Página 2 de 2 PrimeiroPrimeiro 12
+ Responder ao Tópico



  1. #21
    Avenger
    Visitante

    Padrão Qual a melhor opcao para rede somente com Linux?

    Bem... Ele já falou que tem um servidor lá que já 'abriga' esse pessoal com o windows. Como na verdade o overhead no servidor vai ser de transferência dos arquivos (o terminal burro vai ter que 'pensar' para carregar as janelas, processar o conteúdo das páginas bem como interpretar o próprio navegador e sistema X), então não creio que tenha que ser algo tão fora de lógica para aguentar. Só o tráfego de rede que pode ter um overhead maiorzinho. Nada que uma rede Gigabit não resolva.

    No BootP, as coisas não vão fuincionar como o 'Terminal Services' ou um 'VNC', onde o servidor lá mostra a tela e só cospe o .bmp no outro terminal. O que vai acontecer é o 'terminal burro' montar a unidade remota em si. Então prá abrir o X, por exemplo, ele realmente 'baixa o binário' e 'executa localmente', não é como o terminal services, alocando, por exemplo, 64Mb para cada terminal. Tanto que, dependendo do vídeo que tiver no terminal burro, seja necessário ter a configuração e o modulo do vídeo corretamente configurado para aquele terminal. Um usuário para tal máquina, no servidor, com algo como '.xinitrc' no dir home seria a 'personalização a nível da estação cliente'.

    Ia ser fundamental ter um usuário e um desktop (homedir, blahblah) prá cada um dos 200 clientes. Tudo só no servidor. Daí poderia ser feito 'esqueletos' para cada tipo de máquina que teria no meio dos 200 clientes... umas com sis620 outras com nvidia, só criar o usuário de acordo com os requisitos da máquina-cliente-terminal-burro... Acho realmente que ia ser uma idéia muito interessante o BootP.

    O que achou agora que expliquei essas coisas? Ah! Até o cache do navegador fica separado a nível de usuário (pelo menos no netscape que já vi -- mas deve ter jeito de 'unificar' esse cache de navegador).

  2. #22

    Padrão na verdade...

    no NIS o sistema é centralizado assim como no samba, e vc so precisa exportar um diretório como home, o que torna uma EXCELENTE solucao para uma rede 100% unix ( o que inclui freeBSD, openBSD, netBSD, Tru64, SunOS, solaris.........) agora, como vc tem máquinas windows e naum vai migrar todas ao mesmo tempo ( pelo menos é o que eu entendi ) acho que seria realmente melhor para vc usar samba, colocando mais de uma máquina para controlar o domínio, de preferencia com sincronizacao entre elas, para manter uma copia de seguranca.



  3. #23

    Padrão Qual a melhor opcao para rede somente com Linux?

    Citação Postado originalmente por Avenger
    Bem... Ele já falou que tem um servidor lá que já 'abriga' esse pessoal com o windows. Como na verdade o overhead no servidor vai ser de transferência dos arquivos (o terminal burro vai ter que 'pensar' para carregar as janelas, processar o conteúdo das páginas bem como interpretar o próprio navegador e sistema X), então não creio que tenha que ser algo tão fora de lógica para aguentar. Só o tráfego de rede que pode ter um overhead maiorzinho. Nada que uma rede Gigabit não resolva.

    No BootP, as coisas não vão fuincionar como o 'Terminal Services' ou um 'VNC', onde o servidor lá mostra a tela e só cospe o .bmp no outro terminal. O que vai acontecer é o 'terminal burro' montar a unidade remota em si. Então prá abrir o X, por exemplo, ele realmente 'baixa o binário' e 'executa localmente', não é como o terminal services, alocando, por exemplo, 64Mb para cada terminal. Tanto que, dependendo do vídeo que tiver no terminal burro, seja necessário ter a configuração e o modulo do vídeo corretamente configurado para aquele terminal. Um usuário para tal máquina, no servidor, com algo como '.xinitrc' no dir home seria a 'personalização a nível da estação cliente'.

    Ia ser fundamental ter um usuário e um desktop (homedir, blahblah) prá cada um dos 200 clientes. Tudo só no servidor. Daí poderia ser feito 'esqueletos' para cada tipo de máquina que teria no meio dos 200 clientes... umas com sis620 outras com nvidia, só criar o usuário de acordo com os requisitos da máquina-cliente-terminal-burro... Acho realmente que ia ser uma idéia muito interessante o BootP.

    O que achou agora que expliquei essas coisas? Ah! Até o cache do navegador fica separado a nível de usuário (pelo menos no netscape que já vi -- mas deve ter jeito de 'unificar' esse cache de navegador).
    Entendi. Sendo assim só o chato seria mecher na extrutura da rede. Dependendo do tráfego que ele já tenha hoje se a rede num for giga realmente na hora que todo mundo ligar as máquinas vai demorar pra baixar tudu.

  4. #24
    Avenger
    Visitante

    Padrão Qual a melhor opcao para rede somente com Linux?

    É, mas pelo que ele falou nunca vai todo mundo ao mesmo tempo (o que faz sentido: a probabilidade de 80% em uma amostra de 200 é bem menor do que a probabilidade de 90% em uma amostra de 10. Pelo menos é assim que funciona com clientes de provedor de internet. Quanto mais gente, menor a proporção de gente ligada por linha disponível.

    Eu acredito que uma rede 100Mbps bem distribuidinha com switches legais vá dar conta do recado. Mas para a coisa ficar 'normal' mesmo durante os rushes, a gigabit, com fibra ótica de preferência, pelo menos entre os laboratórios e o servidor (não na estrutura interna dos laboratórios, onde sempre 100Mbps será suficiente para a méida de 20 máquinas por laboratório/seção), ia ser a solução para um possível congestionamento.



  5. #25

    Padrão Qual a melhor opcao para rede somente com Linux?

    Continuando nossa "saga", ja que falou-se de BOOTP, o que voces acham do Linux Terminal Server para boot remoto, ou ate mesmo do FreeNX (que tem a mesma ideia do Windows Terminal Server). Sao boas alternativas tambem? Ou estas ferramentas continuam evoluindo a passos de tartaruga, e o unico estavel mesmo é o BOOTP?

  6. #26
    Avenger
    Visitante

    Padrão Qual a melhor opcao para rede somente com Linux?

    Bem... Na verdade, eu defendo o bootp porque sei que ele vai ser uma solução pro seu problema.

    Mas prá mim, idéia de terminal services, é a idéia de um programa que abre o desktop localmente, no servidor, alocando memória e tudo para isso, e cuspindo .bmp's na tela do computador remoto, fazendo o remoto ser um terminal mais 'burro' ainda. um leitor de .bmp. Hhe. Seguindo essa minha teoria do Terminal Services, o BootP seria melhor opção contra as equivalências Linux Terminal Services, pelo fato de por parte o processamento dos dados (abrir programas, etc) vai ser aplicado nos terminais remotos, deixando restar mais recursos para o servidor central, tendo claro, razoavel aumento na demanda de tráfego de rede ao custo de menor demanda de memória/processador no servidor.
    Dessa forma, a meu ver, usando o BootP, o cliente vai ter uma demanda por banda do servidor para 'baixar' (ler) o aplicativo e as bibliotecas relacionadas, criar um cache na memória (que o linux faz normalmente), e só ler novamente mediante necessidade. Isso significa que quanto mais memória os clientes tiverem menor vai ser o uso de banda necessário. E por mais que não sejam dotadas de grande memória, no terminal services, para um desktop 'bonito', cada 'a' que você digitar tem que ter um tráfego de imagem, o que deixa 'constante' o tráfego do servidor->cliente. No caso do BootP, quando o programa 'carrega' o navegador, pode sair abrindo sites tanto quanto queira sem precisar ficar puxando dados de novo do servidor principal.

    Bem, pelo menos eu não conheço sobre essas variantes terminal services em linux, não sei se essas funcionam exatamente como um 'vnc' ou como o terminal services do windows, onde cada desktop aloca '64Mb' de ram.
    Se alguém que ler o Post aqui e vir que eu falei alguma besteira sobre o bootp ou terminal services, por favor corrija. Não tenho tanto embasamento, só um pouco de prática com os dois serviços. (um pouco MESMO)



  7. #27

    Padrão Qual a melhor opcao para rede somente com Linux?

    No caso do Linux Terminal Service, acho que ele é bem parecido com o Bootp, pois ele foi projeto para boot remoto. So nao sei se a carga maior de processamento fica no cliente (como o bootp) ou no servidor.

    Quanto ao Windows TS e FreeNX, atualmente eles sao MUITO melhores que VNC. Como voce disse, ao usar VNC, voce tem um processador de bmp. Mas no caso do WTS/FreeNX, eles nao mandam imagens para as estacoes, e sim uma chamada de funcao do SO para processar a operacao, algum muito mais "light". Com isso, ao teclar "a", ele nao manda o bmp novo com o "a" e sim uma chamada mais ou menos assim: "print(x,y,a)". Isso diminui muito o uso da banda de rede, e por isso esta sendo adotado largamente por empresas que usam links remotos de filiais lentos, com todo mundo acessando os sistemas online na matriz.

  8. #28
    Avenger
    Visitante

    Padrão Qual a melhor opcao para rede somente com Linux?

    Então pelo que você me disse, o Terminal Services tem desvantagem quanto à latência da conexão (o ping alto). O 'lag' da rede é sentido 'na hora', enquanto no bootp, ele puxa os dados, mesmo com latência de 1000ms e na hora de você digitar 'a' no programa, você não vai conseguir notar o 'a' demorar a aparecer, o que aconteceria em qualquer instabilidade na rede do Terminal Services.
    O que quero dizer com isso é que, ainda, o terminal services depende piamente de ficar a cada segundo mandando dados entre servidor e o cliente enquanto, no bootp, uma vez 'carregado' o programa, o cliente só vai fazer consulta de novo no servidor quando precisar abrir alguma janela em específico ou carregar algum 'PRUGIN do FRESH' por exemplo.
    Ou seja:
    - Por um lado, o Terminal services mantém sempre um tráfego de rede razoavelmente baixo, porém constante, entre servidor-cliente. Todo o processamento é centralizado no servidor (15 clientes abrindo o Netscape significam 15 netscapes abertos no servidor)
    - Por outro lado, o cliente por BootP quando precisa carregar algo, dá um barrofo na rede para puxar logo o programa e, a partir de então ele -se vira- para fazer as tarefas do programa sem usar a rede, até que tenha que 'puxar' alguma parte do programa que não tenha sido usada ainda. Dependendo da memória do cliente, é possivel se fechar e abrir novamente o netscape com um uso mínimo de memória (ele só vai ter que ler os .conf por bootp). (15 clientes abrindo o Netscape significam 15 downloads dos binários/bibliotecas do netscape no servidor, uma vez só: 15 -usando- o netscape não significa -nada- para o servidor (hehehe).

    Ainda acho que ia ser melhor 200 negos pendurados por bootp do que 200 negos pendurados por terminal services. Notem que estou procurando olhar o lado bom de um e do outro!.. Não é política do SIM ou do NÃO, não.
    Mais lados BootP × TermSvs
    Bootp: Afinal, 200 negos não iam ligar ao mesmo tempo o PC... ou iam? Bem... Ia ser um 'rush' das 08: às 08:30, uma lerdeza só. A partir de então, tudo devia ficar bem o resto do dia para todos... Ai! Tomara que a luz não vá embora! Mais meia-hora de instabilidade?.. Talvez.. Tem a gigabit prá isso, né!..
    TermSVS: 200 Negos ligando o pc ao mesmo tempo... Hum... Não ia ser diferente isso às 08:00hs ou ao meio-dia... O dia inteiro seria do mesmo jeito. Se tiver ruim às 08hs da manhã, vai ficar mais ou menos assim às 3 da tarde.
    Bem... Números: 64Mb para cada terminal (isso era no Windows Terminal Services), para 200 negos... tchung! 12Gb de RAM? tou certo? Acho que vai ter que atualizar placa-mãe do servidor prá aguentar tudo isso!..

    Bootp: Caada máquina é bom que tenha seu próprio login/senha, ou então que o sistema seja tão amplo para suportar todo o tipo de hardware espalhado pela rede dos 200 PCs.. Acho que o jeito era fazer um login personalizado (só mechendo por exemplo nos drivers de vídeo do X e layout do teclado pros terminais). Ia tar tudo isso dentro do -servidor-.

    TermSVS: Driver de vídeo? Não, o terminal services já manda tudo prá a interface que 'interpreta' nos clientes lá. O servidor terminal services só tem que 'abrir' os programas, 'alocar a memória' e mandar as coordenadas prá a tela dos PCs lá... Por outro lado... Se o cliente de lá der pau, tem que ir um técnico lá reinstalar o Windows... Nada diferente da situação que é agora. E aí? É um caos a rede cheia de Windowses? Muita instalação, aquela CPU que deu pau essa semana, tá difícil de achar o driver de vídeo?..

    Me sinto por todos os lados defendendo o BootP a unhas e dentes. Mas eu realmente preferiria ter um trabalho para reunir as configurações dos terminais num lugar só... O que pode dar problema nos terminais(clientes) seria quebrar o disquete de bootp e ter que gerar outro, ou queimar uma placa de vídeo ou placa-mãe e ter que atualizar os módulos para aquele terminal. Atualizar os módulos lá no servidor mesmo e mandar o disquete com o bootp através de 'Moleco lá' prá alguém colocar no drive.

    BootP daria um trabalhão implementar, mas uma vez funcionando seria uma beleza -- como tudo ia ficar num lugar só, não se esqueça de Fitas DAT ou DVD-RW prá fazer uns backups sérios do servidor!..

    Espero que minhas abordagens dos dois lados tenha deixado margens a quem ler isso poder avaliar sobre o que prefere (terminal services ou bootp) sem que pareça o que eu mesmo tou convicto, de que tou defendendo a unhas e dentes o tal bootp.

    Tá, grande vantagem do terminal services: vai rodar os programinhas do windows! (desde que seja servidor do windows terminal services, claro), mas não sei se no BootP algo impede do wine funcionar. Aqui na UFV tem uma rede, no BioAgro, de windows terminal services, são cerca de 5 computadores acessando um Windows TermSvs para poderem visualizar um programinha desenvolvido em VB. Funciona direitinho. Todos os clientes têm Windows 2000 Server instalado neles.