+ Responder ao Tópico



  1. Aldo gostei dos questionamentos e gostaria de fazer um adendo:

    O tamanho do cabo não importa quando antena, cabo e gerador estão na mesma impedância (que é o caso dos equipamentos Wi-Fi, mesmo com pequenos desvios nos valores de impedância. Vide artigo do JPJUST - https://under-linux.org/f105/o-fim-d...-stubs-129792/).

    Referências: O Comprimento do cabo coaxial: Folclore X Técnica. (O comprimento do cabo coaxial)


    Ou seja, cortar cabo só tem efeito prático quando a intenção é fezer algum casamento de impedância onde essa tríade (antena, cabo e rádio) apresenta impedâncias estupidamente diferentes (Ex: 100 da antena 50 ohms do rádio). Esse não é o caso do wi-fi. Por que? Por que as antenas são homologadas e testadas para virem de fábrica com 50 ohms (ou muito próximo disso, muito mesmo).

    ROE = 1 é coisa de radioamador. Para quem tem um monte de clientes sedentos por disponibilidade e largura de banda, se preocupar em transformar um ROE de 1,3 em 1,0 é perda de tempo. O ganho é ridículo e não tem benefício prático fazer isso em cada instalação, embora a teoria seja válida.

    Sds,

  2. Citação Postado originalmente por JorgeAldo Ver Post
    AP.

    Bem, sinceramente, como isto está mais para a minha área (Camadas lógicas) digo que o nível de sinal que importa é o SNR, que vai determinar a banda passante (seguindo Shannon-Nyquist) e ai, se tu tens SNR suficiente para a velocidade escolhida, a camada física deixa de influenciar a velocidade de transmissão (Depois de um determinado ponto mínimo necessário para uma modulação funcionar, variações de SNR não influenciam mais), ou seja, basta que todos os clientes estejam acima de um determinado nível de sinal que isso é suficiente para a camada física.
    Resumiu bem o que se passa na camada física. "Equalizar" para que "todos recebam o mesmo sinal" não tem nenhum efeito prático e não se baseia em nenhum fundamento técnico. Os rádios têm uma faixa enorme para receber sinais (de -30dbm até aproximadamente -80dm e as taxas variam dentro desse nível). Um outro rádio não vai ficar chateado por que ele recebe -70 e o seu vizinho recebe -50dBm. Isso não influencia em nada depois de um certo patamar.

    O que se tem que fazer é dar sinal suficientemente alto em uma célula que se consiga operar com todos clientes em modo somente G. Isso exige células menores, mais pontos de acesso e resulta em clientes mais satisfeitos (mais largura de banda disponível). Usar polarização horizontal ajuda a fugir um pouco da poluição (predominantemente vertical).

    Usar modo B ou B+G representa operar com taxas medíocres. É tiro no pé.

    Isso foi amplamente discutido em: https://under-linux.org/f97/sinais-a...a-rede-132082/

    Sds,



  3. Estamos voltando aos bons debates, aqueles que levam a conclusões práticas. E tudo isso vai ajudar a gente a formar melhor os conceitos.
    Eu entendia uma coisa a respeito de ter todos no mesmo nível, mas agora com estas explicações deu para entender melhor outros aspectos.
    Por isso eu gostaria de colocar outra questão. É com relação a saturação. Isto realmente existe e se existe,qual o efeito sobre a rede?

    Neste link tem uma calculadora.

    ZYTRAX - Wireless Calculators

    Até que ponto a saturação pode influenciar?

  4. 1929, como foi falado na página 3 do https://under-linux.org/f97/sinais-a...82/index3.html (Nesse livro: http://books.google.com.br/books?id=...r%20dbm&f=true), existe uma faixa de operação (tipicamente de -30dBm até aproximadamente -80dBm). Existe também em qualquer rádio o AGC (Controle Automático de Ganho). Porém esse tem seus limites de operação. A condição de saturação existe, mas é absurda. É como se você colocasse dois auto-falantes de 15" com 1000W RMS e usasse isso no volume máximo como headphone. O equivalente seria encostar uma antena na outra ou ligar o coaxial direto de um rádio pro outro. Resumindo: só existe saturação se você usar potências altas, com ganhos altos em distâncias muito curtas (estupidez). Eu diria que nenhum sinal pracisa ser muito maior que a mínima potência requerida para a melhor taxa que você queira (com alguma margem de segurança).

    Exemplo: Para se operar com 54 Mbps no modo G é preciso no mímimo -72 dBm. Nenhum sinal precisa ser muito maior que isso. Mas também não significa que se um cliente tiver -50dBm existe saturação ou outro cliente com potência menor vá ficar triste por isso.

    Sds,


    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Estamos voltando aos bons debates, aqueles que levam a conclusões práticas. E tudo isso vai ajudar a gente a formar melhor os conceitos.
    Eu entendia uma coisa a respeito de ter todos no mesmo nível, mas agora com estas explicações deu para entender melhor outros aspectos.
    Por isso eu gostaria de colocar outra questão. É com relação a saturação. Isto realmente existe e se existe,qual o efeito sobre a rede?

    Neste link tem uma calculadora.

    ZYTRAX - Wireless Calculators

    Até que ponto a saturação pode influenciar?
    Última edição por motacosta; 20-04-2010 às 07:48.



  5. SEM QUERER QUERENDO
    Na recepção o sinal de RF deve ser equalizado o máximo possível antes de ser entregue para a camada do protocolo. Na transmissão o circuito de RF recebe o sinal que será transmitido sempre com um valor constante.
    Isto é feito em todos os sistemas de comunicação. Olhe este link, http://www.geenge.com.br/sig/home/ver_modulo2.php?codigo=30 ele representa a maneira como é tratado o sinal de TF nas operadoras de telefonia.
    Se duvidarem, experimentem. Vocês não são campeões de dizerem “eu testei” ? Pois então testem. Construam um Lençol Digital Modelo.
    PARADIGMA 1
    Vocês vão me dizer que resolvem o problema de caberem poucos clientes num AP batendo no teclado?
    Vocês vão me dizer que resolvem o problema de internet lenta batendo no teclado?
    Vocês vão me dizer que resolvem o problema de radinhos travando batendo no teclado?
    Vocês vão me dizer que resolvem o problema de ruído alto batendo no teclado?
    Voces vão me dizer que resolvem o problema de perdas de pacotes batendo no teclado?
    Voces vão me dizer que conseguem eliminar uma interferência batendo no teclado?
    Voces vão me dizer que conseguem fazer uma antena irradiar dois rádios simultaneamente sem intermudulação batendo no teclado?
    Vocês vão me dizer que o CAG aplicado na corrente contínua do transistor lá dentro do ship impede que o transistor de RF na entrada do radinho não sature ou corte?
    PARADIGMA 2
    Eu vou dizer que vocês não conseguem fazer tudo que o Paradigma 1 cogita? Claro que não. Vocês conseguem e a prova é a bonita obra construída no Brasil por vocês que é a grande rede wireless. O verdadeiro “milagre brasileiro”.
    HOLISMO 1
    Eu vou dizer que existe uma maneira mais fácil e barata de se fazer essas coisas e que precisa ser dominada pelos anteneiros. Esta maneira somada com o teclado é a solução cabal. Moro?
    HOLISMO 2
    Sabado dia 24 estarei apresentando esses temas num curso no Rio De Janeiro para poucas pessoas. Se você quiser participar, chega lá. Será realizado no Hotel Center na Av. Rio Branco n° 33. Se você estiver lá ligue para mim para tomar um amargo comigo, meu celular é (51) 9971.7291.






Tópicos Similares

  1. Cópia física de HD em larga escala
    Por laralc no fórum Sistemas Operacionais
    Respostas: 2
    Último Post: 08-05-2006, 14:32
  2. Link dedicado para pessoa FISICA!?!
    Por daniel_tux no fórum Redes
    Respostas: 10
    Último Post: 29-11-2005, 21:11
  3. logica x fisica
    Por alesandro no fórum Sistemas Operacionais
    Respostas: 11
    Último Post: 24-02-2005, 14:03
  4. Tela Azul com estações Windows ME
    Por no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 5
    Último Post: 27-08-2003, 11:23
  5. Memoria Fisica..
    Por no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 13
    Último Post: 11-02-2003, 22:26

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L