+ Responder ao Tópico



  1. #25

    Padrão

    Citação Postado originalmente por Josue Guedes Ver Post
    Uma recomendação que houvi de um engenheiro é não fazer isso, separar os aterramentos, pois você pode ter uma diferença de potencial e ter problemas, deve-se usar o mesmo aterramento, ou interligá-los para compensar a DDP. Já começei montar o meu segundo as recomendações, esse pessoal que me explicou isso montou o pararaio e o aterramento da torre da telemar aqui na minha cidade.

    Quanto as conexões fui orinetado a usar conectores CHT para os cabos e hastes e envolver com massa de calafetar assim eles não oxidam. Não adianta muita haste, haste funda e tal, negócio e verificar a impendância com o terrômetro como CATV disse, assim um engenheiro me explicou.
    Olá amigo, eu sei o que é DDP e como ocorre.

    Mas aqui fiz dessa forma pelo seguinte, se o pára-raios e seu aterramento não forem suficientes e o raios chegar a atingir a torre, esta terá outro aterramento e este deve resolver, caso não resolve e ainda assim atingir os equipamentos, estes terão seu aterramento.

    A DDP já existe quando cai o raio, se o pára-raios e a torre estiverem interligados e não forem suficientes para conter o raio, este irá diretamente para os equipamentos.

    Se todos os aterramentos estiverem interligados e um raio cair no pára-raios posso sofrer perda de algum equipamento justamente pelo raio vir através do cabo de aterramento.

    Então pode-se dizer: se isto ocorrer é sinal que o aterramento não está bem feito.
    Não é bem assim, a força que tem um raio, se for pra queimar não será um aterramento que irá impedir.

  2. #26

    Padrão

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Duas dúvidas:

    1 - O captor vai na ponta do cano lá em cima. Então este cano pecisa estar isolado no suporte da torre, não?

    2 - Existe também o caso da eletricidade estática, onde o raio não atinge diretamente o para-raios, mas por indução pode comprometer todo o equipamento.
    Neste caso, seria de usar o centelhador e aterrar a torre em separado do aterramento do para-raios?
    Isole o captor, ele normalmente tem rosca de 3/4 e para conectá-lo em um tubo de uma polegada e meia, vai uma bucha de redução que pode ser de PVC.

    Aterrando os equipamentos não haverá indução ou estática, mas como foi falado, deve-se interligar os aterramentos evitando a DDP e aumentando a malha do terra.

    Dizer que para-raios não funciona, como ignorar tantas torres e prédios com sistemas de proteção projetados e bem instalados. Vamos estudar o assunto pessoal antes de sair falando.



  3. #27

    Padrão

    Citação Postado originalmente por VIASATT Ver Post
    Dizer que para-raios não funciona, como ignorar tantas torres e prédios com sistemas de proteção projetados e bem instalados. Vamos estudar o assunto pessoal antes de sair falando.
    se você me provar que um pára-raios projetado por um especialista e feito pelo melhor profissional do mundo funciona 100% eu retiro todas as minhas palavras.

    esse negócio de "vamos estudar o assunto antes de sair falando", você é especialista em pára-raios?

    cara.. eu não sou especialista em pára-raios, mas também não sou leigo nesse assunto.

  4. #28

    Padrão

    Realmente não podemos afirmar que o para-raio vai proteger tudo com 100% eficiência, mais tmabém não vejo as coisas queimarem nas torres da telemar aqui, estou em contato com o pessoal aqui direto, e é raro, muito raro quimar alguma coisa nas torres deles.

    Eu não tenho experiência com isso, estou falando sobre como fui orientado, por um engenheiro elétrico, um profissional experiente aqui de minha cidade. Como disse e já foi citado ai pelo ViaSatt e outros, tudo deve ser isolado o cabo do para-raio não pode tocar a torre, captor também isolado. Todo equipamento deve usar caixas metálicas e aterradas junto a torre, funcionara como Gaiola de Faraday. O aterramento da torre e equipamentos tem que ter o aterramento na mesma DDP do aterramento do para-raio, sendo assim os aterramentos tem que estar interligados. Nocaso de descarga o raio vai descer ao aterramento, devidamente certificado com terrômetro.

    Este modelo é o que é usado nas torres das teles aqui. Mais vou tomar mais uma opnião com outro engenheiro e retorno aqui para falar.



  5. #29

    Padrão

    Citação Postado originalmente por lucianogf Ver Post
    Olá amigo, eu sei o que é DDP e como ocorre.

    Mas aqui fiz dessa forma pelo seguinte, se o pára-raios e seu aterramento não forem suficientes e o raios chegar a atingir a torre, esta terá outro aterramento e este deve resolver, caso não resolve e ainda assim atingir os equipamentos, estes terão seu aterramento.

    A DDP já existe quando cai o raio, se o pára-raios e a torre estiverem interligados e não forem suficientes para conter o raio, este irá diretamente para os equipamentos.

    Se todos os aterramentos estiverem interligados e um raio cair no pára-raios posso sofrer perda de algum equipamento justamente pelo raio vir através do cabo de aterramento.

    Então pode-se dizer: se isto ocorrer é sinal que o aterramento não está bem feito.
    Não é bem assim, a força que tem um raio, se for pra queimar não será um aterramento que irá impedir.
    Problema é que se o aterramento da torre ai no seu caso tiver com impedância menor, sua torre é que vai virar para-raio, por isso tem ligar os aterramentos. O captor de Franklin tem um ângulo de cobertura de 45 graus abaixo de suas pontas, você pode comparar como uma sonbrinha em cima de sua torre. Teoricamente tudo que estiver coberto pelo captor será protegido.

  6. #30

    Padrão

    Citação Postado originalmente por Josue Guedes Ver Post
    Problema é que se o aterramento da torre ai no seu caso tiver com impedância menor, sua torre é que vai virar para-raio, por isso tem ligar os aterramentos. O captor de Franklin tem um ângulo de cobertura de 45 graus abaixo de suas pontas, você pode comparar como uma sonbrinha em cima de sua torre. Teoricamente tudo que estiver coberto pelo captor será protegido.
    Até onde sei, um captor oferece cobertura de 60 graus e não 45.

    Eu já vi equipamentos queimarem em torres de operadoras de telecom.