• Adobe Processando Apple?

    Aparentemente não é rumor, e a Adobe pode realmente entrar com um processo contra a Apple nas próximas semanas. O motivo? A intenção do processo se deve recente alteração do SDK (Software Development Kit) para a nova versão do sistema operacional iPhone OS 4, que será utilizado em futuras versões do iPhone e do iPad. Essa modificação se refere a tradução de linguagens de programação que "Steve Jobs não gosta", de acordo com um relatório citando fontes próximas da própria Adobe.

    Todos nós já sabemos que a Apple baniu o Flash de seu novo gadget, o iPad, e ainda apresentou o dispositivo em janeiro, alegando que o mesmo não precisaria deste recurso. Só que a Apple não parou por ai. A empresa barrou o reempacotamento de apps em Flash de uso junto as APIs da própria Apple. Na semana passada a Apple apresentou um SDK para a futura versão do sistema operacional iPhone OS 4.0. E diferente dos SDKs anteriores, essa nova versão proibe os desenvolvedores de manipularem as APIs da Apple através de camadas intermediárias que traduzem códigos não-oficialmente suportados pela plataforma.

    Nas notas do SDK para iPhone OS 4.o lê-se que "as aplicações precisam estar escritas originalmente em Objective-C, C, C++, ou JavaScript como é executado pelo motor WebKit do iPhone OS, e apenas os códigos escritos em C, C++ e Objective-C podem compilar e ter realizados links diretos contra as APIs documentadas (por exemplo, Aplicações que possuam links para APIs documentadas através de tradução intermediária ou compatibilidade de camada, ou ferramenta estão proibidas)". O interessante é que esse SDK foi lançado apenas alguns dias após o anúncio da Abode sobre sua suíte de desenvolvimento Flash Professional CS5, que inclui uma ferramenta de reempacotamento de scripts em Flash para o iPhone.

    O sistema operacional iPhone OS 4.0 deve ser embarcado na nova safra de aparelhos ainda neste verão norte-americano, e a alteração no SDK efetuada pela Apple foi "a gota-d'água" na longa batalha entre a empresa e o Flash. Tendo sido extirpado dos produtos da Apple, Jobs ainda chamou o Flash de "buggy", cheio de falhas de segurança, e uma "CPU porca".

    Quanto a questão do processo, a Adobe não está realmente comentando suas (possíveis) intenções. Na semana anterior, a companhia parecia estar se movimentando sobre o assunto. E hoje, um porta-voz da própria Adobe se recusou a comentar sobre as (possíveis) ações futuras da empresa.

    Ainda é completamente desconhecido a abordagem jurídica que a Adobe irá aplicar em seu processo. Lee Brimelow, um evangelista da plataforma da Adobe escreveu em seu Blog pessoal que "o que eles estão dizendo é que eles não vão permitir aplicativos em seu próprio mercado, por causa da linguagem que foi originalmente utilizada para criá-los", e ainda completou que "esse é um movimento assustador que não possui defesa racional, além de querer controle tirânico sobre os desenvolvedores, e mais importante, querendo utilizar os desenvolvedores como peões em sua cruzada contra a Adobe".

    É de se estranhar um comportamento desse por parte da Adobe. A Apple pode claramente alegar vários problemas mais que justificáveis (como o quesito segurança) para impedir não somente a Abode, mas qualquer outra empresa de traduzir código não-nativo para seus equipamentos. É um direito e um dever, do proprietáŕio do hardware e do software, garantir a segurança de seus produtos para seus clientes. E nenhum tribunal no mundo, em sã consciência, poderá obrigar uma empresa a "abrir as pernas" (em todos os sentidos) para a concorrência. Mas vamos terminar nossa extrapolação por aqui e aguardar maiores informações sobre a peleja.


    Links de Interesse:

    - Adobe to sue Apple 'within weeks,' says report


Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L