Por tal tratamento, é que o Governo Federal teve que negociar com os Estados para retirar os optantes do SIMPLES de tal cadeia tributária, e desta forma não basta a simples vontade de um presidente decretar e assinar com uma caneta, pois este processo demanda dos governos estaduais se interessarem em desonerar pequenos negócios como o nosso. Portanto nossa primeira saída é a adesão ao SIMPLES, pois alem de nos retirar desse ciclo de obrigações acessórias, ainda reduz a incidência tributária. Tal como, 75,00 equivaleria a alíquota de quase 6% sobre o faturamento bruto (1.300,00) sem levar em conta que ainda teríamos nos casos anteriores de acrescentar PIS, COFINS, CONT. SOCIAL, ETC....
Uma empresa que consegue ultrapassar o faturamento mensal de 200.000,00 (limite do SIMPLES) não pode dizer que seja de fato, como nós, um pequeno provedor, pois teria que ter no mínimo 4.000 clientes a 50,00 mensais.