos Investiga Ataque ao Site da PM-RJ

    Depois que o site da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro foi vítima de ataques crackers neste último final de semana, quando, de acordo com informações foi estimado que 50 mil pessoas tiveram seus dados divulgados no sábado à noite, dia 14 de setembro, o presidente da Associação de Oficiais da Polícia Militar, coronel Fernando Belo, está orientando os policiais que troquem imediatamente seus endereços eletrônicos, assim como o número de seus celulares e que façam contato com suas instituições bancárias, para evitar que mais informações sensíveis sejam vazadas na Internet.


    DRCI Trabalhando na Investigação do Caso

    Dessa forma, a Polícia Civil divulgou ontem, segunda-feira, dia 16, uma nota informando que a Delegacia de Repressão à Crimes de Informática (DRCI) está trabalhando fortemente na investigação do caso. De acordo com informações divulgadas, um fonte segura oriunda da delegacia, informou que tanto o site da PM quanto o Proeis não tinham códigos criptografados, o que favoreceu bastante a entrada de crackers para fazer as suas investidas. Na sequência desses fatos, Fernando Belo espera que esses elementos nefastos sejam identificados o mais rápido possível, já que elas conseguiram acessar e divulgar os dados pessoais de policiais militares através da Internet.



    Anoncyber & Cyb3rgh0sts Assume Investidas Maliciosas

    De acordo com as declarações feitas pelo coronel, hoje em dia é muito fácil identificar os usuários e responsáveis por meio da identificação do computador utilizado. Ele acrescentou também que a associação irá oferecer ajuda jurídica a todos os militares que tiveram seus dados pessoais vazados na grande rede. A intenção, nesse caso, é entrar com uma ação civil pública contra esses cibercriminosos. Além disso, usando a popular rede social Facebook, o Anoncyber & Cyb3rgh0sts assumiu a culpa por esse vazamento dos dados, e pediu desculpas por todos os transtornos causados.


    Explicações Prestadas

    O grupo explicou que a medida foi tomada por um dos integrantes, sem que houvesse a autorização da administração da página. "Se houvesse o consentimento de tal informação, seria vetada a sua publicação, pois eles acreditavam que isto iria acarretar consequências negativas, e foi justamente o que aconteceu", justificou a administração da página.


    Ataques ao Site da Alerj

    Ainda nesse último final de semana, o site da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) foi atacado por duas vezes. O primeiro ataque ocorreu no início da noite de sexta-feira. e o outro ataque aconteceu no sábado. Apesar dos transtornos causados pelo ataque, o site já voltou ao normal, mas os técnicos da Alerj ainda analisam se alguma informação foi adulterada. Faz cerca de dez dias que o site já havia sido atacado pelo Anonymous, e segundo a assessoria de imprensa da instituição, a invasão teria sido praticada pelo mesmo grupo que invadiu o site da Polícia Militar nesse último fim de semana.


    Saiba Mais:

    [1] Convergência Digital http://convergenciadigital.uol.com.b...8#.UjkAWcY71ZY

    Sobre o Autor: Camilla Lemke


Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L