Página 3 de 8 PrimeiroPrimeiro 1234567 ... ÚltimoÚltimo
+ Responder ao Tópico



  1. Obrigado por responderem.

    Citação Postado originalmente por rubem Ver Post
    Amplificador é meio caro, acho que vale mais a pena fazer isso de usar cabo multi-lambda e quando o primeiro cabo (Ou par) ficar com sinal deteriorado demais você simplesmente o corta e passa a usar outro daquele trecho em diante.
    Por quantas vezes você calcula que dá para "splittar" uma fibra até ela ficar com sinal deteriorado?
    Quando são usados splitters balanceados (divisão igual de sinal) e não balanceados?

    Citação Postado originalmente por rubem Ver Post
    mas pra provedor que vai usar 2 ou 3Km de rede ao todo um amplificador sai o preço da diferença 2 lambdas>6 lambdas.
    Pelos cálculos que fiz, se eu for atender todas regiões que eu planejo aqui, a fibra principal vai ter quase 7km. Nessa distância ainda sai mais barato o esquema das lambdas?

    Outra coisa: você falou até agora em dividir a fibra apenas para levar até o cliente. Mas e quando em um determinado ponto a rede precisa fazer uma ramificação para outro lado? Tem que trazer as fibras dessa ramificação separadas desde a OLT?

    Citação Postado originalmente por rubem Ver Post
    Na verdade RB11000 duvivo que suporte tanto trafego, teria que ser algo tipo CCR1036 ou melhor. O custo aumenta, mas de qualquer forma fica bem menor que switch com portas SFP.
    Melhor que CCR, com o RouterOS atual (v6), está fácil.

    Citação Postado originalmente por marcioelias Ver Post
    O processo é bastante simples, existe um LXA e um LXB, a premissa básica é que vc use sempre estes 2 modelos para fechar um enlace. O tipo de fibra é monomodo e funciona com uma única fibra (SIMPLEX) usando o conectores SC/UPC.
    Por que não conectores APC? Eles têm um contato melhor...

    Citação Postado originalmente por marcioelias Ver Post
    Para cada fibra que vc interliga a uma porta da sua OLT, vc usa passivos conhecidos como splitters que dividem a luz, ou seja, liga uma fibra vindo da OLT e saem 2, ou 4, ou 8, ou 16 ou até 32. O mais comum a ser utilizado é o emprego de 2 níveis de esplitagem, aqui usamos assim, saindo da OLT cada fibra é ligada a um splitter 1:8 (uma entrada 8 saidas) o qual chamamos de splitter de primeiro nível. Cada saída desse splitter se liga a outro splitter de 1:8 chamado de splitter de 2 nível, e por sua vez, em cada saída desse splitter de 2 nível levamos uma fibra até uma casa de um cliente.
    A que distância consegue chegar fazendo esse esquema aí? Até onde 1/8 do sinal original chega?
    Desse jeito aí, o cliente final só tem 1/16 do sinal original. Isso não interfere na banda que poderá passar não?

  2. Excelente explicação.
    Vcs decidiu usar qual EPON ou GEPON?
    Preparar o bolso, vc tem ideia de custo por km? vou ver se acho custo de KM tb em cabo de rede, desde já obrigado.



  3. Citação Postado originalmente por TsouzaR Ver Post
    Obrigado por responderem.
    Por quantas vezes você calcula que dá para "splittar" uma fibra até ela ficar com sinal deteriorado?
    A conta é: Ganho do SPF da OLT - Perdas por spliter - perdas por fusão - perdas por conectorização - perda por km de fibra. O resultado tem que ser menor que a sensibilidade da ONU, considerando alguns db como contingência, considerando ainda que em tese, vc pode colocar 64 ONUs por porta de OLT.

    Citação Postado originalmente por TsouzaR Ver Post
    Quando são usados splitters balanceados (divisão igual de sinal) e não balanceados?
    Balanceados são de uso mais comum para divisão de sinal normal, desbalanceados normalmente quando vc precisa atender um cliente mais próximo, e continuar com a rede. Neste caso a saida com mais perda fica para o cliente e a com menor perda vc usa para dar continuidade a rede.

    Citação Postado originalmente por TsouzaR Ver Post
    Pelos cálculos que fiz, se eu for atender todas regiões que eu planejo aqui, a fibra principal vai ter quase 7km. Nessa distância ainda sai mais barato o esquema das lambdas?
    Não entendi. Fibra para casa do cliente é caro, mais é FTTH, de outra forma é mais caro ainda.

    Citação Postado originalmente por TsouzaR Ver Post
    Outra coisa: você falou até agora em dividir a fibra apenas para levar até o cliente. Mas e quando em um determinado ponto a rede precisa fazer uma ramificação para outro lado? Tem que trazer as fibras dessa ramificação separadas desde a OLT?
    Que tipo de ramificação? Se vc precisar de um PTP não pode usar a fibra que está na OLT, tem que usar uma fibra apagada (sem uso).

    Citação Postado originalmente por TsouzaR Ver Post
    Melhor que CCR, com o RouterOS atual (v6), está fácil.
    ...

    Citação Postado originalmente por TsouzaR Ver Post
    Por que não conectores APC? Eles têm um contato melhor...
    Juntando essa citação com a anterior, por que não usar Cisco ao invés de Mikrotik? Como sua rede não é de backbone, apenas atendimento a cliente, o custo do Cisco é muito elevado. Da mesma forma o APC tem um custo mais elevado, e vc precisa dele somente se for injetar sinal RF de TV para os clientes usando IPTV, caso contrário, SC/UPC da conta muito bem do recado e tem um custo mais acessível. Assim que colocar no papel seu projeto, vai querer economizar até em fita isolante, acredite.

    Citação Postado originalmente por TsouzaR Ver Post
    A que distância consegue chegar fazendo esse esquema aí? Até onde 1/8 do sinal original chega?
    Existem SFP para até 120Km, massss a OLT normalmente atende até 20Km, até por que todas as ONUs (pelo menos as que conheço tem a mesma limitação), porém vc sempre deve levar em consideração a perda na chegada no cliente para ser compatível com a sensibilidade da ONU.

    Citação Postado originalmente por TsouzaR Ver Post
    Desse jeito aí, o cliente final só tem 1/16 do sinal original. Isso não interfere na banda que poderá passar não?
    Partindo da OLT, até o cliente, cada porta GPON tem capacidade de 2.5Gbps de down por 1.25 de Up, esse valor é dividido por todos os clientes, ou seja, no máximo dividido por 64. No caso do GePON 1.25Gbps de down por 1.25 de up. Porém o sinal original em alguns casos nem permite a comunicação da ONU com a OLT, precisa existir uma certa perda para que haja comunicação, o importante é chegar até o cliente com a perda abaixo da sensibilidade da ONU.

    Mais uma vez, te aconselho fortemente a participar de um curso de FTTx, existem diversos hoje para ter uma ideia da dimensão disso.

    Aqui ainda nem falamos em compartilhamento de postes, custos de ativos, passivos, ferragens. Estimo que para atender 512 clientes, seu custo será superior a 100.000 reais, fora o custo mensal de compartilhamento de postes...

  4. Citação Postado originalmente por marcioelias Ver Post
    Não entendi. Fibra para casa do cliente é caro, mais é FTTH, de outra forma é mais caro ainda.
    A comparação que fiz é entre usar várias lambdas ou uma única com amplificador. Segundo rubem, em 2 ou 3km ainda sai mais barato o esquema das lambdas, por isso perguntei se em 7km isso muda.


    Citação Postado originalmente por marcioelias Ver Post
    Que tipo de ramificação? Se vc precisar de um PTP não pode usar a fibra que está na OLT, tem que usar uma fibra apagada (sem uso).
    O que eu quis dizer é: suponhamos que haja o cabo com as fibras principais atravessando a cidade. Em um determinado ponto se faz preciso estender esse cabo para um outro lado para atender clientes de outra região, ex:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         ramificação-fibra.jpg
Visualizações:	289
Tamanho: 	42,5 KB
ID:      	54196
    No ponto circulado em vermelho eu usaria splitters para dividir as fibras do cabo principal em 2, ou teria que passar um cabo separado para essa ramificação desde a OLT?


    Citação Postado originalmente por marcioelias Ver Post
    Juntando essa citação com a anterior, por que não usar Cisco ao invés de Mikrotik? Como sua rede não é de backbone, apenas atendimento a cliente, o custo do Cisco é muito elevado.
    Se for para adentrar na questão do roteador a usar, vamos colocar o Edge Router na conversa, hehe.

    Citação Postado originalmente por marcioelias Ver Post
    Partindo da OLT, até o cliente, cada porta GPON tem capacidade de 2.5Gbps de down por 1.25 de Up, esse valor é dividido por todos os clientes, ou seja, no máximo dividido por 64. No caso do GePON 1.25Gbps de down por 1.25 de up. Porém o sinal original em alguns casos nem permite a comunicação da ONU com a OLT, precisa existir uma certa perda para que haja comunicação, o importante é chegar até o cliente com a perda abaixo da sensibilidade da ONU.
    Como é que calcula essa perda? Depois que já tiver puxado a fibra até o cliente? Aí, se tiver alta de mais tem que ir lá e "splittar" outra lambda... ou tem como saber como está a perda antes de fazer a "splittagem"?

    Citação Postado originalmente por marcioelias Ver Post
    Mais uma vez, te aconselho fortemente a participar de um curso de FTTx, existem diversos hoje para ter uma ideia da dimensão disso.
    O método de ensino por meio de cursos é ineficiente comigo, prefiro o autodidatismo. Já li bastante sobre isso no site da Teleco e em alguns outros, minhas dúvidas estão mais na aplicação, na prática, em detalhes como esses dos cabos que deram início ao tópico.

    Citação Postado originalmente por marcioelias Ver Post
    Aqui ainda nem falamos em compartilhamento de postes, custos de ativos, passivos, ferragens. Estimo que para atender 512 clientes, seu custo será superior a 100.000 reais, fora o custo mensal de compartilhamento de postes...
    Alguns pontos aí eu já discuti em outros tópicos meus e acompanhei em outros.
    Dá para começar devagar, atendendo um bairro, depois outro... ADSL, fibra multimodo, etc. Só o hipe de dizer que é fibra já contribui bastante para o crescimento, aqui atualmente só existe Velox e provedores wireless (que estão todos um lixo só).

    Por enquanto, embora tenha várias vantagens, estou achando as redes ópticas muito arcaicas, semelhante à época do coaxial, com barramento (não exatamente, mas bem semelhante, ligando direto no cabo ao invés de concentrador), remenda de cabos, etc.
    O que acontece, por exemplo, se dividir o cabo (com splitter) para um cliente e um dia ele decidir cancelar a assinatura? Vai ficar o cabo solto lá à toa? Um splitter servindo de nada além de gerar perdas?

    Redes UTP, embora tenham problemas com queimas, limitações de velocidade e distância, são bem mais modernas e práticas, você só leva um cabo até o cliente e pluga no switch do ponto. Com fibra óptica deve levar uns 10 anos ainda para ficar assim, e aí as redes atuais vão ser tão antiquadas quanto as que usavam coaxial décadas atrás.



  5. Sobre atender rede longa, que tem trajeto sem clientes, pode usar mux e demux pra juntar e depois separar varias fibras.

    Digamos que no bairro A está o provedor, tem 4Km de rede nele, no bairro B teria mais 4Km, mas o bairro B fica a 2Km de distancia. Usar cabo de muitas vias sai caro, melhor colocar um MUX juntando as, digamos, 12 fibras em 1 par, usar apenas cabo duplo por esses 2Km, e então usar um DEMUX pra separar denovo em 12 fibras.

    Assim como existe rede ethernet certificada e rede ethernet mambembe feita com switch Intelbras domestico 8P em poste, existem opções de usar fibra com soluções beeeeeem mais baratas, ignorando filtros, usando splitter simples como T ( http://www.jfopt.com/jf-214.html , acho que já ví deles na Cianet) e colocando você mesmo os conectores e emenda (Tem splitter já com conector, mas são mais caros, te obrigam a usar emenda caaaaara, e não necessariamente a perda é muito menor que com emenda simples), usa atenuador ou faz atenuação manual (Dobrando cabo) nos clientes proximos, enfim, tem como baratear muuuuito o custo em T's e clientes (Usando conversores de fibra pra lan, especialmente).


    Aqui tem muito agronegocio, galpões e silos metalicos enormes, opções via RF não funcionam (150Mbps de noite, 1Mbps de dia), rede ethernet tem problema de distancia (E silo de 100x300m é NORMAL, só esse ano inauguraram 3 desse tamanho aqui, cidade com 20 mil hab., imagina os numeros no país todo) e com raios (Solo arenoso, e estrutura de 100x300m, com 50m de altura, fica difícil não ter raio e não queimar uma porta ethernet a cada chuva), então a solução interna é fibra, nunca botava fé nesses adaptadores ethernet baratos até que vendi uns de R$ 69 pra essa finalidade, coisa simples, fontezinha 12V 1A, adaptador direto na fibra e no PC via ethernet, no outro lado outro adaptador direto no switch gerenciado, nalguns lugares um splitter simples, e a coisa vai muito bem, cameras fullHD vendo nível de sementes, equipamento que verifica temperatura e velocidade de ventilador além de camera em cada ventilador (Em camera VGA não se vê nada), bandas enormes tipo 20Mbps por camera 24x7, as vezes 3 ou 4 cameras e mais um equipamento num adaptador ethernet pra fibra gerando realmente 80Mbps de trafego constante, e esses adaptadores porcaria, com splitters porcaria, com emendas das mais baratas, resolvem o problema sem muita manutenção (Só RJ45 e cabo ethernet que dá problema, na verdade). Custo alto de implementação? Mais alto que ethernet, mas se mantendo em bandas baixa (Gigabit) dá pra usar conector de atenuação preocupante, dá pra usar emenda logo depois de splitter (O alcance cai de 20Km pra 5Km, mas isso é uma rede grande, imagina o custo disso com ethernet!).

    Eu defendo ftth com equipamento comum porque vejo isso nos armazens de multinacionais aqui com isso, rede da operadora via fibra chega no poste da frente, alguém vai lá e capricha no splitter, põe tudo bonitinho, cobra R$ 10 mil pra isso, mas no mes seguinte um caminhão acerta o fio e surgem logo as 2 emendas, depois 4 emendas, aí alguém resolve trocar o cabo e colocar subterraneo, colocar o conversor interno em qualquer canto empoeirado, sempre passa alguém e chuta ele pro lado, enfim, é ambiente muuuuuuuito pior que residencia (Não é por ser multinacional tipo Bunge ou Cargill que terão peões educados, fio incomodando? Mete o alicate e arranca daqui. Ops, tem que colocar de volta? Usa a emenda mais barata). Enfim, fibra com equip. barato vive bem nesse ambiente desleixado, melhor que ethernet! A rede da operadora cada vez é mechida por um terceirizado diferente, ninguem sabe direito quantas emendas tem, mas nunca dá problema fora os cabos arrancados.

    (Problema de amplificador, ou usar conversor ethernet como amplificador, é cair no problema da energia, do nobreak, que ethernet teria. Defendo o uso de cabo multi-lambda por isso, se um estiver atenuado demais você, mesmo estando num poste, não tem energia facil pra fazer amplificação, acho mais barato ter uma fibra limpa, sem emenda ou T até aquele ponto, e passar a "atenua-la" somente de certo ponto em diante, porque afinal os cabos multi-vias hoje estão com preços proximos, de 2 pra 4, ou de 4 pra 6 vias a diferença por metro é pequena, por quilometro fica considerável mas é uma sobressaliencia que te garante um bom futuro.
    (Exceto se surgir switch ethernet gigabit long rech (500m, 2Km) por R$ 50, porque se depender de 802.11AC e seus canais de 80MHz poluindo tudo, suspeito que terá poucas alternativas pra grandes bandas no futuro).






Tópicos Similares

  1. Samba como PDC com varias interfaces e windows 98
    Por Trevão no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 2
    Último Post: 21-06-2005, 15:10
  2. Como fazer proxy transparente com ipchains
    Por linuxfull no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 4
    Último Post: 26-03-2004, 15:11
  3. Respostas: 2
    Último Post: 10-01-2003, 09:36
  4. como bloquear certos ips com iptables ???//
    Por MAJOR no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 2
    Último Post: 20-11-2002, 08:19
  5. Como enviar um email com um arquivo anexo?
    Por OsvaldoCruz no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 2
    Último Post: 19-11-2002, 08:19

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L