Colocando 2 carregadores na mesma bateria realmente vai ter todos os problemas que citou.

O que sempre recomendo é aproveitar um controlador solar, fazer isso:
Anexo 62655

O diodo saindo da fonte 15V impede da tensão do painel ir pra fonte.
E os paineis tem diodos internos, geralmente de corrente muito mais alta que a corrente do painel, nunca vi nenhum queimar diodo.

NESSE uso a tensão do painel vai variar conforme sol e conforme o consumo (O controlador permite que a bateria consuma tudo, geralmente estabiliza na casa dos 20% da corrente nominal da bateria, digamos uns 20A se a bateria diz que tem 100Ah de capacidade), mas não acho que vale a pena ficar balanceando o consumo nesse caso, tem sol no angulo ideal apenas 6 ou 7 horas por dia.

Se colocar o painel reto na horizontal, o sol das 9h vai estar num angulo tão ruim que a captação será de uns 40% do máximo, é só inclinar alguns graus e a captação sobe pra 70 ou 80%, e se colocar o sol a 90° do painel vai pra 100%. Como ninguém colocar um sun-seeker desse:
Anexo 62656
O jeito é não contar com sol constante, portanto não contar com corrente constante no carregador. Tem que jogar pra bateria TUDO o que vier pelo painel, desligar a fonte AC pra que tudo o que sair do painel vá pra bateria!

E eu na verdade faço isso, pra evitar até a queda de tensão nos mosfets do controlador de carga, reduzir qualquer 1% de perda:
Anexo 62657

(Na verdade faço isso porque quando as baterias baixam a menos de 10,5V, o controlador desliga ela, e só religa quando a carga volta elas pra algo na casa dos 12V, ou seja, se as baterias acabam as 6h da manhã, o controlador talvez só religue o equipamentos as 9h da manhã. Nesse esquema com os 2 diodos o controlador mantém a saída desligada mas a alimentação não vem por ele)



Sobre a questão de ler tensão do painel, é que citei, a tensão depende da corrente. De noite você mede 20V num painel, mas... se ligar nele um led vermelho de 3V nem vai queimar o led, mal vai acender, porque o consumo é tão grande que a tensão cai pra quase nada.
Com o circuito em aberto o painel quase sempre terá tensão, e coloca uma carga de uns 20 ou 30 ohms não ajuda, porque chega uma hora que a captação vence isso e sobe a tensão até 20V, mas... se colocar uma carga resistiva maior (Uma bateria) a tensão cai ainda mais.

Os controladores comuns são PWM, se tem 20V na entrada eles liberam pulsos estreitos pra carregar a bateria, é por mosfet, então o único sentido da energia é painel>bateria, mesmo que o controlador esteja sendo enganado pelo comparador de tensão no máximo ele acende o led de carga mas não verdade não carrega.

Já os bons controladores hoje são do tipo MPPT, ele tem um conversor DC-DC que tanto pode aumentar como diminuir a tensão de saída com relação a de entrada.
Ele é feito pra manter as baterias em, digamos, 13,5V, se a tensão no painel for 12V ele vai operar como boost e elevar a tensão. Mas se a tensão no painel subir pra 14,5V ele vai operar como buck e reduzir ela.
O circuito integrado lê a tensão da bateria pra definir o que o circuito buck/boost deve fazer, é algo bem inteligente, a intenção é aproveitar ao máximo o que o painel capta.
No brasil o sol fica em angulo ruim algumas HORAS, nas regiões temperadas do mundo são MESES de angulo ruim, pra aproveitar o sol no meio do Canada teria que girar o painel num eixo X e Y, digamos:
Anexo 62658

O circuito que controla isso é simples, pra cada eixo vão 2 tubinhos com 2 LDR, num amp op como comparador, controlando um motor (Tem modelo com motorzinho de 10W com redução 5000:1, o consumo é mínimo). Mas o produto comercial a venda é bem caro, por mais simples que seja.

No brasil só o que precisamos é ir 3 ou 4x no ANO mudar o angulo uns 4 ou 5º e isso já melhora a captação em 10%. É simples mas NEM ISSO a maioria dos usuários faz, imagina ter que gastar com sistema de R$ 2 mil!

As vezes gasto 6 ou 7 emails pra explicar pra alguém como colocar esse mísero diodo, imagina um circuito mais complexo!

E colocar 2 carregadores em paralelo é tipo 2 fontes chaveadas em paralelo, os comparadores de tensão vão se afetar, dependendo do circuito isso até funciona, mas é a situação onde "problema" é a regra, e "funcionar" é a excessão (Coisa tipo ligar 2 fontes ATX em paralelo, muita gente faz, esperando que tenha alimentação melhor, e até funciona enquanto os capacitores de saída tem ESR baixa, e o filtro LC está ok. Recomendar eu não recomendaria isso nunca, mas tá cheio de gente usando. Nesse caso não dá pra isolar com diodo os carregadores porque o carregador precisa ler a tensão da bateria. Se o carregador apenas mandar fixo uns 13,5V pra flutuação, logo a bateria desequaliza (Umas celulas retém mais carga que outras, umas ficam com 2,4V e outras ficam com 2,2V, as com 2,4V vão aquecer e evaporar o gel ou líquido mais cedo), pra bateria DURAR precisa reduzir corrente e fazer uma carga de equalização, isso os controladores solares fazem (Os bons), e eles sabem QUANDO fazer isso só com base na tensão da bateria, se tiver um carregador paralelo, a tensão do carregador vai atrapalhar a aferição de tensão da bateria e o controlador solar não vai fazer o que devia.

(Tem controlador solar de R$ 150 com microcontrolador do poder de um PIC 16 bits, sabe ler temperatura, tensão da bateria, sabe ANALIZAR se a tensão da bateria subiu lentamente ou rapidamente (Se subiu rápido então tem célula ruim), se já deu 4 ou 5 horas de carga e agora a tensão já está em, digamos 13,8V e a resistência da bateria já subiu (A corrente tende a diminuir, ele mede a corrente circulante), e portanto é hora pra aplicar por meia hora a sobretensão pra equalização, enfim, controlador solar fazendo atividades inteligentes que os carregadores de bateria NEM SONHAM! E tudo o que esses controladores precisam é ter uma fonte de 15 a 20V DC na entrada, seja de painel solar, fonte chaveada, fonte com trafo, dínamo em roda-d'agua, gerador eólico. Mas ele vai consumir o que entrar, se ligar uma fonte chaveada de tensão estável, o painel solar será subutilizado, por isso digo que tem que colocar um timer pra desligar a fonte chaveada de dia, pois enquanto a fonte estiver ligada o painel não terá consumo muito alto)



Se for situação de consumo muito alto, dá pra deixar a fonte chaveada ligada digamos das 17h até as 9h, e desligar só quando COM CERTEZA terá sol no angulo certo do painel. Mas isso meio que subutiliza o painel, não permite aproveitar a captação meio baixa quando o sol está em ángulo ruim, acaba não economizando eletricidade.
Em uso normal em provedor, essa 1 ou 2 horas entre desligar a fonte chaveada, e o sol chegar num angulo bom pro paine, significa "esvaziar" a bateria em apenas 4 ou 5%, não faz muita falta, ou melhor, não faz muita falta mas economiza muita eletricidade, aproveita bem melhor o painel solar.

Eu uso esses timers baratos de R$ 20 - 30 até em ar-condicionado que tem corrente de partida de uns 4A, eles aguentam muito bem o tranco, atrasam depois de uns meses mas nada grave (A hora que o sol nasce e se põe muda também), se ajustar eles a cada 6 meses já tá muito bom.
Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         42846_-_timer_analogico.jpg
Visualizações:	27
Tamanho: 	134,0 KB
ID:      	62659