Página 2 de 2 PrimeiroPrimeiro 12
+ Responder ao Tópico



  1. #21

    Padrão detalhes

    deixa eu so lembrar de uma coisa.
    criando essa ACL ele vai gerar cache somente do qu sta na ACL ok!
    Ja tsti isso a uns 2 mses e percebi que o que ja estava no cache esta funcionando mas coisas novas nem com resa, a não ser o que estava na lista da ACL.
    Agora testei usando ! ou seja o ACL aceitava tudo menos o que estava na ACL coloquei qualquer site tipo www.aaaaa.com mas não to lembrado do resultado.
    Última edição por tianguapontocom; 31-03-2008 às 10:41.

  2. #22



  3. #23

    Padrão

    cache do youtube ta complicado de fazer url mudam com frequencia.. (nem eh url.. eh ip) a solução seria usar external_rewrite .. mas nem tem funcionado direito tambem

  4. #24

    Padrão

    em quanto tentamos fazer cache desse tipo de coisa, eles la tem 50 penssando em não deixar fazer.
    o motivo não sei ou ate acho que sei.



  5. #25

    Padrão

    a questão não é essa... eles nao usam a rede da akamai (milhoes de hosts diferentes escolhidos dinamicamente) por sacanagem! e sim por necessidade! nada mais é do que um balanceamento de carga! se o youtube fosse provido de apenas 1 host .. com certeza já estaria intrafegável!

  6. #26

    Padrão

    na verdade nem eh balanceamento... o negocio eh troca de trafego.. entao para cada destino usa-se um ponto diferente.. etc etc...



  7. #27

    Padrão

    é... e eu continuo sem fazer cacho do you tube!!! afff....

  8. #28

    Padrão Mudança recente...

    Antes, o que fazia o conteúdo dos vídeos deixar de ser considerado como "dinâmico" eram algumas linhas que excluíam os domínios youtube.com ou vídeo.goolge.com da negação de cache das querys, conforme nosso amigo Benatto exemplificou.

    No início do mês de fevereiro, o youtube fez uma mudança na forma como os videos são disponibilizados. O player, em flash que toca cada video, faz uso de uma url que é modificada a cada solicitação e para cada ip da máquina (host na grande nuvem) que faz o download do video. Como já sabem, estão envolvidos na dinâmica desta url:
    - o local onde o video está armazenado
    - o ip do host solicitante.
    - um contador de acessos.

    Com isto, o código antes usado para aumentar os hits passa a ser uma arma para encher seu HD de videos que nunca serão recuperados em hits.

    Gostaria de ter certeza sobre o porquê do youtube ter acrescentado estes parâmetros na url dos videos. Suspeito que seja alguma medida para facilitar estatísticas e ranking dos videos (coisa da Google) ou para ter um efeito mais instantâneo na retirada de vídeos do ar.

    Na semana da mudança, pesquisei e encontrei script que intercepta as chamadas GET internamente ao proxy assim como o identificador do objeto na cache, retirando as informações indesejáveis que fazem com que cada solicitação seja considerada como única.

    http://wiki.squid-cache.org/Features/StoreUrlRewrite

    Acreditei que a Google voltaria atrás nessa mudança, mas pelo jeito.. a solução é alterar a solicitação da url mesmo!
    Última edição por jclsoftware; 01-06-2008 às 12:13. Razão: Maior detalhamento



  9. #29

    Padrão Consegui

    Seguindo estas configurações no squid 2.6 que uso deu certo

    Desde que esteja fora do mikrotik pois ta usando perl pra script de rewrite.


    Re: [squid-users] Re: YouTube and other streaming media (caching)

  10. #30

    Padrão

    como vc fez no 2.6 sem o store_url_rewrite pq no 2.6 n tem, aki ja to mudando pro 3.0
    e colocando o cache full pra rodar nele pq no 2.6 n da