• Novidades no Ubuntu 13.04

    A Canonical acaba de liberar sua última versão do Ubuntu, codinome "Raring Ringtail". Fabian A. Scherschel do Heise Online fez uma ótima análise dessa mais recente versão, a qual os desenvolvedores clamam ser a mais interessante e de melhor aparência das versões já lançadas do Ubuntu, mas que por contradição é a que menos possui novidades.


    Destaque da página principal do Ubuntu.com apresentando o Raring Ringtail.

    Com o lançamento do Ubuntu 13.04, a Canonical está divulgando um sistema operacional para desktop estável e rápido. Porém, os desenvolvedores da companhia também ocuparam boa parte de seu tempo re-projetando como reconstruir a distribuição Linux para permitir escalonar os processos permitindo que funcionem de forma padronizada nos novos modelos de telefones, tablets, desktops e servidores. Eles também estavam bastante ocupados com o trabalho no Ubuntu Touch e seus planos de convergir tanto a versão móvel como a versão para desktop desse sistema operacional. Assim sendo, por caus de toda essa re-engenharia, a lista de novidades para essa versão 13.04 ficou bem pequena se comparada aos últimos lançamentos. O Ubuntu 13.04 para desktop, poe exemplo, foi o mais afetado com a falta de novidades, já que boa parte das novas funcionalidades previstas para essa versão deverão ser lançadas no final de Outubro desse ano de 2013.

    Unity

    O desktop Unity sofreu mudanças muito sutis desde o lançamento da última versão 12.10. A mais notável é a inclusão da aplicação Social Lens que foi introduzida para substituir o serviço de mensagens para redes sociais Gwibber. O Gwibber ainda existe nos repositórios e pode ser utilizado para a interação com as redes sociais que os usuários possuam contas ativas, cadastradas diretamente via no Ubuntu Desktop. Porém, o mesmo não será mais instalado por padrão.


    Aplicação Social Lens rodando no Ubuntu 13.04.

    De acordo com a Canonical, a maior novidade em funcionalidades é a melhoria de desempenho da interface do usuário, além de melhorias nos efeitos gráficos correspondentes. Essas melhorias gráficas englobam uma nova apresentação das animações, ferramentas para efeitos de fading, e mudanças no preview das próprias animações no Dash. O Unity também adquiriu um novo diálogo para desligar, suspender ou reiniciar o computador, estando visualmente mais de acordo com o restante do desktop.

    A funcionalidade Smart Scopes que estava planejada para vir embarcada nessa versão do Ubuntu não alcançou um nível de qualidade mínimo para ambiente de produção para poder ter o selo de aprovação do departamento de QA da Canonical. Assim, foi decidido que essa nova funcionalidade deverá vir embarcada na próxima versão a ser lançada em Outubro (13.10).

    Isso também significa que as funcionalidades de privacidade que estavam prometidas para o público pelo fundador da Canonical, Mark Shuttleworth, não serão incluídas nessa versão. Para quem não lembra, após a inclusão das ferramentas de busca voltadas para produtos da Amazon (a funcionalidade Shopping Lens) os usuários questionaram a política de (falta de) privacidade da empresa com sua distribuição Linux, o que fez o fundador prometer melhorias e maior privacidade dos usuários com o lançamento de novas funcionalidades. A funcionalidade Lens veio como padrão na versão 12.10, e a maioria das críticas estavam relacionadas a funcionalidade global de ativação (só permitia a ligação de forma global), além do transito das informações pelos servidores da própria Canonical. No Raring Ringtail as buscas ainda só poderão ser desabilitadas globalmente, o que desconecta todas as funcionalidades de busca online de uma só vez. De forma alternativa, os usuários podem desinstalar de forma manual o aplicativo Shopping Lens.


    O Dash em funcionamento no Ubuntu 13.04.

    O Unity atualizado também oferece uma nova forma de alternar as janelas abertas pelo recurso de scrolling do mouse, e a troca de desktop agora apresenta qual o desktop que está em uso no momento. Entretanto, a funcionalidade de troca de desktop não está incluída por padrão na sidebar do Unity e precisa ser habilitada de forma manual nas configurações. a configuração da aplicação de Contas Online (Online Accounts) foi expandida e agora oferece a habilidade de marcar contas com ativas (ON) ou inativas (OFF). Uma adição completamente nova é o menu de sincronismo (Sync Menu) no canto superior direito do painel do desktop, que oferece não somente acesso para o serviço Ubuntu One da Canonical, como também permite o uso de outras funcionalidades na nuvem como o Dropbox, caso instaladas e configuradas. O indicador de Bluetooth também foi re-projetado. Além disso, alguns ícones foram re-desenhados em todo o desktop, sendo o mais destacado, o símbolo do Ubuntu no botão que ativa o Dash.


    O menu de sincronismo (Sync Menu) no Ubuntu 13.04.

    Software

    O Ubuntu 13.04 vem embarcado com seu usual conjunto de aplicações e software atualizados. O kernel Linux é baseado na versão corrente 3.8. Já o navegador padrão é o Firefox 20 e os componentes do GNOME que funcionam por debaixo dos panos no Unity foram atualizados com base na versão 3.8 desse famoso ambiente de desktop. Muitos dos pacotes da instalação presente nas imagens do Ubuntu foram atualizados para utilizar o Python 3.3. Entretanto, a versão 2.7 dessa linguagem de programação ainda é instalada por padrão para facilitar a vida de quem precisa manter a compatibilidade. Os usuários do Ubuntu que preferirem utilizar o GNOME em vez do Unity já podem efetuar uma instalação direta do derivado de GNOME para UBuntu, ou instalar o GNOME 3.8 de um repositório PPA com relativa facilidade.

    O conjunto de aplicativos de escritório LibreOffice também foi atualizado para a versão 4.0, assim como o Rhythmbox que agora está na versão 2.98 e é o aplicativo de música padrão na versão 13.04 do Ubuntu. Porém, algo que os usuários vão notar é que o plugin Ubuntu One Music Store não mais vem instalado por padrão. O serviço de música da Canonical agora pode ser acessado através da web via um ícone que foi conveniente posicionado no lançador do sidebar. Esse é um benefício que torna o acesso dos usuários mais fácil para os que preferem utilizar outros aplicativos de música que não o Rhytmbox ou o Banshee. Para muitos usuários, o Music Lens acoplado aos controles do media player do Ubuntu no applet de som irá provar ser tudo o que os usuários precisavam para tocar música de forma diária.

    Como usual, os usuários poderão instalar novos programas via aplicação Software Centre do Ubuntu. Nem essa aplicação, nem a seleção de pacotes no repositório parecem ter sido alterados de forma significativa em relação ao último lançamento do Ubuntu. O fato que agora o cliente Steam da Valve está em fase Beta e é suportado (além de promovido) pelo Ubuntu fará alguns usuários serem mais felizes, mesmo sabendo que a seleção de jogos ainda está bastante limitada em comparação aos usuários das versões para Windows e Mac OS X.

    Conclusão

    Devido ao limitado número de novas funcionalidades nessa versão, será bastante difícil para alguns usuários escolherem efetuar a atualização de seu sistema para o Raring Ringtail. Inclusive devido a Canonical decidir encurtar o tempo de suporte para as versões não-LTS para meros nove meses, já valendo para a versão 13.04. Enquanto a última versão do Ubuntu (12.04) terá suporte garantido até o lançamento da versão 14.04, os usuários que atualizarem seus sistemas para a 13.04 terão de efetuar novo upgrade no início de 2014 caso desejem não se arriscar com uma seleção de pacotes que não terá mais disponível as atualizações (comumente) diárias. Por esse motivo, os usuários poderão considerar evitar a instalação do Raring Ringtail e esperar o lançamento da versão 13.10 (codinome: Saucy Salamander). Nessa versão de Outubro os desenvolvedores da Canonical prometem introduzir o novo servidor de visualização, o Mir, e os primeiros componentes de uma interface de usuário unificada para desktop, smartphone e tablet.

    Indo além, os usuários do Ubuntu terão de decidir se desejam ficar atualizando a instalação a cada novo lançamento, ou se os mesmos só pularão de LTS para LTS, aproveitando ao máximo o longo período de suporte desses lançamentos que compreendem 24 meses. Essas decisões estarão sempre baseadas na escolha do usuário em relação ao uso que o mesmo deseja de sua máquina em questão.

    O Ubuntu 13.04 está disponível nas versões desktop e servidor, tanto para 32-bit quanto para 64-bit. A versão para servidor também está disponível para processadores ARM. E vale um alerta: as imagens ISO desse lançamento são grandes demais para caberem dentro de um CD. Assim sendo os usuários deverão escolher entre criar um pendrive capaz de ser carregado durante o boot do computador, ou gravar um DVD. Os usuários que efetuarem boot em seu sistema com UEFI irão precisar instalar a versão 64-bit, ou configurar seu firmware para o modo de compatibilidade com a BIOS, usando o CSM (Compatibility Support Module) para efetuar o boot nas versões 32-bit.

    Maiores informações sobre todas as mudanças na Ubuntu 13.04 estão disponíveis nas Notas de Lançamento no Ubuntu Wiki. O documento também lista os problemas conhecidos dessa distribuição, incluindo a inabilidade de instalar a versão corrente do navegador Google Chrome, além de um problema de inicialização do Skype em certos sistemas onde os drivers proprietários da NVIDIA são instalados.

    Saiba Mais:

    - Heise Online: What's new in Ubuntu 13.04 (em Inglês)

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L