Página 2 de 3 PrimeiroPrimeiro 123 ÚltimoÚltimo
+ Responder ao Tópico



  1. #21

    Padrão

    Citação Postado originalmente por scraipt Ver Post
    aterramento separados evitando assim um retorno de energia nos equipamentos

    se a embratel ligou tudo junto igual o amigo ai disse "os tecnicos que instalaram são porcos"
    Claro que não gente, potencial equalizado, são normas, mesmo que tenha hastes para cada aterramento, no final tudo deve ser interligado, isso não é porcaria.

    Magal, com respeito a seu profissionalismo, mais não concordo com aterramentos separados, conforme você citou. Já li e reli várias normas e sempre vejo que tudo deve ser equalizado para evitar DDP, e retorno por outros aterramentos que tiverem resistência diferente. Já que é fiscal, você deve ter conflitos com a SetiSite, que montou me link da Embratel aqui, foi fiscalizado pelo Engenheiro Marcelo, tudo interligado.

  2. #22

    Padrão

    Tudo bem até concordo com a diferença de potencial, mais no caso ai é 2 aterramentos para finalidades diferentes

    1 contra raios e descargas elétricas de alta voltagem, outra contra curto-circuito de equipamento eletronico ( DE BAIXA VOLTAGEM)..

    nesse caso "seja qual NORMA FOR" .. o aterramento é separado ! pode teimar... mais é !



  3. #23

    Padrão

    Citação Postado originalmente por scraipt Ver Post
    Tudo bem até concordo com a diferença de potencial, mais no caso ai é 2 aterramentos para finalidades diferentes

    1 contra raios e descargas elétricas de alta voltagem, outra contra curto-circuito de equipamento eletronico ( DE BAIXA VOLTAGEM)..

    nesse caso "seja qual NORMA FOR" .. o aterramento é separado ! pode teimar... mais é !

    Norma não é lei, ela existe por causa da segurança, a norma foi criada porque chegou-se a conclusão que é o melhor a ser feito, se está fora da norma está correndo risco. Eu acredito que exista casos onde não deve ser equalizado, mais ainda não vi, apenas uma única vez em um sistema antigo. Se você tiver dois aterramentos, e por azar o aterramento de baixa, como você disse estiver pior, você terá um retorno de descarga elétrica nele, e tudo que estiver neste aterramento sofrerá a descarga. Já se estiver equalizado no mesmo circuito, a descarga se anulará no aterramento, se o mesmo estiver eficiente. Não existe isolação eficiente contra um raio, por isso o melhor a se fazer e equalizar, assim a descarga descerá ao aterramento.

  4. #24

    Padrão

    Olha só,,, segundo o que eu aprendi no meu curso de Mecatrônica e um pouco em NR10 e também lendo e entendendo pelo menos 1% do que estava escrito na nova ABNT NBR5410:2004. Todo sistema de aterramento deve por norma fazer parte de uma única malha para evitar a DDP, porem como tudo tem um “porem” no caso do para raios ele pode ser separado sim e a norma aprova ele separado, fica a critério e gosto, pois se todo aterramento estiver eficiente, e deve estar, dificilmente haverá qualquer tipo de retorno pelo mesmo, mas se for junto ou separado tanto faz e tiver mal feito com certeza vai dar problemas e as desculpas de estarem juntos ou separados só serviram de muletas para por a culpa em alguém.

    Em minha opinião se o para raios estiver bem feito e o aterramento dos equipamentos também e estiverem com impedâncias iguais e dentro da norma podem ser sim separados sem causar qualquer problema e funcionaram tão bem quanto se estivessem juntos. Se estiver perto o ideal seria ficarem juntos e se estiver longe eu, por exemplo, não ligaria junto de forma alguma e deixaria o do para raio o mais longe possível.

    Agora tudo depende de como se classifica o bem feito de cada um, tipo assim tem local que apenas uma ou duas hastes são o suficiente para se obter uma impedância dentro da norma que se não me falha a memória é de até 10 ohms “sendo o ideal o quanto mais baixo” e sendo assim o engenheiro libera e assina em baixo, mas essas duas hastes podem ou não serem suficientes para suportar e absorver uma descarga atmosférica forte e ai sim vai sobrar energia que vai correr pra todo lado e como o pão cai sempre com a manteiga pra baixo pode ter certeza que vai queimar tudo que for equipamento caro e a lâmpada de 1 Real em cima da torre vai continuar acesa... rsrs

    Se falei algo errado me desculpem e vamos discutir e corrigir juntos



  5. #25

    Padrão

    Citação Postado originalmente por Magal Ver Post
    NÃO use o terra do para-raio para os equipamentos, faça outro.
    Não entendi, instalamos equipamentos da ASGA, NEC e SAF, e as recomendações foram uma só, ATERRE NO CABO DE DESCIDA.

    Citação Postado originalmente por Josue Guedes Ver Post
    Magal, os aterramentos devem estar interligados, para-raios e equipamentos, sendo tudo no mesmo aterramento, todo lugar que vejo é assim, inclusive o que a Embratel fez aqui.
    Já ví mais 100 instalações assim, inclusive da Nextel, concordo.

    Citação Postado originalmente por israelneto Ver Post
    O raio procura a terra, se o seu aterramento estiver bom o raio vai direto pra terra, não volta.
    Se você colocar 2 aterramentos, um para torre e outro para os equipamentos, o raio poderá voltar pela aste do terra e queimar algum equipamento, é por isso que se interliga tudo. O raio sempre procura o caminho mais curto até a terra, mas se o aterramento não estiver bem feito, quando ele dissipar na terra, ele pode voltar pelo outro aterramento ir para os equipamentos. Não sei se consegui passar a informação.
    Boa sorte!
    Não é questão de VOLTAR, ele não volta, na verdade, nem chega a descer porque encontrou um caminho fácil, se neste caminho estiver seu equipamento, ele frita. DDP é uma coisa séria e muito complicada.

    Citação Postado originalmente por Magal Ver Post
    Caro Josue, por acaso tem uns 20 anos que trabalho como engenheiro da Embratel e nossos padrões de aterramento não são estes que você mencionou.

    Já fiscalizei mais de 200 instalações de torres.
    Não sei quando terei tempo, e se terei, não quero criar intrigas, acredito e sei que você é um profissional muito qualificado, mediante sua postura no forum e suas informações. Mas se tiver tempo, e voltar ao morro, onde a embratel tem suas principais torres, tentarei fotografar os vários aterramentos em um unico cabo de descida, principalmente nos NecNeo que já vi e alguns da Siemens, com antena Andrew de 30, 60 e 120cm. Inclusive com Kit de aterramento da Andrew, para cabos coax, com presilha para torre !. por que será? senão viria um cabo gigante até o chão

    Citação Postado originalmente por scraipt Ver Post
    aterramento separados evitando assim um retorno de energia nos equipamentos.
    se a embratel ligou tudo junto igual o amigo ai disse "os tecnicos que instalaram são porcos"
    na verdade eu acho um pouco de extremismo a palavra porco. Cada caso é um caso, já vi de tudo nessa vida, cabo rg-58 no cliente com anteninha de 2dbi como conector entre outras "beldades".
    Já vi várias torres com aterramento único e realmente, não consigo imaginar, uma torre de 60 metro, com pelo menos 16 rádios AsGa, SAF, NEC e siemens cada um com seu cabo de aterramento. Vocês coneseguem imaginar isso ? Já viram essa macarronada ?

    Sem sacanagem, é cada uma aqui no fórum que tá ficando terrível.

    Um aterramento que se preze, não tem mais que 6 ou 9 Ohms. Se a malha for bem feita, e a torre estiver nesse aterramento, tudo fica certo, pode estar com tudo no mesmo cabo e malha.

    Agora, se a torre não for corretamente aterrada, entendo o que estão falando, DDP na certa, já que a malha é um aterramento, e a torre é outro, seu equipamento vai ficar no meio, atuando como um fusível.

    Abraços !

  6. #26

    Padrão

    Bem,dando de entender do topico inteiro então não teria dor de cabeça se eu ligasse os rádios + antenas + cabos na torre,o para-raio na torre também e depois aterrasse a torre (no pé) na caixa de britas com areia com impendancia entre 6~10ohms ?

    Estaria seguro meus equipamentos e antenas utilizando a torre como meio de descida para eletroestaticas e raios ?

    Obrigado a todos!



  7. #27

    Padrão

    Citação Postado originalmente por tskstar Ver Post
    Bem,dando de entender do topico inteiro então não teria dor de cabeça se eu ligasse os rádios + antenas + cabos na torre,o para-raio na torre também e depois aterrasse a torre (no pé) na caixa de britas com areia com impendancia entre 6~10ohms ?

    Estaria seguro meus equipamentos e antenas utilizando a torre como meio de descida para eletroestaticas e raios ?

    Obrigado a todos!
    Você pode fazer isso, como a Embratel, Telemar, eu e outros fazem.

  8. #28

    Padrão

    Isso é o que mais vejo acontecendo ! Tudo dessa forma..

    Será que está todo mundo errado ?

    Abraços !



  9. #29

    Padrão

    Citação Postado originalmente por alamdias Ver Post
    Isso é o que mais vejo acontecendo ! Tudo dessa forma..

    Será que está todo mundo errado ?

    Abraços !
    Bem só especificando,então quer dizer que é melhor eu ligar o terra dos CENTELHADORES na TORRE,o PARA RAIO na TORRE,TUDO EU LIGO NA TORRE ? E DEPOIS SIMPLESMENTE LIGO A TORRE NO CHÃO ?

    Desculpe a pergunta mais especifica denovo é que eu fico meio assim pow,magina cai um raio esta tudo liga ali...buuum.

    Ia ser pessimo....

    Ah caso é melhor usar a torre como condutor ou seria o IDEAL mesmo PASSAR UM CABO DE COBRE até o chão ai ligar tudo nele,pela logica a resistencia dele comparado com a torre seria menor né ?


    Obrigado

  10. #30

    Padrão

    De acordo com informações da AsGa, quando instalamos 13 enlaces microondas de 300mb/s, fomos instruído a ligar tudo na torre.

    Desde que a torre tenha seu aterramento em malha adequada.
    Isso se dá pelo fato de ser inviável lançar um cabo de cobre nú para cada equipamento.

    Fique tranquilo, pois, a torre bem aterrada, se cair um raio nela, vai direto ao chão.

    O raio não vai dar "seta" e voltar para seu equipamento.

    Mas existe um perigo muito grande, caso o cabo coaxial esteja aterrado de forma inadequada, pode dar DDP. Logo utilizamos os kits de aterramento Andrew direto na malha do cabo. e todos equipamentos da casinha estão na mesma malha, sem diferença de potencial.

    Entendeu ?



  11. #31

    Padrão

    Citação Postado originalmente por alamdias Ver Post
    De acordo com informações da AsGa, quando instalamos 13 enlaces microondas de 300mb/s, fomos instruído a ligar tudo na torre.

    Desde que a torre tenha seu aterramento em malha adequada.
    Isso se dá pelo fato de ser inviável lançar um cabo de cobre nú para cada equipamento.

    Fique tranquilo, pois, a torre bem aterrada, se cair um raio nela, vai direto ao chão.

    O raio não vai dar "seta" e voltar para seu equipamento.

    Mas existe um perigo muito grande, caso o cabo coaxial esteja aterrado de forma inadequada, pode dar DDP. Logo utilizamos os kits de aterramento Andrew direto na malha do cabo. e todos equipamentos da casinha estão na mesma malha, sem diferença de potencial.

    Entendeu ?
    Sim...

    Mas eu pensava que a torre pelo fato de ser feita de (aço,ferro) teria uma resistencia muito maior do que descer um cabo de cobre juntamente lateralmente com a torre,ai sim ligando tudo neste cabo.Mas como vi então,a torre pode ser usada como "cabo de descida" até a parte mais baixa que será enterrada as barras de aterramento.

    Esses kits da Andrew aonde eu adquiro ?

    Mto Obrigado!

  12. #32

    Padrão

    Entendi.

    Aqui compramos direto da asga.

    CommScope ::: Andrew ::: Product/Transmission Line Systems/Accessories/Grounding

    Dá uma olhada só para ter uma idéia.
    É feito para 213, 400 e outros LMR e C.Flex.

    Abraços



  13. #33

    Padrão

    Citação Postado originalmente por alamdias Ver Post
    Entendi.

    Aqui compramos direto da asga.

    CommScope ::: Andrew ::: Product/Transmission Line Systems/Accessories/Grounding

    Dá uma olhada só para ter uma idéia.
    É feito para 213, 400 e outros LMR e C.Flex.

    Abraços
    Teria que pedir direto do site deles ? www.asga.com.br ? Será que eles fariam pedidos pequenos tipo 5 kits desses ? Teria ideia do valor alamdias ? Caso não seja possivel poderia utilizar um centelhador simples mesmo,ja iria ajudar ?

    Obrigado

  14. #34

    Padrão

    centelhador tem outra função.

    O que pode usar, é um surge-protector á gas, mais eficiente.

    Vou tentar levantar as infos dos cabos de aterramento, eu to precisando também.

    abraços !



  15. #35
    Eng. Eletricista/Eletrôni Avatar de MarceloGOIAS
    Ingresso
    Feb 2007
    Localização
    Goiânia
    Posts
    2.120
    Posts de Blog
    2

    Padrão

    Poder ou não poder usar a torre como parte do aterramento de um pára-raios vai muito além "do poder e não poder". Quem simplesmente pegar o cabo do pára-raios e parafusar na torre está correndo sérios riscos de perder tudo nela, não só equipamentos, mas também antenas e até cabos.

    Obviamente que a descarga elétrica de um raio (formado pelo acúmulo de eletricidade em uma nuvem) procura o pólo contrário situado na terra. Nas nuvens mais baixas a tendência é de carga elétrica positiva, nas mais altas negativas. Por indução, as cargas elétricas nas nuvens são atraídas pela carga elétrica contrária situada na terra. Os pontos mais altos, como torres de telecomunicações, transformam-se em pontes entre núvens e terra. Caso a torre seja boa condutora a descarga descerá para a terra, caso contrário poderá ser acumulada temporariamente, tempo suficiente para danificar equipamentos.

    Entretanto, torres de telecomunicações podem ser construídas de materiais bons, ótimos ou razoáveis condutores de eletricidade ou ter estruturas das mais variadas. Para começar jamais use sua torre de cantoneira bem fina como parte do pára-raios. Preferencialmente em torre de estruturas altoportantes ou estaiadas de cantoneiras largas. Nelas a resistência para passagem de eletricidade é menor. Para que uma torre seja usada como parte do aterramento o cabo de descida do pára-raios deve ser afixado na parte de baixo, próximo ao chão, ou fixado em partes diferentes da torre, como cima, meio e em baixo, para que não haja diferença de potencial elétrico. Também não pode haver diferença de potencial entre a torre e a terra, por isso um terrômetro é aconselhável nas medições. Quando menos resistência, melhor.

    Bem construído a descarga descerá e dissipará na terra. Para isso, é necessário uma boa malha de astes interligadas por cabos circulando toda a torre, bem espalhada. Caso contrário, os equipamentos existentes na torre sofrerá danos ou perdas irreversíveis se a impedância entre torre e terreno for alta.

  16. #36

    Padrão

    Citação Postado originalmente por MarceloGOIAS Ver Post
    Poder ou não poder usar a torre como parte do aterramento de um pára-raios vai muito além "do poder e não poder". Quem simplesmente pegar o cabo do pára-raios e parafusar na torre está correndo sérios riscos de perder tudo nela, não só equipamentos, mas também antenas e até cabos.

    Obviamente que a descarga elétrica de um raio (formado pelo acúmulo de eletricidade em uma nuvem) procura o pólo contrário situado na terra. Nas nuvens mais baixas a tendência é de carga elétrica positiva, nas mais altas negativas. Por indução, as cargas elétricas nas nuvens são atraídas pela carga elétrica contrária situada na terra. Os pontos mais altos, como torres de telecomunicações, transformam-se em pontes entre núvens e terra. Caso a torre seja boa condutora a descarga descerá para a terra, caso contrário poderá ser acumulada temporariamente, tempo suficiente para danificar equipamentos.

    Entretanto, torres de telecomunicações podem ser construídas de materiais bons, ótimos ou razoáveis condutores de eletricidade ou ter estruturas das mais variadas. Para começar jamais use sua torre de cantoneira bem fina como parte do pára-raios. Preferencialmente em torre de estruturas altoportantes ou estaiadas de cantoneiras largas. Nelas a resistência para passagem de eletricidade é menor. Para que uma torre seja usada como parte do aterramento o cabo de descida do pára-raios deve ser afixado na parte de baixo, próximo ao chão, ou fixado em partes diferentes da torre, como cima, meio e em baixo, para que não haja diferença de potencial elétrico. Também não pode haver diferença de potencial entre a torre e a terra, por isso um terrômetro é aconselhável nas medições. Quando menos resistência, melhor.

    Bem construído a descarga descerá e dissipará na terra. Para isso, é necessário uma boa malha de astes interligadas por cabos circulando toda a torre, bem espalhada. Caso contrário, os equipamentos existentes na torre sofrerá danos ou perdas irreversíveis se a impedância entre torre e terreno for alta.
    Bem,então na dúvida é melhor utilizar um cabo de cobre nú descendo até a terra,certo?Ai caso eu utilize então esse cabo ligado nas hastes em baixo,eu posso então conectar o cabo e os equipamentos wireless neste mesmo cabo então?

    E com relação a torre,caso tenha para-raios em cima com cabo de descida,preciso conectar a torre neste mesmo cabo ?

    Minha preocupação é juntar a energia estatica que o cabo irá soltar dos equipamentos wireless com o dos raios.

    Obrigado pela contribuição de todos,esta sendo show de bola!



  17. #37

    Padrão

    montei minha torre a poucos dias e chamei uma empresa aki do RJ ( raio brasil , dizem que foram eles que fizeram o para-raios do cristo redentor ) pra fazer o para-raios e aterramento e ficou da seguinte maneira: franklin , tubo galvanizado com 2mts servindo de aste , cabo de decida em uma caixa de inspeção no solo com 3 astes de cobre com + ou - 2mts fincadas no chão , e a 2mts de distancia uma das outras , aterramento dos equipamentos que estao em um comodo ao lado da torre saindo da caixa de inspeção , aterramento para equipamentos no alto da torre ligado ao cabo de decida do para-raios , ha o cabo de decida esta com isoladores a 20cm da torre , enfim tudo no mesmo aterramento , no laudo tecnico consta 8 Ohms .. não entendo de para-raios só estou postando a minha experiencia , vou tentar tirar fotos pra postar .

  18. #38

    Padrão

    Citação Postado originalmente por carlinhotocabrabo Ver Post
    montei minha torre a poucos dias e chamei uma empresa aki do RJ ( raio brasil , dizem que foram eles que fizeram o para-raios do cristo redentor ) pra fazer o para-raios e aterramento e ficou da seguinte maneira: franklin , tubo galvanizado com 2mts servindo de aste , cabo de decida em uma caixa de inspeção no solo com 3 astes de cobre com + ou - 2mts fincadas no chão , e a 2mts de distancia uma das outras , aterramento dos equipamentos que estao em um comodo ao lado da torre saindo da caixa de inspeção , aterramento para equipamentos no alto da torre ligado ao cabo de decida do para-raios , ha o cabo de decida esta com isoladores a 20cm da torre , enfim tudo no mesmo aterramento , no laudo tecnico consta 8 Ohms .. não entendo de para-raios só estou postando a minha experiencia , vou tentar tirar fotos pra postar .
    Interessante,muito bom ter postado sua experiencia.Bem você usou oque para aterrar o sistema de transmissão,cabos de antena,etc ? Utilizou algum tipo de kit para aterramento,centelhador, Lighting Protector?

    Abração,



  19. #39

    Padrão

    Citação Postado originalmente por tskstar Ver Post
    Interessante,muito bom ter postado sua experiencia.Bem você usou oque para aterrar o sistema de transmissão,cabos de antena,etc ? Utilizou algum tipo de kit para aterramento,centelhador, Lighting Protector?

    Abração,
    ainda não montei os equipamentos na torre , vou usar protetores de surto hyperlink altelicom nas antenas .

  20. #40

    Padrão

    Citação Postado originalmente por carlinhotocabrabo Ver Post
    ainda não montei os equipamentos na torre , vou usar protetores de surto hyperlink altelicom nas antenas .
    Ai você liga este protetor no cabo do para-raio?

    Teria o link do mesmo se possivel?

    Mtoo obrigado