Página 2 de 4 PrimeiroPrimeiro 1234 ÚltimoÚltimo
+ Responder ao Tópico



  1. #21

    Padrão Re: GVT Chegando na área.

    Concordo com as colocações de todos, inclusive sobre "comer pelas beiradas". Isto é um fato que ainda é verdade e FUNCIONA, no entanto, tem prazo de validade.

    Uma coisa que vejo nos posts acima é um certo descaso com a realidade mundial e com a própria realidade do Brasil e da internet pirata no mesmo. Por favor, não entendam "pirata" de forma depreciativa.

    Todos sabemos que os "piratas" são a grande maioria. Com equipamentos mais baratos e soluções como Mikrotik, que facilitam muito a criação de provedores por leigos que não tem absolutamente nenhum conhecimento de rede, o mercado ainda continua em expansão para estas pessoas. No entanto, se você teve esta idéia, outros a estão tendo neste exato momento.

    A poluição de frequência é uma realidade até em cidades pequenas devido ao barateamento dos equipamentos. Em vários locais fica até difícil de fornecer os tais "512kbps" que tanto foi abordado aqui. Sem contar que esta tecnologia tem suas limitações e inúmeras fraquezas. Um cara com um pouquinho de conhecimento em 802.11x, por exemplo, tem condições de parar um provedor wireless por dias e nunca ser descoberto. Isto exemplifica o quão arriscado é o negócio de wireless. Senhas, criptografias, etc, nada é suficiente para proteger seu provedor de um simples ataque.

    Outra coisa, Airmax NÃO é Wimax. Não pense que sequer tem a mesma performance. E banda ainda é um problema em ambos quando falamos de multimídia. Mesh? Fala sério. Ainda é pensamento de pequeno que quer ficar a vida inteira em 512kbps...

    Em relação ao descaso com a situação mundial, não me refiro a nada do gênero "Vamos comparar o Brasil com outro país", nada disso... Pense apenas em conteúdo. Você acha que o seu usuário vai ficar a vida inteira esperando 30 minutos com um vídeo do Youtube em pausa enquanto ele carrega? Por quanto tempo você acha que os vídeos de 360p ainda serão a maioria?

    Não se pode simplesmente ignorar a tecnologia... Ela não vai esperar por você. Ninguém vai pensar: "Espera, vamos manter coisas com baixo consumo de banda por causa do 3o mundo". A tecnologia vai prosseguir, você estando preparado ou não.

    Há 5 ou 10 anos atrás, celulares eram coisa de luxo. Notebooks só quem tinha eram os ricos... Hoje toda minha família tem celular e a minha filha tem notebook quase tão bom quanto o meu. As coisas mudam... Você tem alguma previsão de que tipo de equipamentos estaremos lidando em 5 anos? Eu não faço a menor idéia... Será que vamos ter começar a investir em 4G porque ninguém mais vais querer ter desktop? É uma possibilidade!

    Sei que muitos de vocês estão começando agora e encaram o provedor de vocês como um quebra-galho... Se render, rendeu... Para pessoas com esta visão, realmente tudo que eu falo vai soar como a mais pura baboseira... Mas a minha visão é bem mais ampla do que simplesmente meu bairro, minha cidade, etc...

  2. #22

    Padrão Re: GVT Chegando na área.

    Me desculpe kyatera
    Embora concorde que o bom português é primordial para o empresário, você tem que repensar seus conceitos.
    Eu não quero ser autoreferente mas escrevo muito errado por ter um disturbio neurológico importante que é a dislexia. Sou autodidata em música, e informática, sou desportista (escalo, mergulho e pratico capoeira), sou professor de processamento de dados. Resumindo tenho minha vida produtiva, só que tenho dificuldades na escrita/leitura, toda vez que escrevo para dar aulas, minutos depois releio e saio corregindo meus proprios erros, que as vezes morro de rir como consegui escrever daquela forma.
    Dislexia (do grego: dus = difícil, dificuldade; lexis = palavra) é um distúrbio ou transtorno de aprendizagem na área da leitura, escrita e soletração, a dislexia é o distúrbio de maior incidência nas salas de aula. Pesquisas realizadas em vários países mostram que cerca de 10 a 15% da população mundial é disléxica.
    Ao contrário do que muitos pensam, a dislexia não é o resultado de má alfabetização, desatenção, desmotivação, condição sócio-econômica ou baixa inteligência. Ela tem sido vista como uma condição hereditária devido a alterações genéticas mas tal só acontece numa pequena percentagem de casos. Ela também é caracterizada por apresentar alterações no padrão neurológico.
    Qual o motivo de muitos profissionais de TI serem dislexicos, é que a estrutura neurológica usada para "aprender informática" é outra menos afetada pelo disturbio.
    Então meu nobre colega. Antes de criticar ou sair do assunto do tópico, procure se informar com uma fono, um neurologista ou um psiquiatra para saber o motivo que leva tantas pessoas escreverem desta forma desrregular. Claro que tem muitos que escrevem errado por falta de estudo e esforço mas nem todos.



  3. #23

    Padrão Re: GVT Chegando na área.

    eu sou disrrítimico, além de precisar reler o que escrevo no tecládo do pc, fico igual ao seu madruga trocando as coisas. Meu entre as tarefas do meu sócio uma das mais importantes é me corrigir.

  4. #24

    Padrão Re: GVT Chegando na área.




    Amigo, não leve por esse lado. Entenda a minha crítica. E
    jamais use sua dislexia como suporte para escrever errado. Seja um autodidata também
    no seu idioma e jamais escreva errado.




    Escrever errado é injustificável. Temos Word, Temos o
    Google, Temos o mundo. Nada justifica isso, nem mesmo a sua doença.




    Demore um pouco mais, mas corrija seus textos.



    Qual é a diferença em escrever ou o grau de dificuldade em
    escrever “foi” do que “phoi” a segunda opção, a errada, é muito mais
    difícil.




    Escrever “Forma” corretamente ou “Phorma” ?



    Veja o texto lá em cima, justificar uma coisa assim, me
    desculpe, jamais.






  5. #25

    Padrão Re: GVT Chegando na área.

    Como eu comentei nem todos, porem você colocou todos num mesmo balaio. Sobre phorma ou forma, concordo com você. o "informatiquez" foi criado em chats e foruns para ser mais rápido mas phorma tem mais caracteres que a grafia correta diferente de vc para você etc... porem o tópico não é este.
    creio que encontrará blogs e foruns sobre a nossa bela língua pesquisando no google.
    Sem ofender, ok?
    Os colegas já tem um grande pepino para descascar na mão que é a GVT.
    Abraços cordiais

  6. #26

    Padrão Re: GVT Chegando na área.

    Não sei se o rtl 8186 seria uma boa opção para o mesh.
    Eu contatei o suporte da GTS e da Aprouter sobre o protocolo OLSR, já que nos firmwares destes rádios tem lá opção para ativar mesh.
    Na prática nem eles sabem bem como é.
    Agora se for para usar um rádio com chipset Atheros por ex que suporta mesh e instalando dd--wrt a coisa deve mudar de figura. Talvêz não dê para liberar uma banda maior para o cliente como num Airmax. Mas quem tem banda suficiente para isso hoje em dia? São poucos.
    Foi comentado que Airmax não é Wimax. Certo. São coisas diferentes.
    Wimax até quase não tem sido comentado últimamente.
    E tem um inconveniente pelo que vejo. É protocol 802.16 enquanto wifi é 802.11. Notebooks estariam de fora deste páreo. E não é isso que queremos.
    Se o wifi ainda é o meio de eleição, é porque os equipamentos dos clientes ( leia-se notebooks) todos são no protocolo 802.11
    O mesmo acontece se fizermos toda a rede em Airmax. Os notebooks ficarão de fora. Instalar rádio com Airmax e deixar desativado é desperdício.
    Então há mesmo que fazer um bom planejamento como o Aldo citou. E em cima do mesh .
    Traçar uma estratégia e correr atrás.
    Só que para os pequenos esta estratégia que hoje parece boa, com a evolução tecnológica talvêz não seja a melhor amanhã. Teremos que tentar nos antecipar.
    E não é só a GVT que vem aí. Tem outras mais que estão de olho neste mercado.



  7. #27

    Padrão Re: GVT Chegando na área.

    Mesh resolve mobilidade mas não banda. Pelo contrário, a perda de performance a cada node pode ser drástica. E isto se falando apenas de uma conexão "ponto-a-ponto" padrão, como TCP.

    Já um ambiente de transmissão multicast fica inviável por mesh. Se o provedor quer incluir em seu serviços IPTV ele tem que suportar multicast ou então ficará restrito a video on-demand, que ninguém tem real interesse.

    E não se pode esquecer do IPV6. IPV4 já era e em breve links de internet que fornecerem junto com eles IPs IPV4 vão custar o olho da cara. O ideal é já planejar redes que suportem IPV6 em um futuro próximo (menos de 5 anos?).

  8. #28

    Padrão Re: GVT Chegando na área.

    Tem razão mtrojahn. Tve um colega de aula que era com este sobrenome . Leia-se Troian, não?

    Por isso que eu disse: Talvêz não dê para liberar uma banda maior para o cliente como num Airmax. Mas quem tem banda suficiente para isso hoje em dia? São poucos.
    Talvêz a opção do mesh seja uma forma de oferecer mobilidade, coisa que os 100MB da GVT não vão fornecer para o usuário, já que é linha fixa.
    Pensando, pensando, já acho que como nunca poderemos competir com planos de muita banda, poderiamos pensar então numa mobilidade, apesar que restrita, pois estará limitada ao nossa região de cobertura. Mas já iria agradar o assinante.
    Sei lá, vejo com preocupação o futuro. Mas não desespero. Enquanto isso vamos discutindo opções viáveis para os pequenos provedores.



  9. #29

    Padrão Re:

    Na MINHA opinião, se trata de uma análise mais comercial (administrativa) do que técnica.

    No frisson das tecnologias de mobilidade e portabilidade, há quem pense que investir em serviços fixos seja vantagem. Não é, creiam. Falar em mobilidade no wireless é investir em redes Mesh, então. É um mercado em ascensão, quando se vê até celulares com conexão wireless.

    É um erro querer agregar voip ao wireless, quando as pessoas procuram o wireless justamente pra fugir de telefone fixo. Bobagem a tal IP-TV, quando as pessoas se voltam cada vez mais para netbooks com telinha de 10'' e, em contrapartida, a LCD da sala fica cada vez maior, pra reproduzir jogos e filmes em alta definição. Isso sem falar na parte técnica, na febre dos AZ-Box, das Sky Livre. Se competir comercialmente já é difícil, imagina competir contra algo gratuito.

    Competitividade só se consegue de duas formas: ou se presta um serviço superior ou se presta um serviço diferenciado. No primeiro caso, acontece o que eu chamo de melhoria da porcaria: disputa por concorrência, quem vende a maior velocidade de acesso ao menor preço, em uma clara demonstração de que não há mais nada a ser oferecido, além de velocidade e preço. Exemplo: grandes operadoras de telecom.

    Graças a Deus, o comportamento consumidor está mudando. Se engane se acha que o cliente não sabe diferenciar as coisas, que ele não é crítico ao ponto de exigir. Tem quem pense assim: cliente satisfeito é aquele que tem acesso rápido, que não cai, não fica lento e é barato. Errado.

    Eu diria: é muito pouco. Aliás, é o MÍNIMO que se pode oferecer. É uma coisa que não vai trazer mérito nenhum, porque é obrigação. Igual casamento: quando se faz tudo certo se ouve "não fez nada mais que a sua obrigação".

    Já que é difícil competir de igual pra igual com as grandes empresas do setor, se parte para a segunda possibilidade, que é prestar um serviço diferenciado. Vou citar em exemplos para ficar mais fácil de entender.

    Diferenças básicas entre grandes empresas e pequenas empresas de telecom:

    - não há necessidade de aderir a outros serviços para apenas usar a internet; dispensa-se vendas casadas de linha telefônica, pacotes de serviços agregados, provedores de terceiros, etc;

    - o preço do serviço é fixo, não tem susto quando vem a conta; logo, é possível um controle de custos, por parte do assinante;

    - não tem fila de espera para atendimento, não precisa ficar 30 minutos falando com uma máquina e muito menos esperar 48h para ter o problema resolvido; ou seja, ganha-se disparado nos quesitos atendimento direto, pessoal e exclusivo;

    - não tem fidelidade ou multa rescisória se por um motivo particular o assinante não desejar mais continuar com o serviço; simplifica-se os processos;

    - não tem problemas com relação a intempéries como chuva, sol, granizo, os grandes vilões das comunicações, não só wireless (claro, para quem presta um nível de serviço mínimo);

    - qualquer problema técnico no computador do assinante pode ser resolvido de forma rápida pelo próprio prestador do serviço, e o assinante não vai pagar por algo sem usar.


    Pergunto: as grandes empresas conseguem esse nível de exclusividade para todos os seus clientes? Claro que não. A regra é simples: quanto mais uma empresa cresce, mais se afasta dos seus clientes.

    E ai mora o perigo: quem se afasta muito, começa a perder clientes. Mas o cliente não sai porque o serviço deixei de ser bem prestado. Ele sai porque perdeu a exclusividade que tinha do prestador. O cliente sente-se 'abandonado', posto ao nível de qualquer um. Ora, vivemos em um mundo de informação, de cultura. Ninguém quer se sentir como mais um, como um qualquer.

    Nem em um banco, que atende centenas de clientes por dia, as pessoas aceitam serem chamadas de um número. Eu me sentiria menosprezado se não fosse atendido pelo meu nome, por uma pessoa que pergunta como eu estou, como tenho passado. Enfim, que se importe exclusivamente comigo.


    Resumo da conversa:

    - prestem exclusividade para seus clientes, os tratem como membros das suas próprias famílias, preocupando-se de verdade com as suas carências, e alegrando-se com as suas conquistas pessoais e profissionais;

    - invistam em tecnologias que não limitem o usuário a um cômodo da casa, ou a um cabo azul arrastando pelo chão;

    - comercialmente, destaquem pontos diferenciais de seus serviços, ao invés de caírem na cilada da competição com as grandes empresas; ou seja, não invistam na melhoria da porcaria, façam um trabalho inovador, diferenciado e espetacular.

    Garanto que nem 100 mega da GVT fazem o assinante largar um serviço bem prestado, exclusivo e que agregue além de um valor material, um valor sentimental pra ele. Creiam, é possível.

    PS: perdão pela postagem tão grande.

  10. #30

    Padrão Re: GVT Chegando na área.

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Tem razão mtrojahn. Tve um colega de aula que era com este sobrenome . Leia-se Troian, não?

    Por isso que eu disse: Talvêz não dê para liberar uma banda maior para o cliente como num Airmax. Mas quem tem banda suficiente para isso hoje em dia? São poucos.
    Talvêz a opção do mesh seja uma forma de oferecer mobilidade, coisa que os 100MB da GVT não vão fornecer para o usuário, já que é linha fixa.
    Pensando, pensando, já acho que como nunca poderemos competir com planos de muita banda, poderiamos pensar então numa mobilidade, apesar que restrita, pois estará limitada ao nossa região de cobertura. Mas já iria agradar o assinante.
    Sei lá, vejo com preocupação o futuro. Mas não desespero. Enquanto isso vamos discutindo opções viáveis para os pequenos provedores.
    Isto mesmo, troian...

    Pois é... Tudo depende do foco.

    Uma coisa é fato. Wireless NUNCA vai dar a mesma banda que algo cabeado. O cliente NUNCA vai estar 100% livre de internet via CABO se ele quiser velocidade. Considerando isto, vai do provedor decidir qual será seu foco. Velocidade ou não.

    Em resposta ao Jadir. Bobagem é querer competir internet com as Teles mas não é isso que se faz no Brasil há 15 anos?

    Me parece que tem muita gente desinformada. Concorrer com Teles não é mais tão difícil assim. A Anatel está fazendo um bom trabalho no que diz respeito a "compartilhar" o poder na área (quem diria que eu estaria defendendo a Anatel um dia...).

    Em breve qualquer provedor com SCM vai poder tirar a licença para fazer broadcast. Vai poder investir em TV e legalmente. Outra coisa que está pra sair é a lei que permitirá que as Teles aluguem sua estrutura de 3G ou superior para outras operadoras. Ou seja, voce vai poder criar a sua própria marca de celular e locar da Claro tráfego por dentro da rede dela... Automaticamente você tem a mesma área de cobertura da Claro e só tem que pagar por tráfego...

    Qual é a vantagem? Todas. Para as operadoras é ótimo porque elas vão cobrar apenas de você. Se você não pagar, ela te corta e, com isto, você deixa todos os teus clientes sem telefone. Então é obvio que você SEMPRE vai pagar. A inadimplência para elas será mínima e todo o custo que ela tem de ter que lidar diretamente com clientes diminui. E para você, bem, você paga apenas por tráfego... Quanto mais você consumir mais você paga, mas também mais você ganha com isto...

    Agora você me pergunta, porque um cliente trocaria Claro por você? Porque você tem um plano Celular+Internet+TV+Fixo.

    Pra quem já tem uma estrutura de fibra como eu, é ótimo... Não temos que investir nada. É só começar a prestar o serviço. Voip? Custo Zero. Internet, já tem. Fixo? É só pegar numeração. IPTV? Tira a bendita licença.

    Não pense que você, como provedor, conseguirá sobreviver sozinho... É bom começar a virar Tele. Juntar forças. Este é o caminho na minha opinião.

    Claro que para uns isto é bobagem... Mas daqui há 10 anos a gente pode ver quem ainda está no mercado e qual tamanho que chegou... Ficar estagnado esperando para ser engolido é exatamente o que não faremos aqui... Não tem porque fazer isto se você tem a opção de não fazer...
    Última edição por mtrojahn; 15-02-2011 às 13:56.



  11. #31

    Padrão Re:

    Realmente, tu tem razão. Pensando no lado técnico da coisa, seria perfeito.

    Mas eu não estou falando de técnica, estou me referindo a parte comercial. Provavelmente daqui a 3 anos qualquer um será capaz de montar sua própria rede de tv, operadora de celular (será?).

    A questão é: vai vingar? É isso que o consumidor quer? Precisamos de mais operadoras ou de serviços diferenciados? Sinceramente, não acredito que uma empresa consiga prestar 10 serviços diferentes e MUITO BOA naquilo tudo.

    Se o objetivo é brigar por concorrência (vulgo oceano vermelho), então o empresário tem mais é que se atirar de cabeça em tudo o que ver como competitível. Se o objetivo é desfrutar de uma realidade diferenciada e exclusiva (vulgo oceano azul), então invista no que se tem de melhor, seja em termos de conhecimento como viabilidades práticas.

    É como comentei antes, grandes empresas = grandes problemas = clientes chateados. Esse é o nicho de mercado mais viável, brigar por concorrência???

    Em tempo: obrigado pela sua postagem. Me fez refletir alguns pontos.

  12. #32

    Padrão Re: GVT Chegando na área.

    Pois é... A diferença nas nossas visões são claras. Você é de opinião de que você tem opção. Que você tem controle do que vai ocorrer com o futuro do seu negócio.

    Eu já acredito que não temos opção nenhuma. Que estamos navegando desgovernados em um oceano de tecnologia que muda tempestuosamente. A única coisa que podemos fazer é nos adaptar a cada adversidade, seja remando contra ou a favor da maré, mas o destino é desconhecido... Nossa isso foi filosófico pra caramba, hehehehe.

    Google? Vários serviços e eu sou fã deles Não tenho o menor problema em pensar grande.

    E essa colocação sobre "precisamos de mais operadoras" me fez lembrar da privatização das Teles. Sim, precisamos sempre de mais concorrência. É por causa da abertura de concorrência para as telecomunicações no Brasil que hoje temos nossos celulares e internet em casa. Se não fosse por isto, você acha que as estatais teriam feito alguma coisa? Se as Teles não tivessem sido privatizadas hoje nós ainda estaríamos em transição para sair do dialup.



  13. #33

    Padrão Re:

    Tem razão, com certeza. Admiro teu raciocínio, está de parabéns.

    Eu não penso pequeno, pelo contrário. O que eu me refiro é prestar ótimos serviços, sejam poucos, mas muito bons. Me refiro a minha realidade, de micro empresa. Talvez ai esteja o tamanho do raciocínio, porque me refiro ao mesmo tempo à centenas de outras micro empresas como a minha, que atualmente prestam o mesmo serviço que eu.

    Claro que é possível tornar uma micro empresa em uma de médio e grande porte, oferecendo soluções diversas, de forma sensacional, agregando variedade e lucratividade. Com certeza.

    Seria um sonho realizado. Mas ainda é um sonho, acredito que um pouco distante da realidade da maioria. Por isso que propus ao pequeno empresário que tirasse da cabeça a preocupação em concorrer com a mega empresa multi nacional. Mesmo que tenha-se conhecimento, domínio de todas as soluções que se quer oferecer comercialmente, há bala na agulha (dinheiro) para desenvolver tudo isso??

    Talvez eu realmente esteja sendo simplista, limitado, com pensamento pequeno. Admito isso. Mas prefiro agregar valores ao que já tenho, a realidade do meu empreendimento e fazer desse pequeno provedor um modelo de negócio, um sonho de consumo no bairro ou na cidade onde eu moro.

    Creia, por mais que haja tecnologias novas, moderas, bacanas, o cliente sempre vai fidelizar o que ele entende como sendo o melhor. Vou te dar um exemplo bem prático:

    A Apple, depois que Steve Jobs 'saiu', perdeu o rumo. Deixou de fabricar computadores exclusivos, personalizados e pensados através da mente dos seus clientes, para ser uma mera montadora. Terceirizou a linha de produtos, pensando em cortar custos e aumentar as vendas. Criou clones dos Macs, vendidos aos kilos por várias montadoras.

    Junto com tudo isso, teve a infeliz ideia de 'aproveitar' a onda da tecnologia e criou zilhões de produtos, que iam de palms até impressoras. Ou seja, ao invés de agregar valor ao que a Apple tinha de melhor, que era exclusividade, designe quase que de artesanal, o luxo de um produto que passava um sentimento de único, ela matou toda essa imagem e se tornou uma mera montadora...

    Não demorou muito para os clientes fãs da marca pararem de comprar. Tanto que revistas do setor já calculavam os meses para a Apple falir.

    Foi então que Jobs voltou, e uma das primeiras coisas que ele fez foi cortar a linha de mais de 200 projetos para apenas 4 ou 5. Caramba! 4 ou 5!
    O que ele fez foi investir no que a empresa tinha realmente de bom, agregar valor a produtos inovadores, tecnologicamente modernos, bonitos, funcionais, espetaculares, e que tivessem todo aquele velho tom da exclusividade artesanal, de designe único que a marca sempre teve.

    O que é a Apple hoje? Bom, basta procurar no Google os balanços de vendas do iPhone, do iPad, do iMac...

    Volto a te convidar para pensar no mesmo assunto: o mercado precisava de mais uma montadora ou amava o fato de existir a Apple?

    Raridade, meu caro. Todo mundo detesta ser igual. Quanto mais raro e diferenciado for o teu negócio, mais valor ele tem. Mesmo que tu tenha a oferecer apenas uns 4 ou 5 produtos, ou serviços...
    Última edição por Jadir; 15-02-2011 às 15:14.

  14. #34

    Padrão Re: GVT Chegando na área.

    E omais gozado de tudo isso é como disse o Trojahn, tudo começou com as privatizações.
    O prédio da Bovespa se encheu de barbudinho no dia do leilão das teles.
    A alegação era que estavam entregando tudo, etc etc..
    Hoje estes mesmos batem palmas para o desenvolvimento e alguns deles, de manifestantes já são até fortes acionistas. Ou seriam oportunistas? Viram ali um filão financeiro e utilizaram seu recem adquirido poder para entrar no ramo.
    A coisa é tão boa que o proprio poder central recriou a Telebrás com objetivo nobre mas duvidoso de levar internet barata a população atravéz do PNBL. ESte plano vai ser altamente rentável para a Telebrás que pretende vender link na ordem de 230,00 o mega, dito pelo próprio Rogério Santana.
    Mas se cuidem, pois vender planos de 512kbps por 35,00 pagando link a 230,00 e cumprindo a exigência que está sendo pleiteada de 1/10, ou seja para cada 1 mega no máximo 10 assinantes, vai ficar uma corda no pescoço. E além disso, cumprir metas de qualidade, que é uma obrigação de todos nós, mas que precisariam ser submetidas ao controle da Telebrás.
    Pessoal, a GVT ainda não é o vilão. O vilão no meu entendimento é o PNBL. Não é a toa que o Percival Henriques, presidente da Anid, e recem eleito como membro do CGI tem alertado sobre algumas falhas do plano de banda larga.
    Olhem a GVT como aliada, pois onde ela está presente ainda é a melhor opção de compra de link. Não sei até quando.
    Mas como pequenos não podemos fazer isso sozinho. Só com uma compra cooperativada é que se consegue link mais em conta.
    Com link em conta vamos oferecer um pouco mais de velocidade, sem precisar competir com planos mirabolantes, sejam eles de alto tráfego como os famigerador 512kbps/35,00.

    Mas tecnicamente teremos que esquecer 802.11b. Lá nos meus primeiros posts eu já perguntava para o pessoal do forum sobre protocolo N, sobre mesh, só que naquela época tudo era novo. Era só especulação mesmo.
    Hoje já melhorou muito a tecnologia para permitir que continuemos no wifi por um bom tempo. Temos lido sobre relatos exitosos.
    Quando voces veem uma propaganda sobre empresas que implantam redes, sempre está presente lá o mesh. Dois anos atrás nem eles pensavam assim.
    E eles estão focando a publicidade em cima do poder público municipal. Daqui a pouco os nossos inimigos comerciais já serão os prefeitos. Se nós não ocuparmos esta área , alguém o fara.



  15. #35

    Padrão Re: GVT Chegando na área.

    gente vamos ser um pouco mais objetivo pois o papo ta ficando muito longo e não se chega a uma conclusão!!

    quem está sendo mais objetivo é nosso amigo MTROJAHN

  16. #36

    Padrão Re: GVT Chegando na área.

    Citação Postado originalmente por crisvilela Ver Post
    Me desculpe kyatera
    Embora concorde que o bom português é primordial para o empresário, você tem que repensar seus conceitos.
    Eu não quero ser autoreferente mas escrevo muito errado por ter um disturbio neurológico importante que é a dislexia. Sou autodidata em música, e informática, sou desportista (escalo, mergulho e pratico capoeira), sou professor de processamento de dados. Resumindo tenho minha vida produtiva, só que tenho dificuldades na escrita/leitura, toda vez que escrevo para dar aulas, minutos depois releio e saio corregindo meus proprios erros, que as vezes morro de rir como consegui escrever daquela forma.
    Dislexia (do grego: dus = difícil, dificuldade; lexis = palavra) é um distúrbio ou transtorno de aprendizagem na área da leitura, escrita e soletração, a dislexia é o distúrbio de maior incidência nas salas de aula. Pesquisas realizadas em vários países mostram que cerca de 10 a 15% da população mundial é disléxica.
    Ao contrário do que muitos pensam, a dislexia não é o resultado de má alfabetização, desatenção, desmotivação, condição sócio-econômica ou baixa inteligência. Ela tem sido vista como uma condição hereditária devido a alterações genéticas mas tal só acontece numa pequena percentagem de casos. Ela também é caracterizada por apresentar alterações no padrão neurológico.
    Qual o motivo de muitos profissionais de TI serem dislexicos, é que a estrutura neurológica usada para "aprender informática" é outra menos afetada pelo disturbio.
    Então meu nobre colega. Antes de criticar ou sair do assunto do tópico, procure se informar com uma fono, um neurologista ou um psiquiatra para saber o motivo que leva tantas pessoas escreverem desta forma desrregular. Claro que tem muitos que escrevem errado por falta de estudo e esforço mas nem todos.
    Rapaz... eu estava aqui pensando em responder também ao nosso amigo.... mais depois dessa...melhor eu ficar quieto...e ainda por cima fugir do tópico... é dose....rsrsr. abraços



  17. #37

    Padrão Re: GVT Chegando na área.

    Citação Postado originalmente por teletanbs Ver Post
    gente vamos ser um pouco mais objetivo pois o papo ta ficando muito longo e não se chega a uma conclusão!!

    quem está sendo mais objetivo é nosso amigo MTROJAHN
    Papo longo , sinal de papo bom.
    Além disso, o companheiro que abriu o tópico, gostaria de saber como enfrentar a situação onde tem GVT.
    AS participações foram muito proveitosas.
    Inclusive eu já contatei o companheiro do post 17 e já recebi mais algumas informações adicionais sobre mesh.
    Parece fora do tema? Sim parece, mas não é.
    Pois se temos que decidir como enfrentar a ameaça das grandes teles, qualquer sugestão será bem vinda.
    Se vai estar dentro do nosso "bolso" é outra coisa. Mas não podemos ficar alheios as mudanças que se avizinham.
    Só uma perguntinha: quem de nós foi lá no link verificar as informações do post 17? Talvêz muitos de nós.
    Lá tem coisa bem produtiva.
    Concordo que o Trojhan está bem a frente. Ele já tem sua rede cabeada. Mas cabear uma cidade mesmo pequena não é tarefa para a maioria. Eu pedi um orçamento para uma empresa e ficou em mais ou menos 17.000 o km e mais o projeto. E não era fibra. Cabo de uso externo mesmo. E ainda fica a questão de liberação de postes, etc etc. Não tenho densidade demográfica para ocupar o investimento em 1km.

  18. #38

    Padrão Re: GVT Chegando na área.

    Galera, uma coisa me veio a mente.
    Voçês acham que a gvt, oi etc tem banda suficiente para demanda nos horários de pico de milhares de clientes a 15 20 30 mbps, claro que não. o que eles tem é trafego se não me engano ptt ou algo parecido. me corrija por favor.
    Este trafego é na verdade seria proxy gigantesco que as grandes teles tem nos entroncamentos dos seus backbones, onde as proprias ficam trocando trafego entre si.
    Este "megabit" tem valores absurdamente pequeno, na casa de centavos, o mega, isso mesmo, centavos.
    o que ocorre é que temos que nos organizar em associaçoes, e estas conseguirem para seus associados este tal trafego de dados. ai meus amigos, resolvemos em muito o problema de banda.
    A maioria do trafego em minha rede é na porta 80, o que eu cacho, e é "achometro" mesmo, que todos vocês devem ter o mesmo cenário.
    imaginem todos os pequenos provedores de uma dada região trocando dados de orkut, youtube, google etc... tudo isto na rede interna. Putz seria um sonho.
    Eu compro link de um grande parceiro que usa gvt, um dia tive uma latencia muito estranha fora do normal e na analize o que apareceu como problema? um um servidor chamado ptt-gvt-blablabla (não lembro direito), em resumo, compro link dedicado de alguem, este por sua vez compra da gvt que vende link ptt.
    se eles fazem isso com meu parceiro que tem um porte gigantesco imagine com o usuário residêncial.
    Eles podem e nos também.



  19. #39

    Padrão Re: GVT Chegando na área.

    Sugiro, para quem não conhece , a ANID.

    Home - ANID - ASSOCIAÇÃO NACIONAL PARA INCLUSÃO DIGITAL

    O presidente da Anid foi a poucos dias eleito membro do CGI.
    E já tem conseguido compras cooperativadas em torno de 200, 200 e pouco.
    E já está presente no PTT-Metro-SP.
    Em breve nos outros PTT-Metro
    A idéia dele é essa mesmo, marcar presença nos Ptt para troca de tráfego.
    Vai ser outra maneira de fazer render o link e poder concorrer com GVT.

  20. #40

    Padrão Re: GVT Chegando na área.

    Essa historia que a GVT não vai para bairros de baixa renda já passou hoje com a Vivendi por trás muda tudo, aqui em recife ela instalou 2 armarios em bairrros "pobres" um em samartin que é bairro de classe media baixa e o outro foi incrível foi no meio da favela da mangueira ... acreditem se quiserem.