Página 8 de 17 PrimeiroPrimeiro ... 345678910111213 ... ÚltimoÚltimo
+ Responder ao Tópico

  1. Isso isso isso, insisto que 10MHz é gambiarra porque não está no padrão 802.11n de 2009.
    Tem chipset que não aceita canal de 5MHz em N, tem uns que aceitam, com 10MHz não é diferente, eu até tentei usar 10MHz, mas parece que nenhuma CPE barata não tem mais suporte a isso (NS, SXT e Airgrid não tem nada de baratas).

    A melhoria que 10MHz traz com relação a 20MHz é uns 10dB a mais de sensibilidade, ao trocar MCS7 por MCS5 geralmente muda algo proximo dos 10dB de sensibilidade. Canal mais estreito perde o que? Perde capacidade. Diminuir o MCS diminui o datarate em 20%, diminuir a largura do canal diminui o datarate em 50%!

    Exemplo:
    Um NS Loco M5
    - Sensibilidade de -74 em canal de 20MHz em MCS7. Datarate de 65M
    - Sensibilidade de -86 em canal de 20MHz em MCS4. Datarate de 39M
    São 12dB de diferença na sensibilidade, são 40% a menos no datarate (65 - 40% = 39).

    - Sensibilidade de -74 em canal de 20MHz em MCS7. Datarate de 65M
    - Sensibilidade de -84 em canal de 10MHz em MCS7. Datarate de 32,5M
    São só 10dB de diferença na sensibilidade, são 50% a menos no datarate (65 / 2 = 32,5) porque você usa metade da frequencia, metade das portadoras.

    O datarate e o throughput não tem relação exata, mas datarate maior implica througput maior quando tem sinal suficiente.

    Nesse caso, melhor reduzir o MCS ou melhor usar canal mais estreito?


    O datasheet nem sempre informa, mas praticamente em todo datasheet que informa a diferença de sensibilidade de 5 pora 10MHz informa que é de 10dB, de 10 pra 20MHz mais 10dB, de 20 pra 40MHz mais 10dB. A pouca variação que ví foi 9 ou 11dB em um ou outro equipamento, tomo como universal os 10dB a mais de sensibilidade ao usar canal com metade da largura.

    O throughput com canal mais estreito será menor (Se tiver sinal suficientemente limpo) que a metade porque com mais pacotes você desperdiça mais espaço útil em cabeçalho de pacote, acho que chamam de mac overhead. Algo assim: Em MCS7, 20MHz, você tem 64 portadoras, cada portadora leva um trafego X por segundo, cortando o canal pela metade, passando pra 10MHz, o numero de portadoras cai pela metade (Apesar de tanto material na web não consigo confirmar essa info, de 20 pra 40MHz (O padrão) o numero de portadoras dobra, em A/G de 5, 10 e 20MHz o numero de portadoras tambem dobra quando dobra a largura do canal, só posso presumir que de 20 pra 10MHz em N a portadoras são cortadas pela metade), cada portadora vai usar os mesmo 135,7KHz de largura, cada portadora vai levar o mesmo numero de bits (Se usar a mesma modulação no comparativo), ou seja, com metade das portadoras terá metade do trafego, pra transmitir os mesmos dados (O mesmo 2MB de um upload, por exemplo) você vai precisar simplesmente mais pacotes, cada rajada de pacotes informa destino e cia no cabeçalho, o espaço ocupado por dados de destino e origem, de modulação/datarate usados, de largura de canal e cia, é tanto que quando você muda o intervalo de guarda (GI) de 800 pra 400nS (Diminui 50%!) o datarate sobe 11%. Também entra a quebra de pacotes, com mais mac overhead você tem que quebrar os pacotes em partes cada vez menores, SE ocorrer erro de 1 portadora esse erro pode comprometer partes quebradas que já chegaram no roteador de destino na rajada anterior, vai ocupar memoria por mais tempo, então a capacidade de ter mais clientes trafegando dados simultaneamente cai.

    Claro que isso é uma analise bem resumida/porca, cada caso é um caso, mas a tendência de canais mais largos tem a intenção de aproveitar melhor o espectro, na verdade a diferença de 10 pra 20MHz deve ser mais de 100% de aumento no datarate, já que de 20 pra 40MHz em N, ou de 40 pra 80, ou de 80 pra 160 em AC, o aumento é de uns 107% na verdade, ou seja, ao comparar 10MHz (802.11n não padrão) com 80MHz (802.11AC) você passa por: 3,25M em 10MHz, 6,5M em 20MHz, 13,5M em 40MHz e 29,3M em 80MHz, enquanto se não houvesse economia no cabeçalho seria 6,5, 13 e 26M, a melhoria é de mais de 12%.

    Eu entederia se estivesse usando MCS6 ou 7 com canal de 10MHz pra ter um PTP mais estável com sinal ruim ou coisa assim, afinal com mais portadoras (32 em MCS6 ou 7 em 10MHz, comparado a 16 em MCS3 em 20MHz) você consegue datarate melhor e mais throughput real, mas deixar no modo auto com multiplas modulações possíveis em 10MHz não dá lucro, vai pular entre modulações de 32, 8 ou 4 portadoras, vai "ocupar" o espectro e o hardware com datarates dignos de 802.11A ou G.

    Channel overlapping é um problema? Num lixinho de 2002 tipo RTL8186 sim, num chipset de 2012 ou 2013 isso não é mais problema, o mixer e o ADC terão muitos pacotes pra lidar de qualquer forma, se ele tem que analisar sinal com 6dB de resolução ou com 20dB dá na mesma, então um segundo SSID com sinal -70 por perto incomoda tanto quanto um overlap do canal vizinho em algumas portadoras. Colocando um profile de 10MHz talvez tenha gente que se engane com o scan, como não escaneia praticamente nenhum SSID com canal tão estreito talvez ache que isso isola de alguma forma os outros SSID's, mas parece que isso não confere, pelo visto os mixers e ADC's processam tudo pra só depois separar, ou seja, um canal vizinho de 20MHz ou de 10MHz vai entrar junto no mixer de qualquer forma, o noise floor não comtemplará ele, o nível de sinal não mudará (Logo o SNR também não muda) mas o throughput (Ou o CCQ) não melhora tanto.

    Deve ter chipset com suporte a N com canal de 5MHz, uns 1,6M de datarate em MCS0 provavelmente (Ví isso alguma vez, não lembro onde). Qual a sensibilidade disso? Uns -116dB, é o que os MK em geral mostram como noise floor. Opa, então o noise floor exibido não é o limiar inferior da sensibilidade da modulação usada? Nops, a sensibilidade da modulação e largura de canal está só no datasheet (Nem em todos infelizmente), e me parece que tem gente que não leva esse dado a serio. Se a sensibilidade em MCS7 com canal de 20MHz é de -74 num NS Loco M5, e precisa uns 25dB de SNR, que sinal precisaria? -49! Putz, um NS Loco com sinal -49 tem que estar meio colado na torre né! Se o sinal é apenas -60 isso dá só 14dB de SNR, aí o CCQ fica baixo, imagino que uns 75-80%. Ao cortar o canal pra 10MHz o CCQ sobe pra quase 100%. Porque? Oras, a sensibilidade subiu de -74 pra -84, o SNR de 14dB subiu então pra 24dB. Mas... e o throughput geral? MCS7 em 10MHz dá 32,5M de datarate, chutemos 25Mbps de throughput (Já que ter 50Mbps em MCS7 com canal de 20MHz é possível). Mas... e se tivesse baixado pra MCS4? A sensibilidade seria -86, melhor que -84, datarate de 39M com canal de 20MHz, e em MCS4 dá pra conseguir 30Mbps. São só 5Mbps de throughput, mas em rede grande isso significa poder atender 5 a 10 clientes a mais sem que o CCQ de todos caia demais, isso dá uma bela diferença no bolso.


    Quem é feliz com 10MHz continue usando, não tem problema de espectro nem nada, mas essa é a motivação pra eu chamar isso de gambiarra, isso não está no padrão (E nem é suportado pelos chipsets e firmwares comuns) porque aproveita mal o espectro, canal mais largo gera mais channel overlapping mas os chipsets e S.O. de hoje sabem lidar muito bem com isso, digo, não perdemos mais muito troughput por isso (Comparado ao channel overlapping em 802.11G em chipset lixo de 2002).

    802.11AC não está nem aí pra sobreposição de canal porque os chipsets não estão nem aí pro aumento de processamento que isso gera, eles estão com tudo no modo auto (Não tem mais seleção de modulação ou largura de canal em alguns) porque confiam muito na propria capacidade de processamento, e dá pra entender, lidar com 256 portadoras (MCS8 e 9 em AC) de uma conexão única não é pra qualquer um, o processamento MÍNIMO pra AC é um patamar muito superior do habitual de chipsets N.


  2.    Publicidade


  3. Como é agradável ler um tópico assim!

    @rubem , algumas duvidas:

    1. Por qual motivo o cliente com sinal muito alto irá reduzir o ccq dos demais conectados na base?
    2. Em caso onde se pode escolher configuração de modulação até somente certo ponto, tipo UBNT (MAX TX rate), é importante para o AP que todos os clientes estejam nivelados ou ele consegue lidar com MCS 8, 9, 10, 15, tudo junto? (sem denigrir capacidade e qualidade)
    3. Um cliente que não consegue modular ao máximo mesmo com sinal dentro do padrão, ocupando mais tempo no ar por estar em AUTO devido ás varias tentativas, força os demais clientes à caírem em nível de modulação? Nesta questão vale considerar RX/TX, imaginando que o AP analisado seja misto 802.11a/n

  4. Cliente com sinal alto acho que só é problema no modo AUTO, ele vai ter sinal suficiente pra digamos MCS7 e os outros só pra MCS3, mas o software nem sempre é inteligente o suficiente pra separar as conexões, ele acaba respondendo em datarate alto pra cliente com sinal baixo, e precisa repetir o envio usando datarate menor até "aprender" o datarate correto, mas é só o cliente de sinal alto conversar com a torre que todo o aprendizado é perdido, o software é meio lerdinho ainda.
    (AC melhorou muito isso, meu roteador 1200AC lidava até bem com modo auto mesmo em A, B ou G, melhor que roteadores caríssimos ABG de 2009)

    Minha conexão está bem limitada essa semana pra eu conseguir postar mais, mas pode acompanhar os CCQ's dos clientes baixos e altos, conecta uma antena com sinal alto depois vira ela pra baixar e acompanha o CCQ exibido por todos, qualquer um desequalizado pra mais ou pra menos altera CCQ dos outros, e não é só a exibição do CCQ, se mantiver um ping rumo a eles verá jitter acompanhando CCQ baixo, se for muita diferença gera muita perda de pacote, porque o software no chipset não consegue acompanhar as variações nos sinais, sinal alto e baixo vai tudo pro mesmo misturador pra ser demodulado da portadora pra ser lido, se tiver outros SSID's perto mesmo em canal diferente você terá perda de desempenho também (Pouca, mas tem), tem que ver como é a etapa de RF, pra transmitir um mixer mistura modulação e pacotes, pra receber um demodulador usa outro sinal de modulação de modo que uma modulação "abata" a outra (Tipo afinar violão, quando as 2 cordas tem o som no mesmo tom o som de uma abafa o da outra, quase cancela se forem sinais iguais) e só reste pacotes de wifi, sinal fraco é distorcido pelos sinais fortes nessa hora, a distorção é pequena, e ter 2 ou 3 conexões muito diferentes não tem problema, mas quando tem 20 aí começa a ter perda de pacotes, o CCQ cai, as repetições de pacotes tomam tempo, as propria repetições geram trafego extra (Uma conexão boa trafega 10 pacotes, uma ruim tenta trafegar os mesmos 10 mas repete CADA pacote umas 2 ou 3 vezes até que recebe uma confirmação de recebimento legível, uma conexão ruim vale por 3 boas então, mas bom ou ruim depende do nível medio de todos, eu falo sempre em padronizar em algo tipo -55 a -65 pra ter alcance, -65 é sinal baixo e baixo assim permite muitos Km de alcance com datarate baixo, quem tem densidade grande e só clientes proximos não precisa se preocupar com isso e pode usar datarates altos, mas quem atende grandes distancias vai ter sinal baixo, o jeito de viver bem com isso é ter todos com sinal baixo e datarate baixo, pra que um sinal forte ou datarate alto no demodulador não torne sinais fracos ilegíveis, alias... mais ilegíveis ainda, afinal uma ou outra portadora sempre se perde em grande distancia, o negócio é diminuir as perdas, e não trabalhar com perda zero.

  5. Valeu pelos esclarecimentos @rubem, boas festas!

  6. Boa noite pessoal,

    Encontrei este tópico hoje estava procurando sobre o assunto.

    Fiquei com uma duvida é melhor utilizar mcs de 16 QAM ou 64 QAM no caso de ubnt dá pra escolher ex mcs 5 - 64QAM e mcs 11 - 16 QAM ambos de mesmo data rate 26mb em 10 mhz ou 52 em 20 mhz.




Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L