+ Responder ao Tópico



  1. Nos compramos nossa AS apenas com um link da Embratel

  2. Olá pessoal,

    Alguem poderia me auxiliar com a pergunta do post acima ??

    Aproveitando, estive conversando com uma operadora sobre ATM (Acordo de Trafego Multilateral), informaram que é gratuito esta troca de trafego (que é somente nacional) e se voce estiver conectado direto no PIX trafega em Giga, porem é necessário comprar transito com alguma operadora ou somente rota internacional para ter conectividade a nivel mundial.

    Gostaria de um auxilio, questionei que o Registro.br requer 2 peer (operadoras) para troca de trafego e com a informação acima do ATM que conecta a todos os AS's, gostaria de saber se o ATM já se considera como peer.

    Pessoal fico aberto a sugestões pela experiencia passada por cada um.


    Anderson



  3. Citação Postado originalmente por UsadosMAC Ver Post
    Olá pessoal,

    Estou iniciando minha rede em BGP agora, tirando ASN... li este post desde o inicio e gostei muito, na teoria a configuração do BGP é simples conforme descrito no post.

    Bem, as minhas dúvidas antes de mudar toda minha rede são,

    1º - Pelo que li e entendi é obrigatorio a contratação de 2 peer (operadoras), caso afirmativo as bandas podem ser diferentes, neste caso pretendo contratar 100Mb e 50Mb.;

    2º - No caso da necessidade de 2 peer (operadoras) pode se somar o link (100Mb + 50Mb = 150Mb) para utilização na pratica aos clientes, ou é somente para uma redundancia;

    3º - Pretendo me instalar no PIX da Global Crossing, fazendo um Cross Connection com saida com nossa fibra até um backbone que será montado ao lado, neste caso saberiam me informar se a operadora pode cobrar pelo Cross Connection saindo pelo PTT Metro;

    4º - Não pretendo ter ultima milha com qualquer operadora, pois ja estamos locando espaço ao lado por interesses comerciais.


    Anderson
    1 -> Dois trânsitos ou um trânsito e uma relação de peering
    2 -> Pode somar sim, mas como o balanceamento é uma técnica mais para manejo de boiada do que para controle de vazão de água, o resultado não é 100+150=150. Você vai ter alguma coisa entre 100 e 150, e que vai estar afetada num congestionamento sensível se cair o link de 100.
    3-> Sim, a operadora pode cobrar pelo cross-connect e é justamente o que ela
    usa para custear a fibra apagada que ela mantém até o PIX Central (região do Brooklin na Capital). A operadora não pode cobrar isso em função de velocidade, apenas de tecnologia (metálico, óptico etc.), então se você começar com 1G óptico agora e depois for para 10G óptico, o preço vai continuar o mesmo. A GBLX nem vai saber aliás do seu upgrade, você vai pedir para o PTT-Metro. No seu caso, como além de um cross-connect você terá uma abordagem de fibra do prédio da GBLX, podem haver outros custos ligados à infra de abordagem, não apenas ao cross-connect.
    4 -> Ao não utilizar nenhuma outra última milha você está se tornando bastante dependente do datacenter da GBLX e das fibras ligando ele ao seu. É uma avaliação de risco a ser feita.



    Citação Postado originalmente por UsadosMAC Ver Post
    Olá pessoal,


    Aproveitando, estive conversando com uma operadora sobre ATM (Acordo de Trafego Multilateral), informaram que é gratuito esta troca de trafego (que é somente nacional) e se voce estiver conectado direto no PIX trafega em Giga, porem é necessário comprar transito com alguma operadora ou somente rota internacional para ter conectividade a nivel mundial.


    Anderson
    Sim, você vai precisar de alguma operadora de trânsito para isso. E se a operadora de trânsito for apenas internacional (como a própria GBLX e a LANautilus que é uma opção usual para isso), vai precisar de algum operador de trânsito nacional.

    Uma configuração usual para um participante do PTT-Metro do seu porte seria ter peering + 50 Mbps de trânsito internacional com a LANautilus + 50 Mbps de trânsito nacional/internacional com a Durand, tudo por cima da interface de 1G com o PTT-Metro através de VLANs.

    Há outros fornecedores (GBLX e TIWS para internacional; Alog, Hostlocation, Value4Net para nacional+internacional), a configuração acima é apenas uma hipotése.

  4. Olá pessoal,

    Grato pelos auxilios.

    A Global Crossing será um ponto de troca de trafego principal pelo PTT, devido a banda de 1Gb e facilidade de aumento instantaneo do link, inicialmente sairá apenas a fibra para eles, mas ja estudamos interligar por rádio este backbone junto a Terremark que temos visada plena como forma de redundancia.


    Anderson



  5. Olá pessoal,

    Grato pelos auxilios.

    A Global Crossing será um ponto de troca de trafego principal pelo PTT, devido a banda de 1Gb e facilidade de aumento instantaneo do link, inicialmente sairá apenas a fibra para eles, mas ja estudamos interligar por rádio este backbone junto a Terremark que temos visada plena como forma de redundancia.


    Anderson






Tópicos Similares

  1. configurar bgp - cisco 2800 series
    Por felix no fórum Cisco
    Respostas: 3
    Último Post: 18-01-2012, 08:58
  2. Como configurar BGP com uma operadora?
    Por Rador no fórum Redes
    Respostas: 3
    Último Post: 26-06-2011, 15:49
  3. Não consigo configurar firewall
    Por buosinet no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 5
    Último Post: 29-11-2004, 19:09
  4. como configurar perl-5.6.1
    Por haysar no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 1
    Último Post: 14-06-2002, 22:39
  5. Não consigo configurar firewall
    Por buosinet no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 1
    Último Post: 28-03-2002, 21:44

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L