Página 2 de 2 PrimeiroPrimeiro 12
+ Responder ao Tópico



  1. #21

    Padrão Re: Qual a melhor opção para atender cliente a 3km via rádio

    Uma coisa é usar antena com isolamento DECENTE entre V e H.

    Mas uma omni porqueirinha de 5dBi tem isolamento de 10 a 12dBm entre polarizações, é uma situação onde não tem uma antena em V e outra em H, é praticamente uma setorial em V com um omni apenas uns 20° inclinada.

    Teria que distanciar muito essa omni do painel setorial pra não ter sinal de um chain sendo lido no outro (Ou usar um painel setorial bom (Com ótimo isolamento entre polarizações) e uma omni muito boa, que duvido que seria o caso já que quem quer usar Airgrid quer justamente economizar).

    Gambiarra (Omni + setorial) não tem nada a ver com o uso normal com uma antena DP com isolamento decente entre polarizações. Usar antena DP num rocket M5, e clientes com Airgrid, muita gente faz sem problemas, mas gambiarra com painel SP + omni, aí tem que isolar uma da outra ou usar equipamento bom (Que custa o preço de um painel DP).

    Ah, e se é pra ter o mínimo possível de aquecimento no rádio, o resistor na verdade vai pra quase 60 ohms, se é pra ser perfeccionista com coisa que não afeta desempenho. Se colocar medidor ROE do lado e ir ajustando trimpot de 100 ohms até o VSWR ficar no mínimo, vai obter isso com resistor bem maior que 50 ohms, como tem cabo envolvido, impedância e resistência não são similares. Mas... antena omni vagabunda de 2dBi não tem impedância certa, é um monopolo aberto (Resistência infinita), e ainda assim não queima nenhuma saída de roteador, no máximo dá um throughput bem lixo, mas não queima ou danifica nada. Eu nem me preocuparia em colocar carga em cada saída, isso são equiptos feitos pra operar sem carga (Senão o próprio fabricante de cartões mini-pci ou mini-pcie venderia cargas e ganharia com isso, o próprio default dos cartões é usar só 1 chain virtual (Mas ele usa os 2 físicos), e alguns cartões tem etapa de RF muita mais caras que um Rocket M5 XM, com amplificador que chega a quase 1W!)

  2. #22

    Padrão Re: Qual a melhor opção para atender cliente a 3km via rádio

    Independente do equipamento cliente, BASESTATION 15DBI 120° UBIQUITI + ROCKET M2 sem medo de errar !

    Tera uma vasta area de cobertura, otimo nivel de sinal e um bom desempenho de velocidade, alem do mais, independente de usar airgrid no cliente voce pode variar, X clientes em HORIZONTAL e Y clientes em VERTICAL, assim não saturando uma unica transmissão do painel.



  3. #23

    Padrão Re: Qual a melhor opção para atender cliente a 3km via rádio

    STARNETVALE, assino embaixo.

  4. #24

    Padrão Re: Qual a melhor opção para atender cliente a 3km via rádio

    Vou me permitir discordar porque creio esse post tem conceitos os colegas gostariam esclarecer.

    Citação Postado originalmente por rubem Ver Post
    Uma coisa é usar antena com isolamento DECENTE entre V e H.

    Mas uma omni porqueirinha de 5dBi tem isolamento de 10 a 12dBm entre polarizações, é uma situação onde não tem uma antena em V e outra em H, é praticamente uma setorial em V com um omni apenas uns 20° inclinada.

    R: Sim, porem não é isso estava sendo analisado.

    Teria que distanciar muito essa omni do painel setorial pra não ter sinal de um chain sendo lido no outro (Ou usar um painel setorial bom (Com ótimo isolamento entre polarizações) e uma omni muito boa, que duvido que seria o caso já que quem quer usar Airgrid quer justamente economizar).

    R: Ai é onde esta o erro conceitual. Os rádios duplamente polarizados (é não estou falando sequer do MIMO), utilizam técnicas que permitem reduzir a interferência Co-Canal, em níveis significativos, e em particular, nas tecnologias atuais de transmissão digital. O mais fácil é sincronizar a transmissão (e recepção) de ambas antenas, Vert e Horz. Elas transmitem e recebem ao mesmo tempo!!! dessa forma não há como uma interferir na outra. Dessa forma funciona os AP da Cambium e UBNT sincronizados por GPS..

    Gambiarra (Omni + setorial) não tem nada a ver com o uso normal com uma antena DP com isolamento decente entre polarizações. Usar antena DP num rocket M5, e clientes com Airgrid, muita gente faz sem problemas, mas gambiarra com painel SP + omni, aí tem que isolar uma da outra ou usar equipamento bom (Que custa o preço de um painel DP).

    R: Sem duvidas!!! porem a o tema era outro. Estava sendo analisado que acontece se utilizasse só uma saída de um Rocket.

    Ah, e se é pra ter o mínimo possível de aquecimento no rádio, o resistor na verdade vai pra quase 60 ohms, se é pra ser perfeccionista com coisa que não afeta desempenho. Se colocar medidor ROE do lado e ir ajustando trimpot de 100 ohms até o VSWR ficar no mínimo, vai obter isso com resistor bem maior que 50 ohms, como tem cabo envolvido, impedância e resistência não são similares. Mas... antena omni vagabunda de 2dBi não tem impedância certa, é um monopolo aberto (Resistência infinita), e ainda assim não queima nenhuma saída de roteador, no máximo dá um throughput bem lixo, mas não queima ou danifica nada. Eu nem me preocuparia em colocar carga em cada saída, isso são equiptos feitos pra operar sem carga (Senão o próprio fabricante de cartões mini-pci ou mini-pcie venderia cargas e ganharia com isso, o próprio default dos cartões é usar só 1 chain virtual (Mas ele usa os 2 físicos), e alguns cartões tem etapa de RF muita mais caras que um Rocket M5 XM, com amplificador que chega a quase 1W!)
    R: Prezado , quando se trata de RF, e mais em micro-ondas , a antena se comporta como uma linha de transmissão, ela tem Impedância, e para medi-la dela precisa de equipamento adequado. Quando diz que ela tem resistência infinita, esta analisando no plano real. A impedância é um conceito no plano Complexo. Qualquer dipolo meia onda ,,medido com multímetro, vai ter dar resistência infinita, porem quando medida na frequência de sintonia vai te dar 75 ohms, resistivo. Por esse motivo se carrega com uma resistência, não significa que a antena seja uma.

    Respeito a deixar o conector de saída sem carga, concordo contigo, os rádios atuais todos tem proteção de ROE e desligam quando percebem a saída sem carga. Porem entre deixar o conector aberto e colocar uma anteninha velha , prefiro a segunda opção.



  5. #25

    Padrão Re: Qual a melhor opção para atender cliente a 3km via rádio

    Estou com algo parecido, quero atender clientes á 3Km e meu equipamento escolhido até o momento foi Ominitik RB 26dbi para jogar o sinal em 360º graus e SXT Lite 5 para enlance.

  6. #26

    Padrão Re: Qual a melhor opção para atender cliente a 3km via rádio

    Citação Postado originalmente por Leonardo884 Ver Post
    Estou com algo parecido, quero atender clientes á 3Km e meu equipamento escolhido até o momento foi Ominitik RB 26dbi para jogar o sinal em 360º graus e SXT Lite 5 para enlance.
    Com essa Omnitik terá problemas a 3km de distancia, isso é para até 1km acima não da para garantir o rendimento, coloca um BASESTATION 19DBI 120º da ubiquiti com radio ROCKET que terá garantia total de qualidade em até 8km se utilizando equipamentos da ubiquiti como cliente, nano loco m5 para até 3km e Airgrid m5 ou Litebeam m5 para distancia acima, Enlace use POWERBEAM M5 400 com airmax ativo, garantia total de satisfação.



  7. #27

    Padrão

    Mas você está só corroborando o que eu disse sobre Rocket M5 não servir pra 2T1R rumo a um Airgrid! Tem que usar antena DP mesmo, e antena DP automaticamente tem isolamento decente entre chains.

    Nos tempos do Picostation eu perguntei sobre diversidade espacial pra UBNT, e responderam que a linha Airmax não faz nenhum tipo de diversidade, opera fixo em transmissão simultânea nos 2 chains (Afinal foi feito pra operar com DP), e a linha Unifi, recém-lançada, é que fazia 3 ou 4 tipos de diversidade.

    Os tipos de diversidade que um rádio comum poderia fazer mas os Rocket M5 não fazem:

    - Diversidade por expansão espacial: Seria um 2T1R, sendo que um chain transmite, e 400ns depois o outro chain transmite. Rádio de mesa com 2 anteninhas omni na mesma polarização fazem isso.

    - Diversidade na recepção: Seria um 1T2R. Se as 2 antenas estiverem afastadas, o delay de um mesmo sinal entre elas pode entrar 2 vezes nos demoduladores, uma boa placa mini-pcie de notebook decente faz isso, aprende o delay típico, e depois de uns instantes começa a ignorar os pacotes que chegam no segundo chain com atraso, isso melhora o throughput porque o chipset de RF não tem que processar e depois descartar nada.

    - Multiplexação por divisão espacial: Seria o 2T2R que todo mundo acha que todo rádio com suporte a mimo faz. É isso aqui: http://article.sapub.org/image/10.59...204.05_004.gif Mas não é bem assim, fazer essa multiplexação exige processamento, ter que ficar testando se a contraparte tem 2 antenas aptas a receber os 2 chains gasta processamento, manter isso ativo derruba throughput, digo, leva vários segundos de packet probe até chegar no máximo throughput conseguível.

    - Beamforming: Seria 2 ou 3 antenas transmitindo cada um com um micro-delay (De picosegundos) de modo que no receptor o sinal das 3 antenas em 3 distâncias diferentes chegue junto, 3 sinais baixos mas simultâneos aumentam a amplitude lida da onda, pro receptor o sinal sai mais legível, na prática aumenta o alcance (E é o que o Wavion WBS2400 faziam, não sei de nenhum outro equipto recente que faz beamforming, isso exige muito processamento)

    - E uma meio que evolução do beamforming, coisa que talvez uma versão do Wavion WBS2400 faz, é a diversidade por STBC, ele testa tudo que é tipo possibilidade pra tornar o pacote mais legível. Pra ambiente NLos isso seria lindo, mas exige ainda mais processamento nas 2 partes da conexão (Ou seja, com CPE comum não rola).

    O padrão da IEEE permite tudo isso, mas não obriga a usar nada. Segundo a UBNT, pra priorizar throughput, os Airmax não tem nada disso ativo. Estabelecida uma conexão 2T2R o chain0 do AP vai apenas e tão somente se comunicar com o chain0 da estação, sem multiplexação nenhuma, por isso tentar colocar 2 antenas de mesma polarização num Rocket vira em nada (Mas é ótimo num Unifi, que tem umas diversidades ativas no firmware, apesar de usar uns chipsets similtares a uns Airmax).

    Isso tudo pra dizer que o que se aplica a roteador de mesa, não se aplica a Rocket. A linha Prism é outro patamar e DUVIDO que alguém use Rocket Prism pra conectar uma velharia antiquada tipo Airgrid! Enfim, Rocket M5 e a maioria dos equiptos pra uso outdoor não se encaixam nas especificações típicas do padrão da IEEE, eles são os mais capados em diversidade, pra garantir throughput (Afinal diversidade só faz sentido com uso com movimento, sem estações fixas, coisa rara em ambiente outdoor).

    É fato que a transmissão é simultânea nos 2 chains (Quando já tem conexão estabelecidade, e é MIMO), mas quando você tem 1 chain em conexão, trocando dados com rádio, e outro chain com um anteninha pequena, sem conexão ativa, o chain0 com cliente vai mandar pacotes digamos assim:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         httpatomoreillycomsourceoreillyimages1595843.png
Visualizações:	51
Tamanho: 	185,1 KB
ID:      	66676
    (Com todo o peso da centena de bytes mais que o modo noob (auto) gera nesses campos de tamanho variável, só os ID's dos data rates suportados dá 100 bytes fácil fácil! Potência auto mais 15B, canal auto idem, e por aí vai)

    Enquanto a anteninha sem nada vai emitir só o mac header, mas sem Destination Adress, nem Sender Adress, nem duração, só o SSID mesmo. Ela vai emitir isso, e sair do modo TX e entrar em RX enquanto o outro chain ainda estará transmitindo, esse é o momento que o isolamento entre polarizações importa! Num sistema DP com 2x2 obrigatório (AirOS não faz 1x1 se os 2 lados suportam 2x2) um isolamento de só 22dBm como o das BaseStation da UBNT serve, mas omni pequena perto de antena SP, seja lá qual for a polarização (Já que omni pequena tem isolamento péssimo em cross-pol, as de 2dBi mal dá pra dizer que tem polarização, já que não isolam quase nada da outra polarização), não vai ter pacotes a trocar, por isso vai apenas emitir SSID e depois entrar em modo RX, vai receber todos os pacotes que o outro chain enviou, vai descartar os enviados no ato, mas ainda vai gastar processamento com os reflexos (Com nanosegundos de atraso) e com os pacotes dos clientes que chegam em nível bem baixo.

    Enquanto operando sem essa antena omni, esse chain sem uso não vai receber nada dos clientes, vai receber em nível legível apenas o que o outro chain transmite no ato (E portanto vai poder descartar isso sem gastar processamento), e não os reflexos (Já que o conector SMA é uma péssima antena de -10dBi).

    Mas se colocar fixo num data rate de single-chain, digamos MCS6, o conector sem antena ou com omni vai emitir e receber o mesmo que a setorial, não vai ajudar em nada já que vai enviar com uns picosegundos de atraso (Pela distância física entre antenas), e receber com esse atraso, causando uma leve ilegibilidade em caso de sinal baixo (Margem pequena tipo 14dBm, pra quem é maluco de usar margens tão baixas entre sensibilidade e sinal), não que faça muita diferença pra pior, mas é fato que não trás benefício nenhum, só um pequeno efeito de fantasma pela distância física entre antenas, o chipset precisa processar isso antes de descartar então vai só usar processamento do chipset de RF a toa (É uma pena que nenhum firmware exiba o uso desse chipset, só mostra o uso percentual da CPU do chipset principal). Isso porque a linha Airmax (E provavelmente o RouterOS também) não faz nenhum tipo de diversidade, não prevê esse uso por isso não descarta nada antes de analisar, digo, gasta processamento antes de descartar, esse gasto de processamento se reflete em delay nos pacotes.

    Deve ter MUITA Basebox 5 da versão 5SHPacT, T de triple-chain, operando só com 2 chains, sem NENHUM antena de carga no terceiro chain, sem nenhum problema de desempenho ou calor. Assim como em tempos de SISO todo mundo usava placa mini-pcie com 2 amplificadores ou 2 circuitos separados (Aux e main) sem nenhuma antena servindo de carga no conector aux (Que sempre teve circuito 100% igual ao conector main). Não vejo nenhum motivo pra usar algo do tipo, ninguém nunca se preocupou com isso no uso padrão em tempos pré-MIMO, não vejo porque se preocupar com isso hoje, o chain sem uso de um rádio MIMO é igual uma saída auxiliar de rádio SISO, com o problema que MIMO é inteligente e caso detecte sinal numa antena secundária pequena, vai mandar SSID, vai mandar ack, ou se operar em modo cliente vai mandar COM CERTEZA um punhado de probe request (Pedido de informação sobre SSID, mac e etc), vai usar espectro e vai consumir processamento por pura firula.

  8. #28

    Padrão Re: Qual a melhor opção para atender cliente a 3km via rádio

    Citação Postado originalmente por emilidani Ver Post
    STARNETVALE, assino embaixo.



  9. #29
    Alex Rock Avatar de alexrock
    Ingresso
    Jan 2006
    Localização
    S. J. do Rio Preto-SP
    Posts
    834

    Padrão Re: Qual a melhor opção para atender cliente a 3km via rádio

    @rubem, a CPE510 da TPLink tinha beamforming nos firmwares mais antigos mas removeram. Não sei se fazia diferença...

  10. #30

    Padrão Re: Qual a melhor opção para atender cliente a 3km via rádio

    Citação Postado originalmente por alexrock Ver Post
    @rubem, a CPE510 da TPLink tinha beamforming nos firmwares mais antigos mas removeram. Não sei se fazia diferença...
    Que eu saiba era nativo do firmware Pharos, ou seja, 210 e 510 eram pra ter.

    Nos rádios de mesa deles também tem, não sei se faz diferença prática em uso indoor mas eles se preocupam em colocar a feature ativa (Por isso é uma nhaca pra mini-PTP, 10Mbps aqui eu consegui com ela, mas pra passar pra 15Mbps deu trabalho, mesmo com sinal lá pelos -60dBm. SXT Lite5 com esse sinal me daria uns 25Mbps half na distância que usei).



  11. #31

    Padrão

    Citação Postado originalmente por rubem Ver Post
    Que eu saiba era nativo do firmware Pharos, ou seja, 210 e 510 eram pra ter.

    Nos rádios de mesa deles também tem, não sei se faz diferença prática em uso indoor mas eles se preocupam em colocar a feature ativa (Por isso é uma nhaca pra mini-PTP, 10Mbps aqui eu consegui com ela, mas pra passar pra 15Mbps deu trabalho, mesmo com sinal lá pelos -60dBm. SXT Lite5 com esse sinal me daria uns 25Mbps half na distância que usei).
    Não cheguei a testar aquela que vem com antena de 12dbi com OS pharos,testei a de 9dbi 2.4ghz não gostei muito do ganho dela,preferi aquela mais antiga wa5210g,tenho aqui 2 como ap e com firewall nanostation,ficou top,ta aguentando 25 clientes,equilibrando os clientes em cada uma.

  12. #32

    Padrão Re: Qual a melhor opção para atender cliente a 3km via rádio

    Citação Postado originalmente por rubem Ver Post
    Uma coisa é usar antena com isolamento DECENTE entre V e H.

    Mas uma omni porqueirinha de 5dBi tem isolamento de 10 a 12dBm entre polarizações, é uma situação onde não tem uma antena em V e outra em H, é praticamente uma setorial em V com um omni apenas uns 20° inclinada.

    Teria que distanciar muito essa omni do painel setorial pra não ter sinal de um chain sendo lido no outro (Ou usar um painel setorial bom (Com ótimo isolamento entre polarizações) e uma omni muito boa, que duvido que seria o caso já que quem quer usar Airgrid quer justamente economizar).

    Gambiarra (Omni + setorial) não tem nada a ver com o uso normal com uma antena DP com isolamento decente entre polarizações. Usar antena DP num rocket M5, e clientes com Airgrid, muita gente faz sem problemas, mas gambiarra com painel SP + omni, aí tem que isolar uma da outra ou usar equipamento bom (Que custa o preço de um painel DP).

    Ah, e se é pra ter o mínimo possível de aquecimento no rádio, o resistor na verdade vai pra quase 60 ohms, se é pra ser perfeccionista com coisa que não afeta desempenho. Se colocar medidor ROE do lado e ir ajustando trimpot de 100 ohms até o VSWR ficar no mínimo, vai obter isso com resistor bem maior que 50 ohms, como tem cabo envolvido, impedância e resistência não são similares. Mas... antena omni vagabunda de 2dBi não tem impedância certa, é um monopolo aberto (Resistência infinita), e ainda assim não queima nenhuma saída de roteador, no máximo dá um throughput bem lixo, mas não queima ou danifica nada. Eu nem me preocuparia em colocar carga em cada saída, isso são equiptos feitos pra operar sem carga (Senão o próprio fabricante de cartões mini-pci ou mini-pcie venderia cargas e ganharia com isso, o próprio default dos cartões é usar só 1 chain virtual (Mas ele usa os 2 físicos), e alguns cartões tem etapa de RF muita mais caras que um Rocket M5 XM, com amplificador que chega a quase 1W!)
    Rubem entre antena dipolo aberto ou fechado qual melhor?



  13. #33

    Padrão Re: Qual a melhor opção para atender cliente a 3km via rádio

    Se não estou ruim de memória, dipolo fechado tem menor nível de ruído.

    O "curto-circuito" no dipolo ajuda a neutralizar harmônicas e um pouco de ondas refletidas na própria estrutura da antena.

    Tanto que acho que só umas antenas baratas de grade usaram dipolo aberto em wifi, as antenas mais caras sempre tiveram soluções com curto.

    (Monopolo tipo em antena de disco é outra história porque o monopolo fica dentro de um tubo, é um tubo guia-ondas físico que conduz o que cabe lá dentro, as outras faixas são bastante atenuadas, o maior nível de ruído num dipolo acaba sendo resolvido pelo menor nível desse mesmo ruído num tubo guia-ondas)

  14. #34

    Padrão Re: Qual a melhor opção para atender cliente a 3km via rádio

    É o caso das Yagi que vem da China para wifi. Elas são dipolo aberto . E "pegam" mais ruídos.

    Por outro lado a directividade delas é muito boa. Acho que se os chineses melhorassem a qualidade do projeto até seria interessante.



  15. #35

    Padrão Re: Qual a melhor opção para atender cliente a 3km via rádio

    Então é por isso que tem quem não goste de yagi e eu gosto. Comprei umas 4 ou 5 yagi da DealExtreme e tinham dipolo fechado, tipo isso:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         16-dB-Elements-2-4GHz-Yagi-Antenna-Outdoor-Dual-Band-VHF-UHF-Yagi-Antenna-ARY-2400-2483-16-.jpg
Visualizações:	37
Tamanho: 	8,9 KB
ID:      	66774

    Acho que ainda tenho 2 dessas, guardei porque gostava do sinal, não porque ninguém queria.

    E as yagi das CPE's Oiwtech também sempre me agradaram (Até hoje ainda coloco RB dentro dessas caixas, pra aproveitar a antena), e... também tem um dipolinho fechado:
    https://under-linux.org/attachment.p...0&d=1298222255

    (É uma placa de fibra, com circuito impresso formando o loop, é uma boa ideia faz fazer o loop sem tanta mão-de-obra na montagem)

  16. #36

    Padrão Re: Qual a melhor opção para atender cliente a 3km via rádio

    Bah! como diz o gaúcho... deixa eu me redimir.... As minhas também são dipolo fechado. Como faz tempo nem me lembrava da imagem delas. Exatamente estas. Eu me enganei pensando num dipolo aberto... kkk coisas de septuagenário...

    As OIW também são ótimas. Pena que quando queima a pcba daí tem que fazer uma adaptação para colocar outra placa, pois eles não fornecem só a pcba pequena para encaixar no local.

    Se todo provedor usasse este tipo de antena eu tenho a impressão que o espectro 2.4 seria um pouquinho melhor.

    Melhor pois como são bem direcionais haveria um pouco menos de poluição. CPE no mercado quase tudo é com ângulo muito aberto. E como a filosofia de aplicação de uma CPE como o próprio nome já diz é para ser usado como cliente. E como tal não precisa de ângulo aberto.

    Quando corremos um site survey logo pensamos e achamos dezenas de APs. Mas quantas estações estão relacionadas com cada um desses APs?
    Mesmo com todos os mecanismos nos firmwares para tentar isolar o máximo do sinal indesejado e não reconhecido, o noise vai ser afetado.
    O que acha Rubem, tem fundamento o que penso? ou é só viagem mental?



  17. #37

    Padrão Re: Qual a melhor opção para atender cliente a 3km via rádio

    @rubem , preciso de mandar uma mensagem para ti. É assunto não pertinente ao forum. Mas teu perfil está configurado para não receber MP.... Me manda por MP teu contato ou libera lá no perfil

  18. #38

    Padrão Re: Qual a melhor opção para atender cliente a 3km via rádio

    Citação Postado originalmente por rubem Ver Post
    Se não estou ruim de memória, dipolo fechado tem menor nível de ruído.

    O "curto-circuito" no dipolo ajuda a neutralizar harmônicas e um pouco de ondas refletidas na própria estrutura da antena.

    Tanto que acho que só umas antenas baratas de grade usaram dipolo aberto em wifi, as antenas mais caras sempre tiveram soluções com curto.

    (Monopolo tipo em antena de disco é outra história porque o monopolo fica dentro de um tubo, é um tubo guia-ondas físico que conduz o que cabe lá dentro, as outras faixas são bastante atenuadas, o maior nível de ruído num dipolo acaba sendo resolvido pelo menor nível desse mesmo ruído num tubo guia-ondas)

    Essa afirmação não esta certa. Dipolo "Aberto " é o dipolo original com impedância 72-75 ohms. Dipolo "Fechado" não existe, o nome verdadeiro é Dipolo Dobrado e se utiliza para aumentar a impedância no centro de antenas, dessa forma se pode fazer arranjos bem adaptados entre varias antenas.

    As antenas dos radinhos são do tipo "Sleeve" , basicamente um dipolo com "balun" que serve para adaptar a caraterística balanceada do dipolo com a desbalanceado do coaxial 50 ohms.

    O uso do Dipolo "Aberto" ou "Dobrado" não tem nada a ver com serem baratas ou caras. Tem a ver com a aplicação desejada.

    Para um iluminador, como esses utilizadas nas antenas de grade, poder conseguir adaptação ao cabo RG8 ou RG213 , com impedância de 50 ohms , é bem mais fácil e eficaz utilizar uma antena dipolo simples , pois a impedância deles é de aprox. 72 ohms, é não precisaria de maior adaptação para funcionar com os 50 ohms do coaxial (de fato as boas antenas tem uma linha adaptadora entre ambos).

    A Antena Dobrada tem uma vantagem interessante para aplicações em torre pois elimina a corrente estática originada pelo vento nos dipolos. Isso tinha grande importância para proteger a saída dos transmissores.

    Para se ter uma ideia , as antenas mais caras e de maior potencia em transmissão de TV e FM são dipolos simples (abertos) unidos por linhas adaptadoras. Utilizo esse exemplo pois estamos falando de potencias de mais de 10 KW.

    Monopolo em tubo guias de ondas é a mesma coisa que Monopolo no espaço aberto. O comportamento é exatamente o mesmo, ele é desbalanceado , com uma polaridade aterrada (a que vai presa no duto). Se fosse tão ruim assim não seria utilizada na recepção de micro-ondas satelital desde o inicio.

    A adaptação da guia de ondas nada tem a ver com adaptação do dipolo. A guia de ondas tem a adaptação própria e obedece a frequência e polarização da onda entrante, enquanto que o monopolo tem a adaptação própria para com o coaxial que sai dele.



  19. #39

    Padrão Re: Qual a melhor opção para atender cliente a 3km via rádio

    Mais uma informação: toda a discussão respeito de cross isolation nas antenas para os Rocket M não faz sentido como mencionei anteriormente . Os Rockets (e todos os modelos MIMO) transmitem em simultâneos nas duas saídas , 1 e 2 ou H e V. Isso significa que pode por qualquer antena com isolação entre polaridades de 0dB que tanto faz, não afeita em nada a qualidade do link pois não há como se interferirem entre as duas saídas.

    Isso vale para todos os rádios 802.11n MIMO.

  20. #40

    Padrão Re: Qual a melhor opção para atender cliente a 3km via rádio

    O problema não é transmissão, o problema é recepção. RX de 2 chains sem cochannel, nas mesmas portadoras, gera throughput péssimo (Vide 2T2R com 2 omni na vertical em roteador de mesa, é só girar 2 antenas em 90° que misteriosamente o throughput sobe 70%).


    Se isolamento entre chains não importasse, já teria no mercado um monte de antenas pra 3 ou 4 chains pra PTP, com "polarizações" a 15° ou 22° uma da outra (Afinal tem até RB com 3 chains). Rádio digital usa cochannel de fato, porque não dá pra colocar mais que 2 chains na mesma antena e ter link de qualidade.