• O Verdadeiro Custo do Cybercrime

    De um ponto de vista que engloba o cenário do cybercrime na atualidade, as oportunidades são ilimitadas; aparentemente tudo tem um computador à disposição, além de outras tecnologias que também podem ser úteis para os cybercriminosos. É quase certo que a sofisticação dos exploits e ataques vai aumentar, e que os novos modos de explorar virão à tona com a revolução da computação e mobilidade em curso. Você pode pensar que é uma aposta segura, de que o custo do cibercrime vai crescer de ano para ano. Quando o Instituto Ponemon previu em 2012 que o custo do cibercrime cairia, todos foram surpreendidos - afinal, todos os indicadores apontavam o contrário.


    Em seguida, apenas recentemente, lançou seu Ponemon 2013 com o levantamento intitulado "Custo do Estudo do Cybercrime", o que mostra que eles agora projetam que as tendências de custos estão, de fato, aumentando - com 26% em 2013 a partir de números reportados em 2012.


    Amplitude do Cenário Cybercriminoso

    Certamente, a paisagem do cybercrime é ampla e, como esperado, o cybercrime tornou-se muito mais sofisticado nos últimos anos. Técnicas que você só poderia considerar existentes sob o domínio da espionagem tornaram-se parte do tradecraft do cybercrime. Ao longo das últimas décadas com a economia mundial globalizada, essas práticas ganharam impulso e foram se desenvolvendo.

    Em um relatório emitido em junho de 2013 pelo Conselho de Relações Exteriores, o custo anual do cybercrime para a economia global está estimado entre US $ 114 bilhões e US$ 1 trilhão. Estes números abrangem desde ciberataques, roubo de identidade e investidas crackers. Estes custos cobrem danos reais, perdas de propriedade intelectual e do imenso custo de reposição e "blindagem" de todos os componentes em uma rede comprometida.


    Lucratividade Proveniente do Cybercrime

    Há tanta motivação para explorar e lucrar com o cibercrime que é difícil imaginar o que o Ponemon estava pensando no ano de 2012. Na verdade, eles disseram o que estavam pensando: os estudos liberados foram construídos utilizando-se de diferentes metodologias. Nas 2.011 estimativas, o Ponemon colocou valor em um conjunto de fatores de custo (notificações), que cairam em 2011. O modelo de 2012 esteve focado em roubo de dados e nas práticas de crimes cibernéticos.

    O primeiro problema é que estes são modelos diferentes e os relatórios não podem ser facilmente comparados. Em segundo lugar, como antes em suas projeções de 2011, o Ponemon acredita que a adoção de vários sistemas de defesas cybernéticas seriam para reduzir as consequências e custos do cibercrime, e que estes estão amadurecendo.


    Saiba Mais:

    [1] Net Security http://www.net-security.org/article.php?id=1922

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L