Página 2 de 3 PrimeiroPrimeiro 123 ÚltimoÚltimo
+ Responder ao Tópico



  1. Citação Postado originalmente por rubem Ver Post
    Aqui mais um feliz após não usar modo auto nos clientes:
    https://under-linux.org/showthread.p...436#post737436

    O resumo que dou é: Não ESPERE que o modo auto funcione. Se ele funcionar seja feliz, mas se tiver problemas TESTE configurações manuais.

    Seja lá qual datarate selecionar (26M, 59M, 120M) o cliente de pior sinal vai consumir tempo de processamento do radio, vai dar uma piorada na conexão dos outros. O "quanto" vai atrapalhar depende da capacidade de processamento e da quantidade e qualidade das conexões.
    Mas o cliente de pior sinal também será penalizado, ele vai perder pacotes (Se tiver sinal insuficiente) mas o radio da torre não pode ficar atendendo só ele, tem outros clientes, e o CCQ dele vai cair (Porque o pass throughput cai).

    Um cliente sozinho com sinal -80 consegue digamos 20Mbps num datarate, se colocar ele ao lado de 10 clientes com sinal -65 esse mesmo cliente vai conseguir 2Mbps e olhe lá.

    Pra cliente desequalizado acho que não tem configuração mágica.
    Eu insisto no uso de datarate baixo pra que você possa limitar a potencia dos clientes proximos, de modo que TODOS fiquem com sinal "baixo", equalizados em digamos -75 ao invez de ter 5 com -45, 5 com -50, 10 com -65 e só 1 com -75.

    120M é datarate de 40MHz, isso? Lembra que 20MHz tem 10dB a mais de sensibilidade, e um MCS10 tem MAIS 10dB a menos (Portanto é melhor) de sensibilidade que MCS15, sem falar que MCS10 exige SNR uns 5dB MENOR (Portanto é melhor) que MCS15. Ou seja, comparando 40MHz com MCS15, se mudar pra 20MHz com MCS10 você pode ter sinal 25dB mais baixo! (Um precisa -50, outro precisa só -75, pra que todos tenham algo tipo -75 é só reduzir a potencia dos clientes proximos (Habilitar acesso via wan é fundamental nessa hora).

    Se o cliente tem sinal ruim e ele nem precisa tanta banda, testa setar o TX rate dele pra MCS0, vai permitir um pass trhoughput de uns quase 2Mbps mesmo com sinal -80. TESTE um acktime (Nele, não na torre) de uns 50uS ou mais. Isso vai "desperdiçar" o espectro? Vai, mas o desperdício será muuuuuito menor do que um MCS12 em 40MHz PERDENDO 30% dos pacotes, reenviando esses 30% as vezes 3 vezes! Isso sim é um grande desperdício, cria retrabalho pra torre, trabalho que deveria estar sendo dividido igualmente por todos os clientes.
    (O cliente vai subir o ping de digamos 4-60ms pra um ping fixo de uns 10ms, se o plano for de uns 5 ou 6M de download esses 2M de passtrhoughput trafegarão broadcast suficiente pra uma taxa de download dessa, não vai atrapalha a navegação ou download do cliente, e não causar transtorno na rede)

    Você sempre tem um conexão desequalizada. Torre a MCS12 com 19dBm com antena de 21dBi, são 40dB EIRP (Limite legal, respeitem ele!), já o cliente tem NS Loco que em MCS12 tem 22dBm de maxima (Mas na torre tem que ERRONEAMENTE use o maximo do modo, isto é, uns 25dBm, resultando em 45dB EIRP), com a anteninha de 8dBi você chega só em 30dBm EIRP, ou seja, tem 10dB a menos de poder de transmissão que a torre, não tem como a CPE receber sinal a -70 e responder de modo que a torre receba -70, nesses casos a torre recebe uns -75, que é insuficiente pra MCS12 (Vejam datasheet, o datasheet existe pra ser lido, e as sensibilidades e potencias estão no datasheet porque são dados IMPORTANTES pra OTIMIZAR as redes, lembrem de aplicar um SNR necessario pra cada datarate, cada datarate tem SNR mínimo diferente, MCS0 roda com SNR de uns 6dB, MCS7 (Ou MCS15) precisa SNR de quase 30dB!))

    Se todos os clientes tem sinal (cliente>torre) suficiente pode usar MCS15 pra todo lado, mas quem tem todos os clientes entre -45 e -55? Quem tem tá de parabens, mas o que vejo é sempre post com prints mostrando clientes a -75, isso não dá certo pra datarate tão alto, datarate alto EXIGE sinal alto e não tem como contornar isso. Se não tem como melhor nível de sinal, então não pode usar aquele datarate.

    É quenem você escrever uma "carta" (Livro, texto) de 5 mil páginas, embalar ela e tentar jogar ela pro outro lado de um rio de 20m, você não tem força pra transmitir esses dados nessa distancia, é muito peso, vai cair no meio, na beirada e molhar (Metade vai ficar ilegível). Ou você arranja alguém mais forte, ou você divide esses dados em pacotes menores de 100 folhas cada e faz 50 jogadas menores que você consegue com sua força, ao invez de um pacotão que você não consegue.

    Não tem como brigar, se tem sinal -75 não dá pra usar MCS15, ou arranja coisa mais forte (Antena, etapa de RF), ou baixa o datarate.
    .
    Aproveitando a aula do Mestre, um CCQ acima de 90% para MCS3 ta bom? Lembrando que todos clientes recebem 2/256.
    Sinal nos radios em torno -65 e no Ap -70, o canal esta 20mhz.
    Att
    Obg por sua colaboração
    Felicidades...

  2. Citação Postado originalmente por rubem Ver Post
    Quando altera o datarate ou largura de canal o que muda é só a sensibilidade, não muda o nível do sinal.

    Se tem -65 vai continuar com -65, o que muda é que com canal de 40MHz a sensibilidade do hardware é de digamos -75, e com 20MHz a sensibilidade é digamos -85. Onde tinha só 10dB de SNR passa a ter 20dB de SNR.

    Se já tinha SNR suficiente, realmente não vai fazer diferença.
    Sem falar que toda a faixa vai agradecer, né @rubem.

    Tenho visto o uso e abuso dos 40mhz. Porque não testar em larguras menores para sentir o efeito benéfico e legal.

    Tem um tópico onde o @AndrioPJ reproduz as designações de faixas dentro do 5.8

    Postado originalmente por mascaraapj

    A faixa de 5Ghz se divide em três faixas, que costumamos denominar baixa, média e alta e as restrições e condições de uso variam dentro delas;

    **5150 a 5350 Mhz
    - O uso dessa faixa deve ficar confinado ao interior de edificações, ou seja, independentemente de potencias e antenas, etc, qualquer uso outdoor dessa faixa está irregular.
    - Mesmo internamente A potencia máxima EIRP (potencia do transmissor + ganho da antena) máxima permitida é de 200 mw (23 dBm)
    - Para trabalhar na eirp acima é necessário que o equipamento tenha TPC (Controle de potencia de transmissão) e caso não tenha o valor deve ser reduzido para 100 mw
    - para um pedaço dessa faixa (5250 a 5350) é necessário ainda que o equipamento possua DFS (Seleção dinâmica de frequencia).

    **Faixa Média: 5470 a 5725 Mhz
    - Potencia máxima do transmissor 250 mw (24 dBm) - ou seja, R52H, SR5, XR5, etc sem redução de potencias estão irregulares.
    - Potencia máxima EIRP 1 Watt (30 dBm)
    - Para trabalhar na eirp acima é necessário que o equipamento tenha TPC (Controle de potencia de transmissão) e caso não tenha o valor deve ser reduzido para 250 mw
    - É necessário que o equipamento possua DFS (Seleção dinâmica de frequência)


    **Faixa Alta: 5725 a 5850 Mhz:
    - Potencia máxima do transmissor de 1 Watt (30 dBm)
    - Eirp máxima de 36 dBm (4 Watts)
    - Para sistemas multi-ponto é possível utilizar antenas de qualquer ganho, desde que não se excedam os valores acima
    - Para sistemas ponto a ponto é possível utilizar antenas de qualquer ganho desde que o limite do transmissor seja respeitado

    =========

    Por estas determinações podemos ver que a faixa não é tão larga como gostaríamos para uso externo que é o foco dos provedores. E ainda por cima utilizando 40mhz, já viu né onde vamos parar.

    Se todos nós respeitassemos a utilização e principalmente utilizando a largura ideal para a aplicação que se deseja, o 5.8 poderia estar bem melhor. Está ficando difícil encontrar canais livres em 5.8
    Para que utilizar uma largura de 40mhz para passar pouca banda. Parece que quem configura tem o prazer de ler lá no registration que o tx e rx estão com 300mbps/300mbps quando ele precisa passar 20 mbps. Se ele soubesse estes detalhes que o Rubem postou ele teria muito mais estabilidade na sua rede.
    Me dá um calor no cérebro quando vejo alguém recomendar deixar tudo em default. Se fosse para isso então não haveria as opções de configuração. Seria tudo "plug and play" . Cada situação precisa ser encarada individualmente para obter o melhor SNR para a instalação.



  3. Ola!, me surgiu uma duvida tambem quanto ao mcs.

    quando o mcs é configurado em um equipamento, por exemplo da ubnt, la no rate, mostra exatamente o que foi configurado nos dois lados, tanto no TX e no RX, correto.
    porem quando defino mcs fixo em equipamento mikrotik, la no TX/RX rate, sempre mostra o que esta definido no AP, parece que a configuração de mcs da CPE não faz diferença.

  4. Eh isso mesmo. Em Ubiquiti a limitação é somente no TX enquanto no Mikrotik a limitação é em TX e RX.



  5. Na aba HT MCS ao definir um valor ele é aplicado tanto para TX quanto para RX. Se vc deixar marcado, por exemplo, somente MCS3 o AP irá transmitir e receber somente em 16QAM, mesmo que o rádio do cliente esteja habilitado para transmitir em modulações mais altas.






Tópicos Similares

  1. Dúvida na criação de partições do Trustix 3.0
    Por roggy no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 0
    Último Post: 24-06-2005, 16:03
  2. Dúvida na implementação de um anti-virus para e-mail
    Por TiagoCruz no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 10
    Último Post: 31-08-2004, 13:59
  3. Duvida na configuracao de um servidor ldap
    Por Zeh no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 0
    Último Post: 29-06-2004, 08:47
  4. Duvida na instalação de um Servidor de Correio
    Por Elvis no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 4
    Último Post: 14-05-2003, 08:06
  5. duvidas na configuração de email
    Por pensador-ce no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 6
    Último Post: 19-10-2002, 09:44

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L