+ Responder ao Tópico



  1. Rubem, seu comentário retrata perfeitamente o que sempre pensei... Tem que haver um planejamento da rede e não só o consumidor e entidades protecionistas berrarem que tem que ser livres.... gente que não sabe como funciona os bastidores...

    Tinha que mandar um comentário desses teus para este pessoal procurar se informar um pouco mais...
    E para cúmulo dos cúmulos (a democracia permite expressar minha opinião) vi dia desses um graduado do Comitê Gestor da Internet se posicionando contra a franquia simplesmente por se posicionar, sem ao menos trazer argumentos técnicos e plausíveis que possam ser colocados numa mesa de discussão.

    Qualquer posicionamento nesta hora, seja a favor ou seja contra que tenha boa justificativa deve ser levado em conta.., e não simplesmente jargões populistas... que é o que temos visto.
    Mas como, se já parte do Congresso a ignorância a respeito do assunto, sim, pois senão não teriam aprovado a Lei da Neutralidade da Rede nos moldes em que foi aprovada.
    De modo geral as leis são aprovadas mais pensando nos interesses próprios do que em fundamentos técnicos....ou então são populistas para agradar ao eleitor que em pouco tempo já nem se lembra de em quem ele votou... ou pior, que muda de canal quando tem noticiário ou então uma entrevista com personalidades de cada setor.
    O povo não quer se informar...

  2. Se essa informação abaixo está correta, quase 60% do trafego PODERIA estar saindo de caches locais e não de interconexões com outras operadoras ou cabos submarinos:
    http://convergenciadigital.uol.com.b...id=33906&sid=4


    O Google sabe do tráfego que tem, por isso ele oferece o GGC pra "qualquer um" (Tem lá suas condições de tráfego mínimo e tal), provavelmente em 2019 o Youtube vai representar de fato tudo isso:
    http://exame.abril.com.br/tecnologia...sera-de-videos
    E simplesmente porque os concorrentes ficarão nesse papinho leigo de "Tem que respeitar neutralidade" e não vão ter nenhum peer. O usuário vai ter um GGC a 8ms de distância, e um server da Amazon a 2000km ou 80ms de distância, claaaaro que a experiência será muito melhor rumo ao cache mais próximo.


    Aqui os planos americanos com alguns conteúdos privilegiados, e que o são porque um cache específico pra eles RESOLVE isso fácil:
    http://www.administradores.com.br/no...-dados/106593/

    A VIVO até entendeu isso, tem o Vivo Play e cia, conteúdo multimídia dentro da própria rede, só pra assinantes, mas essas soluções locais não chegam nem na unha do conteúdo que o Netflix produz, chance zero de uma operadora local conseguir concorrer com produtoras de conteúdo de nível mundial. Tentar empurrar esses serviços toscos de operadora seria como um concessionária de energia elétrica resolver vender 48VDC pra alguns consumidores, e vender meia duzia de eletrodomésticos que funcionam nela, seria idiotice comprar esse produto sendo que tem a venda 50 mil aparelhos pra rede 127/220VAC comum. A operadora tentar vender um "Youtube próprio" é reinventar a roda.



  3. Citação Postado originalmente por allan2204 Ver Post
    Discordo. Acho que você deve pagar para liberar seu uso a rede independente do consumo. Até porque os usuários que mais usam são poucos comparados aos que usam normalmente no dia a dia. Acontece que os serviços hoje demandam mais da rede e a infraestrutura do país é fraca e defasada. Ao invés tentar obrigar o consumidor a se adequar a uma rede ultrapassada e defasada, as teles deviam investir em uma infra nova e gerar oferta. Ao invés de comprar o presidente da Anatel(vê-se pela sua postura), deviam lutar por isenção de impostos em equipamentos necessários para tal.
    Sim, tem toda a liberdade de achar...
    Mas na sua argumentação não tem nada de conceitos técnicos que expliquem porque sem franquia é melhor ou mais justo...
    Mesmo que as operadoras abrissem seus cofres para expansão... elas em pouco tempo não teriam como continuar na expansão simplesmente porque vai ficar difícil implantar estruturas físicas para isso, mesmo com dinheiro na mão.
    A "Lei da Antena" já está sendo aplicada em algumas cidades para coibir a instalação aumentada de torres pelas operadoras... Alegações de todo tipo, até de poluição visual tem sido postas na discussão.
    Cabeamento vai chegar num momento que as estruturas de postes não suportarão mais... E instalação subterrânea não é bem assim também...
    Tem uma tecnologia que não está sendo muito empregada pois tem custo alto que é a transmissão por luz. Não me lembro da capacidade de tráfego que atinge. Eliminaria cabos e campos de radiação eletromagnéticas. Mas há também inconvenientes com relação ao feixe luminoso que pode causar problemas se por ventura não chegar no ponto exato, como por exemplo uma torção no alinhamento. Sem falar que exige os pontos se enxergarem.

    Não sei se foi por estes motivos, mas a realidade é que no país onde a internet tem a melhor qualidade do mundo, lá é com franquia.
    Já no Japão que está entre os melhores mas não no primeiro lugar, lá não tem franquia.
    Mas pelo que se conhece da personalidade japonesa e de como eles são metódicos em tudo, será que a franquia lá não foi primeira necessidade porque eles são conscientes do uso e de uma forma inconsciente já fazem um melhor uso da rede? De japonês não dá para duvidar de nada, de tão organizados que são..

    Por isso que usar jargões de que só querem ferrar o consumidor, porque somos uma republiqueta não encontra embasamento técnico. Esta discussão é mundial.
    Nesse negócio de achar que tudo é infinito, deram beneces a torto e a direito para a população.... Não quero dizer com isso que programas sociais não tem seu mérito. Tem e muito. Mas também tem limite, principalmente quando a estrutura governamental não suporta mais estes programas....
    Ontem a mandatária usou argumentos para criticar dizendo que se ela saísse iriam diminuir os recursos para programas sociais. Até poder-se-ia acreditar...
    Mas de noite o próprio ministro da fazenda nos noticiários já avisou que vai haver cortes no Bolsa Família e no Minha Casa... que contradição....
    Será que este pessoal que rege os destinos da nação não se deu por conta de que recursos são "finitos"? Fizeram a festa com recursos públicos mas não reconheceram que não havia como sustentar isso indefinidamente... agora a casa está desorganizada. Não tem dinheiro para nada, nem papel para fazer passaporte... pois faltou planejamento, ou será que a verdade foi "corte de despesas" por falta de dinheiro.
    Em abril do ano passado quando os cadastros do Fies não passavam, travavam e o MEC dizia que tudo estava funcionando, o Ministro da Educação veio a público dizer que o dinheiro tinha acabado... E isso antes das "pedaladas".

    Desculpem estar divagando sobre isso, pois parece não ter relação com o tópico, mas usei para ilustrar que se não planejar com boa antecedência, a internet no Brasil vai travar de vez em pouco tempo.

    Veja Alan, que não retirei sua razão sobre expansão de rede... tem sim que melhorar... mas não vai resolver o problema em definitivo... sem planejar vai saturar com qualquer expansão de estrutura que haja.

  4. O problema das expansões em distâncias grandes é que cada expansão custa alguns milhões, e leva 3 ou 4 anos pra esse investimento começar a dar retorno.

    E... não precisa ser um grande administrador pra imaginar que fazer expanção em rede só a cada 5 anos não dá! Precisa aumentar rede todo ano, quase de forma constante, mas se o retorno demora 4 anos então você vai sempre aumentando sua dívida.

    Quando as operadoras instalaram dslam ADSL e vendiam planos de 128kbps, tudo era lindo, poderia aumentar a banda vendida em 10 vezes, chegar a 1,5Mbps, coisa que demorou 6 ou 8 anos! Idem pra chegar dos dslam ADSL2 e ADSL2+, seu uso começou com planos de 1 ou 2Mbps, levou 5 ou 6 anos pra chegar no uso das maiores velocidades que eles suportam.

    Eles puderam fazer um investimento com retorno em 4 anos, porque era tecnologia ainda subutilizada que permitiria bandas maiores. Mas instalar uma dslam ADSL2+ NOVA hoje pra grande operadora é perder dinheiro, vai poder vender planos de 10 ou 15Mbps no máximo, e há a eterna perspectiva que em 4 anos essa banda seja insuficiente pra qualquer cliente básico, iria exigir a troca do equipamento logo depois que ele se pagou. Investir e não ter lucro é coisa de burro, se investe pra ter lucro, substituir o equipto logo que ele começa a dar lucro é perder dinheiro.


    Só o que permite isso hoje é fibra, dá pra meter fibra e vender 20 ou 50Mbps hoje, pra ir expandindo até 100 ou 1000Mbps no futuro. Mas... agora as operadoras já estão com dívidas (A Oi deve mais do que ela vale, tá igual eu), com entrada de investidores e cia era fácil ter muitos bilhões pra investir a muitos anos, mas hoje os investimentos necessários pra isso são maiores (Não é só colocar dslam e aproveitar fiação, precisa mais cabo novo, em postes já ocupados, baixos e mal posicionado (Pra que planejar cidade no brasil?). O boom do dinheiro era 2008 a 2013 (A farra do crédito fácil no BNDES), as operadoras perderam a chance de não fazer esse investimento massivo na época, hoje não tem mais caixa nem crédito, e a população tem menos dinheiro pra contratar serviços caros (Eu pagaria R$ 300 por uma conexão por fibra com míseros 25Mbps por mês a uns 2 anos, hoje mesmo comendo arroz e ovo ainda não poderia passar de uns R$ 200 por mês, a operadora não precisa atender os viciados que querem altas velocidades por R$ 49,90, ela pode cobrar caro QUANDO a clientela tem dinheiro, quando não tem 10% da população desempregada).

    O país como um todo perdeu as chances no boom das comoditioes de 2000 a 2014 (Não industrializamos quase nada de minérios, quase nada de soja, perdemos chance de agregar valor. Não investimento no uso de petróleo pesado, hoje exportamos 200 milhões de barris de petróleo pesado e barato por digamos R$ 10 bilhões, mas importamos 100 milhões de barris do petróleo leve e caro por R$ 12 bilhões, tudo porque não temos industria pra petróleo pesado, mesma burrice que a Venezuela faz e perde dinheiro, exporta pesado barato e importa leve caro, por falta de investimento em indústria), e a telecom também perdeu a chance de investir mais nessa área, nas áreas já com fibra elas vão ser usadas até o talo, mas onde não tem rede suficiente delas o investimento vai demorar pra aparecer, porque falta caixa, falta crédito, e falta consumidor com dinheiro pra pagar preço alto. Em 2010 tinha caixa, tinha crédito, e o consumidor tinha renda. O bonde passou.



  5. Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Sim, tem toda a liberdade de achar...
    Mas na sua argumentação não tem nada de conceitos técnicos que expliquem porque sem franquia é melhor ou mais justo...
    Mesmo que as operadoras abrissem seus cofres para expansão... elas em pouco tempo não teriam como continuar na expansão simplesmente porque vai ficar difícil implantar estruturas físicas para isso, mesmo com dinheiro na mão.
    A "Lei da Antena" já está sendo aplicada em algumas cidades para coibir a instalação aumentada de torres pelas operadoras... Alegações de todo tipo, até de poluição visual tem sido postas na discussão.
    Cabeamento vai chegar num momento que as estruturas de postes não suportarão mais... E instalação subterrânea não é bem assim também...
    Tem uma tecnologia que não está sendo muito empregada pois tem custo alto que é a transmissão por luz. Não me lembro da capacidade de tráfego que atinge. Eliminaria cabos e campos de radiação eletromagnéticas. Mas há também inconvenientes com relação ao feixe luminoso que pode causar problemas se por ventura não chegar no ponto exato, como por exemplo uma torção no alinhamento. Sem falar que exige os pontos se enxergarem.

    Não sei se foi por estes motivos, mas a realidade é que no país onde a internet tem a melhor qualidade do mundo, lá é com franquia.
    Já no Japão que está entre os melhores mas não no primeiro lugar, lá não tem franquia.
    Mas pelo que se conhece da personalidade japonesa e de como eles são metódicos em tudo, será que a franquia lá não foi primeira necessidade porque eles são conscientes do uso e de uma forma inconsciente já fazem um melhor uso da rede? De japonês não dá para duvidar de nada, de tão organizados que são..

    Por isso que usar jargões de que só querem ferrar o consumidor, porque somos uma republiqueta não encontra embasamento técnico. Esta discussão é mundial.
    Nesse negócio de achar que tudo é infinito, deram beneces a torto e a direito para a população.... Não quero dizer com isso que programas sociais não tem seu mérito. Tem e muito. Mas também tem limite, principalmente quando a estrutura governamental não suporta mais estes programas....
    Ontem a mandatária usou argumentos para criticar dizendo que se ela saísse iriam diminuir os recursos para programas sociais. Até poder-se-ia acreditar...
    Mas de noite o próprio ministro da fazenda nos noticiários já avisou que vai haver cortes no Bolsa Família e no Minha Casa... que contradição....
    Será que este pessoal que rege os destinos da nação não se deu por conta de que recursos são "finitos"? Fizeram a festa com recursos públicos mas não reconheceram que não havia como sustentar isso indefinidamente... agora a casa está desorganizada. Não tem dinheiro para nada, nem papel para fazer passaporte... pois faltou planejamento, ou será que a verdade foi "corte de despesas" por falta de dinheiro.
    Em abril do ano passado quando os cadastros do Fies não passavam, travavam e o MEC dizia que tudo estava funcionando, o Ministro da Educação veio a público dizer que o dinheiro tinha acabado... E isso antes das "pedaladas".

    Desculpem estar divagando sobre isso, pois parece não ter relação com o tópico, mas usei para ilustrar que se não planejar com boa antecedência, a internet no Brasil vai travar de vez em pouco tempo.

    Veja Alan, que não retirei sua razão sobre expansão de rede... tem sim que melhorar... mas não vai resolver o problema em definitivo... sem planejar vai saturar com qualquer expansão de estrutura que haja.
    Eu vejo por outro lado. Mesmo eu tenho uma internet de 1 gbps, não vou ficar 24 horas por dia conectado e quando conectado não vou usar 1 gbps. O mesmo ocorre com as pessoas do dia a dia. Comparando os geeks com os usuários normais, acredito que a categoria geek(ultra conectados), não chegue a 10% da rede. Esses sim irão utilizar muito mais, mas a grande maioria, mesmo com internet de 10 mbps só vai acessar o facebook, ler uns e-mails, ver um video no youtube, etc. Esse tipo de consumo não satura a rede, não é porque tenho 10mbps que sempre que usar vou estar usando 10mbps.

    Não faz sentido.

    Mesma coisa, qual sentido tem cobrar franquia de consumo e limitar a velocidade? Nenhum. Se a intenção é que a pessoa consuma e pague por mais, que libere a velocidade e se pague por consumo.






Tópicos Similares

  1. Justiça decide que usuário pode compartilhar sinal de internet
    Por telworld no fórum Assuntos não relacionados
    Respostas: 8
    Último Post: 16-09-2013, 23:25
  2. Respostas: 18
    Último Post: 15-08-2011, 12:49
  3. Compartilhar Conexão de internet Windows Server 2003 Enterprise
    Por lucasmcarlos no fórum Sistemas Operacionais
    Respostas: 4
    Último Post: 04-02-2010, 16:01
  4. Respostas: 12
    Último Post: 29-06-2008, 13:53
  5. Sinal de Internet
    Por masterchip no fórum Redes
    Respostas: 15
    Último Post: 31-01-2008, 00:39

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L