+ Responder ao Tópico



  1. #19

    Padrão

    Citação Postado originalmente por lfaria Ver Post
    E não deve ter mesmo, segundo os trechos da lei, mas as operadoras, e parecem estão obtendo o SCM e com isso se habilitam a prestar esse serviço.

    Se bem me lembro, o escopo da questão é a necessidade de registro de cada base. Mas isso acho que é específico de equipamentos usando frequencias especificas e exclusivas de transmissão de internet, tais como 2.4 e 5.8 Ghz.

    No caso dos celulares, eles usam frequencias de celulares com a regulamentação específica de celular. Nesse caso me parece que o registro da base não se aplicaria.

    Por isso nas consultas, não se encontra essas bases no cadastro da anatel.

    Apenas estou divagando sobre o assunto... :-)
    É importante as colocações que postamos aqui. Dá para ver como o assunto é divergente e palpitante.

    Não sou advogado, mas gosto de ler e por isso entendi na legislação que para ter distribuição de internet, por qualquer meio, diz a legislação, tem que ter SCM e base cadastrada. Veja a reprodução parcial que fiz mais acima.

    E como exemplo a BrasilTelecom tem base cadastrada na minha cidade e por isso está apta a distribuir sinal de internet por qualquer meio, inclusive par metálico. Se não fosse assim, não teria porque ela cadastrar sua base na minha cidade.

    Quanto a ter CNPJ não é necessário não. A propaganda da Claro ainda diz que não precisa nem ser cliente Claro.

    O colega Horusosbourne pode sentir-se seguro, pois pelo relato já tem um quadro de associados bem atendidos e com certeza ísto já ajuda muito. É uma outra realidade e bem mais confortável.
    Mas quem está começando vai ser muito difícil chegar lá com tanta concorrência. Temos que vender um produto onde a maioria dos consumidores são leigos para avaliar os prós e contras.

    Vai exigir de cada um de nós muita determinação. Um verdadeiro corpo a corpo como disse o colega.

  2. #20

    Padrão

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Não sou advogado, mas gosto de ler e por isso entendi na legislação que para ter distribuição de internet, por qualquer meio, diz a legislação, tem que ter SCM e base cadastrada. Veja a reprodução parcial que fiz mais acima.

    A minha dúvida é sobre a parte da "base cadastrada".



  3. #21

    Padrão

    Citação Postado originalmente por lfaria Ver Post
    E não deve ter mesmo, segundo os trechos da lei, mas as operadoras, e parecem estão obtendo o SCM e com isso se habilitam a prestar esse serviço.

    Se bem me lembro, o escopo da questão é a necessidade de registro de cada base. Mas isso acho que é específico de equipamentos usando frequencias especificas e exclusivas de transmissão de internet, tais como 2.4 e 5.8 Ghz.

    No caso dos celulares, eles usam frequencias de celulares com a regulamentação específica de celular. Nesse caso me parece que o registro da base não se aplicaria.

    Por isso nas consultas, não se encontra essas bases no cadastro da anatel.

    Apenas estou divagando sobre o assunto... :-)
    Eu acho que é mais ou menos assim também, sei lá. Talvez por terem o direito de explorar o 3G já está incluído o direito de vender internet. Teríamo quer ver a lei do 3G.
    Talvez quem é detentor de usar o 3G possa explorar a venda de internet, não duvido nada disso!

    Quanto ao cadastro, pelo que sei, onde se tem o link tem que se cadastrar a base, independente como vai sair para os clientes.
    Já repetidores temos regras que dependem do número de habitantes e potência, no caso de wireless.

  4. #22

    Padrão

    Citação Postado originalmente por Josue Guedes Ver Post
    Eu acho que é mais ou menos assim também, sei lá. Talvez por terem o direito de explorar o 3G já está incluído o direito de vender internet. Teríamo quer ver a lei do 3G.
    Talvez quem é detentor de usar o 3G possa explorar a venda de internet, não duvido nada disso!

    Quanto ao cadastro, pelo que sei, onde se tem o link tem que se cadastrar a base, independente como vai sair para os clientes.
    Já repetidores temos regras que dependem do número de habitantes e potência, no caso de wireless.
    Mesmo antes do leilão 3G, a Vivo já tinha banda larga.
    E aí vai mais um detalhe.
    A torre que tem na minha cidade que esta cadastrada em nome da Brtelecom tem os equipamentos de transmissão da Vivo.

    Seria uma parceria SCM, que é tão criticada por alguns aqui no forum?
    Quando se faz uma parceria, a base aparece no nome de quem detem a outorga SCM.
    Este exemplo da Vivo é perfeitamente entendido e não contesto.

    Mas as outras...

    Aproveitando o gancho. A BrasilTelecom e Vivo juntas? Isso mesmo.
    A Vivo é da Telefônica mas a BrasilTelecom tem ações dela.

    Isto explica uma espécie de "maracutaia" que está acontecendo no setor.

    A própria Claro, antiga Claro Digital, foi criada aqui no RS.
    Foi criada como uma empresa espelho. Ninguém mais fala das "espelho".
    Começou fraquinha. De repente veio o tal de mexicano e compra a Claro Digital e transforma em Claro, hoje uma marca mundial.

    Mas esta "maracutaia" não deveria explicar a falta de cadastro das bases.
    Podem ter certeza que dentro de muito pouco tempo vamos ter duas, no máximo três empresas no setor. E aí vão nos massacrar de vêz.



  5. #23

    Padrão

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Foi criada como uma empresa espelho. Ninguém mais fala das "espelho".

    Mas essa tal de espelho, que não existe mais, é o que falta na maioria das localidades. Hoje tem algumas de celular, que mais parece uma prima da outra. Mas, no meu caso, a Telemar-Oi reina sozinha, daí o péssimo serviço.

  6. #24

    Padrão

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Perfeitamente, mas enquanto isso eles vão conquistando nossos futuros clientes.
    Com a explosão nas vendas de computadores, estes novos consumidores querem internet, mesmo sem saber avaliar a qualidade do serviço. Só vão se dar por conta quando estiverem mais familiarizados com a novidade, mas aí já gastaram com modem e acabam ficando.

    Na cabeça deles, se é Claro ou outra grande, tem que prestar. Só a Logomarca da Claro já ajuda a vender.

    Eu vou pagar por um link 1 mega com 50% de garantia 750,00. E só vai dar para colocar 50 usuários. Mais que isso vai comprometer a qualidade. Ou então eu boto mais gente e cai a velocidade.
    Eu tinha planejado fazer uma expansão gradual, mas agora já estou com o pé atrás.

    Só de custos de link e parceria eu já vou com 24,00 por assinante. Coloca outros custos e já vai "pro saco".
    Só se nós pudessemos ter escala como as grandes que ganham no volume.

    Como vender a 49,90, com todos estes custos e investimento constante? Se eu não tivesse já feito as minhas torres eu iria desistir.
    DETALHE: NÃO SEI SE OFENDI ALGUÉM COM OS COMENTÁRIOS ABAIXO, MAS SE ISSO OCORREU, ME PERDOEM!


    Gente, o negócio que vocês querem REALMENTE NÃO EXISTE!
    Na minha região eu vendo internet a R$49,90 e tenho planos de R$33,00 por causa do concorrente, que nem sei se é legalizado. As outras cidades vendem a R$60,00 e tem um outro a 110 Km daqui que vende a R$90,00.
    Mas eu sei de uma coisa: Se vocês quiserem vender internet e concorrer com operadoras BILHONÁRIAS e fazerem o mesmo preço delas, infelizmente tenho uma péssima notícia pra vocês, "VÃO dar com os burros n'água".
    Pensem bem nas coisas que vocês estão escrevendo ... parece piada. Me desculpem, mas estou sendo cincero!
    A BrasilTelecom tem planos de ADSL a partir de R$50,00 na minha região, a CLARO tem a partir de R$49,90, a VIVO tem preços parecidos.
    E olhem que a CLARO e a VIVO compram link da BrT.
    A empresa fornecedora de energia vai entrar na briga também.
    Agora me digam os otimistas de plantão: Como vocês vão concorrer vendendo um produto "inferior" a um preço "superior"? Os otários do mundo estão em extinção!
    O caminho, a menos que você compre seu próprio backbone, é fazer planos baratos que condizam com o salário do brasileiro.
    Enquanto as Teles venderem planos ao preço que vendem, eu vou rir atoa, e pode entrar internet até por "telepatia" que eu num tô nem ligando!
    A questão é preço.
    Se ADSL fosse R$30,00 e não precisasse de linha telefonica eu entrava em desespero, se 3G num fosse APARTIR de R$49,90 e com as limitações que tem, eu me preocuparia.
    Mas o fato é: As teles não entram nesse ramo pra ganhar somente o satisfatório, elas entram pra ganhar ABSURDOS.
    E enquanto eles agirem assim, vocês todos podem ficar tranquilos que vai ter cliente de sobra pra todos.