+ Responder ao Tópico



  1. #1

    Padrão CEMIG exige SCM?

    Olá.

    Alguém saberia informar se a CEMIG exige SCM para passar cabos pelos postes ou só precisa do projeto de engenharia, pagamento das taxas, etc.?

    No caso, a empresa vai apenas passar os cabos, caixas de emenda, etc., não vai ser responsável pelos dados trafegando ali, então nem a Anatel exige outorga nesse caso. Mas e quanto à CEMIG? Eles alugam os postes para empresa sem outorga da Anatel (por não precisar, não por ilegalidade)?

    Vou aproveitar o tópico para um assunto relacionado: para quebrar a rua e colocar dutos (para passar cabos, ao invés de usar postes) é preciso pagar algo à prefeitura da cidade?


    Até logo.

  2. #2

    Padrão Re: CEMIG exige SCM?

    Se tem cabeamento instalado, alguém precisa ser responsável por ele. E como é serviço de comunicação, precisa ter SCM.
    Vou relatar como a AESSUL precede e deve ser igual para todos.
    Apresentado o projeto e aprovado pela concessionária incluindo toda a documentação que prova que tem SCM, então vai uma cópia para a Anatel e outra para a Aneel para que estes homologuem o projeto. Não é outorga, mas homologação ou seja, oficialmente as agências são notificadas da existência desta rede e vão aprovar ou não.
    Logicamente que lá não iriam homologar uma rede se o proprietário dela não tivesse uma outorga.
    Como você citou que a empresa não vai ser responsável pelo tráfego de dados, mas ela será responsável pela existencia física do cabeamento e na prática ela é que irá gerir a rede.
    Suponhamos que a empresa instala o cabeamento e depois faz locação de tráfego para vários provedores. Mas quem é o responsável por administrar este tráfego coletivo? O dono do cabeamento. Então é ele que deve ter o SCM.

    Eu nunca li nada a respeito, mas penso que os provedores locatários neste caso não precisariam de SCM pois eles não estão transportando dados mas sim gerenciando o acesso dos seus respectivos clientes. Quem faz o serviço de comunicação é o dono do cabeamento.
    Seria o que na definição da Anatel é chamado de SVA.
    A responsabilidade do transporte é da empresa proprietária dos cabos. Os locatários do cabeamento só fazem é autenticação dos seus clientes e injetam na rede.

    Uma outra situação. A empresa instala o cabeamento mas não vai explorar o serviço. Então ela faz locação para um só provedor. Este então é que vai se responsabilizar pelo tráfego e vai precisar de SCM.

    Isto é o que eu imagino quando leio o regulamento do SCM. Mas como sempre estas normas são confusas e o entendimento da Agência pode ser outro.
    Olha só: http://www.anatel.gov.br/Portal/exib...ItemCanal=1266



  3. #3

    Padrão

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Se tem cabeamento instalado, alguém precisa ser responsável por ele. E como é serviço de comunicação, precisa ter SCM.
    Vou relatar como a AESSUL precede e deve ser igual para todos.
    Apresentado o projeto e aprovado pela concessionária incluindo toda a documentação que prova que tem SCM, então vai uma cópia para a Anatel e outra para a Aneel para que estes homologuem o projeto. Não é outorga, mas homologação ou seja, oficialmente as agências são notificadas da existência desta rede e vão aprovar ou não.
    Logicamente que lá não iriam homologar uma rede se o proprietário dela não tivesse uma outorga.
    Como você citou que a empresa não vai ser responsável pelo tráfego de dados, mas ela será responsável pela existencia física do cabeamento e na prática ela é que irá gerir a rede.
    Suponhamos que a empresa instala o cabeamento e depois faz locação de tráfego para vários provedores. Mas quem é o responsável por administrar este tráfego coletivo? O dono do cabeamento. Então é ele que deve ter o SCM.

    Eu nunca li nada a respeito, mas penso que os provedores locatários neste caso não precisariam de SCM pois eles não estão transportando dados mas sim gerenciando o acesso dos seus respectivos clientes. Quem faz o serviço de comunicação é o dono do cabeamento.
    Seria o que na definição da Anatel é chamado de SVA.
    A responsabilidade do transporte é da empresa proprietária dos cabos. Os locatários do cabeamento só fazem é autenticação dos seus clientes e injetam na rede.

    Uma outra situação. A empresa instala o cabeamento mas não vai explorar o serviço. Então ela faz locação para um só provedor. Este então é que vai se responsabilizar pelo tráfego e vai precisar de SCM.

    Isto é o que eu imagino quando leio o regulamento do SCM. Mas como sempre estas normas são confusas e o entendimento da Agência pode ser outro.
    Olha só: http://www.anatel.gov.br/Portal/exib...ItemCanal=1266
    Esta e uma pergunta do tipo. Tenho que ler mais. Voce nao pode fazer nada disso. Sem os devidos documentos legais e sem projeto sem engenheiro sem autorização do iap para furar solo. Cara se for fazer aereo prepara valores altos se for faxer subterrâneo prepare milhões. E mais sente e espere poi subterrâneo se um vizinho pedir interdição da obra já era. Melhor você ser prefeito.

  4. #4

    Padrão Re: CEMIG exige SCM?

    Já tinha respondido o post do 1929, mas o vBulletin resolveu mandar meu post para Nárnia.

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Apresentado o projeto e aprovado pela concessionária incluindo toda a documentação que prova que tem SCM, então vai uma cópia para a Anatel e outra para a Aneel para que estes homologuem o projeto. Não é outorga, mas homologação ou seja, oficialmente as agências são notificadas da existência desta rede e vão aprovar ou não.
    Logicamente que lá não iriam homologar uma rede se o proprietário dela não tivesse uma outorga.
    Então só precisa do SCM por causa dessa homologação na Anatel, certo?
    Se segundo a Anatel a empresa não precisar de outorga, então a concessionária não pode exigir ter, certo?


    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Como você citou que a empresa não vai ser responsável pelo tráfego de dados, mas ela será responsável pela existencia física do cabeamento e na prática ela é que irá gerir a rede.
    Suponhamos que a empresa instala o cabeamento e depois faz locação de tráfego para vários provedores. Mas quem é o responsável por administrar este tráfego coletivo? O dono do cabeamento. Então é ele que deve ter o SCM.
    A empresa não iria administrar tráfego algum, apenas fornecer a estrutura para os provedores, sendo responsabilidade deles controlar os dados digitais passando por ali. Acho que seria algo semelhante ou igual à fibra apagada, que algumas operadoras possuem e esse seria o único serviço da empresa.

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Eu nunca li nada a respeito, mas penso que os provedores locatários neste caso não precisariam de SCM pois eles não estão transportando dados mas sim gerenciando o acesso dos seus respectivos clientes. Quem faz o serviço de comunicação é o dono do cabeamento.
    Seria o que na definição da Anatel é chamado de SVA.
    A responsabilidade do transporte é da empresa proprietária dos cabos. Os locatários do cabeamento só fazem é autenticação dos seus clientes e injetam na rede.
    Os provedores locatários seriam responsáveis pelo link e todo o controle dos usuários. A empresa seria responsável apenas pela camada física, nem em L2 iria se envolver.

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Uma outra situação. A empresa instala o cabeamento mas não vai explorar o serviço. Então ela faz locação para um só provedor. Este então é que vai se responsabilizar pelo tráfego e vai precisar de SCM.
    Essa é a ideia. Então a empresa dona dos cabos não precisa de outorga?

    Citação Postado originalmente por pinhais Ver Post
    Esta e uma pergunta do tipo. Tenho que ler mais. Voce nao pode fazer nada disso. Sem os devidos documentos legais e sem projeto sem engenheiro sem autorização do iap para furar solo. Cara se for fazer aereo prepara valores altos se for faxer subterrâneo prepare milhões. E mais sente e espere poi subterrâneo se um vizinho pedir interdição da obra já era. Melhor você ser prefeito.
    Milhões? Chega a isso tudo?
    Se não tiver nenhum tipo de pagamento mensal ou anual à prefeitura ou qualquer outro órgão, eu imagino que gastar uma boa nota na instalação de tubos e cabeamento subterrâneo e não ter que pagar mais nada sai bem mais barato que viver enchendo o bolso das companhias de energia.
    Aqui a CEMIG cobra aproximadamente R$7,00 por poste. Uns 500 postes em uso daria R$3.500,00 por mês, R$42.000,00 por ano. Em 10 anos já se vão R$420.000,00.
    Mesmo que chegue a milhões mesmo, talvez ainda seja viável, visto que dá para alugar as tubulações para outros provedores, assim como dá para juntar vários para custear esse projeto, tornando-o livre para uso de todos envolvidos. Quem sabe até operadoras, como a Oi, ou alguma que ainda não exista aqui (todas as restantes) e chegue na cidade não vejam interesse em usar essa infra. também?


    Obrigado aos dois por responderem.



  5. #5

    Padrão Re: CEMIG exige SCM?

    E na hipótese da concessionária de Energia, (através de denuncia) chegar em alguma cidade onde estejam utilizando seus postes para cabeamento (utp ou fibra), sem a devida licença, o que eles fazem?

    Retiram tudo sem dar satisfação ao provedor?

    Dão um prazo para o provedor regularizar tudo?

    Pergunto isso porque aqui na região vejo muitos provedores cabeando sem a licença, sem projeto, sem scm, sem nada.

  6. #6



  7. #7

    Padrão Re: CEMIG exige SCM?

    @TsouzaR se a empresa que instalar o cabeamento for locar espaço na fibra para provedores, ela vai ter que fazer um controle. Não é só injetar cada um por si.
    Ela vai ter que se responsabilizar perante seus clientes o perfeito funcionamento mediante gerenciamento deste cabeamento, além de se responsabilizar pela manutençaõ física da rede.
    Não teria como deixar que os provedores em conjunto fizessem isso. Só iria dar encrenca entre eles.
    Ou seja, o transporte das comunicações seria feita pelo detentor da rede como um todo.
    Agora se a empresa só fizer a instalação e locar para um só administrar e permitir neste contrato que esta empresa faça sub-locação , eu imagino que esta então é que deve ter o SCM. O proprietário do cabeamento não precisaria.

    É uma exigência que o responsável pelo transporte tenha SCM.

    Isto que você está pleiteando eu já vi um mercado promissor para quem fizer um cabeamento de alta capacidade e daí trabalhar em cima de transporte. Mas vai ter que administrar isso.
    Em vez de cada provedor fazer por si, uma empresa centraliza e outras também seriam beneficiadas e todos ganham.
    É uma ideia para fazer frente a concorrencia dos grandes.
    Mas tem que ter mente aberta e não querer tudo para si. Tem que trabalhar pelo bem de todos. Mais futuro que uma associação.
    Só que precisa um caminhão de dinheiro.

  8. #8

    Padrão Re: CEMIG exige SCM?

    Vocês conhecem alguma empresa que faça projetos para cabeamento aqui em minas junto a cemig a bom preço?



  9. #9

    Padrão Re: CEMIG exige SCM?

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Não teria como deixar que os provedores em conjunto fizessem isso. Só iria dar encrenca entre eles.
    Ou seja, o transporte das comunicações seria feita pelo detentor da rede como um todo.
    A ideia é que somente a empresa dona dos cabos mexeria neles, seja para manutenção, instalação de clientes ou expansão. Os provedores só fariam a administração lógica, a física não.

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Agora se a empresa só fizer a instalação e locar para um só administrar e permitir neste contrato que esta empresa faça sub-locação , eu imagino que esta então é que deve ter o SCM. O proprietário do cabeamento não precisaria.
    Por que você só fala em locar os cabos para um único provedor? Teria algum problema em locar para vários ao mesmo tempo (e apenas minha empresa fazer a administração dos cabos)?

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Só que precisa um caminhão de dinheiro.
    O jeito é começar devagar.
    Por enquanto penso em fazer uma infra. com OLT bem básica, de 64 clientes já serve, atendimento por UTP (sai mais barato, inclusive para o cliente) com PACPON ONU POE da FIT Networks (melhor que encontrei até agora, mas não vi os preços). O backbone óptico está calculado em quase 4km de fibra percorrendo toda a região central da cidade.

    O provedor que alugar a rede leva para a central um roteador e com ele deve injetar seu link na rede, fazendo a restrição a seus clientes (VLAN, servidor PPPoE com service name distinto, etc.).

    Por enquanto estou pensando em alugar a rede por bairros ou por PDs de atendimento, sendo que algumas regiões são mais caras que outras. Tenho que ver melhor essa parte para conseguir tornar isso lucrativo tanto para os provedores quanto para a empresa, com retorno breve, ao menos para pagar os custos de implantação.

    Ao menos cliente provedor eu acho que não vai ser difícil conseguir. Os provedores wireless estão muito empatados, não tomam cliente dos outros, só perdem para a Oi. Atender por cabo é uma forma de sair na frente, e essa empresa pode inclusive estimular o surgimento de novos provedores por aqui, além de elevar a qualidade (eliminação de problemas de interferência e sufocamento de provedores baseados em ADSL ou ilegais [não pretendo ter provedor sem SCM como cliente]).

    Uma pergunta: alguém tem uma noção de valores de projeto de engenheiro para concessão de postes?
    E também o valor aproximado do salário de um engenheiro eletricista ou de telecom.



    Obrigado por responder e pela atenção.
    Até logo.

  10. #10

    Padrão Re: CEMIG exige SCM?

    Citação Postado originalmente por TsouzaR Ver Post

    Por que você só fala em locar os cabos para um único provedor? Teria algum problema em locar para vários ao mesmo tempo (e apenas minha empresa fazer a administração dos cabos)?
    ...
    ...
    O provedor que alugar a rede leva para a central um roteador e com ele deve injetar seu link na rede, fazendo a restrição a seus clientes (VLAN, servidor PPPoE com service name distinto, etc.).
    ...
    ...
    Ao menos cliente provedor eu acho que não vai ser difícil conseguir. Os provedores wireless estão muito empatados, não tomam cliente dos outros, só perdem para a Oi. Atender por cabo é uma forma de sair na frente, e essa empresa pode inclusive estimular o surgimento de novos provedores por aqui, além de elevar a qualidade (eliminação de problemas de interferência e sufocamento de provedores baseados em ADSL ou ilegais [não pretendo ter provedor sem SCM como cliente]).
    Acho que houve um equívoco. Eu não disse que só um. Citei situações diversas com mais de um e com só um provedor.

    E não deveria caber UTP. É um projeto mais ambicioso e precisa começar muito bem para não cair no descrédito.

    Um cabo com várias fibras para começar. E como serão vários provedores não tem como você escapar do gerenciamento do cabeamento. Você é que será o responsável pelo transporte das comunicações e como tal deverá ter SCM.
    É voce que vai ter que fazer o roteamento entre os diversos provedores e nao só a manutenção física em caso de rompimento.

    A minha dúvida e que também expressei, é com relação a necessidade de SCM para os provedores que locarem espaço na fibra. Este inclusive é o foco da sua pergunta inicial.
    Eles teoricamente não estariam fazendo serviço de comunicação, mas sim acrescentando funcionalidades... pelo menos é o que eu subentendo ao ler o regulamento sobre SVA. Acho que cabe uma consulta a Anatel.

    Quanto a link, já que o projeto é ambicioso, o ideal seria você comprar o link. Em grandes quantidades o preço cai bastante. E daí repassar com algum lucro em cima.
    Melhor do que cada provedor comprar o seu e não conseguir baixar custos para fazer frente aos grandes operadores.
    Dia desses vi uma oferta aqui no Under e contatei o anunciante. O preço para 1GB caia para 36 reais o mega. Percebeu aí onde dá para ganhar também?

    Você está certo com relação a sair na frente. É um projeto ambicioso e talvez impraticável pela mentalidade que existe em muitos provedores. Parece que um quer ver a caveira do outro, enquanto nossos inimigos são as grandes teles.

    Num projeto desses o que iria fazer o diferencial seria o atendimento que cada provedor disporia.
    Eu ouvi um comentário de um amigo meu sobre algo semelhante, mas patrocinado por uma concessionária de energia. O projeto seria implantar aqui no RS na área de cobertura desta concessionária, um cabeamento de fibra e locar para provedores locais, já que por outorga a concessionária não poderia atender cliente final. No entanto, no Paraná a Copel atende consumidor final. Será que é porque o Ministro é paranaense?
    Segundo a notícia eles iriam fazer isso em cidades pequenas.



  11. #11

    Padrão Re: CEMIG exige SCM?

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    E não deveria caber UTP. É um projeto mais ambicioso e precisa começar muito bem para não cair no descrédito.
    Eu tenho dois motivos para usar UTP para chegar no cliente:
    - é muito mais barato para o cliente. Basta um ligar o cabo UTP direto no computador ou em um roteador qualquer que é bem barato, ao invés de ter que colocar uma ONT e provavelmente mais um roteador. O pessoal aqui é muito mão de vaca, só quer saber de preços, não qualidade (que com UTP no final, ainda é muito boa), então tem que dançar conforme a música.
    - é muito mais barato para a empresa e para os provedores. Para atender os clientes direto na fibra precisa de uma OLT que suporte muitas ONUs, e essas são bem caras. É mais barato pegar uma OLT, ao menos para começar, que suporte só umas 64 ONUs, sendo que cada uma vai atender de 8 a 16 clientes (estava pensando na solução da FIT Networks). Altos custos na rede vão gerar altos custos para a locação aos provedores, o que vai desestimular a adesão deles (se sair muito mais caro que wireless eu duvido que vão se interessar).

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    E como serão vários provedores não tem como você escapar do gerenciamento do cabeamento. Você é que será o responsável pelo transporte das comunicações e como tal deverá ter SCM.
    É voce que vai ter que fazer o roteamento entre os diversos provedores e nao só a manutenção física em caso de rompimento.
    Não vejo necessidade da empresa dona dos cabos ter que gerenciar o transporte.
    Cada provedor cuida de seus clientes e como vai atendê-los (link) e separá-los dos clientes dos concorrentes (por nome de serviço no PPPoE ou VLAN/túneis). Para isso eles ligam seus próprios roteadores à rede e configuram nos clientes o nome de serviço do PPPoE ou a VLAN/túnel (com RB [750 ou 951-2n é suficiente] nos clientes dá para fazer).
    O máximo que minha empresa teria que fazer seria fiscalizar para ver se não tem nenhum provedor agindo de má fé contra outro na rede.

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Quanto a link, já que o projeto é ambicioso, o ideal seria você comprar o link. Em grandes quantidades o preço cai bastante. E daí repassar com algum lucro em cima.
    Inicialmente eu estava com a ideia de fazer um provedor, não uma empresa dona de infraestrutura. Foi exatamente a dificuldade e preço de trazer link para cá que me fizeram ter a ideia de cuidar apenas do cabeamento.
    Você não faz ideia do quanto é difícil chegar link aqui (na fibra, pela Oi, é R$400 o mega; por rádio é mais barato, mas até hoje não vi nenhum com qualidade descente, tudo igual ADSL dos ruins [comparo com outras regiões, o da Oi é bem estável aqui]).

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Melhor do que cada provedor comprar o seu e não conseguir baixar custos para fazer frente aos grandes operadores.
    A única grande operadora aqui é a Oi. O que tem muito é provedor wireless e um deles é bem grande.

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Dia desses vi uma oferta aqui no Under e contatei o anunciante. O preço para 1GB caia para 36 reais o mega. Percebeu aí onde dá para ganhar também?
    Se conseguir chegar 50Mbps aqui é muito. A cidade mais próxima com alguma decência em telecom. é Montes Claros, 190km daqui em linha reta. Precisa de quase 10 repetidoras para chegar lá.

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Você está certo com relação a sair na frente. É um projeto ambicioso e talvez impraticável pela mentalidade que existe em muitos provedores. Parece que um quer ver a caveira do outro, enquanto nossos inimigos são as grandes teles.
    O facilitador aqui seria que meu sócio é amigo dos donos de uns 3 provedores por aqui, e já trabalhou em vários os outros (alguns nem existem mais, foram comprados). Acho que por aqui ainda não chega a esse nível de rivalidade que você descreve, não entre todos provedores, então ainda há chances.

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Num projeto desses o que iria fazer o diferencial seria o atendimento que cada provedor disporia.
    Se cada um cuidasse de seu próprio link teria mais um diferencial. Não se pode acabar com a concorrência. É outro motivo pelo qual não acho boa ideia a empresa trazer o link, os preços de todo mundo seriam iguais, ou seriam diferentes com a mesma qualidade. Além de que todos dependeriam de um mesmo link; se ele cai todos provedores cabeados param e os wireless sobrevivem e comemoram.
    Agora, se um provedor da cidade quiser vender link para outro pela rede cabeada, é mais um tipo de negócio possível.

    A OLT e a máquina de fusão é o que mata (no começo, depois tem o custo dos postes). Acho que nem o projeto do engenheiro sai tão caro quanto esses dois equipamentos.