Mas um CI da AO (O que mais queima em rocket quando tem alta tensão, aquele CI de solda BGA de 5x5mm) é fabricado por diversas empresas, um bom lucro pro desenvolvedor é cobrar royalties pra concorrentes que fazem seus componentes, trocar de fabricante não resolve, tem que trocar de modelo de componente, que significa trocar projeto completamente.
"Fabrica" não quer dizer muito, da mesma fabrica saem modelos de CI's bons e vagabundos pra DETERMINADO USO, saem componentes pra notebook lixo da Philco e pra Dell XPS, a grande diferença nos produtos é projeto, não apenas marca de componentes.
(Um mosfet de 8A não devia ser usado onde a corrente circulando em pico chega a 5A, mas a Philco usa coisa assim em projetos. A UBNT não tropeça nesses erros basicos, mas usa componentes na entrada (Lan e alimentação) que não suportam muita ESD, o que não é necessariamente um problema, porque a diferença no preço seria muito grande se ela se preocupasse muito com isso)

A UBNT usa CI's da AO desde os primeiros Bullets, provavelmente questão de preço mesmo, pelo preço de um Rocket ela vendia XR2 e XR5 a uns anos, produtos que usavam componentes de marcas como ST, de primeiro mundo (Olha o tamanho de um XR5, compara com um produto com placa, antena e caixa como NS, ou placa, conectores e caixa tipo Rocket). Se Rocket tivesse apenas componentes de marcas de alto renome custaria provavelmente o dobro, não ia vender.

No lançamento dos cartões XR e SR lembro que a propaganda era o suporte a altas tensões, tipo 14KV, na etapa de RF. Lembro de muita gente comentando que ia comprar por isso, e não por qualquer melhoria de desempenho, e o cartão era beeeeem mais caro que outras soluções. Hoje parece que os provedores não estão escolhendo pela durabilidade, estão se escravizando com tecnologias escrotas como AirMax (Agora com airPrism) e ficando sem possibilidade de sequer TESTAR nas suas redes outros fabricantes, a UBNT acaba conquistando os clientes não como Menelau conquistou o coração de Helena, mas como Esparta conquistou Troia: Com escravidão (E não é culpa da UBNT...).