• Processing 2.0 com Núcleo OpenGL

    Acaba de ser lançada a versão 2.0 do Processing, uma linguagem de código aberto e ambiente de desenvolvimento para arte criativa e design visual. O Processing foi criado em 2001 por Ben Fry e Casey Reas, como uma maneira para que não-programadores pudessem criar sketchbooks eletrônicos que pudessem gerar gratificação instantânea através do feedback visual. Baseado na linguagem Java, mas utilizando uma sintaxe simplificada e modelos gráficos, o Processing permite que usuários criativos construam interações, programas gráficos, ou mesmo sketches como os mesmos são chamados no Processing, de forma rápida com um suporte a IDE simplificado. A missão do projeto explica de forma sucinta que:

    O Processing procura arruinar a carreira de designers talentosos ao tentando-os longe de suas ferramentas usuais, e levando-os a um mundo de programação e computação. De forma similar, o projeto foi projetado para tornar engenheiros e cientistas da computação para o emprego menos remunerado de artistas e designers.
    A nova versão dessa linguagem, que tem sido desenvolvida desde meados de 2012, trás a renderização OpenGL para o núcleo da plataforma, substituindo o antigo software P2D e P3D de renderização, com uma nova renderização P2D e P3D acelerada com OpenGL. Uma nova biblioteca OpenGL, baseada no trabalho feito na versão do Processing para Android, também foi incorporada e o OpenGL agora é parte do núcleo do Processing. O Processing 2.0 também suporta múltiplos modos, permitindo que criadores possam trocar de forma fácil entre Java e o desktop processing, JavaScript e Processing.js para o navegador, Android, e outros futuros possíveis de linguagem/ambiente. O modo JavaScript não apenas permite que o usuário escreva um sketch com o ambiente de desenvolvimento, como também gera um servidor e navegador para permitir que os usuários rodem seus próprios sketches sem problemas.


    Dentre as demais alterações, destacamos a remoção da antiga classe Movie Maker, substituindo-a pela ferramenta Movie Maker, permitindo que os frames possam ser transformados em vídeos e substituindo a antiga biblioteca Video (que dependia do QuickTime para Java) pela biblioteca GSVideo, que utiliza o GStreamer no Linux e também trabalha no Windows e Mac OS X. Também existe uma nova classe XML para a manipulação de arquivos XML baixados e uma nova classe Table para manipulação de arquivos delimitados por tab (tecla tab) ou virgula (caractere vírgula). O suporte para applets Java também foi removido, sendo substituído em parte pelo framework JavaScript Processing.js. O suporte a applets Java tem se tornado insustentável devido aos muitos problemas encontrados em diferentes navegadores. O suporte explícito para as arquiteturas 32-bit e 64-bit para todas as plataformas também foi incluído.

    O web site Processing.org também foi reformulado para o lançamento do Processing 2, com mais atualizações planejadas para esse verão no hemisfério norte. O site inclui exemplos sketches de dados, imagens, cores, tipografia, animação, interação e simulação, além de tutoriais sobre o uso do Processing voltados para todos os tipos de usuários, desde o iniciante até o avançado, junto as devidas documentações de referência. Também existe a página de download para as arquiteturas 32-bit e 64-bit como binários para Windows, Linux e Mac OS X. Uma listagem detalhada de todas as revisões feitas na versão 2.0 também está disponível, junto a um sumário bem reduzido. O Processing está sob a GPLv2 ou o licenciamento do tipo LPGL para seu código fonte que pode ser encontrado no GitHub.

    Processign Foundation

    O Processing agora é gerenciado por uma recém-criada organização sem fins lucrativos chamada Processing Foundation. E com a versão 2.0, a fundação está pedindo doações individuais, ou grandes contribuições das companhias e outras organizações sem-fins lucrativos, já que o lançamento da versão 2.0 "aconteceu de uma maneira insustentável, com gastos pessoais tremendos para os desenvolvedores. A Fundação precisa levantar fundos para que a iniciativa continue". A fundação irá ser responsável pelo desenvolvimento e distribuição do Processing, tanto a linguagem quanto a PDE (Processing Development Environment).

    Se você ainda nçao conhece o Processing, baixe e experimente esse software. Se gostar, ajude os desenvolvedores com alguma doação em dinheiro. Qualquer valor ajuda a manter a equipe de desenvolvimento atualizando e melhorando esse ambiente de criatividade digital cada vez mais. O mundo do código aberto só tem a ganhar.

    Saiba Mais:

    - Heise Online: Processing goes 2.0 with an OpenGL core (em Inglês)

    Sobre o Autor: code

    Administrador e Editor do Portal Under-Linux, desenvolvedor Linux e FOSS para Linux, autor de livros e artigos, atuando na área de Educação Digital e P&D com AI.

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L