+ Responder ao Tópico



  1. #141

    Padrão

    REPLICANDO

    Realmente a Anatel nos martiriza com essas homologações, todo o equipamento de telecomunicações deve ser homologado, não interessa se tem qualidade ou não, se funciona bem ou mal, se é caro ou barato. Interessa apenas que a Anatel fature bem sobre os usuários. O T Mágico não sei se é homologado.
    O T Mágico é antigo e é usado nas telecomunicações à muitos anos, se ele não está homologado o crime é muito grande. O tempo e a conivência se uniram no uso deste artefato sem homologação.
    Eu vou homologar o meu T Mágico, porem vou esperar um pouco, hoje eu o fabrico como um artefato independente, estou trabalhando na construção de uma antena cujo alimentador seja o T Mágico então o necessário será homologar a antena e não o T Mágico.
    Sugiro que vocês adquiram um T Mágico e o use como equipamento experimental. A cultura necessária pára o domínio desta tecnologia vai demorar um tempo para se impor. Quem largar na frente desta corrida chegará ao final primeiro.
    Por favor, não associem a palavra mágico comigo. Já disse antes, não fui eu quem botou o nome no T Mágico. Eu não faço magia, faço ciências físicas, não tenho culpa de a magia ser a porta da frente do castelo científico. Se quiserem culpar alguém por esta realidade, culpem a civilização humana.
    Hoje é sábado, estou bem disposto, vou explicar lentamente o T Mágico.
    Imaginem um tubo retangular qualquer. Se este tubo estivesse ligado num AP de 2,4GHz e conduzisse este sinal por dentro como se fosse água num cano. Deu?
    O sinal que sairia na saída do tubo retangular seria igual ao sinal que entrou no tubo retangular somente num caso. No caso de a impedância da saída do tubo retangular fosse igual a impedância da entrada do tubo retangular.
    Existem dois valores para as dimensões do tubo retangular que são muito importantes a saber:
    PRIMEIRO CASO
    Existe uma dimensão do tubo retangular na qual a impedância de entrada é igual a impedância de saída. (Condução)
    SEGUNDO CASO
    Existe uma dimensão do tubo retangular na qual a impedância de entrada é muito diferente da impedância de saída. (corte)
    Ora, basta construir o T Mágico de maneira que Um AP enxergue o outro AP como no segundo caso e os dois AP enxerguem a antena como no primeiro caso.
    Moro?
    Tai a explicação.
    Como eu disse hoje é sábado e nós sabemos do mestre Vinícios que:

    Impossível fugir a essa dura realidade
    Neste momento todos os bares estão repletos de homens vazios
    Todos os namorados estão de mãos entrelaçadas
    Todos os maridos estão funcionando regularmente
    Todas as mulheres estão atentas
    Porque hoje é sábado.
    Ao revés, precisamos ser lógicos, freqüentemente dogmáticos
    Precisamos encarar o problema das colocações morais e estéticas
    Precisamos impor o T Mágico.

    Porque é sábado.

  2. #142

    Padrão Cascateamento com T Mágico?

    Boa tarde a todos!

    Eng. Gilvan, seria possível fazer cascateamento utilizando 2 T mágicos, 1 antena e 3 rádios?
    Qual seria o impacto (consequência) disso.

    Onde será o curso do dia 13 de março?

    Obrigado!



  3. #143

    Padrão

    Olá Igiudice

    Que perguntinha heim??
    Depois sou eu que sou inventor. Anteneiro é um cara que está sempre criando. Que coisa, não sei se isso é uma qualidade ou uma desgraça. Vou te dar duas meias respostas pois acho que tu tens um olho só e vive num reino de cegos.
    PRIMEIRA MEIA RESPOSTA:
    Teoricamente funciona.
    SEGUNDA MEIA RESPOSTA:
    Nunca testei e não tenho notícias que alguém tenha testado.
    .
    Que dilema tu criou, as dúvidas me atormentam de noite, espero que comas alguma coisa que te faça mal e tenhas que ficar por uma semana sempre perto de um restroom. Esta é a praga da minha vingança que eu te rogo.
    .
    PS
    Gostei da tua astúcia, mas não gostei do teu nome.
    .
    Confira o desenho deste link
    .
    T M

  4. #144

    Padrão

    Gilvan, parece mesmo que tu estás melhorando em alguns aspectos, como responder as questões. Acredito que com o tempo as respostas poderão ir melhorando ao ponto de abranger mais aspectos técnicos. Mas já é um bom começo.
    Nas outras listas que tu participa, outros também notaram esta disposição mudada e positiva.

    E veja quantas dúvidas, tanto positivas como negativas tu geraste na mente dos foristas. Se não tivesses voltado ao tópico para responder, este assunto não estaria indo adiante.

    Nas meias respostas que deste, disseste que teoricamente deveria funcionar.
    Mas se não testou, porque não fazer este teste ainda hoje, e postar o resultado? Assim tu vais dormir mais tranquilo esta noite.

    Sei que estas brincando, mas não rogas pragas nem de brinquedo. Eu não tenho medo e não acredito. Mas vai que acontece algo, e daí como tu ficas?
    "Yo no creo en brujas, pero que las hay, las hay."



  5. #145

    Padrão

    Citação Postado originalmente por GilvanEnriconi Ver Post
    Olá Igiudice

    Que perguntinha heim??
    Depois sou eu que sou inventor. Anteneiro é um cara que está sempre criando. Que coisa, não sei se isso é uma qualidade ou uma desgraça. Vou te dar duas meias respostas pois acho que tu tens um olho só e vive num reino de cegos.
    PRIMEIRA MEIA RESPOSTA:
    Teoricamente funciona.
    SEGUNDA MEIA RESPOSTA:
    Nunca testei e não tenho notícias que alguém tenha testado.
    .
    Que dilema tu criou, as dúvidas me atormentam de noite, espero que comas alguma coisa que te faça mal e tenhas que ficar por uma semana sempre perto de um restroom. Esta é a praga da minha vingança que eu te rogo.
    .
    PS
    Gostei da tua astúcia, mas não gostei do teu nome.
    .
    Confira o desenho deste link
    .
    T M
    Olá GilvanEnriconi!

    Primeiramente gostaria de entender qual o problema com meu nome?

    Caso haja a possibilidade do cascateamento teriamos q acrescentar + 3 db na perda (ficariam 6 db no conjunto)?

    E se fosse confeccionado um "QUAD Mágico", ligariamos 3 rádios com a mesma perda de 3 db?

    T+

  6. #146

    Padrão

    Olá Pessoal
    Desculpem por me aproveitar desta coisa que alguns chamam de marketing. Mas se eu não fizer isso, como vou implementar o artefato? Espero que a maioria aprecie.
    Neste link abaixo, estou apresentando o T Mágico fabricado por mim e convidando a todos á participarem do curso de antenas. Venha aprender a construir um LENÇOL DIGITAL e a utilizar a tecnologia do T MÁGICO.
    Um abraço a todos.

    Cat



  7. #147

    Padrão

    Aproveitando um tempo que me sobrou ontem, fui visitar o Sr. Gilvan na Geenge, como fico próximo a Porto Alegre, marquei com ele para ver ao vivo o famoso T Magico.

    A Necessidade surgiu devido a quantia de antenas instaladas aqui no meu ponto principal, pois distribuo para outras cidades e mais os AP de clientes locais, minha torre ja esta quase saturada.

    Com a promessa do T magico ligar 2 rádios em 1 antena, sei que magica não existe, mas na curiosidade e dando um voto de confiança, fui ver o mesmo.

    Primeira vista, é um equipamento feito como guia de ondas e cavidades de ressonância, com bastante regulagens.

    O Sr. Gilvan ligou o T magico nos equipamentos (gerador RF, osciloscópio etc), e me mostrou o produto em funcionamento, mas como laboratório quase tudo funciona bem, fiquei desconfiado.

    Paguei pra ver, comprei um T magico para testar em campo, paguei R$ 180,00 e trouxe.

    Hoje pela manha, vim cedo para a empresa, peguei o T, subi na minha torre para enfim testar em ambiente real.

    Minha situação atual: 01 RB433 + 02 R52H Ligados em 02 Setoriais 90º 17Dbi


    Como quero economizar espaço mudei para o seguinte ambinete:

    01 RB 433 + 01 EMP-8603 + R52N + 01 SETORIAL HYPERLINK 17DBI 120ª (equipamentos que ja tinha aqui parados)

    Antes tinha 2 Setoriais cobrindo 180º, coloquei entre as 2 a de 120º e liguei no T Magico

    1 -ANTENA CONECTADA NO T MAGICO
    2- EM8603 LIGADO COMO SSID DOS CLIENTES DA MINHA SETORIAL DA DIREITA

    Configurei este cartão exatamente igual minha rede principal, canais, etc.

    Fiquei perdido no inicio, devido as regulagens, ai fui mexendo em uma, vendo o resultado, e assim por diante. Consegui deixar todos clientes navegando com um bom sinal.


    3. - Liguei o R52N ao T Magico e fiz a mesma configuração dos clientes da minha setorial esquerda, e calibrei o T Magico


    Resultados:

    1- Quanto ao tipo de Instalação - Num primeiro momento assusta, tem que prestar atenção no que ta mexendo, e com o olho na tela do notebook até calibrar, meia volta ja muda tudo na tela.

    2- Quanto a qualidade: Funcionou, até agora todos clientes navegando sem qualquer problema.

    3- Quanto ao Custo beneficio: Consegui economizar 2 Setoriais, bem como ferragens e espaço na torre.

    4- Vantagens: Dobro de clientes em uma unica antena, mesmo sendo 2 radios.

    5- Criticas: O Sr. Gilvan me entregou previamente calibrado para os canais que eu usava, porém no ambiente real, mudou tudo completamente, tive que mexer nas regulagens até chegar a um nivel de qualidade. Isto em telefonema que fiz a ele, me explicou que mudou devido aos cabos usados, pois a calibragem foi para os cabos que ele tinha no equipamento, como usei outros cabos, bem como metragens diferente, o cenário mudou.

    6- GERAL: O funcionamento foi satisfatório, consegui realmente usar 02 rádios em uma mesma antena, sem interferência, com uma boa isolação entre eles, e todos clientes navegando sem sentir diferença alguma.



    Vou esperar alguns dias para ver o andamento geral do T magico, e pretendo comprar 02 T Magico para formar um BackBone, creio que funcionará melhor que uma antena de polarização dupla. Usarei 02 Rádios em cada ponta fazendo Nstreme dual com 01 unica antena. Estou fazendo fotos e videos, bem como print das telas para postar na proxima semana.


    Bem, no mais é isto, não to criticando, nem ajudando, apenas dando a real dos testes que fiz aqui.



    Abraços




    Flavio Karoleski
    Viaguaiba Provedor e Portal de Internet



  8. #148

    Padrão

    Será que algum de vocês acenderia uma luz no meu porão? A minha lâmpada está queimada.

    .

    Seria possível pegar o firmware de um AP de RFID e instalar num AP de 2,4GHz?

    .

    Um AP para wireless hoje custa vinte vezes mais barato que um AP de RFID.

    .

    Caso queiram inteirar-se em RFID olhem o site abaixo. A Geenge fabrica as antenas para eles.



    Solid Invent - Sua necessidade com nosso RFID!

    .

    Amanhã vai chover canivete aberto aqui no salão do curso.



  9. #149

    Padrão

    Olá Rapaziada.

    No dia 13 de março de 2.010 estiveram reunidos no covil dos anteneiros que fica na Geenge em Porto Alegre a seguinte tripulação.
    COMANDO
    Capitão............... Gilvan Enriconi
    Imediato.............. Mateus Preuchner
    Mestre................ Lisane Tainete Prauchner
    Contra-mestre.... Patrícia Da Silva Santana.

    MARINHEIROS DE PRIMEIRA CLASSE

    1) MARUJO RECRUTAMENTO ALOJAMENTO
    2) Evaldo A. Esperança São José do Ouro [email protected]
    3) Heron Ziebert Criciumal [email protected]
    4) Renato E. Rodrigues Campo Novo [email protected]
    5) Lione José Bohn TrêsPassos [email protected]
    6) Jandir Antonio Pioner Campo Bom [email protected]
    6) Regimar Costa Eldorado [email protected].b
    7) Lecir Haas Campinas da Missões [email protected]
    8) Maurício C. Biscarov São José do Ouro [email protected]
    9) Flávio Karoleski Guaíba [email protected]
    10) Luiz Carlos Madeira Torres [email protected]
    11) Rodrigo Heberle Caxias do Sul [email protected]
    12) Marlos Scein Boavista do Buricá Marlos - [email protected]


    A nave era pequena, mas o mar era enorme, no seu mastro principal flamulava uma bandeira preta com o desenho branco de um T Mágico . Bravamente superamos as piores ondas e conseguimos atracar num porto seguro. Ao chegarmos lá todos diziam a mesma coisa:
    -Aquela hora que o Lençol Digital nos atingiu de cheio foi a hora mais crítica.
    Gostei muito da tripulação, todos demonstraram habilidades fora do comum. Se outros mares eu tiver que navegar, vou convocá-los de novo.
    Abaixo vai um brinde para aqueles que gostam de maionese. Desculpem mas acredito que a arte é o grande lubrificante que se coloca nas engrenagens da compreensão humana.
    Quem gostar leia, os mais rígidos delete.
    Um abraço a todos.

    Gilvan



    Continua......

  10. #150

    Padrão

    Continuação......

    Sal


    MENTINDO NUMA LAN DE SALÃO

    Sempre fui um pé de vento no salão, envolver uma cintura feminina e girar em harmonia com a música sempre foi algo deliciosamente sensual para mim. Com o tempo os passos acontecem sem planejamento, o par simplesmente baila entre os casais no salão como um esquiador descendo numa montanha de neve sinuosa lisa e íngreme. Jamais pode haver um passo errado, uma colocação de pé onde não deveria ou acontece o tropeço, a velocidade cai, a graça morre, e a sexualidade finda.
    No meio do salão, com um braço cingindo sua cintura e o outro no ar segurando a sua mão direita, rodeávamos no salão onde nos últimos quarenta anos havíamos dançado.
    Lembro que quando começamos a dançar, a música que estava tocando era importante para nós, de acordo com o seu ritmo bailávamos no salão vazio, eu tinha muitos jeitos de conduzi-la. Mas o tempo foi passando e com ele as coisas foram mudando, a música o corpo, e o jeito de dançar e principalmente a quantidade de pares dançando que mudavam em quantidade incessante e de forma inclemente. Agora, basta a orquestra começar e o salão esta cheio, porem duas coisas não mudaram nesse tempo todo, foi o tamanho do salão e o meu par. Somos dois esquiadores sobre o mesmo patim vencendo a montanha branca onde muitas vezes caímos mas nos levantamos todas as vezes até que aprendemos a domina-lá mesmo que para isso estejamos levando hoje como bandeira a cor que esta montanha branca nos pintou nos cabelos.
    Nos primeiros dias dançávamos roçando suavemente as pernas, botando toda a atenção nas curvas da dança, pois era o melhor pretexto para aquele sexo idílico, naquelas horas o salão parecia não existir. Depois veio o perfume que vinha do seu pescoço que para ocupava todo o volume do salão, o mundo dos sentidos naquele tempo podia ser explicando pelo olfato. O salão inteiro tinha o seu cheiro, até a música podia ser dançada seguindo as ondas de perfume no ar. O erotismo não vinha só da irradiação do aroma, haviam também os seios e o sexo, estas foram descobertas que terminaram com um obrigado meu Deus.
    Os anos foram passadas as coisas humanas que passam mudam. Tudo lentamente mudava em nós, menos o salão.
    Mudar não quer dizer perder, quer dizer trocar e eu garanto que a natureza nos organizou de forma que nas nossas negociações com o tempo, sempre saímos ganhando. Isso não dá para explicar, é preciso deixar as pistas curvas e profundas da nossa estrada vir morar nas linhas do nosso rosto para poder entender. Por isso eu penso que muito poucas pessoas podem compreender a troca, visto que poucos são aqueles que tiveram o tempo necessário na vida e dentre aqueles que tiveram este privilégio poucos souberam ser bons negociadores com a dor.
    Não sei dizer á partir de quando comecei a enxergar os outros pares no salão, sei que de um momento em diante comecei a perceber que o número de pares que dançavam mudava muito, e a quantidade deles dependia de duas coisas, da música que tocava e do jeito de dançar. Acho que despertamos para esta percepção quando por abuso de emoção decidimos que não havia mais fronteiras e nós estávamos nos transformando numa unidade, isso levou para nós, quarenta anos.
    Assim como tudo fluía bem no nosso lado de dentro, finalmente comecei a olhar para fora e lá estavam os outros, todos naquele salão, todos dançando no baile da vida. Alguns rostos eu reconhecia como muito antigo outros eram novos, mas todos estavam ali, e nunca haviam sido tantos. Cada novo par que subia para dançar influenciava em outro par, ainda que este outro par estivesse do outro lado do salão. Na verdade todos dançavam no salão como um só par. Como se fossem a LAN do salão. A orquestra? Ora a orquestra era só o AP. Havia em todos um protocolo de como dançar adequadamente. Minha mulher olhou nos meus olhos e perguntou:
    -O que tu estas pensando? Não é em antena é?
    -Claro que não querida, apenas observava que todos os pares que estão dançando não colidem ou se atrapalhem embora o salão esteja cheio.
    Continuei dançando de olhos fechados para ela não olhar lá dentro e ver que eu havia mentido.

    FIM



  11. #151

    Padrão

    A eficiência com que trabalha um conjugado AP-Cabo-Antena é uma questão muito séria numa instalação. A mudança da eficiência numa instalação pode significar algo igual a trocar uma antena de 20 DBi de ganho por outra de 29 dBi. Na maioria dos casos de instalação onde falta sinal, bastaria aumentar a eficiência do conjugado. Este link abaixo mostra a relação entre eficiência e VSWR. Um medidor de VSWR custa barato e é fácil de usar. Para crescer é necessário se instrumentar.


    Tabela VSWR

  12. #152

    Padrão

    Pensamento
    Tenho insistido na necessidade da construção do Lençol Digital em provedores de internet que possuam muitos usuários. Sou da opinião que esta tecnologia deve ser implantada e discutida entre todos para definir aquilo que se chama Padrão de Qualidade (PQ). Coloco abaixo uma lista resumida de como construir um Lençol Digital em torno de um POP. Demonstrações de sua eficiência eu faço em laboratório para quem assiste. Porem, este conceito não é uma invenção moderna, é sim, uma invenção mais velha que eu.
    Níveis de Sinal
    Quem determina o nível de sinal que o usuário deve funcionar, é o AP do POP. Estes valores devem ser estabelecidos pelo dono dos serviços que estabelecerá o Padrão de Qualidade do seu provedor. O técnico instalador deverá usar as ferramentas teóricas e mecânicas para obedecendo o projeto do POP, instalar o cliente com as constantes físicas pré determinadas pelo dono do provedor.
    Técnica
    Atenue no cabo coaxial 6dB, com o auxílio do interferômetro. Isto é muito fácil de fazer. Deixe a potencia ERP com 6dB menos. Este valor servirá como barreira de segurança contra interferências.
    Área de cobertura
    Com o POP irradiando, estabeleça a última linha de contorno do POP de forma que cubra +/- 80% do número de usuários possíveis dentro do lóbulo da antena. Este percentual deve admitir uma quantidade maior de clientes que a capacidade do rádio que alimenta a antena de POP.
    Padrão de qualidade PQ
    Vá ao limite da linha de contorno e faça uma conexão com o POP definindo o valor do nível de sinal que chega no POP, do ruído, e do performance do enlace. Estes valores deverão ser adotados como PQ daquele POP.
    Lençol Digital
    Dentro deste circulo que você estabeleceu com a última linha de contorno, todos os clientes deverão ficar com o mesmo PQ estabelecido. Todos os usuários instalados dentro deste círculo estarão dentro do que se chama Lençol Digital. Os clientes que estiverem mais perto do POP deverão ter o mesmo PQ que os clientes que estiverem mais afastados do POP.
    Ferramentas
    N° FERRAMENTAS TEÓRICAS
    1 Implantação Prospecção
    2 Canal de RF Ajuste no AP
    3 Apontamento Elevação Azimute
    4 Polaridade Escolha entre as 4 possíveis
    5 Visada Obstrução do Raio de Fresnel
    6 Superposição Posicionamento da antena no espaço
    7 Lóbulo Fonte de alimentação e radoma
    8 Curva de resposta da antena Melhor ganho da antena no canal desejado
    9 Onda estacionária Ajuste do VSWR
    10 Eficiência da antena Acoplamento correto
    11 Interferência Eliminação de sinais indesejáveis
    12 Equalização Construção do Lençol Digital
    13 T Mágico Ajuste

    Visão
    Como fazer para construir um Lençol Digital com um PQ determinado utilizando apenas o Lep-top?
    Na frente de um vobuloscópio aprenda a fazer o tratamento no espectro de freqüência. Fácil de compreender. Depois de compreendido os conceitos, com qualquer Lap-Top você brincará com as ferramentas e construirá um Lençol Digital com o Padrão de Qualidade que você quiser. É mole? Eu acho que é, quando eu ensino isso no curso todos aprendem e fazem bom uso.
    Dia 24 estarei promovendo mais um curso no Rio de Janeiro, particípe.

    Um abraço.



  13. #153

    Padrão

    ô Gilvan, tú ainda não se cansou de tentar vender esse curso meia boca não? Anuncia lá na lista da Abramulti... eles devem estar sentindo saudades suas e do seu filho.

  14. #154

    Padrão

    Caro Teluri.
    Fiquei surpreso com a tua posição em relação a mim. Vou responder teu questionamento e argumentar, caso descordes, o que está no teu direito, peço antecipadamente minhas desculpas.
    Primeiro quero te dizer que não me cansei de vender o meu curso, faço isso com uma satisfação que nasce da opinião que aqueles que fizeram o curso revelam por escrito para mim. O grau de avaliação é de quase cem por cento. Nunca ninguém que fez o curso depreciou o seu conteúdo. Admira-me que tu que não fez o curso possa ter uma opinião pejorativa. Meu amiguinho, estás dando opinião sobre aquilo que tu não conhece, coitado dos teus clientes.
    Quanto a eu anunciar na Abramulti, não o faço porque o presidente daquela associação não o quer. Porém pode ter certeza que eu fui muito lucrativo economicamente para a Abramulti e nossa parceria não perseverou por razões econômicas, mas mesmo assim todos os associados daquela associação continuam a dividir interesses comigo. Acho mesmo que todos eles, TODOS, estão também aqui no fórum da Ander-Linux que, sem sombra de dúvida, é onde existe maior cultura técnica.
    Meu rapaz. Devo te dizer que quando ploto algum assunto aqui eu faço com muita responsabilidade. Nunca faço nada planfetário, desinformado ou venal. Nunca faço uma afirmação apoiado em minha opinião. Nunca digo “eu acho” nunca dou margem para o errado. Sou sempre cientificamente correto.
    Muitas pessoas reclamam que eu não respondo a perguntas. Concordo com elas, não dou aulas aqui, porém adoro uma provocação que tenha conteúdo. A estas eu respondo e estabeleço um debate com conteúdos. Acredito que aqui é o lugar para isso.
    Comecei a plotar meus textos em janeiro de 2.009 com o título de POLUIÇÃO. Os assuntos ali eram tão chocantes que foi lacrado. Tive a impressão de estar profanando culturas cobertas pelo desconhecimento. Poluição era e é um tema extremamente polemico e deveria ser objeto de um congresso de engenharia. No entanto, sobre poluição prevalece o pré-conceito. Que pena, mas mesmo assim o reloginho correu e atingiu o número de 2.100 leitores. Fiquei pensativo.
    Mudei o tema e entrei no plotar sobre o título de SUPERPOSIÇÃO. Ali eu ensinei, diverti, polemizei, aprendi e enriqueci com as trocas de afetos que aconteceu. O reloginho maluco que estava zerado correu para o número de 17.728 leituras. Fiquei alarmado, Por que tu pensas que houve tanta leitura? Vou responder. Foi porque pela primeira vez a ciência era mostrada com arte e filosofia, isso é coisa de professor velho. Os textos ficaram tão extensos que resolvi mudar o enfoque, criei a FÍSICA AZUL.
    Pensa que o relógio parou ? Que nada; já está com quase 10.000 leituras.
    Numa certa tarde, estava eu comendo bergamota, caminhando de chinelo com o sol me queimando as costas quando resolvi fazer contas.
    Eu plotara na Under-linux durante 14 meses. Nenhum outro artigo teve tantas participações quanto eu tive. Foram mais de 30.000 leituras neste período dando uma média de mais de 2.000 leituras por mês. Foram mais de 70 leituras por dia, incluindo sábados, domingos e feriados. Durante 14 meses os assuntos abordados por mim estiveram sempre na primeira página do tópico Antenas. Por que?
    Telurinho, não foi por ironia, sarcasmo, deboche, enigma ou mágica que a participação foiu tão intensa. Foi porque ANTENA é um dos assuntos mais importantes que existem e as pessoas que acessavam os artigos estavam ansiosas para encontrar respostas que satisfizessem os seus anseios.
    Não sei responder a todas as perguntas, mas para aquelas que me foram perguntadas, quando eu sabia, a resposta eu a dava.
    Como tu podes ver, gosto de escrever, quando a gente fica velho, á mais fácil usar as mãos que os pés. Aliás, esta é uma grande diferença entre nós.
    Percebi por artigos colocados no Ander-Linux que existem companheiros de excelente nível técnico. Gente com muito mais conhecimento que eu sobre telecom, mas esse pessoal muito pouco polemiza, não perdem tempo com o grupo, deve ser pelo fato de não poderem tirar vantagens assim como eu que faço a minha propagandazinha. Que pena, gostaria que eles se comportassem mais como gladiadores e que este fórum tivesse o sabor do Coliseu Romano onde os desinformados e incompetentes fossem comidos pelos leões.



  15. #155

    Padrão

    UM ANTENEIRO, UM ANALISTA OU UM EMPRESÁRIO?

    Pois um cara esperto, desses que não pisam em gelo fino, fez um questionamento quanto à validade de ele fazer um curso de antenas. Sei que numa obra mal feita, meio palmo o prego puxa. Pensei bem no que dizer para aqueleqüera e larguei essa:
    Li teu e-mail e carimbei na tua testa a palavra anteneiro. Desculpe pela audácia, mas tu te entregaste na bandeja. Vou fazer para ti alguns comentários sobre as questões levantadas.
    Em primeiro lugar te garanto que os problemas nos teus clientes que hora funcionam e hora não funcionam, são 100% resolvíveis. Basta colocares todos os clientes num Lençol Digital planejado. Tenho tanta certeza desta afirmação que aceito qualquer aposta. O curso também é feito para provar isso.
    Agora as questões dos instrumentos:
    Teu amigo tem razão, um provedor de internet precisa se instrumentar. No entanto, tudo depende do porte do provedor e do número de seus usuários. Vamos lá.
    Se um provedor possui rm torno de 500 usuários, com certeza ele consegue utilizar satisfatoriamente os conhecimentos do curso e estabelecer o seu Lençol Digital só com o lep-top.
    Se o provedor de internet possui em torno de 1.000 usuários sou da opinião que só com um lep-top ele não trabalha bem. Vira um bombeiro de tanto correr para apagar incêndio. Este dono de provedor deverá comprar dois medidores. O preço destes dois medidores é menor que o preço de um lep-top barato.
    Se o provedor possui em torno de 3.000 usuários, deverá comprar mais dois aparelhos. Fazendo um investimento de +/- R$5.000,00. Se não comprar vira bombeiro de novo.
    E se ele tiver mais que 5.000 usuários? Sou da opinião que nesses casos ele deveria possuir contrato de suporte técnico com empresa que tivesse laboratório completo de eletrônica. Não acho que um provedor de internet grande deva ser um perito em Telecom, porem todos os seus problemas nesta área que possam travar seu crescimento devem ser resolvidos.
    Caro questionador, o difícil não é saber configurar redes de wireless ou entender de telecomunicação. O difícil é ser um bom empresário, Por isso sugiro que procure cabeças competentes versadas nesta área e antes de concordar comigo, avalie e cogite, antes de tomar decisões seja capcioso e sutil. De uma coisa eu tenho certeza, os provedores que irão existir no futuro, serão aqueles que forem dirigidos agora pelos melhores empresários.
    Em todos os casos, o curso que eu ministro é como uma radiografia de um paciente. Com o curso, aprenderás a enxergar o problema por um ângulo onde sempre podes saber onde está o teu problema.
    Desculpe pela soberba, mas sou de opinião que quase todos os provedores de internet fazem vôo cego. Lembram os pilotos dos anos 20 quando atravessavam o Atlântico orientado por uma bússola de mão. Gostou dessa?
    O curso não é para ensinar antenas, as coitadas só levam a culpa. O curso é para mexer dentro dos miolos dos anteneiros para que eles criem uma visão conjuntural dos fenômenos eletromagnéticos que envolvem rádio, cabo coaxial e antenas. Moro?
    Tirando as brincadeiras tudo é verdade. Cogito ergo sum. Se precisares de mim estou aqui
    http://www.geenge.com.br/sig/home/ver_modulo2.php?codigo=46

    Um abraço.

  16. #156
    engenheiro eletricista
    Ingresso
    Nov 2006
    Localização
    Rio de Janeiro
    Posts
    182
    Posts de Blog
    1

    Padrão

    Aldo gostei dos questionamentos e gostaria de fazer um adendo:

    O tamanho do cabo não importa quando antena, cabo e gerador estão na mesma impedância (que é o caso dos equipamentos Wi-Fi, mesmo com pequenos desvios nos valores de impedância. Vide artigo do JPJUST - https://under-linux.org/f105/o-fim-d...-stubs-129792/).

    Referências: O Comprimento do cabo coaxial: Folclore X Técnica. (O comprimento do cabo coaxial)


    Ou seja, cortar cabo só tem efeito prático quando a intenção é fezer algum casamento de impedância onde essa tríade (antena, cabo e rádio) apresenta impedâncias estupidamente diferentes (Ex: 100 da antena 50 ohms do rádio). Esse não é o caso do wi-fi. Por que? Por que as antenas são homologadas e testadas para virem de fábrica com 50 ohms (ou muito próximo disso, muito mesmo).

    ROE = 1 é coisa de radioamador. Para quem tem um monte de clientes sedentos por disponibilidade e largura de banda, se preocupar em transformar um ROE de 1,3 em 1,0 é perda de tempo. O ganho é ridículo e não tem benefício prático fazer isso em cada instalação, embora a teoria seja válida.

    Sds,



  17. #157
    engenheiro eletricista
    Ingresso
    Nov 2006
    Localização
    Rio de Janeiro
    Posts
    182
    Posts de Blog
    1

    Padrão

    Citação Postado originalmente por JorgeAldo Ver Post
    AP.

    Bem, sinceramente, como isto está mais para a minha área (Camadas lógicas) digo que o nível de sinal que importa é o SNR, que vai determinar a banda passante (seguindo Shannon-Nyquist) e ai, se tu tens SNR suficiente para a velocidade escolhida, a camada física deixa de influenciar a velocidade de transmissão (Depois de um determinado ponto mínimo necessário para uma modulação funcionar, variações de SNR não influenciam mais), ou seja, basta que todos os clientes estejam acima de um determinado nível de sinal que isso é suficiente para a camada física.
    Resumiu bem o que se passa na camada física. "Equalizar" para que "todos recebam o mesmo sinal" não tem nenhum efeito prático e não se baseia em nenhum fundamento técnico. Os rádios têm uma faixa enorme para receber sinais (de -30dbm até aproximadamente -80dm e as taxas variam dentro desse nível). Um outro rádio não vai ficar chateado por que ele recebe -70 e o seu vizinho recebe -50dBm. Isso não influencia em nada depois de um certo patamar.

    O que se tem que fazer é dar sinal suficientemente alto em uma célula que se consiga operar com todos clientes em modo somente G. Isso exige células menores, mais pontos de acesso e resulta em clientes mais satisfeitos (mais largura de banda disponível). Usar polarização horizontal ajuda a fugir um pouco da poluição (predominantemente vertical).

    Usar modo B ou B+G representa operar com taxas medíocres. É tiro no pé.

    Isso foi amplamente discutido em: https://under-linux.org/f97/sinais-a...a-rede-132082/

    Sds,

  18. #158

    Padrão

    Estamos voltando aos bons debates, aqueles que levam a conclusões práticas. E tudo isso vai ajudar a gente a formar melhor os conceitos.
    Eu entendia uma coisa a respeito de ter todos no mesmo nível, mas agora com estas explicações deu para entender melhor outros aspectos.
    Por isso eu gostaria de colocar outra questão. É com relação a saturação. Isto realmente existe e se existe,qual o efeito sobre a rede?

    Neste link tem uma calculadora.

    ZYTRAX - Wireless Calculators

    Até que ponto a saturação pode influenciar?



  19. #159
    engenheiro eletricista
    Ingresso
    Nov 2006
    Localização
    Rio de Janeiro
    Posts
    182
    Posts de Blog
    1

    Padrão Saturação

    1929, como foi falado na página 3 do https://under-linux.org/f97/sinais-a...82/index3.html (Nesse livro: http://books.google.com.br/books?id=...r%20dbm&f=true), existe uma faixa de operação (tipicamente de -30dBm até aproximadamente -80dBm). Existe também em qualquer rádio o AGC (Controle Automático de Ganho). Porém esse tem seus limites de operação. A condição de saturação existe, mas é absurda. É como se você colocasse dois auto-falantes de 15" com 1000W RMS e usasse isso no volume máximo como headphone. O equivalente seria encostar uma antena na outra ou ligar o coaxial direto de um rádio pro outro. Resumindo: só existe saturação se você usar potências altas, com ganhos altos em distâncias muito curtas (estupidez). Eu diria que nenhum sinal pracisa ser muito maior que a mínima potência requerida para a melhor taxa que você queira (com alguma margem de segurança).

    Exemplo: Para se operar com 54 Mbps no modo G é preciso no mímimo -72 dBm. Nenhum sinal precisa ser muito maior que isso. Mas também não significa que se um cliente tiver -50dBm existe saturação ou outro cliente com potência menor vá ficar triste por isso.

    Sds,


    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Estamos voltando aos bons debates, aqueles que levam a conclusões práticas. E tudo isso vai ajudar a gente a formar melhor os conceitos.
    Eu entendia uma coisa a respeito de ter todos no mesmo nível, mas agora com estas explicações deu para entender melhor outros aspectos.
    Por isso eu gostaria de colocar outra questão. É com relação a saturação. Isto realmente existe e se existe,qual o efeito sobre a rede?

    Neste link tem uma calculadora.

    ZYTRAX - Wireless Calculators

    Até que ponto a saturação pode influenciar?
    Última edição por motacosta; 20-04-2010 às 08:48.

  20. #160

    Padrão

    SEM QUERER QUERENDO
    Na recepção o sinal de RF deve ser equalizado o máximo possível antes de ser entregue para a camada do protocolo. Na transmissão o circuito de RF recebe o sinal que será transmitido sempre com um valor constante.
    Isto é feito em todos os sistemas de comunicação. Olhe este link, http://www.geenge.com.br/sig/home/ver_modulo2.php?codigo=30 ele representa a maneira como é tratado o sinal de TF nas operadoras de telefonia.
    Se duvidarem, experimentem. Vocês não são campeões de dizerem “eu testei” ? Pois então testem. Construam um Lençol Digital Modelo.
    PARADIGMA 1
    Vocês vão me dizer que resolvem o problema de caberem poucos clientes num AP batendo no teclado?
    Vocês vão me dizer que resolvem o problema de internet lenta batendo no teclado?
    Vocês vão me dizer que resolvem o problema de radinhos travando batendo no teclado?
    Vocês vão me dizer que resolvem o problema de ruído alto batendo no teclado?
    Voces vão me dizer que resolvem o problema de perdas de pacotes batendo no teclado?
    Voces vão me dizer que conseguem eliminar uma interferência batendo no teclado?
    Voces vão me dizer que conseguem fazer uma antena irradiar dois rádios simultaneamente sem intermudulação batendo no teclado?
    Vocês vão me dizer que o CAG aplicado na corrente contínua do transistor lá dentro do ship impede que o transistor de RF na entrada do radinho não sature ou corte?
    PARADIGMA 2
    Eu vou dizer que vocês não conseguem fazer tudo que o Paradigma 1 cogita? Claro que não. Vocês conseguem e a prova é a bonita obra construída no Brasil por vocês que é a grande rede wireless. O verdadeiro “milagre brasileiro”.
    HOLISMO 1
    Eu vou dizer que existe uma maneira mais fácil e barata de se fazer essas coisas e que precisa ser dominada pelos anteneiros. Esta maneira somada com o teclado é a solução cabal. Moro?
    HOLISMO 2
    Sabado dia 24 estarei apresentando esses temas num curso no Rio De Janeiro para poucas pessoas. Se você quiser participar, chega lá. Será realizado no Hotel Center na Av. Rio Branco n° 33. Se você estiver lá ligue para mim para tomar um amargo comigo, meu celular é (51) 9971.7291.