Resultados da Enquete: Dentre os equipamentos apresentados, qual escolheria?

Votantes
8. Você não pode votar nesta enquete
  • TP Link

    2 25,00%
  • WOM 5000

    4 50,00%
  • Outro, favor citar.

    2 25,00%
Enquete de Múltipla Escolha.
Página 2 de 4 PrimeiroPrimeiro 1234 ÚltimoÚltimo
+ Responder ao Tópico



  1. #21

    Padrão Re: Rede ponto a ponto, 700 MTS. Qual equipamento usar?

    2 sxt lite 5 fica show

  2. #22

    Padrão Re: Rede ponto a ponto, 700 MTS. Qual equipamento usar?

    Citação Postado originalmente por Bitok1 Ver Post
    Amigo, AirGrid nunca foi e nunca será MIMO, nem AirGrid M5 e nem a LiteBeam M5... ambos são equipamentos da UBNT e são apenas UMA CADEIA!
    Ignore o print... as informações ali não condizem com a realidade, ou o firmware ta bugado ou é montagem.
    Se quiser confirmar, pesquise no google imagens por prints de AirGrid e verá.


    Então, justamente porque você quer uma banda de 50Mb que a AirGrid não é interessante... com uma cadeia só é mais dificil conseguir essa banda, ainda mais com enlace obstruído!
    Se quiser usar Ubiquiti, então compre outro equipamento, mas que seja MIMO, como por exemplo: NanoBeam 16, NanoLoco M5, NanoStation M5 ou PowerBeam M5.

    Uma cadeia no sentido de ficar preso aos equipamentos da UBNT?
    O que acha da CPE 510 da TP LINK?
    Me indicaria outro equipamento? (Podendo ser de outra marca) @Bitok1?



  3. #23

    Padrão Re: Rede ponto a ponto, 700 MTS. Qual equipamento usar?

    Citação Postado originalmente por josevivasn Ver Post
    Uma cadeia no sentido de ficar preso aos equipamentos da UBNT?
    O que acha da CPE 510 da TP LINK?
    Me indicaria outro equipamento? (Podendo ser de outra marca) @Bitok1?
    1 cadeia - Equipamentos SiSo (Single-Input Single-Output)
    2 cadeias - Equipamentos MiMo (Multiple-Input Multiple-Output)

    Teoricamente, equipamentos MiMo conseguem o dobro de banda por terem duas cadeias.

    Como eu já havia dito, não cheguei a usar a TP-Link, mas o rubem disse ser boa.
    Só usei WOM5000MiMo ou equipamentos da UBNT...

    Acredito que WOM5000MiMo, TP-Link 510, UBNT NanoBeam M5 16 ou até o NanoLoco M5 devam ser suficiente para o que você quer.

    Se quiser comprar um equipamento que tenha uma antena com mais ganho, você pode fazer também, pra essa distância não precisa... mas você quem sabe.
    Se quiser algo com ganho equivalente da AirGrid, tem a PowerBeam com 22dBi.Enfim... o importante mesmo é que o equipamento seja MiMo.

  4. #24

    Padrão Re: Rede ponto a ponto, 700 MTS. Qual equipamento usar?

    Ah sim, obrigado pelo esclarecimento.



  5. #25

    Padrão Re: Rede ponto a ponto, 700 MTS. Qual equipamento usar?

    Citação Postado originalmente por AIOMARTELECOM Ver Post
    Rubem, DESCORDO 100% de voce !
    Poluição é ABSOLUTAMENTE diferente do que você acha, pois para falar que se usar uma largura de banda maior gera poluição voce nem sabe oque significa isso..
    Amigo não tem diferença Nenhuma entre 5mhz 10mhz 20mhz 25mhz 30mhz e 40mhz no sentido de poluição, a diferença entre elas é LARGURA DE BANDA que é transmitida dentro do canal, quanto MAIOR MELHOR pois estamos falando de PTP (ponto a ponto) e não AP !!!

    se voce faz PTP em 20mhz e AP em 20mhz ai sim pode "Pode" gerar alguma interferencia em si mesmo, agora o correto é PTP em 40MHZ e AP em 20mhz !

    Outra coisa, poluição é uma coisa EXTREMAMENTE diferente de largura de banda, poluição voce so vai entender oque é se estudar SNR (SINAL NOISE RATIO) ou Relação SINAL X RUIDO !

    AG não é dual POL porem gera menos interferencia que um equipamento DUAL POL, voce nao sabia ainda ?
    Qualquer equipamento de dupla polaridade gera MAIOR "interferencia" que um de 1 Polaridade, isso sem duvidas nenhuma !

    Leia mais sobre SNR !
    Você que está enganado.
    Primeiro que não existe isso de "o correto é", cada coisa se encaixa na sua necessidade.
    Quando você possui um enlace, ele ocupa uma largura de banda, tomamos por exemplo o canal 5800, caso você use ele com 10Mhz, você estará ocupando do canal 5795 ao 5805 para transmitir/receber, caso utilize 20Mhz, você estará ocupando do canal 5790 ao 5810, ao utilizar 40Mhz, você estará ocupando do canal 5780 ao 5820.
    Qualquer dispositivo que esteja em um desses canais entre essa largura de banda sofrerá interferência e o próprio PTP também sofrerá das outras redes nessa largura toda de banda.

    Quanto menor a largura de banda, menos interferência para si e aos outros e menos troughput, assim como o inverso é valido.

    O que o Rubem quis dizer, é que quando se usa SISO em 40Mhz, se tem o mesmo desempenho de MIMO em 20Mhz... e é bem fácil de entender isso..

    Você deu balão aqui, tente ser mais humilde.

  6. #26

    Padrão Re: Rede ponto a ponto, 700 MTS. Qual equipamento usar?

    Citação Postado originalmente por AIOMARTELECOM Ver Post
    Rubem, DESCORDO 100% de voce !
    Poluição é ABSOLUTAMENTE diferente do que você acha, pois para falar que se usar uma largura de banda maior gera poluição voce nem sabe oque significa isso..
    Amigo não tem diferença Nenhuma entre 5mhz 10mhz 20mhz 25mhz 30mhz e 40mhz no sentido de poluição, a diferença entre elas é LARGURA DE BANDA que é transmitida dentro do canal, quanto MAIOR MELHOR pois estamos falando de PTP (ponto a ponto) e não AP !!!

    se voce faz PTP em 20mhz e AP em 20mhz ai sim pode "Pode" gerar alguma interferencia em si mesmo, agora o correto é PTP em 40MHZ e AP em 20mhz !

    Outra coisa, poluição é uma coisa EXTREMAMENTE diferente de largura de banda, poluição voce so vai entender oque é se estudar SNR (SINAL NOISE RATIO) ou Relação SINAL X RUIDO !

    AG não é dual POL porem gera menos interferencia que um equipamento DUAL POL, voce nao sabia ainda ?
    Qualquer equipamento de dupla polaridade gera MAIOR "interferencia" que um de 1 Polaridade, isso sem duvidas nenhuma !

    Leia mais sobre SNR !
    olha acho q vc ta um pouco fora da casinha, releia o que vc escreveu. da uma pesquisada sobre o que ta falando, airgrid dupla polarizaçao e novidade.usando 40 mhz voce aumenta o espectro, usando 20 mhz e dupla polarizaçao poupa mais o spectro. sabe qual a isolaçao entre uma polarizaçao e outra?? olha o @rubem entende bastante, acho q vc tem estudar um pouco srsr



  7. #27

    Padrão Re: Rede ponto a ponto, 700 MTS. Qual equipamento usar?

    hawuhuahwawauhwuahwauuwah
    Coitado de quem tiver perto se entregar um equipamento com 80MHz pro rapaz...

    E dEscordo é um: poema característico da antiga literatura provençal, com estrofes elaboradas em diferentes línguas.



  8. #28

    Padrão Re: Rede ponto a ponto, 700 MTS. Qual equipamento usar?




  9. #29

    Padrão Re: Rede ponto a ponto, 700 MTS. Qual equipamento usar?

    Se você fizer o uso de, digamos, 5815 a 5825MHz, usando datarate tipo MCS0 ou MCS7, você inutiliza esse canal de qualquer forma, com 1 ou 2 polarizações.

    Com datarate maior, e 2 polarizações, você terá maior densidade de dados na mesma largura de canal, o numero de portadoras é o mesmo mas o numero de pontos na quadratura aumenta, mesmo que se use envie só 1 byte todos as portadoras serão usadas. São ns 312KHz cada, 20.000KHz / 64 portadoras dá 312,5KHz, são 48 portadoras de dados, 4 portadoras piloto, e 12 de guarda na beirada, veja a posição delas:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         bdc8dcae1319.gif
Visualizações:	41
Tamanho: 	30,9 KB
ID:      	61686
    Mudando o esquema de modulação nada muda em relação às portadoras, elas continuam presentes igual.

    O que muda com menor tráfego é o tempo entre um pacote e outro. Se não houver tráfego só há uma verificação de status (Troca de uns pacotes de sincronia e cia) a cada X segundos. Esse tráfego é minúsculo, usa datarate tipo 1 a 2Mbps (Definido na config. de preambulo) mas também ocupa toda a largura do canal, tudo é codificado (Senão você poderia se passar por um AP pra roubar dados), só a trocar do hash das chaves de segurança já ocupa alguns bytes. Por isso mal se consegue 60% do datarate na forma de throughput (Trafega realmente até 65Mbps num MCS7 a 20MHz, mas é tanto dado acessório que só uns 35Mbps disso é dado do usuário!).


    Se o canal está sendo usado pra trafegar, digamos, a cada 3 segudos uma rajada de 20 ou 30Kbps, ou só ping do windows pra ver se tem acesso a internet, ou do WhatsApp ou Android pra ver a mesma coisa, isso já mata o uso do canal. Se você colocar um PTP operando nessa mesma faixa, o PTP a cada 3 segundos vai cair de velocidade, vai ter tanto dado chegando no conversor analogico-digital que os dados legítimos do PTP serão distorcidos pelos dados indesejados desse cliente que só envia rajadas eventuais.

    O problema de concorrência é que a analise de dados, pra descartar pacotes que não lhe pertencem, é que isso é feito DEPOIS do conversor ADC no chipset.
    Os canais vizinhos são a PRIMEIRA coisa a ser removida, a primeira coisa no caminho é um filtro passa-faixa que, no exemplo do canal dado acima, filtra os dados abaixo de 5814MHz, e acima de uns 5826MHz (É como todo filtro, a atenuação é menor perto da frequencia central, só tem atenuação tipo 30dBm lá pelos 5810 pra baixo (Ou 5830MHz pra cima), por isso tem as portadoras de guarda (Null sub-carriers) na beirada, há emissão de bigode (Spectrum mask, demorei anos pra descobrir o nome gringo pra o que os radio-amadores brasileiros chamam) pros 2 lados e ainda por cima há a ineficiência dos filtros passa-faixa). Aqui ele é o BAW filer (Bulk acustic wave):
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         101413-1.png
Visualizações:	279
Tamanho: 	31,0 KB
ID:      	61687

    O controle de ganho e o conversor analogico-digital (ADC) levam em conta uma base comum a todos os radios wifi de mesmo modo, nesse setor só é barrado sinal baixo demais ou que não usa OFDM.

    Mas... sinal de transmissão contínua em um momento ou outro tem nível que bate certinho com o nível de uma portadora, ele acerta em fase uma e acentua ela, e acerta outra em contra-fase e atenua essa outra, e já sabe, se perder só 1 bit do pacote, o pacote todo fica ilegível e precisa ser reenviado. Então transmissão continua tem potencial pra detonar por completo a banda, por isso ela é proibida (E jammers pra 850/900/1800/1900/2100MHz, pra presídios e cia, funcionam bem assim, é só fazer transmissão continua que os aparelhos não conseguem entender nada, porque o ADC fica cheio de dados malucos).

    Então mesmo que tenha OUTRO SSID, outro esquema de modulação (Um AP usando MCS4 (16QAM) e outro outra MCS7 (64QAM)), é no ADC que um incomoda o outro, no ADC ambos os sinais tem o mesmo nível (Tá vendo na imagem o controle de ganho ANTES do ADC? É pra nivelar sinal), seja o sinal do AP que chegou como -55dBm ou o do que vizinho indesejado que chegou mais baixo com -70dBm, o controle de ganho nivelou os 2! Por isso o datasheet informa a sensibilidade de cada datarate, pra saber abaixo de que nivel o controle de ganho vai IGNORAR sinais indesejados (E se a sensibilidade do radio em MCS7 é -66dBm, esse sinal do vizinho em -65dBm será amplificado de modo a ser legível pro ADC, vai ocupar o ADC, coisa que um sinal indesejado em -67dBm não faria). Essa informação não está no datasheet pra ser ignorada, está lá porque é útil e necessária pra quem quer definir níveis de sinal adequados pra uma boa rede.


    Levar em conta só o SNR não adianta nada.
    Em área limpa um equipto tipo um SXT da vida mostra o ruído no limiar da sensibilidade dele, ou seja, lá pelos -106dBm.
    um SNR de 25dB significa ter sinal então a -91dBm.
    Então ter -91dBm, com 25dB de SNR, usando MCS5, tá bom?
    Não, tá péssimo! Vai perder 99% dos pacotes!

    Mas e se mudar isso pra uma cidade hiperpopulada, onde o mesmo equipto mede o ruído lá pelos -86dBm, se o sinal for algo tipo -66dBm, e isso dá só 20dB de SNR, qual será a qualidade da conexão no mesmo MCS5? Será ótima. Provavelmente CCQ nos 95-97%, perdas mínimas.

    E aí, só o SNR diz alguma coisa?

    O datasheet dos equipamentos e chipsets não fala nada sobre SNR mínimo, ou margem mínima (Relação entre sinal e sensibilidade do equipto é chamado extra-oficialmente de "margem", ou signal margin se quiser pesquisar pelo tema), fala só da sensibilidade, que é o que importa pra qualidade da conexão.

    Respeitando uma margem tipo uns 15dB em distancia curta (Até 2 ou 3Km), e subir essa margem conforme a distancia (Ou o numero de reflexos, porque o problema é o efeito multipath nessa hora (Vide o efeito nas portadoras: http://www.ni.com/cms/images/devzone...c8dcae1318.gif ) até uns 30dB de margem lá pelos 30Km, mas TAMBÉM (Notar: "Também", nada de "Apenas") uns SNR mínimo conforme o datarate escolhido (Uma referência a grosso modo: http://image.slidesharecdn.com/v1brk...?cb=1324564314 (Notar a margem extra dada de 9dBm).

    O calculo de SNR teórico levaria em conta o numero de bits por Hz, mas também o numero de elementos na antena. Num sistema de só 1 antena você usa só a chamada capacidade ergodiga (Não sei se existe em pt-br, aconselho procurar por ergodic capacity, basicamente bits por segundo em cada Hertz em uso), ela leva em considerar um bit-error-rate mínimo, tipo 1 bit perdido a cada 1000, isso ocorre lá pelos 2dB de SNR.

    Mas isso é o calculo teórico, na prática você volta pro problema do filtro passa-faixa (Que atenua quase 1dBm perto da beirada, as portadoras de guarda estão lá por isso mas as vezes atenua uma das primeiras ou últimas portadoras 0,5 a 1dBm, já passa de 1 bit perdido a cada 1000, pra 1 perdido a cada 400), e depois o controlador de ganho vai dar uma elevada nesse sinal, e o ADC vai tentar identificar o que ele é, mas... como ele é tão baixo ele certamente será confundido com reflexos em alguns momentos, na prática vai ter 1 bit perdido a cada 10 ou 20, ou seja, em CADA pacote (Até de sincronia!) vai ter perda, que significa ilegibilidade, é a situação que até a conexão cai (E pra manter a conexão só precisa uns bytes a cada poucos segundos, mas se até eles estiverem ilegíveis não adianta ter uso baixo do canal). Os radios deviam mostrar no setup o BER, bit-error-rate, sempre haveria um numero, e o usuário talvez se assustaria pelos numeros grandes, mas pelo menos logo entenderiam porque o datarate é bem inferior ao throughput e varia tanto.

    (Tá, é exagero dizer que 1 bit perdido implica perder o pacote, na prática depende do que se perde, se é dado acessório ou não, mas lembrem a lei de Murphy: Se houver a possibilidade perder um bit importante, é esse bit que será perdido. Na prática há queda no throughput e não conexão nula, porque nem tudo se perde, há a predição de throughput através de umas derivadas que mesmo com datarate fixo desaceleram a troca de dados pra minimizar erros, é o WPP, wireless performance prediction, é o responsável por todos os "Auto" nos setups e geralmente funciona ("Geralmente" difere de "Sempre"), ou no máximo demora um pouco (Por exemplo na troca de AP onde um smartphone conectaria, demora uns segundos pra desconectar de um AP de sinal baixo e conectar noutro de sinal alto, culpa de um WPP ineficiente pros padrões de 2015, esse é padrão do IEEE então tem conteúdo grátis dele googlando pelos termos (Ou não... já que o IEEE, como quase todo o mundinho acadêmico americano cobra fortunas pelo conteúdo produzido, mesmo que seja com dinheiro público o acesso é pago))


    Livro muito bom que detalha essa parte do processo é esse:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         0471709646.jpg
Visualizações:	69
Tamanho: 	144,8 KB
ID:      	61688
    ISBN 0471709646 caso queira procurar no mundo warez.

    Outro, que trata mais da parte de como o software seleciona pacotes ilegível é:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         1580537960.jpg
Visualizações:	76
Tamanho: 	141,3 KB
ID:      	61689
    ISBN 1580537960 , esse tem até no Google Books parcial, pra quem não gosta do mundo warez.

    E tem o clássico da O'Reilly, um dos primeiros bem completos sobre wifi, é da era do 802.11a mas o basico do wifi ainda não mudou, ainda serve:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         0596001835.png
Visualizações:	74
Tamanho: 	197,6 KB
ID:      	61690
    ISBN 0596001835


    Mas nenhum deles fala de ocupação de canal, pra eles é obvio que se um canal está em uso, seja por PTP ou PTMP, ele é inútil pros outros na vizinhança.

    Então com canal de 20MHz ocupando a 64 portadoras, que seja 10x por segundo ou só a cada 2 segundos, esse canal de 20MHz não pode ser usado na vizinhança (Só onde ele estiver com sinal baixo o suficiente, abaixo da sensibilidade, e uns 25 a 30dBm abaixo do sinal desejado).

    Se usar uma faixa de 40MHz, passa pra 128 portadoras, pra passar a mesma banda vai usar de qualquer forma todas igual. Se vai trafegar um pacote por segundo, ou 10 por segundo tanto faz, o canal já está inútil pra vizinhança.

    A UBNT está ajudando muito colocando ferramenta tipo o AirView, ele mostra bem a taxa de ocupação do canal, que é o que ele chama de numero de hits na imagem do meio:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         airview-v1.1-beta_image01.jpg
Visualizações:	44
Tamanho: 	178,1 KB
ID:      	61691
    Gosto dessa porque mostra na esquerda uma conexão com alto tráfego, são algo na casa dos 100 hits, mas com sinal baixo tipo -75dBm pra baixo. Apesar de baixo isso atrapalha pra caramba porque é ininterrupto! No meio tem sinal tipo -55dBm, mas são só coisa boba tipo uns 20 hits por segundo. Atrapalha igual.

    Nesse caso não tem uma receita mágica, "ignore o nível e veja quantos hits tem", ou "ignore o numero de hits e use o canal com sinal mais baixo" (E isso é o que muita gente faz usando o channel usage no Mikrotik), se o canal tem uso então VAI incomodar, e optar por um canal de 80MHz ao inves de um de 20MHz usa um espectro bem mais largo, inutiliza 60MHz na vizinhança, mesmo que tenha um datarate baixo ou pouco trafego.

    E datarate baixo é mais legível (Permite sinal mais baixo) porque dá tempo pro controle de ganho ajustar o nível a cada instante, assim como tem menos dados pro ADC trabalhar. Mas eles não ocupam "menos" o canal, o radio lida melhor com interferências usando datarates mais baixo simplesmente porque tem mais tempo pra analizar e descartar pacotes depois do ADC, e pra ajustar o controle de ganho. Radios mais modernos fazem isso mais rápido mesmo usando modos antiquados tipo A, B ou G (Mas não quer dizer que devemos usar esses modos) mas quando o canal está em uso, mesmo que seja com meia duzia de hits por segundo no AirView, já inutiliza o canal, esses hits vão pro ADC com nível similar ao sinal desejado e distorcem uns pacotes esporadicamente, quanto mais hits mais atrapalha mas mesmo um mínimo já cria uns bits perdidos... e como sempre se perder 1 bit já tem que reenviar o pacote todo, o trafego cai de 60Mbps ora 20Mbps num PTP só de ligar um AP por perto no mesmo canal e trocar alguns Kbps por ele.

    Não é só a taxa de ocupação do canal, ou o nível dos sinais vizinhos, tem uma equação complexa pra definir que pacotes vão atrapalhar o ADC e o controle de ganho lá dentro do chipset, mas o resumo é que canal em uso é canal inutilizado, usar canal mais largo então inutiliza uma faixa mais larga do espectro.
    (E quando o sinal está baixo demais pro ADC identificar que é um dado binário ofdm, ele vira ruído, então não tenho receio de chamar sinal indesejado de "ruído", mesmo que seja uma sinalização ofdm, se não é meu então é indesejado e está incomodando, atrapalha tanto quanto ruído eletromagnético genérico (Menos que uma transmissão contínua na mesma potência, mas atrapalha)

    Concordo com a crítica que o nome "ruído" não é correto, mas quando você tem uma duzia de AP's no mesmo canal na região, os pacotes refletidos e ilegíveis viram um fundo que os radios não entendem, fica tudo ilegível pro ADC separar então é classificado como ruído. Qualquer cidade grande tem coisa tip -85dBm de ruído em 5GHz, ainda que você configure um mini PTP a 5MHz de largura (802.11n permite), com MCS0, de modo a ter sensibilidade lá pelos -96dBm, ainda assim isso tudo será ilegível pro rádio e ele ainda vai chamar de ruído, apesar de tudo isso ser sinais de outros AP's, sinais OFDM no mesmo padrão do IEEE.

    (Seria como colocar 20 equiptos de som tocando funk, ia virar uma montoeira de ruído, uma ou outra batida ou grito ia se sobressair uma vez ou outra mas de maneira geral tudo seria ilegível, mas... são 20 musicas, qual o momento que musica vira ruído? (Tá, péssimo exemplo... o que não é feito por musicos, nem por instrumentos musicais, não é musica, funk não se encaixa nesse rótulo, mas seja lá qual for a musica, com um monte delas tocando a partir de algum momento tudo vira ruído, nem sempre o audio direto, pode ter eco, e wifi sofre pra caramba com efeito multipath, o pacote tem sinal suficiente mas tem tanto reflexo que é tratado como ruído, tanto pelo software nos rádios como pelo usuário/provedor))

  10. #30

    Padrão

    Citação Postado originalmente por AIOMARTELECOM Ver Post
    Klabundee você falou (variass) BOBEIRAS !

    1° Eu NÃO dei balão em ninguem AQUI
    2° Expressei minha opnião e isso não diz que eu deixei de ser humilde
    3° Existe SIM O CORRETO , ele so não Existe para voce !
    4° Você teve a coragem de dizer que QUALQUER dispositivo sofrerá interferência por causa do uso de um canal e uma largura de banda

    Conclusão, você NÃO PENSOU para falar !

    Agora vou te explicar uma coisa, cada canal tem uma capacidade, isto é, X tamanho de dados podem trafegar dentro dele com TOTAL qualidade.
    Quando VARIAS redes passam a operar dentro do MESMO canal esse tamanho X de dados fica totalmente saturado, é quando voce libera 30 megas no AP e chega 10 megas no Cliente, quando voce mede a velocidade no cliente e ela varia absurdamente, quando voce tem perda de pacotes etc....., isso é oque chamamos de INTERFERENCIA por SATURAÇÃO da Frequencia !
    Existem muitos e muitos outros tipos de "interferencia" sendo que a GRANDE maioria delas na verdade nem é interferencia, nos chamamos assim para generalizar a coisa ou por falta de um real conhecimento !

    A largura de banda DEFINITIVAMENTE não gera interferencia, gera UTILIZAÇÃO da frequencia, alias DAS FREQUENCIAS proximas, ai que esta o X da questão !
    Utilização da frequencia NÃO PODE SER CHAMADA DE INTERFERENCIA !
    Cara cada canal tem uma determinada quantidade de dados que podem tragefar ali dentro com qualidade 100% sem duvidas, 3 redes dentro do mesmo canal podem operar com 100% de qualidade e 0% de perdas tanto de sinal quanto de qualidade...

    Amigo se fosse pra min falar besteira eu nem digitava nada aqui, so estou te falando aquilo que eu conheço !
    Eu fiz sim estudos, testes, analises e outras 1000 coisas para descobrir oque era uma REAL INTERFERENCIA e agora cara eu posso te dizer com 100% mais 100% mesmo de certeza que uma rede utilizando um canal não gera interefencia em outra rede que utiliza o mesmo canal, oque ocorre é uma degradação do espaço deste referido canal, agora não adianta nada a rede do camarada estar com equipamentos NÃO HOMOLOGADOS, 1WATTS de potencia no AP + 1WATTS de amplificador + antena direcional de 33DBI tudo isso virado na direção do seu AP e dos seus clientes e voce setar na mesma frequencia desse "Provedor" e achar que não terá interferencia !

    Numa situação dessa o camarada ira SIM concerteza te gerar interferencia !
    Existem muitas outras situações que tambem geram a REAL interferencia em um spectro !!!!!!!

    Agora voltando ao assunto, uma AG M5 com apenas 17dbm de potencia setada em ambos os lados, ja sao antenas direcional isto é, geram sinal 95% em uma direção so, voce pensar que gera interferencia por causa da largura de banda ??? por favor né !

    Faça o teste, coloca sua rede no mesmo canal que uma outra rede ai proxima de voce, mas escolha um canal que esteja com apenas uma ou duas redes independende de qualquer largura de banda e veja se voce tera interferencia, eu garanto pra voce 100% que se o AP dessas 2 redes estiverem com equipamentos homologados com potencia autorizada dentro das normas da anatel que voce não tera problemas !

    Cara voce falou que não existe o CORRETO, não fala mais uma besteira dessa pelo amor de Deus !!!!!

    ROCKET M5 + DISH 30DBI (Solução para PONTO A PONTO)
    ROCKET M5 + BASESTATION (Solução para ACCESS POINT)
    AIRGRID M5 (Solução para clientes)
    RB 1100 (Solução para gerenciamento de uma rede)
    RB 433 (Solução para transmissão de sinal com até 3 cartões)

    Voce me vem e me diz que não existe o correto, a é ? então coloca uma RB1100 como access point wireless na sua rede !
    Obrigado por compartilhar seus conhecimentos.



  11. #31

    Padrão Re: Rede ponto a ponto, 700 MTS. Qual equipamento usar?

    A falta de bom senso e de interpretação não contribui em nada ao fórum, da mesma maneira como aquela velha mania de querer saber mais que o outro, na tentativa de parecer superior.
    Quem perde somos todos nós com esse tipo de postura, das 8 páginas, nem todas tem realmente algum conteúdo que agregue conhecimento, ou sirva para a finalidade que era ajudar o autor do tópico.

  12. #32

    Padrão Re: Rede ponto a ponto, 700 MTS. Qual equipamento usar?

    é interferência SIM !!

    a numeração de canal apresentada... por exemplo 5800 é a frequência CENTRAL da portadora... apartir dela.. como explicado se 10mhz (5 abaixo, 5 acima) e assim por diante.. mas em MIMO eh diferente um pouco.. o canal de 40 mhz, são 2 canais de 20mhz.. (veja que quando você muda isso no mikrotik ou ubiquiti ele mostra UPPER ou LOWER). voce escolhe o canal (frequência central..) e se for upper, ele seleciona o uso dos outros 20mhz acima .. se for lower abaixo...

    um PTP ocorre comunicação entre dois rádios.. e ponto final.. o RESTO é ruido pra ele.. mesmo que no mesmo canal...



  13. #33

    Padrão Re: Rede ponto a ponto, 700 MTS. Qual equipamento usar?

    E se houver algo tipo "capacidade" de canal, tipo "50Mbps", é só montar um PTMP com 4 setoriais, todas no mesmo canal, e tentar vender 50Mbps com os clientes espalhados por elas.

    Se num PTP limpo se consegue uns 60Mbps em 20MHz com MIMO, essa seria a "capacidade do canal" que um PTMP com 3 ou 4 setoriais, com 20 ou 30 clientes, deveria entregar.

    Não entrega porque? Porque um AP atrapalha o outro. Não há coordenação, em tese haveria uma "espera" por um brecha, mas no mundo real não dá tempo, todo AP tá mandando e recebendo dado o tempo todo, não pode esperar (E se aparecer uma brecha de sinal, e 3 AP's transmitirem, acha que eles vão "desistir" e um pedir desculpa pro outro?).

    Em Engenharia Elétrica existe a "Capacidade do Canal". E ela é é medida em bits por segundo por Hertz, é o que citei, com sinal suficiente e margem de erro pequena é algo tipo 10bits por Hertz por segundo.
    Se pegar essa tabela, a linha de cima que é 64QAM, com 30dB de SNR:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         RayCapSNR.jpg
Visualizações:	23
Tamanho: 	26,3 KB
ID:      	61693

    Temos cerca de 9 bits por Hertz por segundo.
    São 20 milhões de Hertz num canal de 20MHz?
    Não. São 48 portadoras UTEIS de 312,5KHz cada. As 4 portadoras guia, e as 12 na beirada (De guarda) não contam, elas não levam dados do usuário.
    48 * 312500 = 15MHz
    15 milhões de Hertz. Se cada Hertz leva 9 bits:
    15.000.000 * 7,5 = 135.000.000 bits
    135Mbps
    Wow!
    O que tem de errado nisso se com canal de 20MHz NEM TEMOS um datarate tão alto?
    O que tem "de errado" é que isso é o calculo teórico. Na prática tem um regime de cálculo pra SNR baixo (Abaixo de uns 10 ou 15dB), e ele muda hora que passa pra dos 15-20dB:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         73-638.jpg
Visualizações:	20
Tamanho: 	91,1 KB
ID:      	61694

    A coisa estabiliza abaixo dos 5 bits por Hertz.
    Aqui tem o dado:
    https://en.wikipedia.org/wiki/Spectral_efficiency
    Fala em 3,61 bits por segundo por Hertz em 802.11n em 20MHz. Mas tem o fator de reuso que dá mais 1,2 bits por Hertz. Total de 4,81.

    E se pegarmos aqueles 15MHz úteis e aplicar na conta: 15.000.000 * 4,81 = 72.150.00bps. Ou arredondemos pra 72Mbps. Que é o datarate de MCS7 a 20MHz com GI de 400ns (Curto). Não dá exatamete 72,2Mbps porque o valor não é exatos 4,81bps/Hz, tem que fazer a conta nessa última imagem.

    Mas isso ainda é TEÓRICO! Na prática CADÊ os 72,2Mbps de THROUGHPUT?
    Eu sei onde ele está, está na cabeça de quem vive na teoria.
    Na prática que se exploda a capacidade teórica do canal, o que define o throughput é a capacidade do HARDWARE (Ou que seja do software, mas enfim, do roteador usado).
    O dado do usuário entra nesse slot pequeno que é o payload:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         wsn_diagram_4_small.png
Visualizações:	24
Tamanho: 	33,2 KB
ID:      	61695

    Ou seja, só uma parte desses 72,2Mbps é dado do usuário, então não faz NENHUM sentido (Exceto pra engenheiro discutindo novos padrões) falar em "capacidade do canal". Na prática (Fora das aulas de engenharia) se conseguir 40Mbps de throughput efetivo nesse caso se dê por satisfeito.
    (Eu lembro vagamente de ter visto uns 38Mbps, mas hoje o que posso sonhar é uns 35Mbps)

    Passando pra dupla-polarização a capacidade teórica dobra. Simples assim.
    Ou nem tão simples, a conta de bits por segundo por Hertz não dobra, aumenta uns 50%. Ou seja, não teria 18bps/Hz com 30dB de SNR com 2T/2R (Já que tem 9bps/Hz com 1T/1R), teria apenas uns 15bps/Hz), mas... isso é o calculo teórico, na prática o throughput quase dobra sim, o datarate dobra mas o throughput nem sempre (Não faço idéia do motivo, eu aposto em sinal de um chain atrapalhando o outro, por mais que existam mecanismos via software pra minimizar isso (Minimizar difere de impedir)).
    Então daria pra falar que a "capacidade do canal" é maior com 2T2R? Na prática sim, mas em teoria não podia dobrar (No calculo simples de bits por segundo por Hertz não dobra... oh meu Deus, a teoria não bate! Não, porque ela não leva em conta as limitações nos hardwares).
    Em 3T3R a capacidade também não triplica, em 4T4R menos ainda (AC com 4 chains não tem 4x o throughput que com 1 chain, mal dá 180% a mais quando devia ter 300% a mais!), porque aí o problema começa a ser de o sinal de um chain atrapalhando o outro. O datarate em 4T4R é altíssimo, mas o throughput é limitado, tá cheio de roteador AC1700 com 2 chains cujo throughput mal bate os 500Mbps, e falo de coisa cara tipo Asus AC66 e Apple Time Capsule!

    Pra falar em capacidade de canal poderiamos falar em modulação, se usassemos 512QAM? E se fosse 1024 ou 2048QAM como TV via satelite usa? Ou 4096QAM como uns radios digitais? Teríamos um numero teórico de bits por segundo por Hertz gigante, numeros 400x maiores que temos hoje com 64QAM no mesmo canal de 20MHz. Mas... isso exigiria um espectro exclusivo pra um aparelho, nada de concorrência.
    O padrão do IEEE estaciona em 64QAM (AC ainda tem ele, só colocou 256QAM pra quem banda grande mas não removeu modulações menores) e 16QAM porque é um ponto onde o SNR pode ser baixo tipo 20dB, ou a margem de sinal pode ficar nuns 12dBm (Acima da sensibilidade) sem que isso resulte em desempenho ruim tipo 15% de perdas. É o ponto onde pode ter competição no canal sem que a qualidade vá pelo ralo.
    Mas... provedor não precisa de qualidade mínima, precisa de qualidade total, um PTP tem que ter zero perda e delay mínimo (1 ou 2ms a mais, no máximo). Com necessidade dessa, não pode ter competição no canal.

    Se pudesse ter um monte de AP's no mesmo canal seria lindo, 3 ou 4 setoriais no mesmo canal, dividindo os teóricos 35Mbps de thropughput que um canal de 20MHz permite.
    Mas na prática se conseguir 10Mbps com 2 setoriais no mesmo canal já será muito, isso é uma queda de 70% no throughput! 70%!

    APzinho doméstico 2,4GHz trocando dados com smartphone não pode ser comparado com um PTMP entre radios parudos, tipo uma RB912 como AP e um SXT 5hnpd nos clientes, aparelhos tipo smartphone e notebooks não tem setup fixo, o WPP fica ativo o tempo todo usando datarates e larguras de canais diversos (E ele faz isso porque o WMM tenta economizar gasto de bateria), justo o AirView da UBNT denovo ajuda a ver direitinho que não dá pra identificar canal de 20MHz em 2,4GHz hoje:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         maxresdefault.jpg
Visualizações:	28
Tamanho: 	86,7 KB
ID:      	61696

    Simplesmente não há uma padronização na largura e uso de modulação em smartphone e notebook. Já se olhar no Airview em 5GHz consegue identificar perfeitamente cada faixa de 20 ou 40MHz em uso, porque CPE's e AP's tem config. fixa (Pode deixar o canal em auto, modulação em auto, ele muda isso esporadicamente, enquanto equipto mobile faz isso todo minuto, se desativar WMM minimiza, mas não tem como fixar quase nada em wifi de equipto mobile mesmo com WMM desativado, sempre terá variação de potencia, modulação e até largura de canal nas respostas, o padrão do IEEE foi feito pra isso mesmo, AP pode operar num modo e largura, e estação em outro, necessário já que upload é sempre menor que o download (Especialmente de conteúdo multimídia)).

  14. #34

    Padrão Re: Rede ponto a ponto, 700 MTS. Qual equipamento usar?

    resumindo o que todos estão falando, queremos continuar usando as frequências por mais tempo sem se incomodar com os vizinhos. ou seja poupe o espectro. se der so pra usar 5mhz e resolver seu problema use, os vizinhos e futuros usuários da tecnologia agradecem.

    Com esse topico da quase pra montar um livro srsrs

    NÃO SEJA EGOÍSTA DIVIDA O ESPECTRO COM O PRÓXIMO. SE POSSÍVEL USE EQUIPAMENTOS COM DUPLA POLARIZAÇÃO E POUPE O ESPECTRO DE FREQUÊNCIAS.
    AMEM



  15. #35

    Padrão Re: Rede ponto a ponto, 700 MTS. Qual equipamento usar?

    Se dois usando o mesmo canal, um do lado do outro, não desse problema... Existiria somente 1 canal nos equipamentos... Concorda?
    Seria até mais fácil para os fabricantes, muito mais fácil para os compradores.
    Usa 900MHz do lado da torre da Vivo então e veja se eles vão dar um tapinha nas suas costas e falar: "Fica sussa, nem dá problema pra nós, só pra vc".
    O medo da interferência da TV Digital com o 4G nos 700MHz.
    O problema de forno Microondas no 2GHz ou em telefone sem fio 2GHz.
    Funcionar, pode funcionar, tudo é na base do teste. Mas, ou não vai ser satisfatório ou não vai prestar.
    O problema aqui foi a arrogância, o que serve pra mim, as vezes não serve pro meu vizinho, então não posso e não devo falar. "É assim ou não é assim".

  16. #36

    Padrão Re: Rede ponto a ponto, 700 MTS. Qual equipamento usar?

    Citação Postado originalmente por Bitok1 Ver Post
    Quem perde somos todos nós com esse tipo de postura, das 8 páginas, nem todas tem realmente algum conteúdo que agregue conhecimento, ou sirva para a finalidade que era ajudar o autor do tópico.
    Eu cheguei com uma duvida em qual equipamento usar, e pelo que tô vendo, vou sair com duvida da frequência que meu corpo emite.



  17. #37

    Padrão Re: Rede ponto a ponto, 700 MTS. Qual equipamento usar?

    Voltando ao assunto do tópico.....
    Vou reafirmar o que já disse antes.
    Vai de SXT Lite 5, caso não haja confiança da sua parte quanto as configurações, me comprometo a te ajudar nas configurações. Mando dois backups um para cada ponta da SXT, vc joga os backups no equipamentos, depois que eles alinharem nós juntos vamos dando o fino para tirar o melhor, mas com essa distancia, não tem erro.
    OBS.: Independente da sua escolha, respeite sempre a ZONA DE FRESNEL, pois existem excelentes equipamentos, mas não são mágicos.

  18. #38

    Padrão Re: Rede ponto a ponto, 700 MTS. Qual equipamento usar?

    No 5210G te garanto que não passa. Não pode ser Powerbeam? ou SXT?



  19. #39

    Padrão Re: Rede ponto a ponto, 700 MTS. Qual equipamento usar?

    tava pensando no
    NanoBeam M5 16dBi (NBE-M5-16)
    também funciona?

  20. #40

    Padrão Re: Rede ponto a ponto, 700 MTS. Qual equipamento usar?

    Citação Postado originalmente por josevivasn Ver Post
    tava pensando no
    NanoBeam M5 16dBi (NBE-M5-16)
    também funciona?
    Esse é mais para cliente. Se tiver como, use o Powerbeam M5-300 entao.