Página 12 de 12 PrimeiroPrimeiro ... 789101112
+ Responder ao Tópico



  1. #221

    Padrão Re: Física Azul

    Amigo Mota, nas frequencias baixas é sabido que a impedância de uma antena pode ser alterada por objetos próximos.
    Por ex, uma antena direcional para vhf normalmente vem com um acoplador gama para fazer o ajuste da ROE. Quando a ROE está a menor possível é porque houve um casamento da impedência corretamente.
    Quadra Cúbica para PX e direcionais 20/40m também tem um sistema semelhante

    O princípio do stub não seria o mesmo do acoplador gamma? Ou nestas frequencias mais altas isto é irrelevante?

  2. #222

    Padrão Re: Física Azul

    Querido cooloverdrive,

    Primeiramente, você deveria fazer questionamentos a si mesmo antes de escrever algo para não passar vergonha. Vamos aos questionamentos:
    Você tem condição de distinguir um modelo teórico da prática?
    Você chegou a olhar, pelo menos por curiosidade o que o JPJUST provou matematicamente que não há necessidade de se fazer stub para ROE em redes wireless?
    Para finalizar, acho que você precisa fazer cursos básicos de interpretação de texto, física e lógica, para então saber que só devemos debater sobre determinado assunto se tivermos embasamento suficiente, domínio e propriedade para tal.
    Por favor pare de passar vergonha, pois muitas portas no mercado podem estar se fechando para você.
    Abraços e não fique chateado com seu coleguinha.


    Não subestime quem esta com a razão, esse topico tem ajudado a nos estudantes a não cair nos falsos 'fisicos" que andam por ai!
    Última edição por dsilva; 03-05-2010 às 12:39.



  3. #223
    engenheiro eletricista
    Ingresso
    Nov 2006
    Localização
    Rio de Janeiro
    Posts
    182
    Posts de Blog
    1

    Padrão Re: Física Azul

    Olá 1929,

    Cara, quando alguém projeta uma antena ela olha pro ganho dessa antena (de acordo com o diagrama que se deseja) e para impedância. Você tá lá no PC projetando a sua antena e se dá conta que chegou em um ganho muito bom, porém sua impedância ficou muito fora dos 50 Ohms. Com isso você vai ter que fazer com que sua antena tenha 50 Ohms, com o ganho que você quer na frequencia que você quer. Esse é o caso do gama-match em uma atena de VHF. Quando você coloca varios elementos você tem um ganho muito bom, porém sua impedância fica ruim. Aí que entra o Gamma-Match (que é um stub), que nada mais é do que um capacitor variável para tirar o efeito indutivo.

    Só que as antenas para wi-fi já vem de fábrica com impedâncias bem proximas de 50 Ohms (bem proximas mesmo). Não sei que tipo de stub o Gilvan ensina, mas existem vários tipos. Os mais comuns são pedaços de cabos (abertos ou em curto) colocados a uma distância L da antena ou do rádio utilizando-se um T (vide figura - https://under-linux.org/attachments/...-cabo-stub.jpg).

    Aí é que tá o problema (vamos pensar um pouco - parafraseando o telecurso 2000):

    Vamos supor uma antena que não tenha exatamente 50 Ohms. Vamos supor que ela tenha 30 + j20 ohms. Isso geraria em um cabo de 50 Ohms um VSWR de 2.04.

    Para um apotência de 200 mW, 180 mW seria irradiado e 20 mW seria refletido de volta pro rádio. Ohhhhhhhhhhhhhhh

    Só que genialmente você decide colocar um stub para aproveitar esses 20 mW "desperdiçados".
    Só em você cortar o cabo para colocar o Stub (também conhecido como toco) você perde -3 dB.

    Aí pergunto, o que é melhor? Perder 20 mW com VSWR igual a 2.04 ou perder 100 mW (-3db) para colocar um toco cortando o cabo coaxial em uma gambiarra imunda?

    Agora por que em baixas frequencias (PX, PY, etc..) se usa muito stub? Imagine agora que ao invés de 200 mW estejamos transmitido 200 W. Isso daria uma reflexão de 20 W voltando para o rádio que pode danificar o circuito de saída (isso nos rádios antigos, por que hoje em dia existe proteção para isso).


    Eu pergunto agora: Em wi-fi, vale a pena fazer stub?

    Saudações,




    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Amigo Mota, nas frequencias baixas é sabido que a impedância de uma antena pode ser alterada por objetos próximos.
    Por ex, uma antena direcional para vhf normalmente vem com um acoplador gama para fazer o ajuste da ROE. Quando a ROE está a menor possível é porque houve um casamento da impedência corretamente.
    Quadra Cúbica para PX e direcionais 20/40m também tem um sistema semelhante

    O princípio do stub não seria o mesmo do acoplador gamma? Ou nestas frequencias mais altas isto é irrelevante?
    Última edição por motacosta; 03-05-2010 às 13:22.

  4. #224

    Padrão Re: Física Azul

    O MAIS IMPORTANTE NÃO É ACADEMICO

    Você não entendeu. Faltou só um pouquinho e você teria entendido. É como perceber um desafino, alguns são tão sutis que nos escapam na melodia. Para você escapou o jeitinho de ler 2,4GHz com um osciloscópio de 20MHz.
    A “manha” é assim: Você modula uma freqüência de 2,4GHz com um tom de 5MHz. Depois você retifica os 2,4GHz e o que sobre é os 5MHz na forma dos 2,4GHz. Moro? Você estará olhando no osciloscópio 5MHz mas este terá a forma da freqüência que o transportou. Que barbada. Se estivéssemos jogando cartas tu estarias me devendo uma caixa de cerveja. Qua...qua...qua...



  5. #225

    Padrão Re: Física Azul

    não entendi nada, mas foi engraçado...

  6. #226
    engenheiro eletricista
    Ingresso
    Nov 2006
    Localização
    Rio de Janeiro
    Posts
    182
    Posts de Blog
    1

    Padrão Re: Física Azul

    Gilvan,

    A cada hora o Sr. muda de conversa (é um homem inteligente, pena que se deixe entender pouco e assim vai se queimando). Em um post anterior (página 13) Sr. disse que media VSWR por refletometria com pulso. Disse que enviava um pulso submultiplo de 2.4 GHz com um gerador e via ele refletir com um osciloscópio de 20 MHz - Seria impossível. (assim como escrito no site do Rolland - refletometria no domínio do tempo). Mas agora o Sr. soltou o preso (abriu o jogo) e vejo que não é bem assim. Agora a conversa mudou de rumo e ficou menos milagrosa e mais realista.

    Mede a VSWR de forma tradicional:

    Um medidor de VSWR é basicamente um acoplador direcional e um retificador (diodo de RF) ligado a um galvanômetro. O acoplador direcional direciona a onda refletida pro diodo que retifica o sinal e gera uma tensão DC proporcional no galvanômetro. Quando não tem sinal refletido (vswr =1), não tem tensão no galvanômetro. Não entendi por que o Sr modula o sinal. Pra quê? VSWR se mede na frequencia final de operação e não do sinal modulante. Qua qua qua qua.

    O que o Sr. faz (suponho eu) é ver no osciloscópio (ao invés de medir no galvanômetro) os pulsos retificados em cima do diodo. Se esses pulsos são menores, você tem VSWR menor. Concordo com o Sr. que dê para perceber o efeito da sintonia e melhorá-la.

    "It's possible to convert the diode detector voltage output's into a real SWR value, but it's usually easier just to view the oscope screen as you tune the antenna."[1]

    Agora sim, você abriu o jogo. Já entendi seu jogo: as vezes você se faz de maluco para enrolar os foristas e ver o circo pegar fogo (troll) . E as vezes falta-lhe o bom senso mesmo.

    Mesmo que o Sr. consiga medir VSWR com esse setup, O Sr. não acha que se perde mais do que se ganha fazendo emendas em cabos coaxiais?

    Uma emenda em um coaxial é sabido que se perde 3dB. Não compensa fazer stub a menos que o VSWR seja maior que 6. Quando é que um VSWR é igual a 6? Se uma instalação tiver com VSWR de 6 ela precisa ser refeita e não de STUB. Qua qua qua qua qua.....

    Agora que já sabemos como o Sr. mede VSWR, gostaria que dissesse como "curto-circuita" a interferência e como fica a isolação entre canal 1 e 2 no T-Mágico Geenge.

    Mais informações:

    [1]http://www.qsl.net/n9zia/24swr/index.html
    [2]http://pe2er.nl/wifiswr/

    Abç,


    Citação Postado originalmente por GilvanEnriconi Ver Post
    O MAIS IMPORTANTE NÃO É ACADEMICO

    Você não entendeu. Faltou só um pouquinho e você teria entendido. É como perceber um desafino, alguns são tão sutis que nos escapam na melodia. Para você escapou o jeitinho de ler 2,4GHz com um osciloscópio de 20MHz.
    A “manha” é assim: Você modula uma freqüência de 2,4GHz com um tom de 5MHz. Depois você retifica os 2,4GHz e o que sobre é os 5MHz na forma dos 2,4GHz. Moro? Você estará olhando no osciloscópio 5MHz mas este terá a forma da freqüência que o transportou. Que barbada. Se estivéssemos jogando cartas tu estarias me devendo uma caixa de cerveja. Qua...qua...qua...
    Última edição por motacosta; 03-05-2010 às 23:03.



  7. #227

    Padrão Re: Física Azul

    Citação Postado originalmente por fernandofiorentinn Ver Post
    não entendi nada, mas foi engraçado...
    Nao só voce....
    O Gilvan tenta mostrar pra todos nós que o gato nao é gato e precisamos acreditar.
    Será ele - o Gilvan - o galileu galilei do novo mundo?!

  8. #228

    Padrão Re: Física Azul

    Citação Postado originalmente por GilvanEnriconi Ver Post
    O MAIS IMPORTANTE NÃO É ACADEMICO

    Você não entendeu. Faltou só um pouquinho e você teria entendido. É como perceber um desafino, alguns são tão sutis que nos escapam na melodia. Para você escapou o jeitinho de ler 2,4GHz com um osciloscópio de 20MHz.
    A “manha” é assim: Você modula uma freqüência de 2,4GHz com um tom de 5MHz. Depois você retifica os 2,4GHz e o que sobre é os 5MHz na forma dos 2,4GHz. Moro? Você estará olhando no osciloscópio 5MHz mas este terá a forma da freqüência que o transportou. Que barbada. Se estivéssemos jogando cartas tu estarias me devendo uma caixa de cerveja. Qua...qua...qua...
    Estou muito animado com o t-magico, se funcionar, eu to dentro.
    Caso seja do seu interesse ajudar um nobre instalador de antenas ficarei satisfeito.



  9. #229

    Padrão Re: Física Azul

    motacosta disse tudo.

    Quando fiz o curso não tive essa idéia: que tal os alunos do próximo curso pedirem ao Gilvan que mostre o nível do sinal no osciloscópio com o pigtail normal antes de mostrar com o stub? No curso, ele já vai metendo o cabo com um stub nele, aí a gente nem vê como é o sinal SEM o stub.

    E sobre o T Mágico: acho que ele vai dar merda com muitos clientes associados, justamente por causa do CSMA/CA. A não ser que ele saiba pra que rádio vai cada quadro que entra na antena Será essa a mágica?

  10. #230

    Padrão Ge....

    Citação Postado originalmente por jpjust Ver Post
    motacosta disse tudo.

    Quando fiz o curso não tive essa idéia: que tal os alunos do próximo curso pedirem ao Gilvan que mostre o nível do sinal no osciloscópio com o pigtail normal antes de mostrar com o stub? No curso, ele já vai metendo o cabo com um stub nele, aí a gente nem vê como é o sinal SEM o stub.

    E sobre o T Mágico: acho que ele vai dar merda com muitos clientes associados, justamente por causa do CSMA/CA. A não ser que ele saiba pra que rádio vai cada quadro que entra na antena Será essa a mágica?
    Acredito ser um load-balance wirelles.

    Código HTML:
    Nas torres de celular vejo antena com 4 entradas.
    Será que o fisico nosso não está correto.
    Volte fisico nosso de cada dia e nos de o ar de suas sabias palavras para que nosso leigos pensamentos possam entender como funciona o T- Magico.

    Não ligue para os que te fazem intrigas, lembre-se estes sempre existirão, um foi minha nobre pessoa a um tempo atrás briguei com muita gente, mas hoje estou em paz...



  11. #231

    Padrão Re: Ge....

    Citação Postado originalmente por wimigasltda Ver Post
    Acredito ser um load-balance wirelles.

    Código HTML:
    Nas torres de celular vejo antena com 4 entradas.


    Volte fisico nosso de cada dia e nos de o ar de suas sabias palavras para que nosso leigos pensamentos possam entender como funciona o T- Magico.

    Não ligue para os que te fazem intrigas, lembre-se estes sempre existirão, um foi minha nobre pessoa a um tempo atrás briguei com muita gente, mas hoje estou em paz...
    Não disse que é impossível. Só que Wi-Fi não é celular e celular não é Wi-Fi. Botem na cabeça que, além da radiofrequência, existem outros fatores que influenciam, como o método de acesso ao meio, por exemplo (esse é muito importante).

  12. #232

    Padrão Re: Física Azul

    MUDANÇA DE FILOSOFIA

    Hoje neste mundão só eu tenho T Mágico para vender, acredito que este privilégio não vai durar, a experiência mostra que logo muita gente boa estará ofertando o seu T Mágico. Eu não inventei o trovejão, fui apenas o primeiro a fazê-lo para as freqüências que interessa aos provedores de internet. Também pelo fato de a rádio freqüência que é irradiada pelas antenas possui transmissão digital, isso quer dizer que na maioria do tempo a antena irradiante está sem trabalhar, esperando que o radinho resolva mandar um pacotinho para ela irradiar. Que preguiçosa. Com o T Mágico eu dei mais serviço para a antena, mas acredite, ela ainda passa a maior parte do tempo desligada. Coisa do mundo digital.
    Sou da opinião que o T Mágico impõe uma mudança na filosofia de instalação nos anteneiros e esta mudança por certo fere o sossego de muita gente. Muitos compraram e usaram, muitos tiveram dificuldade de ajustar, mas vou contar para vocês, ninguém quis devolver.
    Gostaria de perguntar aos senhores se conseguem sustentar uma razão para usar duas antenas setoriais de 12dBi e dois radinhos ao invés de usar uma antena Omini de 12 dBi com um T Mágico e dois radinhos? Claro, a teimosia não vale.
    Não quero que vocês acreditem no inusitável, no improvável, no insustentável, mas mesmo que você não acredite em tudo que existe, acredite que o tudo é menor que o nada e que ele está confinado num universo de infinitas possibilidades, nossa cultura é uma grande fantasia. Para provar vou contar um causo.
    Certa feita eu estava viajando de ônibus quando ouvi essa conversa no banco da frente:
    -No pátio do meu sítio tenho cento e doze antenas instaladas. Todas com o cabo chegando ao receptor dentro de um quarto grande que eu chamo de onisciente.
    -Mas estas antenas estão recebendo sinal do que?
    -Com algumas eu recebo tudo que irradia rádio freqüência. Celular, televisão VHF, satélites, internet, polícia, aeroportos, ambulâncias, serviços privados e uma seriem de outros serviços, este grupo de antenas eu chamei de as simples.
    -O que tu recebes que não é simples?
    -Bem, os sons da natureza, como por exemplo, o som de formigas no formigueiro quando a rainha está reproduzindo, o som de abelhas nas caixas de mel combinando um enlace entre a colméia e o polem, o som das árvores no mato em dias de vento convertendo com a foto síntese, entre outras, estas eu as chamei de complexas.
    -O que mais tu recebes além do simples e o complexo?
    -Recebo o singular. Como o som do sol quando na sua superfície há explosões, o som da lua oca quando é albarroada por algum meteoro, o som das flores no campo em dias de vento quando elas resolvem fecundar os óvulos que vão se transformar em sementes, o som de naves que eu não identifico, mas que muitas vezes pairam no céu do meu sítio, entre outras.
    -Então tu consegues ouvir com as tuas antenas o simples o complexo e o singular? Ouves mais outra coisa de natureza diferente?
    -Bem tenho também as antenas que eu instalei para ouvir o prosaico, mas é um tema muito indiscreto, prefiro não comentar. Mais surpreendentes são as antenas que eu instalei para ouvir fora do tempo, estas são as quimeras.
    -E o que tu ouves com elas?
    -Bem, são duas, uma está apontada para um grande cemitério para ouvir o passado, a outra está apontada para o céu em direção a Andrômeda, são fantásticas. Mas ao invés de me fazer tantas perguntas, porque não desce comigo e vai lá ver?
    Acredite, a resposta foi desconcertante. O companheiro de banco depois de um longo silêncio falou:
    - Não.
    O anteneiro levantou e desceu do ônibus, passados um tempo pequeno, bati no ombro do passageiro sentado á minha frente e perguntei:
    -Tu me darias o endereço do teu amigo que desceu?
    Guardei o endereço no bolso e dias depois fui lá. O que eu vi e ouvi no quarto onisciente não posso contar, se vocês quiserem ir ouvir o simples o complexo o singular o prosaico e as quimeras eu mando o endereço, mas lá vai um aviso: Vocês sofrerão grandes mudanças na suas filosofias de ouvir o mundo. Porque não vão mais de vagar e começam só com o T Mágico? Olha ele aqui.

    http://www.geenge.com.br/sig/home/ver_modulo2.php?codigo=67

    Gilvan



  13. #233

    Padrão Re: Física Azul

    Cara do Céu.. primeiro queria parabenizar o Jorge novamente, que além de ler as idéias do Gilvan ainda consegue interpreta-las e questiona-las, em segundo lugar não sei o que o Gilvan toma ao desenvolver esses diálogos, mas gostaria de experimentar...ehehehe
    Abraços

  14. #234

    Padrão Re: Física Azul

    Sem querer criar frames.. mas que diálogo mais doido.. juro que tentei ler umas 10 vezes.. vou me embebedar e tentar novamente..



  15. #235
    Não Registrado(s)
    Visitante

    Padrão Re: Física Azul

    POR MARES NUNCA ANTES AVEGADOS

    O recurso existente na paca da MK chamado de Nstreme Dual serve para usar dois cartões nesta mesma placa de forma que um cartão funcione com TX e o outro como Rx. O seu objetivo é construir um link chamado Full Duplex. Grande invenção. Com este procedimento você irá dobrar o throghput no enlace. Em minha opinião quando usarmos este recurso devemos usar antena com polarização dupla ou duas antenas de cada lado. Mas há um porém.
    Atenção, o processador e o roteador estão na placa da RB e continuará com a sua mesma capacidade, mesmo depois de implementado o Nstreme, o número de clientes que ele pode atender é definido por esta capacidade da placa. Até aqui to indo bem.
    Se o interesse for o de dobrar o throghput do enlace tens que observar se não estamos pedindo que o throghput fique maior que o throghput da placa, claro que isso seria impossível.
    No entanto, em muitos enlaces necessitamos ter na placa throghput maiores, a solução é colocar o T Mágico ligado em duas placas MK cada uma com um cartão e
    o T Mágico ligado na antena.
    ‘Grande jogada né?
    Tudo é uma questão de adequação entre a arquitetura da instalação e a sua necessidade. T Mágico não veio para substituir, mas para fazer parte de um crescimento. Vou dar um exemplo:
    Se a torre não suporta mais outra antena, o T Mágico é a solução.
    Se num POP houver apenas 20 clientes dentro de um raio de 4km, você deve instalar uma antena Omini com uma placa e um cartão. Quando o POP crescer e o número de clientes ultrapassarem a capacidade das placa do MK, você deve instalar outra placa com cartão na mesma antena Omini acrescentando o T Mágico. Se o POP continuar crescendo deverá instalar outra antena Omini. O último passo será instalar antenas setoriais com T Mágico e placas MK. Considere sempre que os canais escolhidos devem sempre estar separados por três canais.
    O crescimento obriga á mudança na arquitetura, o importante é saberes para que serve o T Mágico e o que podes fazer com ele.
    Se por acaso as antenas não forem Ominis ou setoriais, mas direcionais? Sabemos que existe uma diferença entre o throghput do enlace e a capacidade do rádio. Se o interesse for o de dobrar o throghput do enlace podes fazê-lo com o T Mágico ou com o alimentador duplo usando uma placa e dois cartões, mas se quiseres dobrar a capacidade instalada, terás que usar o T Mágico com duas placas MK cada uma com um cartão..
    Muito mais teria a conversar sobre o T Mágico. Por exemplo:
    Se num T Mágico entrar por um lado o medo e por o outro lado o respeito o que sai é a admiração. Moro? A psicologia também nos inspira a compreender a Física..
    Ando meio ocupado organizando meu próximo curso que será em São Paulo ainda este mês. Estão me fazendo perguntas cada vez mais difíceis de responder, Então, nas madrugadas longas enquanto as estrelas se exibem no céu eu preparo o curso para me exibir na terra. De dia as estrelas voltam para o seu berço, enquanto eu continuo no palco representando o meu papel. Sei que não existem muitos papeis, que todos se repetem, por isso olho para aqueles parecidos comigo, para ver se enxergo nos seus olhos algum desejo sublimado de trocar a polaridade humana para a derradeira posição horizontal. Digam-me caros jovens, isso também não é um T Mágico?
    Um abraço.

  16. #236

    Padrão Re: Física Azul

    QUANTO VALE UMA BOA SOLUÇÃO?
    Até 500 clientes num provedor, na sacola do técnico tem poucas ferramentas e um leptop. Sua cabeça ainda está sendo pouco ocupada.
    -ЉЋЮЋ -
    Com 1.000 clientes neste provedor a cabeça do técnico começa a irradiar calor e na sua sacola precisa ser adicionado o carinha abaixo.
    Medidor

    -ЉЋЮЋ -
    Com mais de 1.000 clientes neste provedor o técnico vira bombeiro, está sempre correndo para apagar fogo, a não ser que na sua sacola esteja adicionado o carinha abaixo.
    Spectron

    -ЉЋЮЋ –

    Um provedor com mais de 5.000 clientes precisa que o seu responsável técnico tenha vínculos com empresas de Telecom onde assuntos técnicos sejam discutidos a nível de laboratório e mesa.

    -ЉЋЮЋ –

    Resumindo, uma empresa só nasce se houver um bom administrador por trás, o técnico não precisa ser tão bom. Esta empresa só se mantém grande se o técnico for bom. Um técnico só é bom se estiver instrumentado.
    -ЉЋЮЋ –

    Estou com saudades do Aldo, terá ele se vaporizado?
    Estou me exibindo na revista RTI, agora não preciso mais fazer propaganda do meu curso aqui, faço lá. Obrigado por agüentarem firme. Estou sempre à disposição de todos, nas perguntas que me fazem está sempre embutido grandes conteúdos. Vocês valem mais que o pré sal.
    -ЉЋЮЋ –

    Gilvan



  17. #237

    Padrão Re: Física Azul

    Mestre Gilvan qual a agenda de cursos para 2011?
    Previsão para o Rio de Janeiro?

  18. #238

    Padrão Re: Física Azul

    Gilvan, o seu T-Magico seria um splitter ao contrario (Injector) ?

    Desculpe mas eu queria saber onde ele se enquadra na categoria equipamentos e se é necessário alguma licença para utilização.

    Obrigado, aguardo contato.



  19. #239

    Padrão Re: Física Azul

    E ai alguém usou o tal do Tmádico?
    Estou curioso para saber.