• Motorola Solutions: Investimento em Criptografia e Avanços com Smartphones Corporativos

    Miguel Noguerol, vice-presidente corporativo e gerente geral da Motorola Solutions na América Latina e Caribe, disse que a companhia anseia por uma fatia do mercado de smartphones no Brasil e na América Latina. E em uma estratégia diferenciada - o TC55, smartphone empresarial com tecnologia 4G, está sendo lançado primeiro na América Latina do que nos Estados Unidos. Nos EUA, o terminal chega em janeiro de 2014.




    Definições Feitas pela Motorola

    Em sua estratégia, a fabricante definiu que não haverá nenhuma disputa no mercado com os smartphones tradicionais. Mas disse que foi desenhado um produto para quem precisa de um terminal - um computador de bolso que fala - resistente a ambientes hostis como chuva, fábricas e segurança, acrescentou o executivo da Motorola. Mais que um terminal resistente à quedas, à água e a incidentes de uso em operações de campo, como os da medição de água, luz e outras, o TC55 investe na criptografia para dar a segurança ao tráfego da Informação.

    "É uma solução nossa, mas desenvolvida em padrão aberto, e 100% auditável, gratuita para todos os que tiverem interesse em adquirir o o nosso terminal", explica Paulo Cunha, presidente da Motorola Solutions Brasil. A justificativa se explica: a empresa está vislumbrando o governo como um potencial usuário do produto. O software de criptografia, sendo 100% auditável, se integra à nova regra de compras imposta pelo governo Dilma em resposta à espionagem dos Estados Unidos.


    Licitação dos Correios

    A aposta no governo é grande, mas a empresa ficou fora da licitação dos Correios - que prevê comprar mais de 50 mil smartphones. De acordo com declarações feitas por Noguerol, houve uma enorme tentativa de colocar o produto, mas eles preferiram os smartphones tradicionais. Além da criptografia, o TC55 - que tem custo estimado em US$ 1300, mas podendo baixar em razão do volume - tem ainda embutido scanner, para leitura de código de barra, e NFC, para pagamentos móveis.

    "Grandes empresas sabem que o BYOD é uma realidade, e tentam atender a pressão dos seus usuários, buscando soluções que protejam as aplicações integradas a sistemas legados. Nosso portal de desenvolvimento já conta com mais de 45 aplicativos portados, entre eles, ERPs, e toda a plataforma de desenvolvimento é open source, para que a empresa faça as suas adaptações conforme o negócio", salienta Noguerol.

    Além disso, a escolha pelo sistema móvel Android, com a versão Jelly Bean, acontece por ser o sistema operacional mais usado do mercado - com um percentual de 79%. A segurança volta como diferencial. "Sabemos que os malwares estão se voltando para o Android. A criptografia nos ajuda a barrar a ação dos malwares", diz Lobsang Rodriguez, vice-presidente de marketing e produtos da Motorola Solutions.


    Longa Durabilidade e Bateria com Horas de Utilização Estendida

    Com relação ao custo do terminal - acima do smartphone tradicional - o executivo diz que o gestor de TI busca o retorno de investimento na mobilidade. No caso do aparelho da Motorola, ele vem através da promessa da longa durabilidade. Vale ressaltar que o terminal foi feito para durar entre três e cinco anos, e que a garantia oferecida de fábrica é de dois anos. Os executivos disseram ainda que a bateria foi desenhada para durar 12 horas, sendo bastante utilizada. Ela pode durar até dois dias, e isso, certamente, não há em nenhum outro smarpthone de mercado. "Para as empresas, isso será um diferencial", acrescentou Rodriguez.


    Anatel, Integração com Outras Operadoras e Tecnologia Brasileira na Frequência Brasileira

    O TC55 está em fase final de habilitação na Anatel, e as operadoras vão, sim, ser procuradas pela Motorola Solutions para atuarem como integradoras. "As teles são um canal de altíssima relevância. O smarpthone possui Wi-fi, 3g e 4G na frequência brasileira", explica Paulo Cunha. No momento, informa ainda o executivo, não há planos para a fabricação local do smarpthone, mesmo com o possível uso da lei de desoneração; os planos futuros dependerão do volume de vendas. Além do mais, a fabricante também não quis criar expectativas de vendas, por tratar-se de lançamento mundial. Um produto 100% empresarial.


    Saiba Mais:

    [1] Convergência Digital http://convergenciadigital.uol.com.b...8#.UoLuE_k71nQ

    Sobre o Autor: Camilla Lemke


Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L