• Leis Rejeitam Propostas de DVD Cracking e Jailbreak em Consoles para Vídeo Games

    Reguladores de direitos autorais rejeitaram na última quinta-feira, uma proposta de legalização de crackeamento de DVD, ou seja, a realização de cópia, e de jailbreak em consoles de vídeo game, pois muitos tinham a intenção de colocar em prática essa técnica para execução de software personalizado. Nesse contexto, está sendo travada uma guerra em relação aos grupos de direitos autorais, para que seja invalidado o escopo de uma lei que limita os direitos dos proprietários de regulações autorais, o que envolve as técnicas de criptografia utilizadas por eles.

    A cada três anos, o U.S. Copyright Office (Escritório de Direitos Autorais dos Estados Unidos), formaliza solicitações para criar loopholes temporários no Digital Millenium Copyrght Act, o que torna ilegal o contorno de tecnologias criptográficas em produtos que forem comprados, ou seja, eles não podem ter as suas proteções criptográficas (cuja implementação foi feita orignalmente), alterada.







    Jailbreak em consoles de vídeo games é questão que ainda gera muito polêmica e discussões


    Todo esse cenário bastante polêmico, assim podemos dizer, parte de um confronto de longa duração entre os grandes detentores de direitos autorais que vêem o mundo como dividido em criadores e consumidores, e uma coalizão de bibliotecários, grupos de direitos digitais, ativistas e hackers que procuram preservar um mundo onde as pessoas podem redirecionar, atualizar e fazer construções sobre os dispositivos e meios de comunicação que comprarem legalmente.


    Discussão Sobre Cracking de DVDs

    Maria Pallante, do Congress James Billington and Register rejeitou os dois ítens mais discutidos em pauta, que são a personalização dos consoles para vídeo games e o crackeamento de DVDs; os reguladores disseram que os controles eram necessários para evitar a pirataria de software e consoles de jogos diferenciados a partir de smartphones, que legalmente podem passar pelo já famigerado processo de jailbreak.

    Pelo lado positivo, os reguladores re-autorizaram o jailbreaking de telefones celulares.
    Em contrapartida, eles negaram a liberação dessas práticas para os tablets, dizendo que um dispositivo de leitura para ebook pode ser manipulado da mesma forma que um console de vídeo game, quando se trata de alterar componentes e sua própria criptografia original.


    Tablets, Smartphones e Práticas de Jailbreak

    Em virtude dessa situação, não houve nenhuma suspeita de que a Apple ou o Google iriam processar alguém por causa de jailbreaking em seus tablets, até porque essas companhias nunca processaram pessoas por terem implementado a mesma técnica em telefones celulares, antes mesmo de reguladores aprovarem, pela primeira vez, o jailbreak em 2010. Ainda nesse contexto, o grupo de direitos autorais Public Knowledge criticou severamente essa decisão, proibindo o "crackeamento" de DVDs, o que permitiria aos consumidores a capacidade de fazer cópias, para que eles pudessem ser assistidos em vários dispositivos e em diferentes plataformas.


    Saiba Mais:

    [1] Wired http://www.wired.com/threatlevel/201...ions-rejected/

    Sobre o Autor: Camilla Lemke


Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L