• O Fim do IP está Próximo

    Até meados do ano que vem a IANA - que controla a distribuição dos endereços no mundo - deve entregar o último lote de IPs válidos. Depois disso existe o estoque local dos RIR (associados regionais de cada continente), que deve durar mais uns 6 meses. Isso significa que, muito provavelmente, a partir do começo de 2012 qualquer novo link, enlace ou conexão Internet, quer seja com IP válido ou inválido, quer seja com IP fixo ou dinâmico, vai ser obrigatoriamente IPv6. Isso também vale para conexões ADSL, cable modem, link dedicado, etc, etc.

    Eu já falei em vários artigos (veja a listagem no final deste artigo) sobre o fim do IP tradicional e como as empresas e provedores estão despreparados.

    Já faz mais de 2 anos desde que eu comecei a me interessar e acompanhar a evolução do IPv6 no Brasil, e praticamente nada mudou nesse período. A vasta maioria dos gerentes de TI, coordenadores de informática e administradores ainda tem uma vaga idéia do que seja IPv6.

    Podemos falar que as operadoras ainda não oferecem esse tipo de conexão (normalmente as menores estão oferecendo alguma coisa, mas ainda muito insignificante), mas a grande verdade é que os clientes não estão se interessando. As operadoras, por sua vez, estão apenas aguardando a demanda surgir (e essa demanda nunca vem).

    Também não podemos culpar a FAPESP (que cuida da Internet no Brasil), pois eles tem se esforçado muito em fazer palestras e conscientizar os responsáveis por TI dessa realidade nova.

    Muitos estão achando que o fim do IP tradicional vai ser como o bug do ano 2000: algo que vem, não muda nada. Isso não é verdade, ao contrário do bug do ano 2000 (quer era teórico e - acima de tudo - houve muito trabalho de desenvolvimento para corrigir as aplicações) o fim do IP tradicional é muito real e não tenho visto grande trabalho nesse sentido.

    Outros acham que IPv6 vai ser algo transparente: o Windows XP (em diante) e Linux (a muito tempo) suportam IPv6, o resto da rede será transparente. Isso também é erro, pois não basta os clientes e servidores suportaram IPv6, a rede também precisa estar estruturada.

    Os firewalls tradicionais não reconhecem IPv6, o IPv6 tem criptografia nativa que não pode ser interceptada pelos firewalls (afinal de contas, se o firewall corporativo pudesse interceptar, os hackers também poderiam), irão surgir aplicações que exijam que os clientes tenham IP válidos (e assim sejam visíveis diretamente pela Internet), os switchs L2 irão transformar o multicast/anycast (que o IPv6 usa aos montes) em broadcast e entupir a rede de tráfego inútil, aplicações web irão parar de funcionar (principalmente as de webcommerce e aquelas que fazem o acompanhamento de usuários via IP).

    E tem mais: em IPv6 cada computador, equipamento ou servidor terá milhares de IP diferentes (que poderão ser usados a vontade pelas aplicações), não existe mais "IP fixo" (apesar de que alguns sistemas operacionais permitem essa configuração, isso está fora do planejamento do IPv6 e vai causar mais confusão do que benefícios), serviços como DNS, OSPF e ICMP passam a ser transportados via multicast/anycast.

    Dessa forma o IPv6 será uma grande mudança na vida técnica das empresas, mas a grande maioria dos responsáveis (imagino que isso inclui você leitor) não tem feito nada de efetivo para conhecer e - mais importante - testar na prática como o IPv6 funciona.

    O que você vai fazer? Vai esperar o IPv6 cair como uma obrigação e sair correndo atrás do prejuízo ou vai se preparar, fazendo laboratórios? Mais do que estudar a teoria, a montagem de laboratórios de teste é essencial pois apenas lá você vai ver como o IPv6 possui muitas diferenças em relação ao IP tradicional (por exemplo, como configurar o servidor de DNS para IPv6?).


    Links de Interesse:

    - O fim do IPv4: IANA anuncia o uso de mais 2 blocos de IPv4
    - IPv6 e VoIP
    - Campanha IPv6 'How to Act Now' do RIPE NCC
    - O medo do IPv6
    Este artigo foi publicado originalmente no blog: O fim do IP está próximo iniciado por mlrodrig
    Sobre o Autor: mlrodrig


    Comentários 19 Comentários
    1. Avatar de natascha
      natascha -
      Gostei do artigo - confesso que mesmo sendo da área de TI não havia ainda dado importância a me inteirar mais a fundo sobre como funcionará o ipv6.

      Natascha
    1. Avatar de osmano807
      osmano807 -
      Eu to testando um túnel. Primeiro: kernel 2.6.33 acima não conecta no túnel (tenho ip dinâmico, tenho que conectar pelo aiccu), dá kernel panic. Deve ser no programa, sei lá.

      Não consegui fazer o radvd funcionar, nem o tal DHCPv6, nem a distribuição nativa. Botei fixo, melhor. Acho muito confuso o IPv6 automático ter o MAC Address do pc, sei lá, é único, mas minha cabeça traz confusão. Não sei qual pc é, tenho que sempre anotar cada mac.
    1. Avatar de natascha
      natascha -
      Para quem deseja saber mais sobre ipv6, curso online NIC.br: Centro de Estudos e Pesquisas em Tecnologia de Redes e Operações -
    1. Avatar de jacksonezidio
      jacksonezidio -
      Aqui em São José do Rio Preto já existe provedor que implantou ipv6 na rede, trocaram os routers de borda td por routers Juniper.
    1. Avatar de rodrigorootrj
      rodrigorootrj -
      Bem, ao ler o titulo eu disse eu pensei que fosse uma nova tecnologia que substituiria o uso do protocolo...rsrs, isso sim seria um bigbang,do dia para a noite!

      Mas vamos lá!

      O IPV4 , ao meu ver deveria ter sido banido a muito tempo, ele é muito caro devido a demanda e estamos pagando o seu custo a muito tempo, um ip publico caso vc queira alugar é carissimo, uma faixa parão com 2 ips para operar não sai por menos de 30 reais.
      Para quem trabalha com projetos é um desperdicio de $, e penso que seja muito bem vinda a entrada dessa nova versão do protocolo;contudo acredito que como o amido disse, nem tudo serão flores, como nunca são na realidade, sempre existe o sangue da galera de operações rolando para deixar tudo ok.
      Confesso que eu mesmo, por mais que eu apoie o IPV6 não dei ainda a devida importancia ao fato das alterações tecnicas na infraestrutura e na nova formulação das redes LAN/WAN;o que fiz até agora foi uma lida rapida em um curso EAD que nem me senti motivado a terminar,rsrs.
      Mas voltando ao foco como o amigo disse, não estamos dando a devida importancia ao fato, mas como aqui é Brasil e Culturalmente projetar algo é visto até com maus olhos, vamos esperar para ver.

      Bom Topico, Parabens!
    1. Avatar de moreiras
      moreiras -
      Oi Marcelo, ótimo artigo, precisamos mesmo divulgar o IPv6, começar a estudá-lo e implantá-lo o quanto antes.

      Quero apenas desfazer uma confusão. A FAPESP não tem nada a ver com a governança da Internet no país... Isso é feito pelo CGI.br e pelo NIC.br. O Registro.br, que é quem opera a administração dos nomes de domínios e dos números IP no Brasil, hoje é um departamento do NIC.br.

      A confusão é comum porque a Internet no Brasil, assim como em quase todo o mundo, surgiu no meio acadêmico. O Registro.br nasceu, então, dentro do "guarda chuva" institucional da FAPESP (uma entidade que financia pesquisas acadêmicas), em São Paulo. Contudo, essa situação mudou com a abertura da Internet para uso comercial, quando foi criado um Comitê para gerenciar a Internet no país e garantir seu desenvolvimento: o CGI.br (Comitê Gestor da Internet). Esse comitê implementa uma forma de gerenciar a Internet que é tida como modelo no mundo: é um comitê multistakeholder, pluralista, multisetorial: composto por representantes do governo, da academia, de provedores, empresas de telecom, ONGs, etc. A governança (gerenciamento) da Internet no país é feito então, de forma conjunta, por todas essas áreas. O CGI.br logo criou o NIC.br, uma empresa sem fins lucrativos, para fazer a gestão dos domínios, IPs, e executar outros projetos, e a FAPESP saiu do circuito.

      Um dos projetos que executamos no NIC.br é justamente o IPv6.br, que tem por objetivo disseminar o IPv6:
      - www.ipv6.br (nosso sítio)
      - www.ipv6.br/curso (curso e-learning, com narração, gratuíto)
      - www.ipv6.br/presencial (apostilas usadas em nossos cursos presenciais)

      []s
      Moreiras.
    1. Avatar de rospyn
      rospyn -
      Olá mlrodrig.
      Ótimo artigo.
      Sobre o uso da notação "IP válido / inválido" eu discordo, já que todo IP que segue as RFC's é válido. Acho mais correto e menos confuso o uso da notação IP público ou IP privado.

      Abraço,
      Parabéns!
    1. Avatar de rreis
      rreis -
      Acho que o título esta impróprio, aparenta que o fim do IP está próximo, quando na verdade quem esta no fim é o IPv4

      O Brasil possui estoque de IPs até aproximadamente 2013 segundo a NIC.br.

      O que não podemos fazer é seguir o modelo "brasileiro", deixar tudo para a ultima hora. O IPv6 já é uma versão estável e todo SysAdmin deveria ja estar executando ou no mínimo planejando sua migração.
    1. Avatar de Não Registrado(s)
      Não Registrado(s) -
      Muito bom. Já visitei o site da NIC.br. O que vale realmente é a apresentação da questão, discussão, analise e sugestões positivas para o discernimento do conhecimento. Com educação (gentileza, respeito, cordialidade...), e educação (didática), poderemos vencer vários desafios. Parabens! Obrigado por nos incentivar. Boa sorte!
    1. Avatar de Não Registrado(s)
      Não Registrado(s) -
      Gostei muito também do parecer do Moreiras. Técnico, ético, simples e direto. Com poucas linhas atualizou as informações e apresentou caminhos para entendimentos. Parabéns!
    1. Avatar de UlissesCampos
      UlissesCampos -
      Otimo artigo... vale lembrar que os ips acabao este ano, e que depois os que ainda nao estao em uso mais ja tem dono ficam a encargo de quem e dono, e ele pode cobrar quanto quiser por ele!
    1. Avatar de csjunior
      csjunior -
      Pessoal
      E se uma operadora me fornecer ipv6? como fica minha conexão com sites ipv4?
      Isto eu pergunto pois se o submarino por exemplo não ter o link ipv6 nós não iremos mais acessar ele?
      Isto ainda esta em aberto para mim!
    1. Avatar de osmano807
      osmano807 -
      Citação Postado originalmente por csjunior Ver Post
      Pessoal
      E se uma operadora me fornecer ipv6? como fica minha conexão com sites ipv4?
      Isto eu pergunto pois se o submarino por exemplo não ter o link ipv6 nós não iremos mais acessar ele?
      Isto ainda esta em aberto para mim!
      Geralmente, as operadoras oferecem IPv6 e IPv4. Se oferecer somente IPv6, teria que usar algum túnel IPv4 <-> IPv6 para acessar.
      Sixxs.net implementa isso pelo dns, não lembro como fica o endereço certo, mas fica algo como "www.site.com.ipv4.sixxs.net"
    1. Avatar de herlon2008
      herlon2008 -
      O que ainda não me levou a solicitar meu bloco ipv6 e implantar no provedor são :
      - Equipamentos clientes antigos, que não permitem ipv6;
      - Gerenciamento e convergencia dos sistemas, no meu entender o custo é alto ainda.
      - Falta de demanda;
      Isto é o que consigo enxergar sem a implantação, logicamente que há outros.
      Os que estão já utilizando como o alexandrecorrea, poderia esplanar para nós, suas alegrias e tristezas, pois se não me engano acho que ele vem operando com ipv6, já a mais de 1 ano.
    1. Avatar de GrayFox
      GrayFox -
      Nada impede em fazer sua rede interna em IPv4 e pegar da operadora IPv4 e IPv6.
      Criando uma ponte FAITH da pra trabalhar misto durante o tempo necessário para converter a rede inteira para IPv6.

      Os equipamentos ubiquiti possui hardware suficiente para rodar um kernel com suporte a IPv6. É questão de tempo para ser feito uma firmware. E outra, o SDK deles está aberto ao público a um tempo, qualquer um pode fazer se estiver com a necessidade batendo na porta.
      Os mais bem instruídos farão mais rápido e consequentemente terão o mercado para eles.

      Saudações,
    1. Avatar de mlrodrig
      mlrodrig -
      Citação Postado originalmente por moreiras Ver Post
      Oi Marcelo, ótimo artigo, precisamos mesmo divulgar o IPv6, começar a estudá-lo e implantá-lo o quanto antes.

      Quero apenas desfazer uma confusão. A FAPESP não tem nada a ver com a governança da Internet no país... Isso é feito pelo CGI.br e pelo NIC.br. O Registro.br, que é quem opera a administração dos nomes de domínios e dos números IP no Brasil, hoje é um departamento do NIC.br.

      A confusão é comum porque a Internet no Brasil, assim como em quase todo o mundo, surgiu no meio acadêmico. O Registro.br nasceu, então, dentro do "guarda chuva" institucional da FAPESP (uma entidade que financia pesquisas acadêmicas), em São Paulo. Contudo, essa situação mudou com a abertura da Internet para uso comercial, quando foi criado um Comitê para gerenciar a Internet no país e garantir seu desenvolvimento: o CGI.br (Comitê Gestor da Internet). Esse comitê implementa uma forma de gerenciar a Internet que é tida como modelo no mundo: é um comitê multistakeholder, pluralista, multisetorial: composto por representantes do governo, da academia, de provedores, empresas de telecom, ONGs, etc. A governança (gerenciamento) da Internet no país é feito então, de forma conjunta, por todas essas áreas. O CGI.br logo criou o NIC.br, uma empresa sem fins lucrativos, para fazer a gestão dos domínios, IPs, e executar outros projetos, e a FAPESP saiu do circuito.

      Um dos projetos que executamos no NIC.br é justamente o IPv6.br, que tem por objetivo disseminar o IPv6:
      - www.ipv6.br (nosso sítio)
      - www.ipv6.br/curso (curso e-learning, com narração, gratuíto)
      - www.ipv6.br/presencial (apostilas usadas em nossos cursos presenciais)

      []s
      Moreiras.
      Oi Moreiras,

      Obrigado pela correção sempre vem vinda. Ninguém melhor do que você, que está envolvido diretamente na promoção o trabalho do IPv6.br, para esclarecer como funciona o CGI.br.

      Um grande abraço

      Marcelo (mlrodrig)
    1. Avatar de Duca
      Duca -
      Tá na hora de colocar/testar/ o IPv6 aqui no trabalho.
      Vai ser uma boa luta!
      Ótimo artigo!

      Ab, Duca.
    1. Avatar de lfaria
      lfaria -
      Assunto de tal importância que estou replicando no meu site, com a divulgação do curso online do ceptro.br.

      Curso e-learning sobre o protocolo IPv6 - BDI BBS
    1. Avatar de djjeantechno
      djjeantechno -
    + Enviar Comentário

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L