Página 4 de 17 PrimeiroPrimeiro 123456789 ... ÚltimoÚltimo
+ Responder ao Tópico

  1. Citação Postado originalmente por Arthur Bernardes Ver Post
    @rubem, interessante falar em ACK.

    No AP PTMP eu coloco o "distance" considerando o cliente mais distante, certo?

    E no caso do "station", eu coloco a distância do cliente da torre?
    Pode usar ACK time até maior que a distancia do cliente distante, é outra forma de contornar problemas de visada/zona de fresnel usar ack maior na torre.

    Eu testei ack time gigante tipo 140uS sem ver diminuição no thourghput ou demora em ping, perdi o medo de usar valores bem mais altos que devia.


    Citação Postado originalmente por JonasMT Ver Post
    Li e re li 2x, fiz uns teste aqui

    Ap rocket m5 mcs fixo em 7 depois baxei para 3

    Cliente airgrid m5 mcs fixo em 0 "plano de 600k"

    Tive uma pequena melhora no ccq no mais nao ouve ganho no nivel do sinal que com tudo auto era -65 continuo assim mesmo apos as modificaçoes
    A sensibilidade muda, mas o nível de sinal chegando vai ser o mesmo, só ia mudar se aumentasse a potencia do outro lado, o problema está em placa tipo R52nm que tem potencia em MCS14 beeeem baixa tipo 14dBm enquanto em MCS1 ou 9 tem 20dBm, aí sim muda muito o sinal. Em Rocket e cia você podia usar 22dBm de MCS0 a MCS15, aí não faz diferença mesmo, faria diferença se eles tivessem potencia muito menor em MCS15 (Acho que é 23dBm em MCS7 e 15 nos Rocket, algum UBNT tem 20dBm em MCS7 e 15, eu só sou feliz com 22dBm por aqui, aí sim ia incomodar cais 2dBm por usar MCS maior).

    Baixando a sensibilidade (De digamos -80 pra -85) muda o SNR porque reduz o limiar inferior de sinal. Tem o termo fade margin, a quantidade de sinal presente mas tão baixo que o radio não consegue ler (O mixer e o demodulador não conseguem discernir os pacotes), o noise floor geralmente é isso, vira ruído porque tem tanto pacote ilegível que a etapa de RF vê que tem algo mas não consegue identificar o que é (Identifica como ruído, mas são conexões proximas e reflexos), dependendo da antena você tem noise floor tipo -92, trocando antena passa pra -94, mudando os MCS isso varia um pouco também, mas tem um "approach" diferente no noise floor por parte da MK e da UBNT, você tem noise floor tipo -116 em SXT e no mesmo lugar um NS M5 apresenta noise floor tipo -98, acredito que o SXT tem um numero bem realista e a UBNT põe o fade margin na conta e só exibe o sinal acima do qual ela consegue realmente identificar os pacotes.

    Enfim, nem sempre vai mudar SNR em UBNT ao alterar os MCS, mas em MK o noise floor muda mais, dá pra ver mais facilmente a sensibilidade variando, mas a diferença está na estabilidade em caso de sinal ruim, sinal ruim variar PERCENTUALMENTE mais o SNR, digo, SNR variando de digamos 28 a 32 não causa perda de pacotes, mas se o SNR estiver no mínimo aceitavel, 20, e variar pra 16 quando o sol ficar forte, aí sim teríamos muita perda de pacotes. Um MCS menor permitiria sinal menor sem perder pacotes, mas onde tem sinal alto e que nunca varia realmente não acho que faça tanta diferença, só reduziria o processamento no radio da torre, e em radio mais parudo o processamento nem sempre falta.

    Eu tinha a rede em B com CCQ variando, 78%, 64%, as vezes caindo pra 48%, raramente tinha cliente com CCQ de 80%, como notei que todos os clientes naquela torre tinham equip. com suporte a N coloquei 2 setoriais em N e fui transferir uns clientes, testei primeiro MCS0, de 11M pra 13,5M devia ser suficiente, vai ví que dava pra subir até MCS5, deixei em MCS5 então, só que conforme fui acrescentando clientes o CCQ voltou a cair, 92%, 84%, 78%, era uma melhora, mas antes de sair melhorando os sinais (-64 a -74) experimentei MCS4 e 3, não tive CCQ menor que 92% com MCS3, deixei nisso. Alteração nos clientes foi apenas mudar de modo B pra N e fixar a velocidade em 13,5M (Sempre fiz comodato, equipamento simples). Provavelmente então com sinal mais que suficiente tipo -65 não faça muita diferença, com -74 ví muita diferença na estabilidade e no CCQ. Hoje limito o sinal dos clientes em -64, notei que quando um ou outro cliente com algo tipo -51 conecta o CCQ de quase todos caía, era queda igual se conectasse um ou 2 com sinal -80. Não testei subir o sinal de todos porque não tem como, o jeito foi baixar o de quem está proximo, criou estabilidade do mesmo jeito, mas com sinal baixo "só MCS baixo salva" :-)

  2. Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         10590579_722805604434987_8036150951226464274_n.jpg
Visualizações:	549
Tamanho: 	85,8 KB
ID:      	54990

    Imagem de um SuperPOP com Basebox 5, ele disse estar setando MCS 11 e 12 tanto no AP e nos clientes.

    Veja o "tx/rx rate" e o CCQ.



  3. Essa 912 é uma cavala ta doido.

    Entendi rubem obrigado.

    Uma coisa ruim se tiver radio 1x1 e 2x2 no mesmo ap, mesmo setando mcs 7 e 12 os radios 1x1 nao conectao mais. E necessario apenas mcs7 para baixo no Ap. Teste feito em omnitik com cliente airgrid/nano e sxt.

    Show essa screen em Arthur ele esta usanod nv2?

  4. Sim, com NV2. Foto linda.

  5. Citação Postado originalmente por Arthur Bernardes Ver Post
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         10590579_722805604434987_8036150951226464274_n.jpg
Visualizações:	549
Tamanho: 	85,8 KB
ID:      	54990

    Imagem de um SuperPOP com Basebox 5, ele disse estar setando MCS 11 e 12 tanto no AP e nos clientes.

    Veja o "tx/rx rate" e o CCQ.
    Ô coisa linda, tudo equalizado, nem 10dB de diferença de sinal entre os clientes, SNR lindo.

    Eu não ia resistir e ia instalar uns clientes mais distantes com sinal -70, o bolso fala mais alto :-)






Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L