+ Responder ao Tópico



  1. Olá Pessoal
    Desculpem por me aproveitar desta coisa que alguns chamam de marketing. Mas se eu não fizer isso, como vou implementar o artefato? Espero que a maioria aprecie.
    Neste link abaixo, estou apresentando o T Mágico fabricado por mim e convidando a todos á participarem do curso de antenas. Venha aprender a construir um LENÇOL DIGITAL e a utilizar a tecnologia do T MÁGICO.
    Um abraço a todos.

    Cat

  2. Aproveitando um tempo que me sobrou ontem, fui visitar o Sr. Gilvan na Geenge, como fico próximo a Porto Alegre, marquei com ele para ver ao vivo o famoso T Magico.

    A Necessidade surgiu devido a quantia de antenas instaladas aqui no meu ponto principal, pois distribuo para outras cidades e mais os AP de clientes locais, minha torre ja esta quase saturada.

    Com a promessa do T magico ligar 2 rádios em 1 antena, sei que magica não existe, mas na curiosidade e dando um voto de confiança, fui ver o mesmo.

    Primeira vista, é um equipamento feito como guia de ondas e cavidades de ressonância, com bastante regulagens.

    O Sr. Gilvan ligou o T magico nos equipamentos (gerador RF, osciloscópio etc), e me mostrou o produto em funcionamento, mas como laboratório quase tudo funciona bem, fiquei desconfiado.

    Paguei pra ver, comprei um T magico para testar em campo, paguei R$ 180,00 e trouxe.

    Hoje pela manha, vim cedo para a empresa, peguei o T, subi na minha torre para enfim testar em ambiente real.

    Minha situação atual: 01 RB433 + 02 R52H Ligados em 02 Setoriais 90º 17Dbi


    Como quero economizar espaço mudei para o seguinte ambinete:

    01 RB 433 + 01 EMP-8603 + R52N + 01 SETORIAL HYPERLINK 17DBI 120ª (equipamentos que ja tinha aqui parados)

    Antes tinha 2 Setoriais cobrindo 180º, coloquei entre as 2 a de 120º e liguei no T Magico

    1 -ANTENA CONECTADA NO T MAGICO
    2- EM8603 LIGADO COMO SSID DOS CLIENTES DA MINHA SETORIAL DA DIREITA

    Configurei este cartão exatamente igual minha rede principal, canais, etc.

    Fiquei perdido no inicio, devido as regulagens, ai fui mexendo em uma, vendo o resultado, e assim por diante. Consegui deixar todos clientes navegando com um bom sinal.


    3. - Liguei o R52N ao T Magico e fiz a mesma configuração dos clientes da minha setorial esquerda, e calibrei o T Magico


    Resultados:

    1- Quanto ao tipo de Instalação - Num primeiro momento assusta, tem que prestar atenção no que ta mexendo, e com o olho na tela do notebook até calibrar, meia volta ja muda tudo na tela.

    2- Quanto a qualidade: Funcionou, até agora todos clientes navegando sem qualquer problema.

    3- Quanto ao Custo beneficio: Consegui economizar 2 Setoriais, bem como ferragens e espaço na torre.

    4- Vantagens: Dobro de clientes em uma unica antena, mesmo sendo 2 radios.

    5- Criticas: O Sr. Gilvan me entregou previamente calibrado para os canais que eu usava, porém no ambiente real, mudou tudo completamente, tive que mexer nas regulagens até chegar a um nivel de qualidade. Isto em telefonema que fiz a ele, me explicou que mudou devido aos cabos usados, pois a calibragem foi para os cabos que ele tinha no equipamento, como usei outros cabos, bem como metragens diferente, o cenário mudou.

    6- GERAL: O funcionamento foi satisfatório, consegui realmente usar 02 rádios em uma mesma antena, sem interferência, com uma boa isolação entre eles, e todos clientes navegando sem sentir diferença alguma.



    Vou esperar alguns dias para ver o andamento geral do T magico, e pretendo comprar 02 T Magico para formar um BackBone, creio que funcionará melhor que uma antena de polarização dupla. Usarei 02 Rádios em cada ponta fazendo Nstreme dual com 01 unica antena. Estou fazendo fotos e videos, bem como print das telas para postar na proxima semana.


    Bem, no mais é isto, não to criticando, nem ajudando, apenas dando a real dos testes que fiz aqui.



    Abraços




    Flavio Karoleski
    Viaguaiba Provedor e Portal de Internet





  3. Será que algum de vocês acenderia uma luz no meu porão? A minha lâmpada está queimada.

    .

    Seria possível pegar o firmware de um AP de RFID e instalar num AP de 2,4GHz?

    .

    Um AP para wireless hoje custa vinte vezes mais barato que um AP de RFID.

    .

    Caso queiram inteirar-se em RFID olhem o site abaixo. A Geenge fabrica as antenas para eles.



    Solid Invent - Sua necessidade com nosso RFID!

    .

    Amanhã vai chover canivete aberto aqui no salão do curso.

  4. Olá Rapaziada.

    No dia 13 de março de 2.010 estiveram reunidos no covil dos anteneiros que fica na Geenge em Porto Alegre a seguinte tripulação.
    COMANDO
    Capitão............... Gilvan Enriconi
    Imediato.............. Mateus Preuchner
    Mestre................ Lisane Tainete Prauchner
    Contra-mestre.... Patrícia Da Silva Santana.

    MARINHEIROS DE PRIMEIRA CLASSE

    1) MARUJO RECRUTAMENTO ALOJAMENTO
    2) Evaldo A. Esperança São José do Ouro ouronet@ouronetonline.com.br
    3) Heron Ziebert Criciumal ziebert@gmail.com
    4) Renato E. Rodrigues Campo Novo vtw@vtw.com.br
    5) Lione José Bohn TrêsPassos lioneinformatica@gmail.com
    6) Jandir Antonio Pioner Campo Bom globolink@netwizard.com.br
    6) Regimar Costa Eldorado regimar@viaguaiba.com.b
    7) Lecir Haas Campinas da Missões lecir@brmaster.com.br
    8) Maurício C. Biscarov São José do Ouro ouronet@ouronetonline.com.br
    9) Flávio Karoleski Guaíba flavio@viaguaiba.com.br
    10) Luiz Carlos Madeira Torres Luiz@crtm.net
    11) Rodrigo Heberle Caxias do Sul Rodrigo.e@gemail.com
    12) Marlos Scein Boavista do Buricá Marlos - marlos@via-rs.net


    A nave era pequena, mas o mar era enorme, no seu mastro principal flamulava uma bandeira preta com o desenho branco de um T Mágico . Bravamente superamos as piores ondas e conseguimos atracar num porto seguro. Ao chegarmos lá todos diziam a mesma coisa:
    -Aquela hora que o Lençol Digital nos atingiu de cheio foi a hora mais crítica.
    Gostei muito da tripulação, todos demonstraram habilidades fora do comum. Se outros mares eu tiver que navegar, vou convocá-los de novo.
    Abaixo vai um brinde para aqueles que gostam de maionese. Desculpem mas acredito que a arte é o grande lubrificante que se coloca nas engrenagens da compreensão humana.
    Quem gostar leia, os mais rígidos delete.
    Um abraço a todos.

    Gilvan



    Continua......



  5. Continuação......

    Sal


    MENTINDO NUMA LAN DE SALÃO

    Sempre fui um pé de vento no salão, envolver uma cintura feminina e girar em harmonia com a música sempre foi algo deliciosamente sensual para mim. Com o tempo os passos acontecem sem planejamento, o par simplesmente baila entre os casais no salão como um esquiador descendo numa montanha de neve sinuosa lisa e íngreme. Jamais pode haver um passo errado, uma colocação de pé onde não deveria ou acontece o tropeço, a velocidade cai, a graça morre, e a sexualidade finda.
    No meio do salão, com um braço cingindo sua cintura e o outro no ar segurando a sua mão direita, rodeávamos no salão onde nos últimos quarenta anos havíamos dançado.
    Lembro que quando começamos a dançar, a música que estava tocando era importante para nós, de acordo com o seu ritmo bailávamos no salão vazio, eu tinha muitos jeitos de conduzi-la. Mas o tempo foi passando e com ele as coisas foram mudando, a música o corpo, e o jeito de dançar e principalmente a quantidade de pares dançando que mudavam em quantidade incessante e de forma inclemente. Agora, basta a orquestra começar e o salão esta cheio, porem duas coisas não mudaram nesse tempo todo, foi o tamanho do salão e o meu par. Somos dois esquiadores sobre o mesmo patim vencendo a montanha branca onde muitas vezes caímos mas nos levantamos todas as vezes até que aprendemos a domina-lá mesmo que para isso estejamos levando hoje como bandeira a cor que esta montanha branca nos pintou nos cabelos.
    Nos primeiros dias dançávamos roçando suavemente as pernas, botando toda a atenção nas curvas da dança, pois era o melhor pretexto para aquele sexo idílico, naquelas horas o salão parecia não existir. Depois veio o perfume que vinha do seu pescoço que para ocupava todo o volume do salão, o mundo dos sentidos naquele tempo podia ser explicando pelo olfato. O salão inteiro tinha o seu cheiro, até a música podia ser dançada seguindo as ondas de perfume no ar. O erotismo não vinha só da irradiação do aroma, haviam também os seios e o sexo, estas foram descobertas que terminaram com um obrigado meu Deus.
    Os anos foram passadas as coisas humanas que passam mudam. Tudo lentamente mudava em nós, menos o salão.
    Mudar não quer dizer perder, quer dizer trocar e eu garanto que a natureza nos organizou de forma que nas nossas negociações com o tempo, sempre saímos ganhando. Isso não dá para explicar, é preciso deixar as pistas curvas e profundas da nossa estrada vir morar nas linhas do nosso rosto para poder entender. Por isso eu penso que muito poucas pessoas podem compreender a troca, visto que poucos são aqueles que tiveram o tempo necessário na vida e dentre aqueles que tiveram este privilégio poucos souberam ser bons negociadores com a dor.
    Não sei dizer á partir de quando comecei a enxergar os outros pares no salão, sei que de um momento em diante comecei a perceber que o número de pares que dançavam mudava muito, e a quantidade deles dependia de duas coisas, da música que tocava e do jeito de dançar. Acho que despertamos para esta percepção quando por abuso de emoção decidimos que não havia mais fronteiras e nós estávamos nos transformando numa unidade, isso levou para nós, quarenta anos.
    Assim como tudo fluía bem no nosso lado de dentro, finalmente comecei a olhar para fora e lá estavam os outros, todos naquele salão, todos dançando no baile da vida. Alguns rostos eu reconhecia como muito antigo outros eram novos, mas todos estavam ali, e nunca haviam sido tantos. Cada novo par que subia para dançar influenciava em outro par, ainda que este outro par estivesse do outro lado do salão. Na verdade todos dançavam no salão como um só par. Como se fossem a LAN do salão. A orquestra? Ora a orquestra era só o AP. Havia em todos um protocolo de como dançar adequadamente. Minha mulher olhou nos meus olhos e perguntou:
    -O que tu estas pensando? Não é em antena é?
    -Claro que não querida, apenas observava que todos os pares que estão dançando não colidem ou se atrapalhem embora o salão esteja cheio.
    Continuei dançando de olhos fechados para ela não olhar lá dentro e ver que eu havia mentido.

    FIM






Tópicos Similares

  1. Cópia física de HD em larga escala
    Por laralc no fórum Sistemas Operacionais
    Respostas: 2
    Último Post: 08-05-2006, 14:32
  2. Link dedicado para pessoa FISICA!?!
    Por daniel_tux no fórum Redes
    Respostas: 10
    Último Post: 29-11-2005, 21:11
  3. logica x fisica
    Por alesandro no fórum Sistemas Operacionais
    Respostas: 11
    Último Post: 24-02-2005, 14:03
  4. Tela Azul com estações Windows ME
    Por no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 5
    Último Post: 27-08-2003, 11:23
  5. Memoria Fisica..
    Por no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 13
    Último Post: 11-02-2003, 22:26

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L