• Os 10 Erros que os Usuários do Linux devem Evitar

    Achei uma série de artigos interessante, no melhor estilo, "As 10 erros..." e resolvi compartilhar com vocês aqui no Under-Linux. O primeiro deles é um alerta para todos os usuários que estão entrando recentemente no mundo do Linux, e tentarei passar em "bom português" as dez coisas que um usuário Linux recém-chegado deveria evitar de fazer a todo custo. Como o próprio artigo original diz, essa é uma leitura para os nerds de plantão. Quem não é nerd, não perca tempo lendo esse texto, e continue a usar seu recém-instalado Linux como se fosse seu antigo Windows (mas depois não reclame que não está dando certo).

    Quando um usuário do Windows vem para o mundo Linux, ele muda de plataforma, mas esquece de mudar sua "mentalidade". Eles até se mostram interessados em "conhecer" o Linux, mas continuam cometendo os mesmos erros.


    1. Ignorar a Documentação de Ajuda Oficial da Distribuição

    Seja qual for a distribuição Linux para a qual você migre - e a grande maioria dos usuários que saem do Windows, vem para o Linux à partir do Ubuntu - não saia se aventurando pelos botões e menus se não tem a mínima noção do que está fazendo. Ao final de todas as janelas de programas, incluindo o próprio desktop escolhido, você encontra o famoso ícone de interrogação, que irá lhe ajudar a entender as funcionalidades que você precisa aprender a usar. No Linux, todos os recursos de ajuda são bem escritos, de fácil entendimento, e devido ao esforço de milhões de voluntários, fartamente traduzido para mais de 140 idiomas diferentes.


    2. Correr para Fóruns na Busca Soluções Rápidas

    A maioria dos recém-chegados no Linux, já querem tirar suas dúvidas da mesma maneira que fazem no Windows (por falta de opções) e já caem no Google como um ato automático e involuntário. Não façam isso! Caso aconteça (na remota hipótese) de sua dúvida não ter sido tirada com os menus de ajuda de sua distribuição, use a busca do Google voltada para assuntos do Linux, através do endereço http://google.com/linux.

    Também não saia correndo atrás de "receitas de bolo" de outros usuários em Fóruns. Normalmente elas vem sem explicação nenhuma, e você vai apenas "repetir o procedimento", muitas vezes sem entender a mínima do que está acontecendo (ou mesmo se aquela "resposta" é a "solução" para o seu problema). Primeiro é preciso que você conheça o seu sistema, antes de tentar "soluções mirabolantes". Além de não entender o que elas fazem, pode acabar piorando a situação para o seu computador, caso você esqueça de efetuar um procedimento na ordem, ou ignorar uma etapa.

    Quando tudo o mais falhar, primeiro procure o site oficial de sua distribuição. Lá, peça por auxílio da comunidade (a maioria dos portais das principais distribuições tem um setor somente para uso da comunidade, onde especialistas de sua distribuição se reúnem, e costumam sempre ajudar os novatos).


    3. Ignorar as mensagens de Erro de seu Sistema

    Muitos o fazem isso no Windows, que de tantos problemas apresentados diariamente nas mãos de seus usuários, já se acostumaram a ignorar o fato, e se preciso for, estarem preparados para uma completa "reinstalação" do sistema operacional da Microsoft. No Linux, erros, quando acontecem, devem ter a devida atenção do usuário. As vezes, junto com o alerta do sistema, vem escrito as possíveis soluções que você, usuário, poderá tomar para resolver os problemas.

    Vamos a um exemplo típico do Ubuntu: caso um comando apt-get encontra pacotes com dependências quebradas, ele irá lhe informar que "existem n pacotes quebrados", mas também irá lhe informar que você pode corrigir isso ao utilizar o comando apt-get install -f.


    4. Evitar o Uso da Conta Root

    Mesmo no Ubuntu, e demais distribuições Linux amigáveis, você só vai conseguir sair do básico em Linux e começar a vislumbrar um enorme mundo de possibilidades nesse sistema operacional, se resolver perder o medo e aprender a usar a conta de usuário root da maneira correta. Claro que qualquer aprendizado pode levar a erros, e se o seu computador for sua única ferramenta de trabalho, não faça nada com ele a não ser que você tenha certeza do que está fazendo.

    Mas se tiver outra máquina disponível de menor capacidade, ou mesmo puder criar uma máquina virtual em seu computador (e no Linux isso é muito fácil), se esforce em aprender como trabalhar administrativamente no Linux com a conta de usuário root. Não fique para sempre como um "usuário final" no pingüim, pois você estará subutilizando o sistema (mesmo!), além de, inconscientemente, estar se ofendendo (e quando descobrir isso, você vai querer se bater).

    Isso não significa que todos os usuários precisam ser hackers. Não caia nesse erro. Mas também não vire refém do jeito "ultra-limitante" de usar do Windows, onde a cada nova versão parece querer impedir que o usuário "mexa" mais à fundo no sistema.


    5. Expectativas Exageradas

    Isso mesmo que você ouviu: não é porque seu amigo falou que o Linux é sensacional, que nem se compara ao Windows, que você vai achar isso também. O Linux pode ser considerado muito melhor que o Windows, por muitos usuários, mas não quer dizer que todo mundo goste dele ou ache realmente útil para suas necessidades. Você realmente pode acabar descobrindo que o Linux era tudo o que você precisava encontrar nesse planeta, como também poderá ser uma completa decepção esse "primeiro encontro".

    O Linux é conhecido pela sua grande estabilidade como sistema operacional. Comparar o Linux com o Windows, seria o mesmo que comparar um acrobata de circo com alguém que mal consegue ficar de pé no chão. Mas isso não quer dizer que ele seja o melhor para suas necessidades.

    Quer um exemplo? Jogos! Se você é fã de jogos modernos como GTA, Crysis e Starcraft II, sinto muito! Volte para o Windows (ou tente um Mac se sua intenção for a estabilidade para rodar seus jogos). No Linux esses jogos, mesmo pelo Wine, são absurdamente instáveis (isso quando você consegue fazer ele "funcionar" via Wine).


    6. Depender muito do Wine

    E já que lembramos do Wine, vamos ao tópico. Muitos usuários vindos do Windows, quando chegam ao Linux, a primeira coisa que fazem é colocar o Wine em um pedestal e rezar para ele três vezes ao dia. Insanidade? O Wine está longe de ser perfeito. Se fosse perfeito em permitir a instalação de aplicativos e programas nativos para Windows, ele não seria o Wine, mas sim o próprio Windows.

    Além disso, o Wine, quando cai nas mãos das distribuições, sofre tantas modificações para se adequar ao "jeito" de cada uma delas, que compromete ainda mais sua "funcionalidade". Eu, por exemplo, até agora não consegui rodar nada de Windows (sem que erros não aparecessem) via Wine em instalações desse programa que vem "nativo" nas distribuições Linux.


    7. Encontrar a Distribuição Perfeita

    Não se iluda! O que vou dizer é fato. Distribuição Perfeita não existe! Mesmo! E não importa se alguém diz a você que a distribuição Linux que ela usa é perfeita. Nem para ela é perfeita e ela está se iludindo. Sempre tem um problema que volta e meia vai aparecer para ele (ou para você), ou a falta de muitas "ferramentas" que você precisaria utilizar.

    Se você quer algo que se "aproxime" da perfeição, escolha a distribuição que mais lhe agrade, e customize você mesmo. Mas não sem antes testar pelo menos umas quatro distribuições Linux diferentes. Não necessariamente a indicação de seus amigos será a melhor para você. Aproveite que está iniciando sua jornada no Linux para experimentar algumas das principais distribuições existentes no mercado.

    E dependendo do seu nível "nerd", com o tempo você poderá até mesmo montar um Linux (e não uma distribuição) do zero para você usar. Se ficou interessado, procure no Google sobre o projeto "Linux From Scratch".

    Se depois disso você ainda se empolgar e fizer algo realmente inovador, que vá contribuir para a comunidade Linux e a ordem mundial, e de código aberto, transforme seu "Linux do Zero", em uma "distribuição Linux". Mas voltando ao assunto inicial... não se iluda! Não existem distribuições Linux perfeitas.


    8. Iniciar o Uso do Linux com Linha de Comando

    Se você é um novato em Linux, se acabou de "cair de para-quedas" nesse mundo, não comece querendo utilizar o sistema pela linha de comando. E não caia na conversa de seus amigos "mais experientes" em Linux. Você provavelmente veio do Windows, então a primeira coisa (modesta) que você tinha de fazer, era conhecer e aprender a utilizar o Linux pelas suas inúmeras interfaces gráficas. Da mesma maneira que no tópico anterior lhe foi sugerido testar várias distribuições Linux antes de adotar uma, faça o mesmo com os desktops existentes em cada distribuição Linux.

    No Windows, só existe aquilo, aquela interface gráfica. Mas no Linux, as interfaces gráficas são "produtos extras", como cascas, do sistema operacional. E assim como as distribuições Linux, sempre existe uma interface gráfica (ou desktop) que mais irá lhe agradar.

    Depois de ciente, consciente e sapiente no mundo Linux pela interface gráfica, dê um passo além, e comece a aprender a utilizar a linha de comando. Aí sim, você terá proveito em seu aprendizado no mundo Linux, pois descobrirá todo o real poder desse sistema operacional. Só não pule as etapas ou vai acabar "se machucando". Ninguém aprende a andar de bicicleta antes de aprender primeiro a andar com os próprios pés... a não ser que queira se machucar.


    9. Colocar a Culpa no Linux

    Isso normalmente acontece logo após você fazer exatamente todas as oito coisas erradas que discutimos aqui nesse artigo. Mas esse tópico em especial não reflete o comportamento apenas de usuários novatos. Muitos "experts" em Linux caem no "erro" de jogar a culpa no pobre sistema do pingüim, que normalmente nada tem a ver com isso. Por isso, ponha uma coisa na sua cabeça: 99,999999999999...% das vezes, a culpa é única e exclusivamente do usuário. O Linux não é o culpado! E essa "afirmativa" independe do nível de conhecimento do usuário em questão. Afinal de contas, quanto mais ele souber, mais "coisas difíceis" ele estará fazendo; e consequentemente, mais problemas poderão surgir. E os mesmos, em sua grande maioria, são inerentes unica e exclusivamente ao operador (a "interface" entre a cadeira e o teclado). Claro que o Linux não é sinônimo de perfeição, mas se aquele serviço não está no ar, tenha primeiro a certeza de que o culpado não é você, para depois tentar descobrir os motivos que levaram aquele erro. Antes de tudo, pense e analise: o problema é do Linux, ou foi um erro dos arquivos de configuração que você criou?

    O que isso tudo quer dizer? Antes de por a culpa no Linux (como muitos o fazem com o Windows, mas aí é por falta de opção mesmo, já que você não pode mexer a fundo no sistema de Redmond) primeiro procure o erro, leia as FAQs, tutoriais, recorra ao sistema de ajuda e consulte a documentação do programa. Se realmente depois de tudo isso, não for encontrado o motivo, entre em contato com os desenvolvedores da aplicação/aplicativo que está dando problema. Pode realmente ser um bug, ou ainda ser um problema causado por você mas que continua passando despercebido de sua atenção.

    E lembre-se de uma coisa: O Linux é gratuito, mas também deixa claro que ele NÃO DÁ NENHUMA GARANTIA. E não perca tempo lendo todas as informações anti-Linux presentes na Web. Normalmente são feitas por pessoas que erraram em um ou mais pontos discutidos nesse artigo, e só querem difamar o pobre do pingüim (e lá vem as pedras... :-D


    10. Desistir do Linux

    Esse é o último "crime-capital" que alguém que entrou no mundo Linux pode cometer: desistir do Linux. Como ele, você não encontrará nada mais estável, gratuito, e com tantas possibilidades de aplicações para o seu dia-a-dia, como sistema operacional. E isso em nenhum outro lugar do planeta! Por essa razão, pense (duas, três vezes antes) de jogar tudo pro alto. Você pode começar consultando os outros nove erros descritos acima, e analisar de forma sincera quantos deles você está "executando no automático".

    E lembre-se que, como qualquer outro aprendizado feito de maneira correta, dê tempo ao tempo, se dedique, use suas horas vagas para sempre aprender mais e mais. O verdadeiro conhecimento de Linux, ou de qualquer outra coisa que você esteja estudando, só vem com dedicação e prática. Muita prática!


    Links de Interesse:

    - 10 Mistakes Linux learners should avoid

    Sobre o Autor: code

    Administrador e Editor do Portal Under-Linux, desenvolvedor Linux e FOSS para Linux, autor de livros e artigos, atuando na área de Educação Digital e P&D com AI.

    Comentários 4 Comentários
    1. Avatar de sandrosfc
      sandrosfc -
      Boa matéria! To no mundo do pinguin á pouco tempo(pouco mais de um ano) e adoro como ja vi em algum lugar:apanhando e aprendendo

      Sou um usuário leigo ainda,mas aprendo muito mais coisas usando GNU/Linux que com o uindos rsrs e faço uso correto do sistema. Wine é uma coisa que não me interessa,ja tentei algumas vezes só p/ testar,mas p/ aplicativos me viro com os do GNU...

      Enfim,estou muito satisfeito com o sistema do pinguin e espero me aprofundar e aprender mais hehe. Vlw pelo artigo.
    1. Avatar de teccert
      teccert -
      Realmente esta é uma ótima matéria, aqui está tudo o que o usuário recém chegado deve saber para ser bem sucedido no uso do GNU-Linux. Mas vale lembrar que a persistência e paciência é fundamental para se alcançar o conhecimento para um uso eficiente do sistema, e que se tratando do GNU-Linux nunca o conhecimento será pleno, mas uma dinâmica onde tudo dependerá da capacidade da criação de cada um, pois aqui a liberdade dependerá da sua vontade de ser livre.
    1. Avatar de bazilio17
      bazilio17 -
      Muito boa sua Matéria, parabéns!!!!

      Gosto muito de linux, aprendi na universidade tem uns 4 anos e meio, mas no final do ano passado que migrei definitivamente para o GNU/Linux e não me arrependo.
      Utilizo o máximo que conheço do sistema, mas sempre estou aprendendo coisas novas e isso é bom.
      Quero trabalhar com Linux, estou estudando para LPIC-1 e cada dia que passa gosto mais dele.

      Abraços e Da-lhe Linux, rs.
    1. Avatar de Léonux
      Léonux -
      Realmente, ótima matéria, pra quem gosta de Gnu/Linux chega ser inspirador ler um belo testo como este!. Me identifiquei ao ler as questões: 1, 3, 8 e 9 isso quando comecei no Kurumin à pouco mais de dois anos atras (espero que o Morimoto me perdoe por ter criticado sua distro na época), hoje sei que graças a persistência consigo usar também o meu querido Ubuntu no dia-a-dia com facilidade e sem neuros, graças a colaboração mutua de "Expert, Nerds em Linux" em partilhar conhecimento, por esse motivo o Slackware já não é+ um bicho de 7cabeças "da até pra trocar uma ideia de leve, claro!".

      Parabens amigo!, já esta em meus favoritos.

      abraço.
    + Enviar Comentário

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L