+ Responder ao Tópico



  1. Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    @rubem me tira uma dúvida. Fiquei encucado com o que voce e o Jlima falaram...

    Quer dizer que se tem 8 portas/100 e uma delas vai ser a que sai o tráfego, ela vai somar o tráfego das outras 7 portas? Daí essa porta vai deixar de ser /100 e ser /1000?
    Desculpa a intrusão , mas não.

    O switch tem capacidade de comutação de 1G por exemplo, mas se a porta é /100 ela fica limitada nisso, o 1 giga quer dizer que o tráfego total somando todas as portas passa no máximo 1giga entre o switch todo.

    Por exemplo entre a porta 1 e porta 2 passa 100 mega entre elas, sobra para as outras portas dividir 900mega entre elas,

  2. Isso isso isso, o throughput é trafego dividível entre as portas, mas cada porta suporta no máximo 100M full (95-98Mbps full na prática).

    No caso de um switch com throughput de 1Gbps fica assim:

    Entra 100Mbps na porta 1, rumo a saída na porta 2.
    Entra 100Mbps na porta 2, rumo a saída na porta 1.
    Isso já "come" 400Mbps de throughput.

    Entra 100Mbps na porta 3, rumo a saída na porta 4.
    Entra 100Mbps na porta 4, rumo a saída na porta 3.
    Isso são mais 400Mbps de trafego agregado circulando.

    Só essas 4 portas já comeram 800Mbps!


    Se a porta 5 começar a trafegar dados rumo a porta 6, só vai dar 100Mbps half-duplex nalgum sentido, porque será 100M entrando em uma, e 100M saindo em outra. Dá 200M de trafego agregado. E 200 + 800M = 1Gbps.

    Vejam que falei 100M full em uso, isso não tem a ver com mover um arquivo de um PC na porta 1, rumo a um na porta 2. Pra uso full seria trocar dados nos 2 sentidos em 100Mbps, coisa bem difícil de reproduzir na prática. A maior parte dos usos é quase half duplex, vem 95Mbps e vai só os checksum's dos pacotes com 1 ou 2Mbps (Por isso não dá 100M half em uso típico).



    O chipset pega o pacote da porta 1, analisa o mac de destino no cabeçalho, olha na tabela de mac qual porta está com aquele Mac, e manda pra aquela porta. Mas switch não "segura" o pacote inteiro como roteador faz, o switch layer2 hora que lê no cabeçalho logo no começo do pacote qual o mac de destino, já começa a enviar aquele cabeçalho pra porta de destino. Nesse processo ocorre um pequeno atraso, cada frame entra na porta 1 e leva uns nanosegundos pra ir pra porta 2 porque não tem como simplesmente acionar um rele mecânico que faz uma ligação direta entre porta 1 e 2, é feita a análise de CADA cabeçalho. Os registradores dentro do chipset que coordenam isso são limitados, eles gastam os mesmos recursos pra receber o frame pela porta 1 e esperar os picosegundos de demora até a CPU desse chipset receber isso (Essa mini-CPU está analisando outros pacotes), que pra enviar esse frame pela porta 2, porque em ethernet não se pega e transmite do nada, mesmo um switch manda uns bits de inicio de transmissão.

    Um switch de R$ 35 é algo tão, mas tão, mas tão pobre que vocês não fazem idéia, é um CI que sai da China por talvez US$ 2, não tem como algo desse preço fazer maravilhas tipo dar conta de 1,6Gbps! É meio que um milagre que por esse preço tenha tráfego agregado de 1Gbps (É sério, eu lembro bem de pagar mais de R$ 100 (Quando o salário mínimo estar nuns R$ 150) por switch LG de 8p, cujo throughput era de 300Mbps! Era o que tinha em 2004, um chipset Marvell de uns US$ 5). O preço do produto é alto por causa dos 8 jacks RJ-45, a placa, os componentes diversos e a passagem pela insersora SMD, os leds, e a caixa plástica, mas o chipset é extremamente pobre e barato em switch barato.



    Geralmente se exibe o pacote assim, começando com o Destination Mac:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         white-paper-c11-729383_1.jpg
Visualizações:	31
Tamanho: 	31,9 KB
ID:      	63994
    Mas isso é o formato do pacote que vai passar de um switch pro outro, que vai passar reto pelas bridges.

    Na real o switch (No exemplo, o pacote saindo pela porta 2) vai ter isso aqui:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         802.3-ethernet-frame-format.png
Visualizações:	186
Tamanho: 	107,1 KB
ID:      	63995
    O destination Mac (6 bytes, ou 48 bits) é só o terceiro item. O chipset do switch precisa formar aquele preambulo de 7 bytes (Indica que começou um envio), e dar o Start Frame Delimiter, é o byte que diz: A bagaça começa agora.

    Por conta desses 8 bytes bestinhas (E uns detalhes a mais) é que o tráfego de SAÍDA também conta como throughput do valor que o fabricante promete.

    Se está entrando 100M em uma porta, e saindo os mesmos 100M na outra porta, o tráfego agregado é de 200M, pro chipset é assim que se contabiliza, não importa se entra e sai só por 1, ou se entra em 15 e saí tudo junto em 1, pra ele é o tráfego agregado que conta, ele vai ter que meter esse preambulo pra evitar colisões na frente de cada pacote, vai ter que receber cada pacote e esperar os registradores do que seria a CPU do chipset, estarem livres pra ler o MAC de destino, e encaminharem aquilo pra porta de destino. Essa demora é curta (Pico ou nanosegundos) mas existe e em chipset barato limita muito o throughput, porque o equivalente a CPU será de baixo poder de processamento.

    Tem CI de chipset de US$ 2 e outros de US$ 15, isso falando em coisa tipo 8 portas. É uma diferença de preço de 750%, claro que a capacidade de ler e encaminhar pacote muda. Muda só nanosegundos mas em rede com milhares de pacotes por segundo isso faz diferença.



  3. A explicação é porque o switches trabalham na camada 2 não tem tratamento de pacotes, eles apenas mandam o pacotes para devida portas que cuida disso é o chipset de rede.
    No caso do mikrotik se fazer uma bridge (camada 3 por ser virtual) tudo passa pela CPU. Por isto usar a opção master port é mais rapida que usar bridge nas portas.

  4. Redes é assim, quanto menas coisas tiver que processar maior sera o desempenho.
    Quanto mais simples for o que tiver que processar mais rápido a transferência



  5. Citação Postado originalmente por berghetti Ver Post
    Desculpa a intrusão , mas não.

    O switch tem capacidade de comutação de 1G por exemplo, mas se a porta é /100 ela fica limitada nisso, o 1 giga quer dizer que o tráfego total somando todas as portas passa no máximo 1giga entre o switch todo.

    Por exemplo entre a porta 1 e porta 2 passa 100 mega entre elas, sobra para as outras portas dividir 900mega entre elas,
    Então, é isso que eu penso... Se as 8 portas são /100 , uma delas vai ser utilizada para entrada ou saida do SW, esta porta vai limitar em /100 e não somar o tráfego total.
    Neste caso um SW teria que ter uma porta marcada como /1000 para permitir que cada porta /100 pudesse trafegar a pleno..
    Eu sempre imaginei que um SW /100 só permitiria na melhor das hipóteses chegar perto de um tráfego de 100mpbs no total.
    Ou estou errado neste entendimento? Se eu estiver errado, vai ser uma novidade que estou aprendendo.






Tópicos Similares

  1. processamento de RB 1200
    Por byosni no fórum Redes
    Respostas: 9
    Último Post: 17-11-2012, 08:22
  2. Dúvidas sobre criação de domínios
    Por Leo-SP no fórum Linguagens de Programação
    Respostas: 2
    Último Post: 16-12-2004, 07:06
  3. Dúvida sobre gerenciador de impressão!!!
    Por brunosal no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 3
    Último Post: 29-11-2004, 07:49
  4. Duvida sobre interfaces de rede.
    Por MAJOR no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 0
    Último Post: 10-04-2004, 18:10
  5. duvida sobre redes de acesso
    Por no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 0
    Último Post: 12-02-2004, 00:44

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L