• Google Superestima Bloqueio de Serviços na China

    Parece que os problemas do Google na China estão longe de acabar. Mesmo após receber do governo chinês uma licença para continuar suas operações naquele país, no último dia 29 a Gigante da Internet sofreu mais um revés temporário, com bloqueios de vários serviços via Internet. O problema foi descrito em um recente relatório apresentado pelo Google, indica que seu sistema de buscas e outros serviços da empresa foram "completamente bloqueados" na China. E essa informação foi tão alarmante que provocou um verdadeiro tsunami de notícias pelo mundo todo.


    O Google informou ontem, quinta-feira, que seus sistemas automatizados podem ter exagerado o tamanho do real problema. O bloqueio durou algumas horas, e de acordo com o que Jill Hazelbaker, diretor de comunicações corporativas do Google, informou a Mercury News que "devido a nossa forma de medir a acessibilidade na China, é possível que nossas máquinas possam ter superestimado o nível de bloqueio", e continuou dizendo que "e isso parece ser o que aconteceu na noite passada, quando houve um bloqueio relativamente pequeno. Parece que agora os usuários na China estão acessando nossos serviços normalmente".

    Aparentemente, no dia 29 de julho, o sistema de análise dos serviços do Google na China havia sugerido de forma incorreta que essa última interferência governamental havia sido a pior que a companhia já havia se deparado, desde que o confronto com os oficiais chineses teve início. O relatório havia descrito que o sistema de busca da empresa, seus ads (a publicidade veiculada pelo Google) e os serviços móveis haviam sido "completamente bloqueados", enquanto outros serviços como o de notícias (News) e a busca por imagens (Image Search), estava parcialmente bloqueados. Aparentemente o GMail foi o único serviço quer o Google afirmou estar operando sem restrições no país.

    O próprio Hazelbaker fez questão de destacar que o relatório de status automatizado não é uma ferramenta em tempo real. Isso significa que o Google acessa o estado de seus servidores na China apenas uma vez por dia, geralmente ao final do dia no horário do pacífico.

    E esse relato de que o sistema de busca do Google havia sido bloqueado provocou um alvoroço global. Pelo visto a poeira ainda não baixou, mesmo após a China ter concedido uma licença ao Google para que a empresa pudesse continuar operando no país. A renovação da licença estava em questão já que desde o início de janeiro desse ano, o Google havia informado que pararia de censurar conteúdo nos resultados de seu sistema de busca. Na época, tal posição da empresa deixou os oficiais chineses bastante irritados. Mais adiante o Google resolveu driblar de forma definitiva o bloqueio redirecionando todos os usuários chineses do censurado goggle.cn para o motor de buscas sem censura localizado em Hong kong, no site goggle.com.hk.

    Entretanto, após conversas com o governo chinês, o Google anunciou em junho desse ano que iria parar de redirecionar os usuários de forma automática para o site de Hong Kong. Mas os usuários ainda teriam a opção de poder acessar o site sem censuras.


    Links de Interesse:

    - Google overestimated China blockage
    - Google says it may have overestimated blockage of services in China

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L