+ Responder ao Tópico



  1. #1

    Padrão Investimento x Retorno

    Observamos que muitos eventos insistem em prever o fim dos pequenos provedores. Seja pelo avanço das grandes Teles e pela necessidade da diversificação dos serviços.
    A expansão das grandes teles é natural, mas ainda o foco são as grandes cidades. Cidades pequenas e aonde a demanda pelo serviço de acesso a internet continua sendo grande e essencial.
    Outro fator importante é que as grandes também não conseguem atender uma cidade de grande porte na sua totalidade (30 a 40% dos grandes centros não possuem serviços de ADSL ou Cabo).
    Tivemos a ameaça do IG com os provedores pagos em meados deste novo século, tivemos a ação devastadora da UOL com os provedores afiliados e agora espalha-se o terror com este cenário pintado por pessoas que não conhecem a verdadeira realidade do pequeno provedor e seu mercado.
    Praticando o atendimento cara a cara com seu cliente, oferecendo hoje soluções de qualidade com os novos equipamentos disponiveis no mercado, os pequenos continuarão e por muito tempo, mas não como pequenos e sim como empresas que irão incomodar os chamados " grandes".
    Outro detalhe que não posso deixar de observar é o direcionamento das noticias para a venda de soluções, estas que hoje precisam realmente ser analisadas através de seu publico pois firmar um contrato de concessão de TV, ou cabear uma grande área com fibra exige um alto custo de investimento.
    Não podemos ter pressa, precisamos trabalhar de forma que possamos crescer de forma sustentável, a diversificação de serviços é essencial desde que planejada de forma concisa.

    Alexandre Volpe
    Gerente Comercial-Tec-Wi

  2. #2

    Padrão Re: Investimento x Retorno

    Citação Postado originalmente por Tec-Wi Wireless Ver Post
    Observamos que muitos eventos insistem em prever o fim dos pequenos provedores. Seja pelo avanço das grandes Teles e pela necessidade da diversificação dos serviços.
    A expansão das grandes teles é natural, mas ainda o foco são as grandes cidades. Cidades pequenas e aonde a demanda pelo serviço de acesso a internet continua sendo grande e essencial.
    Outro fator importante é que as grandes também não conseguem atender uma cidade de grande porte na sua totalidade (30 a 40% dos grandes centros não possuem serviços de ADSL ou Cabo).
    Tivemos a ameaça do IG com os provedores pagos em meados deste novo século, tivemos a ação devastadora da UOL com os provedores afiliados e agora espalha-se o terror com este cenário pintado por pessoas que não conhecem a verdadeira realidade do pequeno provedor e seu mercado.
    Praticando o atendimento cara a cara com seu cliente, oferecendo hoje soluções de qualidade com os novos equipamentos disponiveis no mercado, os pequenos continuarão e por muito tempo, mas não como pequenos e sim como empresas que irão incomodar os chamados " grandes".
    Outro detalhe que não posso deixar de observar é o direcionamento das noticias para a venda de soluções, estas que hoje precisam realmente ser analisadas através de seu publico pois firmar um contrato de concessão de TV, ou cabear uma grande área com fibra exige um alto custo de investimento.
    Não podemos ter pressa, precisamos trabalhar de forma que possamos crescer de forma sustentável, a diversificação de serviços é essencial desde que planejada de forma concisa.

    Alexandre Volpe
    Gerente Comercial-Tec-Wi


    As grandes falam no "FIM" dos pequenos pois elas estão perdendo mercado para os pequenos.

    Somos de Curitiba, aqui tem todas operadoras grande que você imaginar, e posso lhe afirmar, quanto mais modinha de alta velocidade de pacote disso e daquilo...eles acabam perdendo mais clientes, pois hoje muitos tem um celular pré-pago e querem internet de qualidade, e não se amarrar em uma plano de telefonia ou de TV.

    Coisa que eu nunca vi, está acontecendo a NET VIRTUA em Curitiba tacando cabo até em locais que sabe-se que pessoas não tem condições de pagar mais que R$ 50,00, e eles entram lá e ainda insistem em vender aqueles planos deles que logo vai para mais de R$ 200,00 por mês...pois no começo tudo é R$ 59,90, o desespero das grandes está bem claro para quem realmente sabe analisar o mercado.

    Começamos atendendo apenas diga-se de passagem a parte de 2 bairros de Curitiba, hoje ja cobrimos mais de 20 Bairros e Vila de Curitiba e mais dois municipios, e já temos planejamento para atender pelo menos mais uns 5 municipios até final do ano.

    Quem tem vontade e tem estrutura e sabe trabalhar jamais vai perder cliente, pois cliente não gosta de esperar semanas para ser atendido, cliente prefere o cara a cara...de atenção aos clientes e logo chega a 1000, 2000, 5000 ou até 10000 clientes ai sim as operadoras vão se incomodar.



  3. #3

    Padrão Re: Investimento x Retorno

    Não quero ser profeta do apocalípse, mas há sim uma necessidade de se preocupar com a expansão das grandes teles.
    Eles tem algo a favor que nós não temos. Acesso a grandes volumes de recursos para expansão.
    Nós na maioiria dos casos conseguimos recursos do proprio movimento mensal.
    E isso limita a expansaão rápida para acompanhar a evolução tecnológica.
    Aliado a isso temos contra nós a tecnologia Wi-Fi que ainda não é a ideal para comunicação sem fio.
    Vejam que o protocolo 802.11 foi criado para redes indoors. Nós é que somos teimosos e fazemos chover ....
    Um ex. clássico é a tendência da mobilidade proporcionada pelo notebook , coisa que nós não temos como atender. No máximo colocamos um roteador interno no cliente e damos uma pequena mobilidade para ele.
    Mas logo, logo ele vai querer circular pela cidade com seu note, tablet etc etc.
    E neste quesito os penmodem poderão abocanhar este mercado. Para quem diz que não funciona, digo que funciona sim e muito bem. A questão é ter proximidade da célula. Eu vi um penmodem desses segurar 3 mega tranquilo. Logicamente que hoje em dia não é em qualquer lugar, mas isso eles vão resolver.

    Nós não temos opções de equipamentos ao nível que eles tem. Na melhor das hipóteses temos um 5.8 com algum recurso de TDMA para dar uma sobrevida. Mas não se enganem. É tanta gente colocando 5.8 que já há relatos de falta de canais. Vai acabar acontecendo o mesmo que em 2.4

    Especialmente com a quantidade de dinheiro que o BNDES está colocando no colo deles.
    Falando nisso, a OI tem processos de impostos atrazados em Goiás e deve ter em outros estados também.
    A GVT deve uma fortuna em impostos. Não deveriam estes estar no CADIN e no SERASA? E serem barrados de receberem emprésticos? Mas isso não acontece com eles. Continuam a receber vultuosas somas.

    Outro detalhe: São eles que detem o tráfego. NO momento em que resolverem não nos vender mais link, mesmo que a legislação diga que tem que vender, eles vão alegar viabilidade técnica e nos deixar na mão.

    Isso me preocupa. Mas enquanto isso vamos tocando o barco e procurando melhorar o serviço .

  4. #4

    Padrão Re: Investimento x Retorno

    É necessário estar antenado com as ações das grandes, porém o grande ponto positivo para os pequenos (insisto em dizer que não gosto de usar este termo) é o total descontentamento dos usuários de internet com o serviço oferecido em relação ao serviço entregue.
    Vi uma noticia a pouco dizendo que o governo irá aplicar uma grande quantia de dinheiro para a banda larga.
    Se lembrarmos que no próximo ano teremos uma Copa do Mundo e logo após uma Olimpíada o governo não está investindo e sim tentando corrigir uma das piores bandas largas do mundo.
    Este investimento na malha de internet é natural, nada que possamos imaginar que a qualidade de nossos serviços será padrão EUA ou que os valores cairão a preço de banana, apenas uma maquiagem, apenas mais um palanque construído para alguns políticos safos.
    Enquanto o governo planeja os pequenos entregam o serviço em um mercado em que a demanda só aumenta a cada dia, e melhor demanda reprimida.
    Um trabalho de pós-venda e um investimento correto somado com um planejamento de negócios irá garantir não só a sobrevivência dos pequenos mas também o crescimento.

    Um ótimo final de semana aos pequenos e grandes negócios a todos !!

    Alexandre Volpe
    Gerente Comercial- Tec-Wi Wireless



  5. #5

    Padrão Re: Investimento x Retorno

    Alexandre, você não deixa de ter razão
    Mas o que eu tenho observado é que os equipamentos a disposição dos provedores é tudo baseado em protocolo 802.11.

    Isso não foi feito para outdoor. Nós é que somos teimosos.
    Precisavamos de uma tecnologia que nos desse mais segurança.

    E não adianta falar em 5.8 pois já estão começando os relatos de problemas em 5.8 também. E além disso tem a questão do insumo que usamos, Link. Este na hora que as grandes quiserem, vão nos boicotar e com o aplauso do poder público.
    Nós é que promovemos a inclusaão digital, mas quem vai colher os frutos serão eles no futuro.

  6. #6

    Padrão Re: Investimento x Retorno

    É uma possibilidade remota que as grandes venham prejudicar os pequenos. Eles os grandes aceitam que não conseguem atingir este nicho de mercado que hoje soma mais de 2 milhões de usuários e cada dia cresce, e ao mesmo tempo eles precisam focar os investimentos nos grandes centros aonde a competição entre eles está muito acirrada.
    Quanto ao 5.8Ghz vou colocar neste post uma pessoa que vai poder nos auxiliar e muito neste quesito, quanto ao uso correto e quanto aos problemas apresentados.
    O que eu posso adiantar é que trabalhávamos até pouco tempo com equipamentos do tipo "Frankenstein", antena de um, pigtail de outro, conector de tal que no final das contas virava uma solução wi-fi outdoor.
    Esse cenário mudou, tanto que existe empresa grande se rendendo a linha wi-fi, em breve você terá empresas de nome que só vendiam licenciados, vendendo ou tentando vender 802.11.
    Quanto a colher frutos realmente temos que aceitar que aqui se dança conforme a musica dos grandes, mas nesse processo é possível crescer. Existem hoje muitos provedores que eu conheci a dois anos atrás no começo com pouquíssimos funcionários e hoje muito bem estruturados com ISO e tudo mais, e uma rede 90% wi-fi e 10% cabeada, um exemplo mas que é uma realidade.
    A questão do planejamento técnico e em especial o comercial possibilita isso, crescer dependendo exclusivamente da demanda reprimida é um risco, precisamos aprender a vender o nosso negócio.

    Um ótimo final de semana !!

    Alexandre Volpe



  7. #7

    Padrão Re: Investimento x Retorno

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Alexandre, você não deixa de ter razão
    Mas o que eu tenho observado é que os equipamentos a disposição dos provedores é tudo baseado em protocolo 802.11.

    Isso não foi feito para outdoor. Nós é que somos teimosos.
    Precisavamos de uma tecnologia que nos desse mais segurança.

    E não adianta falar em 5.8 pois já estão começando os relatos de problemas em 5.8 também. E além disso tem a questão do insumo que usamos, Link. Este na hora que as grandes quiserem, vão nos boicotar e com o aplauso do poder público.
    Nós é que promovemos a inclusaão digital, mas quem vai colher os frutos serão eles no futuro.
    Quem quer crescer vai para o cabo, fibra, quem tem SCM própria e pensa como "grande" vai evoluir...quem pensa como pequeno vai "SUMIR".

    Agora não adianta dizer que a por que as grandes vão dominar. Esquece esse papo de 3G 3G+ e 4G, muita teoria e nada funcionando, não tem estabilidade, unica coisa que serve é para abrir alguma pagina, jogos pode esquecer, trafego de voz pode esquecer...na teoria é uma maravilha.

    Fui chamado esta semana para atender uma região no qual é de alto padrão em Curitiba, lá tem diga-se de passagem umas 50 casas, eles tiveram em reunião com a OI que fornece telefone com eles lá, foi responsável da OI lá e ele foi bem claro "Não vamos investir aqui pois para nossa empresa não vale a pena, e não temos interesse em fazer algo aqui pois uma central nova e mão de obra vai custa pelo menos 250 mil".

    Agora eu pergunto, a OI não quer pelo menos 50 clientes, com isso eles vão perdendo, aqui fala em OI todo mundo corre, GVT está no mesmo caminho, a Net Virtua o pessoal reclama do serviço e de erros nas faturas, não sou eu que falo são clientes, amigos e pessoas que as vezes comentam com a gente, agora ficar fazendo previsão de que as grandes vão "engolir" os pequenos?

    Cliente QUER atenção, quer respeito, quer o serviço funcionando, quer ser atendido, não quer esperar 5 dias por um suporte igual a OI está fazendo aqui em Curitiba, 3 dias igual a GVT, faturas oscilando todo mês, a nova piada da vez é o 4G, na teoria é uma maravilha já na pratica, do que adianta a banda ser elevada e o tempo de resposta uma porcaria?

    Do que adianta dizer que por exemplo a TIM ou CLARO tem o 3G 3G+ ou 4G, exemplo litoral do Paraná, a Tim tem um link de 40 Mbit dedicado na base principal para TODO litoral do estado. A fibra deles tem la 200 Mbit para transporte, mas link mesmo 40Mbit.

    Não vamos se iludir mas tambem não vamos generalizar, o que vai cair é empresa sem organização.

  8. #8

    Padrão Re: Investimento x Retorno

    Concordo Joezaun. Planejamento e organização é fundamental.

    Mas por outro lado já li relatos de operadoras negarem aumento de capacidade de link , alegando não ter viabilidade técnica.
    Especialmente na região do nordeste li um caso onde a Embratel se negou. E depois foi lá e expandiu a rede.
    A legislação é clara neste quesito.
    As operadoras tem que fornecer a preços justos. Tá lá no regulamento
    Mas basta elas alegarem falta de viabilidade e pronto. Estamos fritos.

    Esta é a questão. Não podemos parar de investir, mas sempre com receio do que o futuro poderá nos aprontar. Todos sabemos que o jogo não é com regras claras e limpas. O que mais tem neste meio é falta de ética comercial.

    Se voce tem 50 mega e pede para aumentar para 100, 200 mega, eles abrem os olhos bem ligeiro e vão procurar eles atender a região. Nos tornamos tipo os "bandeirantes" do passado, abrindo caminho para o progresso "deles".

    Logicamente que iremos continuar a procurar nossos nichos, mas "toda calma e planejamento nesta hora é fundamental", senão podemos correr o risco de ficar com ativos nas mãos e sem insumos para supri-los.
    É quase aquele velho ditado: "se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.." Mas "vamo que vamo"



  9. #9

    Padrão Re: Investimento x Retorno

    Não vamos se iludir mas também não vamos generalizar, o que vai cair é empresa sem organização.

    Perfeito, resumiu em quase 100% o intuito da discussão ...

    Alexandre Volpe

  10. #10

    Padrão Re: Investimento x Retorno

    Eu moro no Peru mas a problemática é a mesma, as grandes, que aqui sao 2 (Telefónica e Claro) e fraçao, á que Nextel nao é tao competidora assim. O problema é o quase monopólio que a Telefónica tem, mas isso associado ao péssimo serviço da mesma, oferece possibilidades de tirar seus clientes, pois seus clientes já tem alergia a 20 anos de monopólio e renovados por mais 18.

    O jeito é ser organizado internamente, ser associado aos concorrentes e no caso de vocês, ir em cima do governo e pegar uma fatia dos 100 bi que serao entregados a Oi.



  11. #11

    Padrão Re: Investimento x Retorno

    100 bi que serão entregues apesar da mesma estar com vários processos de cobrança de impostos não recolhidos.

    Qualquer um que não pagar vai para o CADIN e daí a vida empresarial temina para o sujeito.
    Para eles ir para o CADIN até é premio, pois a Anatel está abrindo uma consulta pública para converter multas das teles em compromissos de investimentos. É como dar recursos a fundo perdido.

    Como dizia aquele quadro antigo do JÔ Soares, "assim não dá prá competir"

  12. #12

    Padrão Re: Investimento x Retorno

    Aqui tá parecido, a Telefónica deve 4 bi em impostos em moeda local e foi premiada com uma renovacao de concessao por 18 anos a troca de investir 3 bi em 18 anos. É mole?



  13. #13

    Padrão Re: Investimento x Retorno

    Bacana esse post ter ultrapassado fronteiras com o nosso amigo do Peru, a politica é a mesma, só muda o endereço.
    Realmente não dá para bater de frente com os grandes, é suicídio pois isso iria gerar um esforço absurdo que poderia com facilidade acabar com qualquer pequena empresa.
    Vendemos Tubaína aonde não vende Coca-Cola, é mais ou menos assim, e muita gente toma Tubaína muita gente mesmo. Então vamos ganhar dinheiro com Tubaína.
    Organizando o provedor, tecnicamente e comercialmente atendendo a demanda reprimida já se torna uma receita básica de sucesso.
    Atendendo a demanda e planejando ações ativas de vendas com segmentações de mercado é uma garantia de sucesso e sobrevivência.
    Não podemos viver esse medo das grandes, somos a pedra no sapato deles, pois sabemos atender o nosso cliente da forma que ele gostaria de ser atendido.
    Fazemos a lição de casa e com isso vi e vejo muita gente do zero se tornar verdadeiros empreendedores...

    Alexandre Volpe

  14. #14

    Padrão Re: Investimento x Retorno

    Eu acompanhei o post desde o início, recém tive tempo de comentar.

    Tem duas coisas que temos que nos fixar: demanda reprimida como o Volpe levantou e cobertura (aulas de economia).

    Teoricamente temos o mundo inteiro para atender, mas nao temos estrutura, nem cobertura, nem um montao de coisas, entao nos limitamos a uma pequena parcela, dentro dessa parcela atendemos a demanda reprimida.

    Eu to na luta para organizar interna e externamente meu provedor para poder crescer, pois sei que se colocar clientes na base atual é prejuízo, tenho que calcular o impacto que cada novo cliente vai gerar, se vendo, alugo ou empresto o equipamento e em quanto tempo recupero isso.

    Vocês ai no Brasil e que participam do under, porque nao se associam, independente dos outros? Acho que dá negócio e voc{es terao representatividade e forca para peitar a Anatel.



  15. #15

    Padrão Re: Investimento x Retorno

    Citação Postado originalmente por EribertoTorres Ver Post
    Eu acompanhei o post desde o início, recém tive tempo de comentar.

    Tem duas coisas que temos que nos fixar: demanda reprimida como o Volpe levantou e cobertura (aulas de economia).

    Teoricamente temos o mundo inteiro para atender, mas nao temos estrutura, nem cobertura, nem um montao de coisas, entao nos limitamos a uma pequena parcela, dentro dessa parcela atendemos a demanda reprimida.

    Eu to na luta para organizar interna e externamente meu provedor para poder crescer, pois sei que se colocar clientes na base atual é prejuízo, tenho que calcular o impacto que cada novo cliente vai gerar, se vendo, alugo ou empresto o equipamento e em quanto tempo recupero isso.

    Vocês ai no Brasil e que participam do under, porque nao se associam, independente dos outros? Acho que dá negócio e voc{es terao representatividade e forca para peitar a Anatel.

    Aproveitando o espaço...como é as normas ai para você no Peru? Licença e valores?

  16. #16

    Padrão Re: Investimento x Retorno

    Citação Postado originalmente por joezaum Ver Post
    Aproveitando o espaço...como é as normas ai para você no Peru? Licença e valores?
    Em alguns aspectos é mais fácil e mais barato, em outros é mais burocrático e caro.

    Aqui nao tem outorga SCM, tem direto SVA, só que hoje o governo (via MTC - Ministério de Transportes e Comunicaçoes), só libera o SVA (para internet e para outros serviços) se você tiver rede própria, o qual só é possível se você é uma empresa de Telecomunicaçoes.

    Ai começa a burocracia (e os custos), pois é "obrigado" a abrir uma empresa S.A., S.R.L (responsabilidade limitada), S.A.C. (anônima cerrada - fechada), ou S.A.A. (como é a Telefónica, essa é aberta). Você é "obrigado" a montar uma sociedade, pois se for abrir como empresário individual (aqui tem o empresário individual de responsabilidade limitada, novidade ai na Terra Brasilis), você tem que comprovar que ganha 36000 nuevos soles por ano, e ganhou isso nos últimos 3 anos, ou seja, ninguém abre EIRL em Telecom hoje.

    Reuniu os laranjas, digo sócios, junte a grana e constitua a empresa com pelo menos 10 UIT (unidade impositiva tributária, espécie de UFIR e similares). Nao vale constituir a empresa com objetos porque nao demonstra ao governo capacidade de investimento, que é o que eles querem: investimentos.

    Constituiu a empresa? Bora preencher formulários e fazer o perfil técnico para pedir uma Concessao em Telecomunicaçoes por 20 anos para explorar o serviço de Portador Local (aproveita e pede Comutado e nao Comutado, senao você nao tem saida a internet).
    Feito isso, ingresse a papelada e já tenha engatilhado uma empresa que vá lhe vender o serviço e deixe você revender o serviço. Assine o contrato e pague o link quando for instalado (sem poder vender).
    O Trâmite é grátis, mas conforme vai desenrolando, você paga S/. 900.00 por direito de publicaçao (para sair no Diário Oficial), paga duas publicaçoes por sua conta em jornal de circulaçao nacional, sendo um deles o Diário Oficial (El Peruano - fundado pelo libertador Símon Bolivar - deus do Chavez).
    Aprovaram tua concessao depois de várias observaçoes? Paga 1 UIT por direito de concessao ou 0.25% do investimento, se o valor for maior que uma UIT (1 UIT é mínimo. 1 UIT = S/. 3650.00).

    Pagou o direito? Já vai no banco e pede uma carta fiança no valor de 15% do investimento inicial (o dinheiro fica congelado até o governo devolver a carta fiança).

    Saiu a concessao, assinou o contrato, corre e pede o SVA - Internet (que é o que interessa), aqui é grátis e sai em uns 10 dias (se eles nao errarem o nome do interessado no serviço), saiu corre para o abraço e vende. Paralelo já manda o contrato para Osiptel (misto de Anatel) aprovar e te regular.

    Quer vender equipamentos? Outro registro como Casa comercializadora e mensalmente enviar relatórios, mesmo que nao vendas nada.

    Resumindo, o custo total (fora consultoria, advogado, contador, notário e engenheiro) é S/. 5500.00 mais ou menos.
    O engenheiro só assina, nao precisa ficar responsável. Cumpriu os requisitos, trabalha por 20 anos e mensalmente envia relatórios ao governo e paga os aportes (2% do total do faturamento bruto em venda de internet).

    Se você trabalha sozinho e começa do 0 como eu, sao meses de prejuìzo na certa, e semanas sem vender, só fazendo relatórios).

    Como a gente mencionou organizaçao, hoje eu cumpri parte dos meus deveres, paguei parte dos aportes que tenho que pagar (para um dos aportes preciso que um contador colegiado assine, e nao tenho nenhum conhecido), preenchi os formulários de venda que estavam pendentes, e amanha colocar a mulher para fazer fila e entregar tudo. Essa semana preciso levantar toda minha estrutura, ver o que investi, etc. É trabalhoso mas é uma aventura, porque uma vez com a vida em ordem, é sair tirando os clientes da Telefónica. Meu maior logro é um hotel, cliente que tinha um link dedicado com a Telefónica e agora tem o link comigo. Leva 4 Mbps e paga quase a mesma coisa. Reclamaçao 0 dos hóspedes, e de quebra, para levar o contrato, sou obrigado a manter a rede interna funcionando.

    É isso ai, bem resumido, aqui o custo é menor, mas você tem que projetar um investimento forte, eu mandei S/. 40000.00 e me olharam feio, tive que rebolar para eles aprovarem, ai no Brasil ao menos qualquer pé de chinelo pode montar provedor, pois o governo nao exige que você invista milhares de reais, coisa que aqui te exigem.



  17. #17

    Padrão Re: Investimento x Retorno

    Putz! me deu um suador só de ler tudo isso. É "quase" desanimador.
    Meus parabéns pela perseverança.

    Mas uma coisa eu já observei que aí leva vantagem. Aquele distribuidor que você postou o link noutro tópico, deu para ver que tem opção de respeito com relação a equipamentos.

    Sem querer ofender os distribuidores nacionais, mas só um exemplo. A linha da L-Com neste distribuidor é bem ampla.
    Aqui só o básico do básico.

  18. #18

    Padrão Re: Investimento x Retorno

    Valeu. Dá trabalho, mas depois que consegue é mais fácil. Para mim é punk porque trabalho só com a patroa, se tivesse empregado ou mais sócios facilitava, porque ai dividiriamos a tarefa.

    A DigitalStore dessa vez trouxe uma boa linha, normalmente eles trabalhavam muito com a Airlive/Ovislink, cujos produtos eu nao gosto. Essa linha da L-Com foi uma surpresa, e se tivesse um protocolo TDMA seria um PtP maravilhoso, o ruim é que no preço que veio nao vai sair e eles nao vao trazer mais. Aqui um distribuidor trouxe Deliberant (esses Intelbras que o povo adora) e nao teve saida, resultado, nao trouxeram mais.



  19. #19

    Padrão Re: Investimento x Retorno

    Bom dia pessoal. Creio que seja difícil para todos, mas não podemos desanimar. Uma estrutura enxuta não quer dizer que não podemos crescer, pelo contrário sustentabilidade se resume em não darmos um passo maior do que a perna.
    Outro ponto que achei perfeito é a colocação de um cliente corporativo que gera uma receita diferenciada.
    Precisamos ter dentro de nossa carteira uma porcentagem de clientes corporativos (de 10 a 20%), SoHo (20%) e pessoa física (60%) sendo clientes horizontais e se possível na sua maioria verticais pelo menor custo na instalação e maior taxa de adesão. Como conseguimos isso ? Através de PDVs, panfletagem, ações de baixo custo que mostram que estamos a disposição do mercado.
    Não adianta esperarmos clientes caírem do céu devido a demanda reprimida, estas vendas tem que ser consideradas como passivas e não ativas, e ativas apenas saindo a campo com vendedores comissionados.
    Outro detalhe que observo no planejamento é saber qual a taxa de penetração que tenho em determinado POP em relação a demanda. Se por exemplo tenho 200 casas que eu possa atender com aquele POP e hoje atendo 20, vamos gastar sola de sapato, telemarketing e aumentar pelo menos para 60, este POP já está pago, evita-se ficar expandindo e deixando grandes áreas de vendas abandonadas ao relento.
    Determinar uma % naquele POP para passarmos para a próxima ação de vendas é interessante também.
    Não quero aqui ensinar ninguém a trabalhar, apenas uso do fórum para passar várias experiencias que tive em provedores, seja pequeno, médio ou grande, espero realmente poder ajudar.

    Um grande dia a todos e ótimos negócios !!

    Volpe