• India Rejeita Solução da RIM para Monitoramento do BlackBerry

    Mais um capítulo da novela da Índia com a RIM (Research In Motion), a fabricante dos smartphones Blackberry. O departamento de telecomunicações da Índia acaba de rejeitar a solução da RIM com relação ao monitoramento dos aparelhos Blackberry na rede de seu país. De acordo com um relatório interno do Departamento de Tecnologia da Índia do dia 28 de setembro deste ano de 2010, as autoridades tem sido incapazes de encontrar uma solução para o monitoramento das informações so BlackBerry Enterprise Service (BES) e BlackBerry Messenger.

    A informação foi divulgada pelo periódico Economic Times daquele país. Com isso, a RIM disse em um comunicado, que os detalhes sobre suas discussões com as autoridades indianas são confidenciais, mas afirmou que as negociações continuam.


    A História

    Originalmente, a Índia havia ameaçado encerrar o serviço do Blackberry no país em agosto desse ano de 2010, caso a RIM não entregasse o acesso a seu serviço de e-mail corporativo e sistema de mensagens instantâneas. No dia 30 de agosto, a companhia recebeu uma suspensão de 60 dias para seus serviços, enquanto as autoridades indianas revisavam uma sugestão de fórum industrial da RIM.

    A Índia disse que todos os dados que trafegam pela rede da RIM no país devem ser informados as autoridades indianas, a fim de prevenir possíveis atentados terroristas. Recentemente, o governo central obrigou todas as companhias de telefonia móvel que atuam sobre seu país, a instalarem tecnologias de interceptação que pudessem monitorar os serviços do Blackberry. Entretanto, a RIM informou repetidas vezes que não poderia fornecer o acesso aos dados criptografados que trafegam sobre sua rede BES.

    Em uma declaração realizada em agosto desse ano de 2010, a RIM afirmou que "Em ordem de oferecer aos clientes corporativos a confiança necessária de que a transmissão de dados valiosos e confidenciais seja completamente segura, e a arquitetura de segurança para os clientes corporativos foi propositadamente projetada para excluir a capacidade da RIM ou terceiros, de ler a informação criptografada". A empresa ainda completou que "A RIM simplesmente seria incapaz de acomodar qualquer pedido de uma cópia da chave de criptografia dos clientes, já que nem a RIM possui a cópia dessa chave".

    A Índia havia marcado como data limite, o dia 31 de outubro, para que a RIM entregasse as chaves de criptografia e os códigos necessários para o monitoramento pleno da rede Blackberry, antes que os serviços da empresa fossem banidos do país. Caso esse cenário venha a se concretizar, será um verdadeiro golpe para essa empresa canadense de telecomunicações, que tem mais de um milhão de clientes somente na Índia.

    Em um novo comunicado, a RIM afirmou que "Infelizmente, existem uma grande quantidade de informações contraditórias, enganosas e imprecisas, que circulam sobre o tema das questões de acesso na Índia". A companhia enfim, concluiu que "A RIM também confirma que continua a abordagem de requisitos de acesso legal na Índia, dentro do framework dos princípios fundamentais que foram comunicados ao público por parte da RIM, em 12 de agosto".


    Links de Interesse:

    - Report: India Rejects RIM's Solution for BlackBerry Monitoring

    Sobre o Autor: code

    Administrador e Editor do Portal Under-Linux, desenvolvedor Linux e FOSS para Linux, autor de livros e artigos, atuando na área de Educação Digital e P&D com AI.

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L