Página 2 de 2 PrimeiroPrimeiro 12
+ Responder ao Tópico



  1. Isso, são os equipamentos de caráter secundário, podem receber interferência mas não podem causar elas.

    Mas lâmpadas e receptores de rádio também são assim, não PODERIAM gerar ruído demais.

    Só pra confirmar, é receptor de rádio AM né?

    Se for transmissor, aí é outra estória, se for rádio amador então, nem se fala, pode ter intermodulação ou harmônicas acertando em cheio umas frequências intermediárias de outros equipamentos. Não devia, mas acontece muito.

    Explicando sobre frequências intermediárias com um exemplo:
    TV parabólica.

    A parabólica analógica, banda C, é um receptor dentro de casa, um cabo de RF até o LNB ou LNBF, e esse LNB/LNBF é que pega o sinal que reflete no disco.

    O satélite transmite entre 3,7 e 4,2GHz.
    O LNB/LNBF pega esse sinal entre 3,7 e 4,2GHz, mas ele tem um circuito interno, esse circuito basicamente reduz a frequência pra ter menos perda em cabos e ser menos suscetível a uns ruídos de fora da atmosfera. De modo que na saída do LNB/LNBF, terá o mesmo tipo de sinal, só que nas frequências de 0,9 a 1,4GHz.

    O receptor de parabólica dentro de casa só sabe lidar com sinal de 900 a 1450MHz, mas o sinal sai do satélite lá no espaço a 8000 km de distância na faixa dos 3700 a 4200MHz!

    Essa frequência de 900 a 1400MHz entre 2 circuitos é uma frequência intermediária, não é nem entrada nem saída, é uma frequência no meio do caminho, mais fácil de filtrar, de amplificadr, de decodificar e etc, tem motivos pra fazer isso.

    Dentro do receptor da parabólica tem mais frequências intermediárias, pra tratar imagem e áudio se faz muito isso, filtra ou ajusta algo numa frequência tipo 10MHz, e depois só reduz pra faixa audível a cerca de 1 kHz e o circuito fica mais simples do que filtrar a 1 kHz.

    Se pegar o diagrama em blocos de um rádio AM comum, verá uma frequencia intermediária no meio:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         super-heterodino-diagrama-blocos.gif
Visualizações:	46
Tamanho: 	4,1 KB
ID:      	63136
    Esse "Ampl. FI" é o amplificador da frequência intermediária, geralmente é de 455KHz.

    Esse tipo de receptor funciona com batimento. Você capta um sinal de digamos 1050 kHz pela antena, e usa um gerador de sinal (Oscilador local) de 1050 kHz que gere chiado. Se 2 frequências exatamente iguais entram num amplificador, e estiverem uma oposta a outra (Invertida, uma oscila pro negativo e a outra pro positivo) você ANULA o sinal. É tipo afinar violão, você aperta com o dedo a 5ª casa da 2ª corda, e toca a 1ª e 2ª cordas, se as 2 estiverem no mesmo tom, o som de uma mata o som da outra.

    Se o som captado não for exatamente igual o som do gerador de sinal (Oscilador local), você ouve essa diferença.

    Quando você mexe no dial desses rádios, está mexendo em 2 circuitos, um capacitor duplo, que altera a frequência captada ao mesmo tempo que altera a frequência do oscilador local.

    Esse oscilador local tem potência baixa, a chance de ele ser transmitido a mais que uns centímetros do rádio AM é quase nula.

    Alias, quando você pega um controle remoto e aperta numa tecla com ele do lado de um rádio AM, ouve a rajada de sinal porque a frequência intermediária da maioria dos controles remotos também é 455KHz, igual da maioria dos rádios AM. Mas precisa colocar o controle remoto encostado no rádio, porque a potência disso é muuuuuito baixa, só com um circuito com um problema sério é que isso seria emitido pro ar com potência alta.


    É mais comum que o sistema de chaveamento das fontes gere problemas. No chaveamento um circuito liga e desliga a alimentação de um transformador, faz isso 40 MIL a 100 MIL vezes por segundo, ou seja, oscila a 40 a 100 kHz. Ele muda o tempo que fica ligado ou desligado, ou seja, muda a "largura" do pulso, mas é sempre na mesma frequência.

    O problema nesse caso é que se oscilar a 113KHz, a 1ª harmônica, ou 1 oitava acima (Igual teclado tem várias oitavas, ou o violão da corda mais grossa até a mais fina tem 2 oitavas de distância) séra o dobro da frequência, ou 226 kHz, e a 2ª harmônica, ou a 2ª oitava depois, será de novo o dobro, mas o dobro de 226 kHz, ou 452 kHz, que certamente acertará em cheio o amplificador da frequência intermediária do rádio AM!

    Alias, se ligar rádio AM comum de dia, vai pegar muuuuuuito ruído, e é tudo ruído produzido de modo INDIRETO.

    Até a bobina que gera alta tensão pras velas do carro gera ruído aos montes. Ela é alimentada muitas vezes por segundo, com o motor a 4000 RPM de 4 cilindros são 4000 centelhas da vela por minuto, ou 66 por segundo. Só que isso é uma bobina de Tesla, tem um campo eletromagnético tão poderoso que pode ser captado a centenas de metros. Um ruído de 66 Hz com potência tão alta ainda gera uma 1ª harmônica a 132Hz muito alta, a outra a 264Hz também ainda alta, a 528 Hz idem, e assim vai dobrando a frequência e a intensidade diminui mas ainda é captável de longe, hora que chega na 5ª ou 6ª harmônica devia estar tão baixo que não incomoda mais, mas...
    Quando tem um FIO entre um circuito e outro, esse FIO pode atuar como antena, levando a 10ª harmônica pra circuito distante. Se o circuito oscila a 40 kHz, as harmônicas seriam 80, 160, 320, 640, 1280, 2560, 5120, 10240, e já estamos em 10MHz, e é a 8ª harmônica. Ela vai estar muito baixa, só atrapalharia se tivesse um fio servindo de antena mas num angulo muito exato, e acertando um circuito sem filtro de ruídos. E 10MHz é frequência usada em vários circuitos de telecom.

    Precisa entre 3 anormalidades aí, um circuito gerando uma harmônica em nível muito alto, um fio servindo de antena pra levar isso num lado ao outro (E a rede elétrica de casa raramente faz isso), e o circuito que vai receber isso precisa OU ser mal-feito OU estar com algum componente de filtragem com defeito.





    Outra situação que pode ocorrer é a intermodulação.

    Digamos assim, no mar você tem aqueles osciladas da água, a água fica tremulando o tempo todo, digamos
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         water-828746_960_720.jpg
Visualizações:	23
Tamanho: 	198,6 KB
ID:      	63137

    Digamos que essas ondinhas sejam sua onda de sinal do roteador passando unm cabo, a 5,8GHz, são milhões de ondinhas pequenas por segundo (Milhões de Hertz, então)

    Mas... se uma onda mais lenta (Portanto em frequência mais baixa) passa, com um nível bem mais alto, as ondas menores não necessariamente perdem o formato, elas só mudam de nível, sobe e descem conforme a onda grande:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         16515831835_bd21e3cddd_z.jpg
Visualizações:	69
Tamanho: 	240,0 KB
ID:      	63138
    Só dá problema quando essa grande onda quebra por algum motivo, aí sim ela afeta as ondas menores
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         95442290.jpg
Visualizações:	218
Tamanho: 	164,5 KB
ID:      	63139



    Por isso se você tem uma rádio OM ou FM, transmitindo sinal que passa por um cabo do lado da antena, em frequencia tipo 10MHz ou 100MHz, tem chance SIM disso atrapalhar um sinal de 2400 ou 5800MHz porque essa onda em frequência mais baixa certamente estará em potência tipo 500W, enquanto o sinal que você recebe a -50dBm significa sinal circulando pelo cabo na casa dos 0,00000001 watt! ( Calcule: http://www.rapidtables.com/convert/power/dBm_to_mW.htm -50dbm dá 0,000001 mW, e 1mW é 1 milésimo de watt (0,001)), só tem potência pra atrapalhar por é 500 contra 0,00000001, é algo tipo 50 bilhões de vezes mais poderosa (Na verdade, o sinal que "escapa" do cabo que vai pra antena de FM será de algums miliwatts, mas ainda será alguns miliwatts intermodulando sinal de 0,000001 milliwatt).

    Mas pro sinal de uma rádio FM a 50m de distância atrapalhar, de novo precisa algumas condições anormais, o sinal teria que chegar no angulo exato de um pedaço de fio de digamos 3m (100MHz é uma onda com 3m de tamanho, divide a vel. da luz (Uns 300.000 m/s) pela frequencia e obtem o tamanho da onda. Divide 300 pelos MHz e terá o tamanho em metros, 300 / 100 = 3m, ou então 300 / 2400 (2,4GHz = 22400MHz) = 0,125m, ou 12,5cm de tamanho de onda, logo, um micro-onda, ou... microondas... e 2,4GHz é a frequencia de operação dos microondas de cozinha), e precisa também que esse fio esteja ligado num circuito OU mal-feito OU com algum componente de filtragem defeituoso.

    Os circuitos já são feitos pro mundo real, já são feitos pra filtras uns ruídos mais comuns, só se essa filtragem está com algum componente com solda quebrada, ou um dos componentes passivos deu problema ou tem problema de fábrica, é que esses ruídos comuns vão atrapalhar.

    Hoje todo circuito precisa suportar o ruído eletromagnético que os celulares produzem. O sensor dos alarmes não pode acionar com o celular do lado, a TV ou monitor não pode ficar maluca se você deixar o celular do lado, esse tipo de coisa só acontece com aparelhos antigos, não tinha como um projetista em 1995 imaginar em 2010 alguém teria um celular em cima da TV, por isso uma TV de tubo fica biruta com alguns celulares em cima, na época do projeto esse tipo de ruído não existia!




    E esses ruídos ou afetam em cheio as frequencias intermediárias do circuito, ou intermodulam algumas dessas frequencias intermediárias, poucas vezes o efeito é no sinal de saída mesmo. O caso de rádio FM atrapalhando CPE até é mais comum mas é o que citei, estamos falando de potência absurdamente altas passando a poucos centimetros e potências absurdamente baixas (Usem o conversor de dBm pra mW, vejam quanto zero tem em -80dBm de sinal! E lembrem que o mW é um MILÉSIMO de watt, a conversão ficaria aqui:
    http://www.rapidtables.com/convert/power/dBm_to_mW.htm

    -80dBm são 11 (onze) zeros depois da vírgula, ou seja, -80dBm de sinal está pra 1 watt assim como um fio de cabelo está para o QUILÓMETRO! A gente trabalha em wifi com sinais muito baixos.

    Você transmite algo do tamanho de um Titanic, e não é que do outro lado chega uma canoa, não chega nem um mosquito, o que chega no outro lado é do tamanho de um Zika vírus, e assim como o vírus tem potencial pra ferrar tudo independente do tamanho, esse sinal ainda pode ser amplificado, decodificado e entendido. Só que o circuito que faz isso tem várias etapas, nalgumas etapas uma intermodulação pode atrapalhar, em outras é o ruído de EMI da fonte chaveada do lado que atrapalha, cada fonte de campo eletromagnético pode afetar um setor diferente dependendo do angulo, intensidade e frequência.


    Pra saber exatamente quem atrapalhou quem, teria que levar o rádio AM numa camara anecoica e medir que emissão errada ele tem, e ver o circuito do roteador pra ver qual filtragem dele está faltando, ou se falta uma latinha tampando parte do circuito.

    O básico que equipto WIFI devia ter é aquela latinha ao redor da etapa de RF
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         DSC09836.JPG
Visualizações:	84
Tamanho: 	93,6 KB
ID:      	63140Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         DSC09837.JPG
Visualizações:	126
Tamanho: 	87,4 KB
ID:      	63141Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         DSC09838.JPG
Visualizações:	23
Tamanho: 	89,7 KB
ID:      	63142

    Equipamento vagabundo (Roteador de R$ 60) nem isso tem. Equipamento pra desempenho maior, geralmente mais caros, tipo uns rádio EPMP da Cambium e o Airfiber da Ubiquiti, tem isso até maior, uma traseira inteira atuando como dissipador de calor E como blindagem contra RFI e EMI.

    Uma latinha fina dessa atenua uns 20 a 30dBm de sinal dependendo da frequência, e 20dBm de diferença é a diferença entre identificar ou não um sinal, essa latinha as vezes é a diferença entre pegar ou não pegar alguma RFI de um equipamento por perto, parece fina e boba mas tem muito uso. Uma blindagem inteira num roteador poderia ser uma boa (Se o circuito for mais completo (Portanto mais caro) e não emitir RFI ele mesmo) mas ainda pode ter ruído vindo de longe via cabos, por isso roteador barato de mesa não se preocupa muito com isso, melhor cortar R$ 10 no custo de TODOS do que aumentar esse custo sendo que só 0,1% dos usuários terão mesmo ruído preocupante. Então o caminho é esse mesmo, SE tiver ruído troque equipto e posição de cabos, as vezes uma palmo ou simplesmente outra unidade do mesmo modelo já muda o quanto o problema afeta, mas noutros casos a RFI ou EMI chega num nível tão alto naquela posição ou cabo, que nenhum equipamento resolve.

  2. Uma aula, melhor relembrando a matéria.
    Faltou citar as faixas de FM ou mesmo AM(aviação) que usam o 455 como detector ou demodulador, mas temos também 4,5(TVs);10,7; 21,4; 45 MHz que usam em seus receptores. Além disso que nisso estão os alarmes residenciais(cada um pior que o outro), alarmes de veículos com rastreamento mal instalados etc. Meu vizinho o portão dele vira e mexe amanhece com o portão da garagem aberto, sendo preciso desligar da rede elétrica para que isso não aconteça. Hoje se alguém trabalhar com tese para RF, só em interferências renderia matérias e mais
    matérias de doutorado ou ele ficaria louco( 270 milhões de celulares, outros tantos para possíveis interferências), desses aparelhos já sabemos " se estiver pronto pra tocar, interfere na TV, aparelho de som antes" mas no meu Motorola(MotoG), parou com isso depois do 5.1 e agora com 6.0 pelo menos nos ambientes em que frequento ou talvez por que ele acende por um curto período de tempo para ver as notificações(sensor de proximidade ativo) e alguns outros recursos disponíveis no android pode ajudar a não interferir; Outros SOs não sei dizer por não ter nenhum aparelho
    Ligação adequada nas tomadas e iluminação(polarização) pode resultar num diferencial enorme nas interferências e durabilidade destes(experiência própria) sem contar a qualidade dos materiais como um todo. Quando menino, na casa onde morava, foi usado fio pirelli, tomadas pial, reatores peterco e podia ligar um liquidificador que na TV pouco interferia.



  3. Os ruídos do liquidificador na TV sumiram aqui em casa quando coloquei aterramento, e aterrei parabólica, protetores ethernet e protetor da linha telefônica.

    Parece que pelo GND dos cabos de vídeo da parabólica o aterramento chega na TV e resolve até isso!

    Se o liquidificador tivesse aterramento talvez até o ruído no rádio FM ia sumir.

  4. Aqui, nós chamamos um "eletricista" pra fazer o serviço, ou diz que é besteira fazer isso ou liga o neutro no pino do aterramento e consome com fio, fita isolante etc. Como trocou as tomadas, só vai perceber quando ela estragar( 10 anos), nem vai lembrar quem fez o serviço. Quando fiz o aterramento( 1999), no imóvel o próprio engenheiro quando descobriu me disse que eu era doido e em 2008, quando instalei um quadro de distribuição me chamou de mais doido ainda; hoje está construindo uma casa com todos esses quesitos.






Tópicos Similares

  1. Respostas: 8
    Último Post: 30-12-2016, 16:33
  2. Respostas: 3
    Último Post: 25-03-2014, 10:51
  3. Respostas: 4
    Último Post: 30-04-2013, 06:46
  4. Respostas: 8
    Último Post: 18-08-2004, 13:29
  5. Central de Distribuição de Sinal
    Por clistenis no fórum Redes
    Respostas: 16
    Último Post: 03-06-2004, 10:10

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L