• Polícia Federal Desbarata Quadrilha que Praticava Fraudes Cibernéticas Contra a CEF

    Através de uma ação conjunta com a área de prevenção da Caixa Econômica Federal - CEF, a Polícia Federal deflagrou a "Operação Sheik", cujo objetivo foi desbaratar uma associação criminosa que praticava fraudes bancárias através dos serviços de Internet Banking do referido banco. Os fraudadores estavam agindo desde 2011 burlando o sistema de Internet Banking da CEF, desviando valores financeiros da conta de clientes e assim, gerando prejuízos milionários aos cofres públicos. Um total de dez policiais federais participam da operação e dão cumprimento a cinco mandados judiciais, sendo um mandado de prisão preventiva, dois mandados de prisão temporária e dois mandados de busca e apreensão nas cidades de Uruaçu/GO e Goiânia.


    Vale ressaltar que as investigações iniciadas em 2015 mostraram que o grupo de cybercriminosos era formado por um casal e outros envolvidos nas práticas fraudulentas. O casal trocava de endereços e reside atualmente, na cidade de Uruaçu. O intuito do casal era despistar as atividades criminosas, apresentando-se aos moradores locais como fazendeiros. Além disso, o casal já havia sido preso em 2005 pela PF, mas somente neste ano de 2015 acessou mais de 2000 mil contas de clientes da Caixa, efetuando transferências, pagamentos de boletos e recargas de celulares. Em face dos crimes, os envolvidos responderão, na medida de suas participações, por associação criminosa, furto qualificado pela fraude, dentre outros delitos.


    Desarticulação de Quadrilhas que Agiam no Centro-Oeste e Norte do Brasil

    Em 2014, a Polícia Federal havia desarticulado duas quadrilhas especializadas em fraudes para obtenção de benefícios sociais e financiamentos. Elas foram desarticuladas em uma operação deflagrada no segundo semestre do ano passado. Onze mandados de prisão, dentre eles de cartorários e advogados, foram cumpridos nos estados de Goiás, Tocantins e no Distrito Federal. Nesse processo, dez pessoas tinham foram presas e encaminhadas à sede da PF em Goiânia. Segundo a corporação, as fraudes geraram prejuízo de R$ 7,5 milhões aos cofres públicos. No estado de Goiás, a operação da Polícia Federal foi realizada nas cidades de Abadiânia, Anápolis, Caldas Novas, Goianápolis, Marzagão, Nerópolis e Trindade. Os trabalhos também ocorreram em Brasília (DF) e em Arapoema no estado do TO. Os policiais cumpriram, ainda, cinco mandados de condução coercitiva, que incluem servidores do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), suspeitos de envolvimento com a quadrilha, e ainda 18 mandados de busca e apreensão.

    De acordo com declarações prestadas pela PF, as duas quadrilhas se beneficiavam da atuação de dois tabeliões de um cartório localizado em Marzagão, no sul de Goiás. Eles fraudavam certidões de nascimento tardias que eram utilizadas para a postulação de benefícios sociais no INSS e fraudes bancárias em bancos como a Caixa Econômica Federal.


    Denúncias à Polícia Federal Sobre Crimes Através da Internet

    Para fazer uma denúncia sobre algum tipo de crime que esteja sendo praticado pela Internet, a pessoa pode simplesmente acessar o site da Polícia Federal (denuncia.pf.gov.br). De acordo com a equipe da PF, o preenchimento do formulário acima é o meio mais rápido para fazer a sua denúncia. Porém, se o crime não foi cometido por uma página da Internet, é preciso utilizar o Disque 100 ou enviar um e-mail para denuncia.ddh@dpf.gov.br, e procurar a Delegacia mais próxima de vocês. Para fazer a denúncia pelo site, escolha o tipo de crime ao ser denunciado: pornografia infantil, crime de ódio, genocídio ou tráfico de pessoas. Essas opções aparecem no site, na parte de "Denúncias". Ao escolher o tipo de crime a ser denunciado, a pessoa tem acesso a uma explicação sobre cada modalidade de crime, para que possa ficar certa de que tipificou o crime de forma correta. Se tiver quaisquer tipos de dúvidas, a PF descreve os crimes de acordo com cada situação:

    - Pornografia Infantil: muito conhecida como pedofilia, ocorre quando existe o envolvimento de menores de 18 anos (criança ou adolescente) em atividades sexuais explícitas, reais ou simuladas, ou exibição dos órgãos genitais do menor para fins sexuais. A lei brasileira considera crime a divulgação e a troca de material pornográfico envolvendo menores de idade. Guardar material dessa natureza no computador também é crime.

    - Crimes de Ódio: são considerados assim quando existe a prática de qualquer tipo de preconceito (racial, religiosa, etc...), assim como a fabricação, a venda, a distribuição ou a divulgação de símbolos nazistas. Caso veja alguém incitando este tipo de comportamento na Web, denuncie.

    - Genocídio: divulgar qualquer ação que tenha por finalidade destruir determinado grupo de pessoas por causa de diferenças de raça, cor ou nacionalidade. Isso acontece quando alguém mata, fere ou impede a propagação de determinada etnia, e tem a intenção de fazê-lo desaparecer.

    - Tráfico de Pessoas: consiste no aliciamento de pessoas com falsas propostas de trabalho, retenção de documentos e aprisionamento. Homens, mulheres e crianças, independentemente da opção sexual e região podem ser vítimas do tráfico de pessoas para a exploração do trabalho ou para fins de exploração sexual. Em condições diversas, acabam se tornando escravos de outrém. A variante inclui ainda o tráfico de órgãos por quadrilhas que obtém lucros com este tipo de transação clandestina.


    Denunciando com Detalhes de Acordo com a Modalidade de Crime Praticada

    Depois que a pessoa leu a explicação sobre cada uma das modalidades de crime e confirmar se a denúncia se enquadra no tipo de crime descrito, é preciso informar o endereço da página onde foi postado o conteúdo repugnante (um único endereço URL por vez) e escrever um comentário detalhando os motivos da denúncia do conteúdo. Logo abaixo do campo onde for postada a URL que abriga conteúdo ilegal, há um espaço para detalhamento, considerações adicionais. O objetivo disso tudo é reunir o maior número de informações possíveis tais como o tipo de atividade ilegal desenvolvida no site; assim, é possível saber se existe incentivo de práticas racistas ou homofóbicas, por exemplo – e sintetizar em um texto estas informações. Além disso, é possível e deve ser verificado se as informações estão corretas. Tendo certeza de tudo está em conformidade, clique em "Denunciar". Todas as denúncias são anônimas e garantem a integridade da pessoas que as envia.

    Importante deixar muito claro que não há prazo definido para análise das denúncias realizadas, mas a Polícia Federal assegura que os agentes checam todas as informações enviadas pelo site e também via ONG Safernet, pelo Disque 100 e por intermédio de um acordo internacional firmado com a polícia norte-americana. O proprietário do site pode ser chamado a prestar esclarecimento dependendo do que a investigação apurar. A Polícia Federal diz também que não possui estatísticas referentes ao número de denúncias feitas mensalmente no site. Entretanto, a assessoria de imprensa do órgão informou que as denúncias provenientes dos acordos internacionais já chegaram a casa dos milhares, obedecendo a extensão/gravidade do conteúdo que foi denunciado.


    Saiba Mais:

    [1] DPF - Agência de Notícias http://www.dpf.gov.br/agencia/notici...nomica-federal

    Sobre o Autor: Camilla Lemke


Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L