+ Responder ao Tópico



  1. #1

    Padrão taí uma que não sei!!

    galera,

    como saber a versao de algum programa instalado via fonte? Tipo... via rpm é so digitar rpm -qa iptables, por exemplo, que retorna a versao do iptables. E pros fonte, existe algum comando?

    Aproveitando a pergunta, um grande problema que vejo é quanto a desinstalação de um programa instalado via fonte. A maioria dos programas nao suporta o make uninstall, como resolver isso?

    Valeu. :good:

  2. #2

    Padrão taí uma que não sei!!

    alguem sabe essa??



  3. #3

    Padrão taí uma que não sei!!

    comando -v
    comando -V
    comando --version

    man comando q vc descobre

  4. #4

    Padrão taí uma que não sei!!

    opa.... valeu pela ajuda.
    E quanto a desinstalação, algo a dizer?



  5. #5

    Padrão taí uma que não sei!!

    issu varia um poko, mas geralmente de dentro do diretorio fonte vc roda
    make uninstall

  6. #6

    Padrão taí uma que não sei!!

    valeu pela força brother. Uso mais rpm do que pelo fonte, mas to querendo mudar isso!!



  7. #7
    gmlinux
    Visitante

    Padrão taí uma que não sei!!

    Citação Postado originalmente por roggy
    valeu pela força brother. Uso mais rpm do que pelo fonte, mas to querendo mudar isso!!
    O que pretende ganhar com isto?
    Lembre-se que a cada atualização tera que recompilar, isto causa um overhead maior para a administração. na maioria dos casos não vale a pena.

  8. #8

    Padrão taí uma que não sei!!

    Isso eh meio ilusorio, 90% das atualizacoes que as distros tem que fazer é pq elas alteram o fonte e criam o pacote rpm,deb,tgz,etc... eh mto mais dificil sair um bug direto no fonte do q sai pros pacotes....



  9. #9
    gmlinux
    Visitante

    Padrão taí uma que não sei!!

    Questiono os 90%, talvez sua experiência no desenvolvimento da distro Underlinux, mais minha experiência mostra números diferentes.
    Muitas das modificações implementadas pelas distros acabariam, de uma maneira ou de outra, sendo implementadas por nós, em um patch, talvez.
    Se observar como o Debian trabalha seu desenvolvimento de distro pode ver que muita correção vem dos próprios desenvolvedores dos pacotes.
    Se você tiver tudo compilado, é como ter sua própria distro, por isto eu disse que na maioria das vezes não vale a pena, até que ter uma base sobre uma distro e compilar um ou outro pacote é legal e as vezes necessário.
    A empresa (na verdade orgão do governo) que administro possui SLES, se começo a fuçar demais, eles perdem as vantagens de se usar um SLES e eu fico fazendo trabalho dos outros.
    Sem contar que as empresas não gostam de se sugeitar a situações de personalização que as vinculem demais a um único profissional/empresa, eu respeito isto também.

  10. #10

    Padrão taí uma que não sei!!

    Eh verdade, dependendo do tipo de uso acaba complicando mais do que ajudando, justamente pq vao ficar preso a uma pessoa.
    Os servidores que instalei para terceiros, que utilizavam RH, mandrake, conectiva,etc.. eu acabava compilando o apache,mta,etc tudo do fonte, pq mtas vezes eh necessario alguma opcao que não vem ativa nos pacotes prontos das distros, e de tanto ter que ficar fazendo isso acostumei a soh usar do fonte. Pessoalmente falando não me arrependo nem um pouco disso, agora jah conheco bons atalhos para compilação então nem perco mais muito tempo customizando.

    Uma desvantagem de fazer isso é para quem utliza suporte pago da conectiva,rh,suse,etc.. pq vão alegar que isso não eh a distro e vc vai ter que se virar sozinho



  11. #11

    Padrão taí uma que não sei!!

    baum concordo com tudo....mas aki na empresa onde eu trabalho todos os pacotes q nao fazem parte da instalacao mais basica possivel agente instala pelo tradicional ./configure; make;make install...

  12. #12
    gmlinux
    Visitante

    Padrão taí uma que não sei!!

    Esta é a minha idéia, uma base sólida e só trabalhar em cima do que realmente é necessário.



  13. #13

    Padrão taí uma que não sei!!

    ponto ruim é se voce tiver , por exemplo 20 servers, é muito mais facil dar up2date -u ou apt-get upgrade e atualizar eles todos (e ficar so em uma lista de anuncio de bugs) do que ficar em varias listas (apache, postfix, etc) para ficar sempre "up to date" com os novos patches, versoes, bugs, etc... sem falar que tem q se lembrar _EXATAMENTE_ todos os pacotes compilados que voce instalou.

    Uma hora voce se prende so a isso e acaba nao fazendo as outras coisas... e isso leva um certo tempo para fazer do que um simples "upgrade".

  14. #14
    gmlinux
    Visitante

    Padrão taí uma que não sei!!

    É exatamente como trabalho, só compilo quando não há outra forma, atualmente só tenho um proxy de ftp, que uso para criar uma jaula artificial em um server hpux, como único pacote que não é original na minha distro.