+ Responder ao Tópico

  1. nunca usei esse sistema. ke vantagem tem em usar tudo em bridge? e rede pa cada acliente?


  2.    Publicidade


  3. Citação Postado originalmente por UnderMike Ver Post
    nunca usei esse sistema. ke vantagem tem em usar tudo em bridge? e rede pa cada acliente?
    Sério????

    Tá...

    Em bridge a rede funciona inteira como se fosse formada por corredores livres (bridge=ponte) ou seja, quando um pacote de dados é direcionado ao cliente ou vem do cliente para a internet, ele não sofre saltos de redirecionamento (não são re-roteados) diminuindo a latência geral da rede. Isso fora a possibilidade de trabalhar com os rádios operando o MTU em 1500 quando a criptografia está desativada. Em uma rede com muitos usuários cada bit que for espremido gera vantagem.

    Imagine assim: você recebe um link de internet em um ponto A e deseja mandar ele para um ponto E, passando por B,C e D (vamos nesse momento ignorar a distância entre esses pontos, ou que a distância seja muito pequena). Se a rede não for em bridge quando um pacote de dados é enviado de A para E, ele será repassado para B, que processará e enviará para C, que por sua vez vai processar e enviar para D, que processará e enviará para E.... Cansativo né? Cada reprocessamento e encaminhamento leva em torno de seus 1ms~2ms...

    Imaginemos que o rádio ou roteador esteja carregado de trabalho e faça esse processamento em 2ms. Latência de 2ms em A + 2ms B + 2ms C + 2ms D =8ms (isso porque estamos ignorando a distância)

    Agora imaginemos essa mesma rede que deseja enviar dados de A para E só que em modo bridge. Quando o pacote de dados for enviado o roteamento em A não vai processar o envio pelo caminho B,C,D,E vai processar o envio A>E pois B,C e D estarão ocultos na tabela de roteamento e formarão um "corredor" para a passagem do pacote e não ocorrerão reprocessamento e encaminhamentos intermediários.
    Ficaria a latência: A em 2ms, B<1ms, C<1ms, D<1ms... A latência total ficaria <5ms... Isso na soma de muitos clientes e processamento 24hrs por dia dá uma enorme diferença.

    Em geral em POPs pequenos a montagem é feita assim: recebimento do link>passagem e controle pelo Mikrotik>AP em bridge e sem criptografia>antena cliente roteada.

    AP em bridge permite liberar o processamento do AP e evitar saltos de roteamento, deixando carga para o mikrotik e sem criptografia permite trabalhar com MTU em 1500. Controle de acesso é feito por mac ou como eu. É tudo aberto.. Se vejo algum gato pendurado derrubo e bloqueio... Mesmo porque sem liberação de acesso no MK o irá vai ficar fazendo o que? Usando uma antena de 300 pila só pra ficar pendurado morto bo meu AP?

  4. pois
    eu uso tudo da ubiquiti
    desde EdgeRouter e radios 2X2 M5
    é possivel experiemntar esse sitema de PPOE? e sim onde se configura? no Edgerouter e numa Antena final pro exemplo numa NanoBeam 400?

  5. Citação Postado originalmente por UnderMike Ver Post
    pois
    eu uso tudo da ubiquiti
    desde EdgeRouter e radios 2X2 M5
    é possivel experiemntar esse sitema de PPOE? e sim onde se configura? no Edgerouter e numa Antena final pro exemplo numa NanoBeam 400?
    Eu não trabalho com edge.. Mas como você faz a liberação de acesso aos clientes? É hotspot ou IP fixo? PPOE é um acesso com usuário e senha, como os usados em ADSL. A antena final trabalha como cliente (station) e na aba network tem a opção de acesso DHCP, IP fixo e PPOE.

  6. sim entretanto fui la procurar e encontrei então e só aplicar agora a autenticação no EdgeRouter. vou estudar a coisa... tou a gostar dessa diminuição de ms

    IP Address:DHCPStaticPPPoE




Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L