+ Responder ao Tópico



  1. Sobre o aterramentos pras fontes UBNT, olha como ele é inútil pra fonte:
    Anexo 57627

    Ele vai direto no pino de entrada (AC) até a parte metalica do jack RJ45.
    Ou seja, se usar plug RJ45 plastica comum não faz diferença aterrar a fonte ou não. Se usar cabo utp08 comum, sem malha aterrada, também não faz efeito pra fonte.

    Em fontes ATX o negativo é ligado no aterramento, na parte quente da fonte (Na parte de alta tensão) tem capacitores ligando cada fase até o aterramento. Em fonte de notebook idem, o aterramento é ligado no negativo e na parte quente tem uns componentes jogando transientes pro aterramento.
    Em UBNT o aterramento tem que ser PRA CPE, e não pra fonte.

    Se pegar fontes de mercas de renome tipo Delta, ou as usadas em equipto de alto padrão tipo Cisco, todas tem um filtro LC antes da retificação, tem mais capacitores pra filtrar transientes entre fase e terra, tem thermistor numa, tem mais varistores (UBNT usa só 1), fonte boa mesmo geralmente tem filtro LC duplo! A UBNT não usa isso porque o problema raramente é na rede AC, o problema geralmente é lá fora na CPE, ou pela extensão do cabo ethernet. Ter uma bela filtagem na entrada da fonte UBNT ia tornar ela mais cara e não ia fazer absolutamente nem meio efeito contra indução de alta tensão no cabo. Pra esse problema a UBNT vende os protetores ethernet, e indica o uso de 2, nos 2 lados do cabo, pra que toda alta tensão induzida no meio seja eliminada pelos centelhadores em cada ponta.

    A indução de um fio esticado capta muita coisa, temos o radio de galena a décadas pra conhecer isso:
    https://www.google.com.br/search?q=radio+galena
    É basicamente um fio esticado como antena, liga ele numa bobina e o outro lado da bobina liga do terra, a bobina faz a sintonia, uma bobina induz um campo em outro, e nessa outra bobina você liga um fonte de cristal (Que emite som com sinal muito mais fraco que um fone comum) e "ouve sons", tudo induzido pela antena.
    Se cair um raio perto (E não NA antena, pode ser a 200m) pode até queimar essa bobina, tamanho o campo eletromagnético que um raio gera, esse campo chega na antena (Que pode ser um cabo UTP08) e se ele chegar em angulo perfeito vai induzir uma tensão que depende do diametro do fio e tamanho do cabo. Fio 24AWG (Usado em cabo de rede) é fino o suficiente pra ser induzido muito bem.
    No caso da antena pro radio de galena, a indução ocorre por toda a antena, você pode ligar o radio em qualquer um dos 2 lados do fio esticado, a indução é feita pelo trajeto do fio, terá diferença de potencia com relação a terra nos 2 lados do fio.
    Com cabo ethernet idem, a indução é feita por todo o trajeto, terá tensão induzida nos 2 lados do cabo, por isso o protetor de surto tem que ficar nos 2 lados do cabo longo.

    (Rede eletrica sofre menos com isso porque a rede sempre sai de um transformador, que é basicamente um fio de bitola bem grossa, indo do fio exposto até o aterramento, transformador com resistencia de 2 ohms, indo pra um aterramento muito bom com resistencia para o solo de mais 2 ohms, ele dissipa qualquer piripaque numa facilidade muito maior que o equipto na casa do cliente, que circula a descarga entre a fase e o neutro (Que é o aterramento lá no poste), é a situação que você tem um loop, um lado do fio está no transformador aterrado, outro está na fonte do cliente que circula tudo da fase pro neutro, e o neutro é basicamente o aterramento do transformador. Ter aterramento a parte só ajuda se ele for bom e se o equipto for efetivo em jogar pra ele as descargas (Precisaria centelhador entre cada ponto sensível e o terra, bem raro fonte comum ter isso))

    A antena patch e o curto cabo entre ela e a etapa de RF da CPE podem induzir muita coisa? Podem, se o campo eletromagnético criado por grande e chegar no angulo certo sim.
    Mas os mosfets, chaveadores e amplificadores pro mercado wifi evoluiram bastante, antigamente (Tempos de A/B/G apenas) queimava cartão e roteador adoidado, um só recebia campo eletromagnético pequeno que induzia tensão baixa a ponto de só alterar resistencia interna de amplificador, só perdia potencia ou sensibilidade mas não queimava. Hoje esses componentes são feitos pra suportar descarga tipo 10KV ou mais, um campo que induza 10KV nos 10cm de vias expostas até chegar no power amplifer tem que ser uma p*t* descarga! Complicado se proteger disso e ao mesmo tempo ter um amplificador de potencia bom (Não essas nhacas de 16dBm em MCS15 que os roteadores de mesa tem), um CI de chaveamento rapido, um chipset de RF barato e bom, e esperar que tudo isso sobreviva bem. Quem está em ambiente assim devia usar antena comum, cabo coaxial com boa malha está menos propenso a indução do tipo, descer um cabo coaxial da antena até dentro de casa tem menos risco de indução que descer um cabo ethernet (A não ser que encontre um cabo ethernet com blindagem decente, mas não uma folha de aluminio de 0,01mm, falo de malha mesmo, igual de cabo RGC58, RGC213 ou LMR400, pode ser malha de aço ou cobreada, podem ser 2 ou 3 fitas de aluminio mais espessos).

    OU blindagem em cabo ethernet, OU protetor de surto ethernet e aterramento, OU equipamento com suporte efetivo a 25 ou 40KV (Radio licenciados tem, pague-se o preço!), ou desistir de ethernet e usar cabo coaxial.
    Por mais que as CPE's digam suportar isso ou aquilo, se tiver muita descarga por perto, num ambiente propício à indução (Ou onde a resistencia do solo é muito alta e portanto uma descarga leva quilometros pra ser absorvida) está claro que elas não aguentam, e as CPE's baratas eu duvido que vão suportar isso um dia.

    (Afinal 80% dos consumidores disso não tem aterramento, nem cabo blindado, nem nada especial, e não tem queima de trafo de lan, de chipset ethernet, ou do power amplifier ou do chaveador de RF. Se 80% estão em areas sem campos eletromagnéticos perigosos, vão produzir produto BARATO com proteção na medida pra esses 80%. Os outros 20% teriam que achar um produto MAIS CARO. Afinal não faz sentido vender mais caro um produto com proteção pra um ambiente que NÃO PRECISA)

    Aí chegamos nos estabilizadores: Proteção pra quem não precisa.
    Sou da opinião que 100% das fontes precisam um filtro LC na entrada. Alguns estabilizadores atuam como filtro LC. Então tá tudo certo?
    Depende, pagar R$ 70 a 100 (Estabilizador bivolt é caro, uns R$ 70 de custo, vendia por R$ 100-130) por um filtro LC é caro demais.

    E tem estabilizador que não atua assim. Tem estabilizador extremamente pobre em materia de "estágios" de tensão, com 2 taps apenas, tipo:
    Anexo 57628

    São 2 reles, um deles ligar ou desliga a saída (Desliga caso a tensão seja menor que uns 100V, ou maior que uns 140V), e o outro rele seleciona entre um tap do autotransformador, ou com 115V ou com 105V.
    É de um estabilizador bivolt, ligando ele em rede 127V o tap de 115V é acionado e ele tem 115V na saída. Caso a tensão suba até 135V quem entra em ação é o tap de 105V, de modo que a tensão de saída seja 115V igual.
    Mas e se a tensão ficar abaixo de 120V? Aí o estabilizador terá menos de 110V. Ele não tem um tap pra elevar a tensão, tem só 2 que REDUZEM a tensão. Como se injetar 90V em fonte ATX meia-boca não pifasse elas!
    A vantagem é que tem aqueles 2 capacitores azuis no canto inferior esquerdo, um deles sempre está paralelo ao sistema, então isso é um filtro LC por 100% do tempo. Custa R$ 100-130, mas... é um filtro LC. Se a tensão variar de 120 a uns 134V o nenhum rele se meche, ele é inútil nessa variação, curiosamente é a variação que tenho aqui em casa, raramente abaixo de 120V e nunca medi acima de 133V.
    Mas tem estabilizador com 2 reles (Sempre 2 estágios, um rele é pra desligar o circuito, com 2 reles podiam ter 4 estágios, mas acham importante proteger a saída, com rele que leva 10ms pra atracar! A luz viaja a 300 mil Km por segundo, 10ms são 0,001 segundo, divide 300 milhões de metros por 0,001 pra ver quantos metros a eletricidade percoreu! Tem rele mais rapido que desarma em 5ms, é só dividir 300 milhões por 0,0005 pra ver que ainda não é rápido o suficiente pra proteção efetiva) que não tem nem aquela coisa pra lá de basica que é um capacitor de filtragem, atuam só na filtragem pela indução do trafo, que não é tão util (Quanto um filtro de linha), geralmente são os sem varistor nem nada especial. Os antigos de 1KVA de lata eram geralmente pobres assim:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         est1v3.jpg
Visualizações:	522
Tamanho: 	105,0 KB
ID:      	57629
    "Ah, mas isso é antigo". É, mas tem estabilizador mais novo péssimo, de marca que muita gente considera, tipo essa nhaca da Sideway:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         9C2C3C4VZ1Reduzido.jpg
Visualizações:	586
Tamanho: 	89,0 KB
ID:      	57630
    Cadê capacitor pra filtagem? Cade varistor pra proteção?
    Ficaram nos sonhos dos engenheiro.
    Um engenheiro fez o projeto, botou um monte de componentes pra filtragem, quebrou a cabeça pra botar tudo numa placa simples, mas aí chegou nos cabeleleiros do marketing e das vendas, que olharam pro custo e definiram que pro produto ser atraente pro povão (E o povão só compra marca desconhecida tipo Ragtech se for barato, e o jeito de ser barato é capando o produto) tem que reduzir custo, tirar capacitor e varistores reduz um pouco mas qualquer R$ 2 a menos faz diferença porque o distribuidor e o lojista geralmente são quem escolhe o que o vendedor irá oferecer pro cliente, e eles são tão leigos quanto o consumidor final, R$ 2 a menos no preço do estabilizador é motivo suficiente pra escolher esse capado.

    Um SMS pequeno as vezes vem meio capado também, não lembro modelo mas já ví capado. Já os de 430VA pra cima geralmente são completos:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         SMSRevolutionVI.jpg
Visualizações:	1002
Tamanho: 	186,0 KB
ID:      	57631
    1 rele seleciona se a sáida vai estar ativa ou não, e os outros 4 reles selecionam qual TAP do transformador vai estar em uso.
    Mas aqui temos um problema, nesses estabilizadores e nobreaks de 4 estágios numa posição geralmente a tensão passa RETO da entrada pra saída, se a tensão de entrada for digamos 112 a 118V não faz sentido ter um enrolamento no trafo pra baixar ou subir só 3 ou 4V, como a tensão ideal SERIA 115V (Pqp... no brasil usamos 127V, porque essas nhacas insistem na porcaria dos 115V? Fonte decente aguenta muito bem 135V, que dirá 127V, o que elas não aguentam são 100V, 115V está mais perto de 100V do que de 135V! O problema NO BRASIL é tensão BAIXA devido a fiação fina, e não tensão alta!) se a entrada tiver algo proximo a 115V será selecionado o rele que deixa a entrada passar reto pra saída. Nessa posição a única função do estabilizador é naqueles capacitores no canto inferior direito, e no varistor de saída.

    Pra esse momento em que saída é igual a entrada, devia ter uma bobina, estabilizador ao contrário do que dizem também existe no primeiro mundo, a APC fabrica eles pros EUA e Europa também, mas... capricha muito mais, faz um filtro LC na entrada e outro na saída, coloca varistor e as vezes até centelhador, fora um circuito comparados mais robusto (Mais CI's rusticos e menos porcarias frágeis e baratas tipo PIC), um exemplo:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         P1000528-0.jpg
Visualizações:	306
Tamanho: 	306,6 KB
ID:      	57632

    Se comparar um nobreak da idade da pedra tipo SMS de 2012 (Ainda não tinha entrado na era SMD, que o mundo tora fora de Sta Rita do Sapucaí entrou nos anos 90) com um APC de 2012 verá essas diferença, um robusto e com varias proteções, e o SMS... com varistor na saída, as vezes sem um mísero capacitor de filtragem, atuando o tempo todo calcado na filtragem por indução do trafo. Ou seja, um produto de R$ 120 ou R$ 300 (Nobreak) com menos proteção que um filtro de linha de R$ 50 (Que tem filtro LC duplo (Portando fator indutivo de 2 bobinas filtrando, não só 1 como é o caso do auto-transformador), varistor e centelhador).

    Se não dá pra confiar em TODOS os estabilizadores eu prefiro chutar o pau da barraca e dizer pra não confiar em NENHUM! Já que 70% deles é mais inútil que um filtro de linha completo fica complicado você comprar uma porcaria de R$ 70 a 130 e abrir pra ver se tem filtragem mesmo.
    Nem comento sobre as sujeiras que os estabilizadores com rele jogam pro equipto, quem fala muito disso e também tem guerra contra a industria inútil dos estabilizadores é o Luiz Faller:
    http://forum.outerspace.terra.com.br...e-do-pc.96802/

    Minha guerra é mais simples: Se é pra ter um equipto de R$ 130 que coloquem filtragem DECENTES, um filtro LC DEPOIS do estabilizador pra limpar uns spikes de rele, um varistor na ENTRADA do estabilizador pra proteger também o estabilizador (Mas ele geralmente fica na saída, pra proteger o equipamento alimentado desses spikes de 800V que o estabilizador cria!). Esse papinho noob de "Usem estabilizadores" criou uma industria que produz esses lixos lerdos que sujam mais do que filtram, o consumidor sempre será uma besta quadrada que vai comprar o que for barato, precisa LEI pra dizer que se não tem 0,5% de polpa de fruta não é suco, precisa LEI pra mudar o NOME, porque o consumidor é desinformado demais e acredita no NOME do produto, ele acredita que com algo que diz ser "estabilizador" terá tensão estável na saída, quando na verdade terá simplesmente uma variação menor (Se entre cada TAP tem 6V, terá pelo menos variação de 6V então), mas não terá energia limpa (Filtrada), terá simplesmente "um pouco limpa".

    Voltando às boas fontes, que dispensam flltro de linha, mais uma:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         100_3275.JPG
Visualizações:	481
Tamanho: 	363,4 KB
ID:      	57633

    De Cisco. Tem logo na entrada uma bobina (L), tem thermistor (Atenuar pico inicial de consumo), aí tem um capacitor de cada fase indo até o aterramento, tem um capacitor (C), tem mais bobina, dessa vez maior (Mais um L), e a ponte retificador está presa no dissipador de calor (Ou seja, ela trabalha mais fria, diodo quente deixa passar spikes e ripple, a ficha técnica fala em funcionamento normal a 25ºC, e spikes aos montes com 50°C, normal vez diodo ou ponte retificadora acima de 50°C em fonte barata), o resto tipo bobina dupla na saída com 2 capacitores (São 2 filtros LC) a UBNT também tem, eu acho que os valores dos capacitores dela são baixos demais (O de 100uF eu trocaria por um de tantalo de 22uF, e o de 330uF eu trocaria por ums de 680uF) mas isso tem a ver com falhas na alimentação e não com sujeira que comprometa a durabilidade, a UBNT tem uma fonte bem em conta, pro preço nos EUA deve ser OK (No brasil UBNT é TOP, nos EUA não).

    Enfim, eu acho que tem gente esperando demais de uma CPE de US$ 49 (Se chega no brasil por R$ 250 azar da importação, a UBNT não tem nada a ver com isso), esperando demais de estabilizadores de R$ 50 (Sideway monovolt cheguei a pagar R$ 35 na Oderço, isso é o preço de um auto-transformador de 300VA, e auto-transformador não tem circuito nem caixa plastica), e sendo muito muquiranas em não colocar protetor de surto (Se é caro comprar então monta em casa, pra POE vai 8 diodos comuns e um zener, com 3 varistores. Se for gigabit vai 16 diodos comuns e um zener, se quiser colocar varistor vai fundo, mas só os diodos são suficientes se tiver um GND basico por perto pra ligar (Pode ser o tubo de aço onde a CPE vai parafusada numa parede de concreto, é uma porcaria de aterramento mas comparado a NADA isso manda pra terra (com quase 1K de resistencia até a terra efetivamente) varias descargas leves).

    Que outras CPE's não tem queimado?
    Tenho Elsys queimada, OIW queimada, GTS queimada, Engenius queimada, TPLink queimada, SXT queimada, Kozumi queimada, PCBA's queimadas... até adaptador USB e placa PCI 5GHz que queimou em dia de tempestade...

    Acho que só sobrevive equipamento que tem custo bem mais alto, um NS Loco M5 está uns R$ 20 a mais que um WOM5000, esse custo está mais por questão de importação do que em custo de componentes, não vejo como proteger uma CPE sem ser com duzias de terras virtuais no circuito e CI's que aguentam tensões maiores, coisas que encareceriam demais a CPE, concordo com a estratégia da UBNT: Queimou algo nalgum cliente? Quer dizer que ELE (E não todos) precisa protetor ethernet e aterramento.

    Eu faço isso até com MINHAS coisas, espero ter danos pra então ver que tipo de prevenção ter. Não vou colocar estabilizador ou filtro LC se não tiver problemas na rede AC, e nunca tive (Só fonte de CPE queima, já fonte de roteador com antena externa nunca queimou, sinal que o problema é alta tensão induzida em cabo e não problema vindo pela rede elétrica), os problemas que eu mesmo tive nas minhas coisas foi tudo relativo a ethernet, com protetor de surto ethernet os problemas sumiram (São uns 8 meses usando protetor com diodos. Antes testei apenas varistores e em 2 ou 3 meses já tinha trocado), se eu CHUTASSE que teria problema na rede AC eu teria (Como 95% dos brasileiros) feito a burrice de comprar estabilizador, ia desperdiçar R$ 130 pra nada, já que onde há indução de alta tensão queimando lan eles não fazem efeito (Acho que uns 70% dos meus clientes sempre tiveram estabilizador, quem perdeu 1 lan perdeu varias mesmo com estabilizador, isso depende do local ter mais descargas e o campo eletromagnético delas chegar no angulo certo).


    Ah, sobre PCBA em caixa hermetica não queimar tanto: Fonte comum tem o negativo da fonte indo via cabo poe até o negativo do circuito, o negativo da fonte geralmente tem capacitor isolando o pino que numa tomada padrão (N.F.T) seria o neutro, ou seja, problema no GND da PCBA? Ele vai pro GND da fonte, que descarrega no neutro por um capacitor. Fonte UBNT tem isso? Num tem... o GND da CPE está ligado no GND da fonte, ambos estão sozinhos no mundo, sem ligação nenhuma com nenhum ponto descarregar. Então... repense esse negócio de "usar fonte UBNT porque são boas". Tá certo que fonte generica de R$ 15 não é nada melhor, mas "boa" as da UBNT não são, eu diria que são "suficientes", e apenas isso. Suficientes pra 90% dos usuarios, insuficientes pra uns 10%. O jeito de descobrir os 10% que precisam fontes melhores é testando, se uma der problea coloque outra melhor, ficar insistindo no erro é... todo mundo sabe o que.

  2. Citação Postado originalmente por wala Ver Post
    Uma coisa que eu notei em varias antenas que perdem a potencia e tambem o ping que fica oscilando de 5 10 ate 20 ms por cabo direto no pc e uma lentidão enorme para acessar o firmware
    Isso eu sempre estranhei, todas que ví com problema ficaram assim, até funcionam em 10M, mas lerdas e perdendo pacotes.
    Mas aí nos foruns tem um monte de gente com um papinho de "Não queimou nada não, passa pra 10M que funciona normal".
    Esse pessoal não testa ping? Ou usar CPE UBNT pra vender planinho lerdo de 500Kbps? Como eles não percebem?

    Essa lerdeza não é coisa de firmware UBNT, desde placa ISA (Sim, teve placa ISA 10/100M, não ví VESA mas ISA teve), PCI, adaptador USB, roteador de mesa, notebook, placa onboard de desktop, sempre ví isso, depois de raio a rede só é detectada em 10M, até parece funcionar, mas se ver ping e monitorar por tempo suficiente verá que nem em 10M opera direito. As vezes só a troca do chipset de rede resolve, mas nuns casos o trafo/driver tem que ser trocado, provavelmente porque aqueceu e umas espiras entraram em curto ou porque o aquecimento alterou a resistencia do fio fino da bobina. Em roteador de mesa acho que é mais comum queimar apenas o trafo/driver (O comum aqui: Queima o trafo da wan do roteador de mesa, e queima o chipset de rede da CPE, afinal ambos eram os 2 lados de um longo cabo ethernet exposto 5m pra cima e 5m pros lados. Queima de CPE UBNT, SXT, TPLink, etc. Queima trafo de roteador de mesa Linksys, TPLink, Dlink, 3Com/HP, Gothan, etc).

    Chipset de rede de PCBA antiga é mais parudo a meu ver também, provavelmente usam tecnologia de uns 200 nanometros, contra 50nm dos mais novos, isso afeta a robustes por mais que os fabricantes de componentes insistam que não, o componente até aguentaria pico de 10ms a 1KV, mas seria em pinos de alimentação, ele não espera isso de pinos de dados, mas é justamente de onde eles vem hoje, pelo menos no brasil. O problema é que litografia antiquada produz menos CI's por cada wafer, isso faz o custo do CI mais robusto ficar bem mais alto, só caprichar no chipset de rede talvez ia expor outra falha, e se começar a deixar tudo mais robusto você chega numa CPE do dobro do preço, que não ia vender.

    (Se colocar 2 barras de cobre de R$ 30 cada pra um aterramento meia-boca o cliente já não quer, imagina pagar R$ 500 numa CPE sendo que tem outra bem mais em conta por R$ 190! O consumidor ignora durabilidade ou o amanhã e presa o furo no bolso hoje, o fabricante atende a essa demanda: Quer produto barato? Toma aí essa coisa linda por fora que um designer desenhou por US$ 100 mil, quem em teste no mundo da fantasia entrega 99Mbps, mas que tem que ser desplugada da fonte POE me caso de chuva)



  3. Interessante tudo que vc falou. Uma duvida, trocando as fontes ubnt por outras de melhor qualidade ja seria o suficiente para diminuir as queimas das cpe e da porta lan?
    Que fonte poe vc indicaria que tenha um bom custo beneficio.

  4. Citação Postado originalmente por jodrix Ver Post
    Amigo emiliano melhore sua oferta e tenho aprox 300 aqui para te vender.
    Da não



  5. Rubem teria como disponibilizar o esquema do protetor com diodos? poderia me mandar por email? bender@db2brasil.com.br
    obrigado






Tópicos Similares

  1. Respostas: 3
    Último Post: 28-06-2017, 10:58
  2. Respostas: 3
    Último Post: 02-11-2016, 18:38
  3. Respostas: 19
    Último Post: 27-05-2015, 16:14
  4. Queima de Porta LAN de Equipamentos UBNT.
    Por delegato no fórum Redes
    Respostas: 12
    Último Post: 31-10-2014, 12:25
  5. Respostas: 13
    Último Post: 22-03-2012, 13:43

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L