Página 8 de 15 PrimeiroPrimeiro ... 345678910111213 ... ÚltimoÚltimo
+ Responder ao Tópico



  1. A perca de potencia me informarão que o chip rf de potencia que aquece muito em alta potencia tipo 25 dbi direto setado numa pobre argrid nesse calor escaldante que e o brasil uma hora não suporta e pifa.Talvez desmontando a antena e colocando um dissipador em cima do chip de potencia possa diminuir esse problema causado por exemplo por tecnico ruim que deixa a antena em default no firmware que vem em 25 dbi nas argrids e outras.

  2. Ah sim, dissipador nunca faz mal.
    Tem UBNT com e sem dissipador sobre a CPU. Um EPMP, por exemplo, tem dissipador enorme (Quase toda a traseira). Os TPLink TL-WA também tinham dissipador enorme e não abri os 510N pra ver como é.

    Eu já queimei 3 roteador de mesa Airlive com 19dBm enquanto 7 viveram por anos com 18dBm! Sério, mudei 2 pra 19dBm e queimaram em poucas semanas, mudei mais 1 e deixei em casa e também durou poucos dias. E outros 7 que comprei juntos passaram anos em uso, mas no default em 18dBm. Nessa época aprendi (No bolso! Essas porcarias custavam uns R$ 180 na época) que 1dBm de potência faz diferença.

    Tem um amplificador depois do chipset de RF na maioria dos equipamentos hoje (Exceto roteador de mesa de R$ 50), seria bom ter dissipador neles também se for usar potência alta.

    Aqui a "descrição" do grosso das partes de um NanoBridge (Só porque foi o que achei rapidinho em resolução decente no google, qualquer coisa é só mandar uma imagem em resolução decente e sem a latinha sobre a parte de RF que é fácil marcar os componentes):
    Anexo 61832


    Mas o dissipador de calor pode estar do outro lado da placa.
    Não é o caso do NB, não tem nada de dissipador no outro lado:
    https://wiki.openwrt.org/_detail/med...uiti%3Aairmaxm

    Mas os Groove Metal da MK (E talvez a linha Titanium da UBNT) tem dissipador no outro lado da placa, assim:
    Anexo 61831



    "Ah, mas o meu não tem dissipador e queimou o chipset em raio e não sozinho por calor"
    Aí entra outra informação: Todo semicondutor fica mais frágil (Aguenta menos corrente ou menos tensão) quando está mais quente.

    Digamos um mísero diodo, a 25°C ele aguenta digamos 1A (1 ampere), já a 45°C a capacidade dele baixa pra uns 0,8A, e lá pelos 80°C ele aguenta só 0,5A.

    (Por isso as vezes você tira e coloca uma fonte na tomada e ela queima. É que a corrente inicial (Pra carregar os capacitores) é geralmente bem maior que a corrente do circuito já ligado, é tipo corrente de partida de motor, uma geladeira chega a pico de 1,5A quando liga, mas depois normaliza nuns 0,4A)

    Ou seja, se o chipset ou o amplificador já está quente (E com 25dBm ele vai estar bem mais quente que operando com 17dBm), aí surge uma descarga na vizinhança, seja por cabo desde longe ou por indução em cabo próximo surge alguma tensão parasita no circuito, o componente quente está bem mais suscetível a queima que o componente frio.

    Se olharem dissipador de calor em notebook (É bom limpar e/ou trocar pasta térmica a cada X meses, uns 20-30 meses, então todos já devem ter aberti) verão que o dissipador sobre o processador e chipset, mas TAMBÉM sobre uns mosfets do regulador de tensão do processador. Se o componente não recebe ventilação (Em desktop o fan sobre o processador ventila também o VRM ao redor do processador) então ele precisa ter um dissipador de calor, ou então usar tensão muito menor que o que o mosfet suporta.

    Digamos que um mosfet suporta 12A com dissipador, mas... sem dissipador nenhum ele mal suporte 2A, então o fabricante cuidadoso só coloca em ele circuito que consumirá só 1A (Pra ter 100% de margem de segurança). Produtos baratos tipo Philco, STI ou Positivo vão ter corrente tipo 2A nesse componente teórico, porque um mosfet que suportaria 4A é mais caro e eles vendem produto BARATO e não produto BOM. São detalhes bobos que afetam muito o preço, afetam pouco o desempenho, e também afetam muito a DURABILIDADE a ADVERSIDADES.

    Em uso "normal" tudo dura, mas o bicha pega é nas "adversidades", um calor de 5°C a mais, ou uma descarga atmosférica mais próxima, podem significar a queima de parte do circuito que em uso "normal" ia ser quase eterno. Os ambientes são muito diferentes, não tem como dizer "isso vai queimar aqui" sem ver 50 fatores no ambiente (Distancia até transformador na rede elétrica, grossura do fio do neutro, resistencia do solo, existência de objeto metalico alto na vizinhança, temperatura, uma barreira metálica ou que atenue campos eletromagnéticos por perto, diferença de potencial entre o mastro de ferro e o solo, existência de uma ponta no ferro cortado favorecendo a ionização pra diminuir a diferença de potencia com relação ao ar, a existência de outros objetos metálicos por perto que já trocam carga eletrostácia com relação ao ar, ih... tem bem mais de 50 fatores que podem tornar a queima mais comum ou não, isso SEM trocar o equipamento, imagina com diferentes versões do equipamento (O mesmo roteador tem 8 versões, as CPE's XS, XM e XW são visivelmente diferentes, mas dentro das XW tem umas variações pequenas).

    Mas dissipador não faz mal não, ao contrário, se tiver um sobre cada mosfet, amplificador, regulador, ou chipset, MELHOR.



  3. Quem puder interessar: usamos UBNT ha mais de 6 anos e nao temos esses problemas. !100% dos radios estao com estabilizador (aprox 200)

  4. Usa aterramento emilidani? Que regiao vc eh? Aqui no sul ta foda



  5. Caraii to no cel, terceira vez.. mas vamos la.

    Wue a ubnt desenvolve pensando em aterramento nao eh sefgedo a ninguem, sem chance de fazer aterramento em cada cliente, pois aqui no sul ninguem usa..






Tópicos Similares

  1. Respostas: 3
    Último Post: 28-06-2017, 10:58
  2. Respostas: 3
    Último Post: 02-11-2016, 18:38
  3. Respostas: 19
    Último Post: 27-05-2015, 16:14
  4. Queima de Porta LAN de Equipamentos UBNT.
    Por delegato no fórum Redes
    Respostas: 12
    Último Post: 31-10-2014, 12:25
  5. Respostas: 13
    Último Post: 22-03-2012, 13:43

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L